4ª edIÇÃo • Dezembro • 2015 - ?· 4ª edIÇÃo • Dezembro • 2015. ... suas associadas em…

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • 4 edIo Dezembro 2015

  • Crditos

    CEBDS - Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentvel Av. das Amricas, 1.155 grupo 208, 22631-000, Rio de Janeiro, RJ, Brazil Tel.: 55 21 2483.2250, e-mail: cebds.org, site: www.cebds.org

    Contedo e revisoKPMG Risk Advisory Services Ltda.

    Superviso GeralCEBDS - Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento

    Projeto grfico e diagramaoI Graficci Comunicao e Design

    Endereo para redes sociaiscebds.org.brFacebook.com/CEBDSBRTwitter.com/CEBDSYoutube.com/CEBDSBR

    Endereo CEBDSAv. das Amricas, 1155 sala 208 CEP: 22631-000Barra da Tijuca Rio de Janeiro RJ Brasil+55 21 2483-2250 cebds@cebds.org

  • o que o cebds?

    SuMRIo ExECuTIvo

    InTRoDuo

    PRoJETo

    Concluses

    NdiCE

    5

    7

    10

    13

    6

  • o quE o CEbds

    F undado em 1997, o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentvel (CEBDS) uma asso-ciao civil que lidera os esforos do setor empresarial para a implementao do desenvolvimento sustentvel no Brasil, com efetiva articulao junto aos governos, empresas e sociedade civil. o CEBDS rene hoje cerca de 70 expressivos grupos empresariais do pas, com faturamento de 40% do PIB e responsveis por mais de 1 milho de empregos diretos.

    Primeira instituio no Brasil a falar em sustentabilidade a partir do conceito Triple Botton Line que prope a atua-o das empresas sustentada em trs pilares: o econmico, o social e o ambiental , o CEBDS o representante no pas da rede do World Business Council for Sustainable Development (WBCSD), a mais importante entidade do setor empresarial no mundo que conta com quase 60 conselhos nacionais e regionaisem 36 pases, atuando em 22 setores industriais, alm de 200 empresas multinacionais que atuam em todos os continentes.

    vanguardista, o CEBDS foi responsvel pelo primeiro Relatrio de Sustentabilidade do Brasil, em 1997, e ajudou a implementar no Brasil, em parceria com a FGv (Fundao Getlio vargas) e o WRI (World Resources Institute), a partir de 2008, a principal ferramenta de medio de emisses de gases de efeito estufa, o GHG Protocol. A instituio representa suas associadas em todas as Conferncias das Partes das naes unidas sobre Mudana do Clima, desde 1998, e de Diver-sidade Biolgica, desde 2000. Alm disso, integrante da Comisso de Polticas de Desenvolvimento Sustentvel e Agenda 21; do Conselho de Gesto do Patrimnio Gentico; do Frum Brasileiro de Mudanas Climticas; do Frum Carioca de Mudanas Climticas, Conselho Mundial da gua e do Comit Gestor do Plano nacional de Consumo Sustentvel. na Rio+20, o CEBDS lanou o viso Brasil 2050, documento prospectivo que tem o propsito de apresentar uma viso de futuro sustentvel e qual o caminho possvel para alcan-lo. Essa plataforma de dilogo com as empresas e diversos setores da sociedade, construda ao longo de 2011 e que contou com participao de mais de 400 pessoas e aproximadamente 60 empresas, fonte de inspirao para o planejamento estratgico de inmeras empresas brasileiras.

    O que a CTClima

    A Cmara Temtica de Energia e Mudana do Clima (CTClima) formada por grandes empresas brasileiras e tem a pro-posta de tratar dos temas relacionados energia e mudana do clima e ajudar as empresas a aproveitarem novas oportunidades de mercado e minimizar seus riscos advindos do processo de mudana do clima.

    A CTClima tambm acompanha e participa das Conferncias das Partes da Conveno-Quadro das naes unidas (CoP) e de fruns do Governo Federal e da sociedade civil.

    Representantes (2015 - 2017):Presidente: Fernando Eliezer Figueiredo - Schneider ElectricVice-presidente: David Canassa - votorantim ParticipaesCoordenadora: Lilia Caiado - CEBDS

    PRoGRAMA DE GESTo DE CARBono nA CADEIA DE vALoR CEBDS 5

  • sumrio ExECutivo

    A quarta edio do Programa de Gesto de Carbono na Cadeia de valor, desenvolvido pela Cmara Temtica de Energia e Mudana do Clima do CEBDS (CTClima), sensibilizou e capacitou 62 fornecedores ao longo de 3 workshops realizados pelo CEBDS. Registrou-se o engajamento de 74 pessoas na elaborao de seus Inventrios de Emisso de Gases de Efeito Estufa (GEE) e, at o momento, 14 inventrios foram finalizados, sendo que 9 forne-cedores ainda esto no processo de elaborao.

