Revista GAU - GALERIA DE ARTE URBANA - nº 3

  • View
    278

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Fanzine /Revista G A U - Portugal

Transcript

  • VOL. GALERIA DE ARTE URBANA 03| 2014 VHILS UNDERDOGS OS LUSADAS REVISITADOS ROSTOS DO MURO AZUL
  • GAU| GALERIA DE ARTE URBANA NAS PAREDES OS LUSADAS REVISITADOS De algum modo, os deuses reuniram-se em conclio e ajudaram a que todas as condies se propiciassem: estamos junto ao rio Tejo, de onde se partira para a gesta nacional dos Descobrimentos, num muro que mais parece uma onda a avanar sobre o terreno da Avenida da ndia, esse pas para o qual encontrmos o caminho martimo. Depois a dupla artstica ARM Collective mostrou-se disponvel para realizar a sua interpretao plstica da obra maior da poesia pica portuguesa. Os Lusadas surgiram, desta forma, revisitados pelo engenho e pela arte de RAM e MAR em composies que se espraiam pela velha parede. Mas no s sobre o reboco se fez a valerosa obra, estas figuras ilustram tambm a edio em papel dos 10 cantos, todos acompanhados por um conto evocativo de Jos Lus Peixoto. Numa colaborao entre a Viso e a Galeria de Arte Urbana, comemora-se assim o 20 aniversrio da revista, e no Olimpo, os deuses sorriem perante o desenrolar de to gloriosos acontecimentos. 03| VOL. 2014 Av. da ndia | 384148 N 91145 W
  • GAU|GALERIA DE ARTE URBANA ENTRE A PALAVRA E O SILNCIO As ruas percorrem-se sempre entre a palavra e o silncio. Na Rua de S. Bento, numa iniciativa de arte urbana integrada na programao do Festival Todos, que contou com o apoio da GAU e da EDP Distribuio, inscrevem-se instantes feitos de letras numa paisagem que no se quer indiferente. Da autoria de Corleone e Im from Lisboa, a obra evoca a origem caligrfica do graffiti, em que o writer traava o seu tag, e traduz visualmente alguns dos idiomas que convivem nesta zona da cidade crioulo, croata, hindi, portugus. E nesta edio, os armrios tcnicos compem sequencialmente as palavras - Festival Todos 2013 -, sendo pois, dentro deste patrimnio e ritual da caligrafia, que se descreveu uma caminhada de culturas. Rua de So Bento | 38435 N 9920 W O LAGARTO DA PENHA Na sequncia de um concurso lanado em parceria pela GAU e Junta de Freguesia da Penha de Frana, foi realizada no muro da Calada do Poo dos Mouros, a pea O Lagarto da Penha de Frana dedicada lenda associada histria deste local. Da autoria de Leonor Brilha, o mural revela a riqueza do discurso plstico da autora e proporciona diversas leituras, destacando-se o cuidado com que a pea foi integrada no contexto paisagstico e patrimonial. Posteriormente, foram organizados workshops sobre arte urbana na Biblioteca Municipal da Penha de Frana, para alunos de escolas bsicas desta zona. Lagarto, lagarto, lagarto! foi o mote para o conjunto de atividades que geraram sorrisos e despertaram o olhar para a arte urbana destes pequenos muncipes. Calada do Poo dos Mouros | 384348 N 9751 W 3|
  • GAU|GALERIA DE ARTE URBANA NAS PAREDES ROSTOS DO MURO AZUL Os rostos do muro azul continuam a surgir, nesta interveno promovida pela GAU, em parceria com o Centro Hospitalar Psiquitrico de Lisboa, que conta j com seis edies. Divulgamos imagens das peas produzidas nas ltimas trs fases da iniciativa. Do lado poente do muro, 13 trabalhos realizados em junho passado, seguidos em agosto por um Hall of Fame, produzido em colaborao com writers nacionais e internacionais. Por ltimo, durante o ms de novembro, lanou-se nova fase deste projeto, no lado nascente do muro da Rua das Murtas, com a execuo de nove obras por artistas do universo feminino, porque afinal o azul no s para os meninos! 03| VOL. 2014
  • GAU|GALERIA DE ARTE URBANA Drawings Jesus, Nicolate Negura, Jaime Ferraz, Ivan Carvalho, Uivo e Joo Varela Maio, Hugo Lucas e Sphiza Edis One, Tinta Crua, Ephy.23, Ricardo Bu e Opeo Adnate, Morta e Pariz | Rua das Murtas | 384538 N 9853 W 5|
  • GAU|GALERIA DE ARTE URBANA NAS PAREDES ROSTOS DO MURO AZUL Vanessa Teodoro Maria Imaginrio Glam Sushi Moa Leonor Brilha Mariana Dias Coutinho Ephy.23 Tamara Alves Wasted Rita PASSAGEM PEDONAL SUBTERRNEA DE ALCNTARA O projeto de interveno artstica da APAURB-Associao Portuguesa de Arte Urbana, na Passagem Pedonal Subterrnea de Alcntara, conta com a participao ativa de um vasto conjunto de writers nacionais e internacionais, criadores do universo do graffiti e da street art e diversos voluntrios que desde agosto tm vindo a deixar o seu contributo para a requalificao deste espao. APAURB Jos Carvalho 03| VOL. 2014 Kat APAURB | Alcntara | 384210 N 91028 W
  • Interesni Kazki | Praa Olegrio Mariano | 384352 N 9759 W | Underdogs (www.under-dogs.net) por cortesia dos artistas MAISMENOS | Avenida das Foras Armadas | 384443 N 9943 W MAISMENOS |Largo Vitorino Damsio |384228 N 9913 W Cyrcle | Travessa dos Brunos |384216 N 9100 W