    Este programa uma importante ferramenta para as empresas que j perceberam que a maior fonte de emisso de GEE de sua produo est na sua cadeia de fornecedores, como demonstra a anlise dos inventrios publicados pelo progra-ma GHG Protocol. Dessa maneira, torna-se cada vez mais importante o gerenciamento das emisses na cadeia de valor, uma vez que em muitos ramos de atividade, grande parte da pegada de carbono dos produtos ou servios vem dos fornecedores.

    nesse contexto, estratgias de aproximao aos fornecedores e mesmo capacitao para a gesto de suas emis-ses, por parte de empresas, pontualmente j vinham ocorrendo. Com este projeto, a ideia reunir o maior nmero de fornecedores comuns entre suas empresas associadas com o intuito de sensibiliz-los em relao temtica das mudanas climticas e quanto necessidade de realizar inventrios, para ento capacit-los nesse sentido. A quarta edio do Progra-ma de Gesto de Carbono na Cadeia de valor, alm de ter alcanado seus objetivos, refora a possibilidade de replicao, aumento e continuidade do projeto.

    PRoGRAMA DE GESTo DE CARBono nA CADEIA DE vALoR CEBDS 6

  • e m 2008, o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Susten-tvel (CEBDS) adaptou a metodologia do World Resources Institute (WRI), o GHG Protocol, ao contexto nacional, em parceria com o WRI, o Centro de Estudos em Sustentabilidade, da Fundao Getlio vargas (Gvces), e o Ministrio do Meio Ambiente (MMA). Hoje, o GHG Protocol a Sendo a metodologia mais utilizada pelas empresas para realizao de inventrios de gases de efeito estufa (GEE).

    De l pra c, no somente em nmero cresceram as empresas que publicam seus inventrios, mas tambm no refinamento dos mesmos. Ao averiguarem suas fontes de emis-ses de GEE, as empresas acabam conhecendo ainda mais seu prprio processo produtivo e, at, o processo produtivo de seus fornecedores. De fato, uma das concluses deste processo de averiguao que, dependendo do tipo de negcio da companhia que faz seu inventrio, grande parte, ou at mesmo a maioria absoluta, de suas emisses no proveniente de seus processos produtivos (escopo 1) nem mesmo subproduto da energia eltrica utilizada nesse processo (escopo 2), mas, sim, de sua cadeia de fornecedores (escopo 3).

    Desde a primeira edio do Projeto Gesto de Carbono na Cadeia de valor, foi pos-svel observar uma evoluo na adeso ao evento. Em 2015, 46% dos fornecedores con-vidados participaram do processo de sensibilizao e capacitao.

    nesta quarta edio, 11% dos fornecedores participantes j realizam seus invent-rios de GEE, como pode ser visto na figura abaixo.

    FIGuRA 1 Evoluo Anual

    PRoGRAMA DE GESTo DE CARBono nA CADEIA DE vALoR CEBDS 8

    251 460 350 133

    13%

    22%

    35%

    46%

    0%5%10%15%20%25%30%35%40%45%50%

    050

    100150200250300350400450500

    2012 2013 2014 2015

    Convidados Sensibilizao e Capacitao

  • A 4 edio do projeto contou com a participao de quatro empresas: Grupo Abril, Bradesco, CEMIG e Ita. neste ano, cerca de 130 fornecedores foram convidados para os workshops de sensibilizao e capacitao. As prximas pginas demonstram a metodolo-gia utilizada para o projeto, seus principais resultados e concluses, alm de autocrticas do processo, importantes para que o projeto seja expandido e, principalmente, continuado.

    FIGuRA 2 Quarta Edio - 2015

    Neste ano, cerca de 130 fornecedores foram convidados para os workshops de sensibilizao e capacitao.

    PRoGRAMA DE GESTo DE CARBono nA CADEIA DE vALoR CEBDS 9

    20

    37

    50

    26

    1418 18

    12

    6 5 3

    GRUPO ABRIL BRADESCO CEMIG ITA

    Convidados Participantes Inventrios

  • PRoGRAMA DE GESTo DE CARBono nA CADEIA DE vALoR CEBDS 11

    o trabalho teve como objetivo buscar o engajamento de fornecedores para a elaborao de seus inventrios de gases de efeito estufa, por meio da sensi-bilizao e capacitao dos fornecedores das empresas associadas participantes. Para tal, o projeto foi divido em 4 etapas consecutivas:

    FIGuRA 3 Etapas do projeto

    o processo de sensibilizao e capacitao foi realizado atravs de 3 workshops, com durao de 8 horas, realizados em So Paulo e Belo Horizonte.

    na 4 edio do Projeto, os principais avanos identificados foram:

    Gerao e levantamento de informaes relevantes para controle dos Associados; Envolvimento dos fornecedores requeridos no reporte do CDP Supply Chain a

    participarem do programa; Envolvimento das Associadas no engajamento dos fornecedores;

    os principais desafios foram:

    Rastreabilidade das informaes do ano de 2014, dado que o engajamento teve incio em abril de 2015;

    Atualizao e disponibilidade do contato inicial; Entendimento da relevncia do projeto por parte do contato indicado pelo

    Associado; Direcionamento interno apropriado; Disponibilidade dos fornecedores para a elaborao dos seus inventrios*;

    * 5% dos participantes encontravam-se desligados ou afastados no perodo de realizao do inventrio.

    1- Adeso de empresas associadas ao Projeto

    2- Diviso dos fornecedores participantes

    3- Sensibilizao e capacitao

    4- Acompanhamento realizao dos inventrios

  • o feedback dos participantes desta 4 Edio foi bastante positivo e promoveu a adeso inicial de 89% dos fornecedores.

    Com relao avaliao do contedo apresentado nos workshops, 56% dos partici-pantes avaliou como timo.

    FIGuRA 4 Contedo