  • Pixel Pancho & Vhils | Jardim do Tabaco | 384236 N 9741 W
  • Pixelpancho |Rua Conselheiro Mariano de Carvalho|38467 N 964 W How and Nosm | Av.da ndia | 38426 N 91036 W How and Nosm |Rua Incio Pardelhas Sanchez | 38440 N 91013 W How and Nosm | Av.da ndia | 38426 N 91036 W (pormenor) Cyrcle | Rua Conselheiro Mariano de Carvalho |38467 N 967 W
  • GAU|GALERIA DE ARTE URBANA ENTREVISTA COM VHILS H muito que acompanhamos e apoiamos o trabalho de Alexandre Farto, aka Vhils. Vimo-lo amadurecer o seu discurso visual, os seus princpios de criao, transgredir limiares dentro da prpria street art, ultrapassar muitas fronteiras, expandindo mundialmente a sua obra, atingir pncaros de notoriedade, mas sempre, sempre com uma ateno ao outro, com uma conscincia social, com uma preocupao relativamente ao espao pblico que tem pautado no s a sua obra, mas tambm os projectos que desenvolve com e para outros artistas. Tal o caso do Underdogs. Num regresso a Lisboa que Vhils longamente prometera, surgiram nas ruas da cidade, durante o ano de 2013, peas da dupla Interesni Kazki (UC), Cyrcle (US) a segunda dupla, Pixel Pancho (IT) em dupla com Vhils, maismenos (PT) a solo e How and Nosm (ES), a dupla derradeira. O cartaz deste III volume da revista GAU -lhes inteiramente dedicado e fica clara a diversidade, a riqueza e a consistncia destas manifestaes, num inegvel contributo para a revitalizao artstica da vivncia urbana. Vhils, que venha um novo ano, com muitas outras iniciativas, pois c estaremos para as apoiar. - Queres recriar o momento de h um ano atrs e apresentar-nos o projeto UNDERDOGS 2013 como se fosse a primeira vez? A ideia de relanar o projecto Underdogs, depois do trabalho realizado em 2010 e 2011, surgiu h algum tempo, entre mim e a Pauline Foessel. Propus a ideia e, com bom feedback vosso, decidimos avanar para a aventura que foi o projecto em 2013. A ideia original consistia em criar um projecto que fosse sustentvel por si s, de murais, edies e exposies em Lisboa. No queramos que fosse apenas uma galeria no sentido tradicional, mas sim uma plataforma que para alm de exposies poderia dar tambm cidade novas intervenes artsticas no terreno capazes de enobrecer o seu espao pblico, lanando tambm edies serigrficas dos artistas com quem trabalhamos que fossem acessveis aos seus seguidores e outros interessados, o que tambm ajudaria a tornar o projecto sustentvel. Outra das nossas apostas consiste em promover junto dos artistas estrangeiros convidados a cultura visual de Lisboa, da calada portuguesa azulejaria tradicional e demais elementos e indstrias que contribuem para tornar esta cidade nica. Aos artistas portugueses, a aposta consiste em dar-lhes espao para desenvolver e maturar os seus projectos, no s em Portugal mas tambm contribuindo para promover a sua internacionalizao. Sem o vosso apoio teria sido impossvel concretizar este projecto e, por este motivo, devemos um profundo agradecimento equipa incansvel do Departamento de Patrimnio Cultural da CML que tem reconhecido e apoiado o trabalho que tem sido feito por todos os artistas que querem uma cidade mais humana e aprazvel, investindo neste novo patrimnio cultural de Lisboa. - Podes falar-nos do processo de curadoria do projeto? Como conheceste estes artistas? O que te levou a escolh-los para esta edio? O processo de curadoria foi desenvolvido em parceria com a Pauline Foessel. Em conjunto decidimos apostar em artistas estrangeiros que julgamos j terem uma obra reconhecida no plano internacional e que pudessem enriquecer a vida cultural da cidade com o seu trabalho, assim como em artistas portugueses que julgamos terem obra que justifique um apoio alargado de forma a promover o seu trabalho, tanto c como no estrangeiro. Apesar de terem sido todos seleccionados pela validade do seu trabalho alguns destes artistas j eram Pixelpancho | Jardim do Tabaco |384236 N 9741 W nossos conhecidos ou amigos; outros ficmos a conhecer apenas aps o convite para visitarem esta nossa linda cidade, e passaram a ser amigos tanto do projecto como de Lisboa e do pas. - Qual a tua opinio sobre as diversas peas de arte urbana realizadas e a sua relao com o espao da cidade? Numa altura em que o espao pblico das cidades parece perder a importncia que j teve na vida social e comunal dos seus habitantes, em que a socializao parece desenvolver-se ou em espaos de natureza comercial ou nas redes sociais e demais espaos virtuais, parece-nos imensamente importante contribuir para revitalizar a sua relao com os cidados, ajudando a fomentar a participao destes na sua gesto, manuteno e embelezamento. Julgamos ser importante que o espao pblico tenha cada vez mais actividad