A Quest£o Multicultural

  • View
    69

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of A Quest£o Multicultural

A QUESTO MULTICULTURAL

A QUESTO MULTICULTURALHALL, Stuart. A questo multicultural. In: ______. Da dispora: identidades e mediaes culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003. p. 51-100.Segundo Homi Bhaba, o multicultural um termo valise, que se expandiu de forma heterognea, e tornou-se um significante oscilante. (p. 51)

O termo multiculturalismo utilizado universalmente, mas sua proliferao no contribui para estabilizar ou esclarecer o significado. (p. 51)HALL, Stuart. A questo multicultural. In: ______. Da dispora: identidades e mediaes culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003. p. 51-100.Multicultural um termo qualificativo. Descreve as caractersticas sociais e os problemas de governabilidade apresentadas por sociedades em que diferentes comunidades convivem. Caracteriza-se por uma expresso plural, havendo diversas sociedades, mesmo que de formas bastante distintas, multiculturais (p. 52).

Multiculturalismo um termo substantivo. Geralmente usado no singular, e guarda consigo forte carga conceitual. Diz respeito a estratgias e polticas adotadas para governar ou administrar problemas gerados por sociedades multiculturais (p. 52-53).

HALL, Stuart. A questo multicultural. In: ______. Da dispora: identidades e mediaes culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003. p. 51-100.O termos multicultural e multiculturalismo so interdependentes, de forma que quase impossvel separ-los. O segundo, por sua carga conceitual, considerado um termo problemtico. (p. 52)

O multiculturalismo, na verdade, no pode ser tomado como uma doutrina poltica, descrevendo, na verdade, uma srie de processos e estratgias polticas, sempre inacabados. Dessa maneira, se podemos dizer que h sociedades que so multiculturais de maneiras distintas, h diferentes formas de se ver o multiculturalismo. (p. 52-53)

HALL, Stuart. A questo multicultural. In: ______. Da dispora: identidades e mediaes culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003. p. 51-100.O multiculturalismo contestado por diversas correntes de pensamento. A direita conservadora entende ser ele uma ameaa pureza e integridade cultural da nao. Por seu turno, os liberais o contestam, por acreditar que o culto etnicidade ameaam o universalismo e a neutralidade do estado liberal, comprometendo a autonomia pessoal, a liberdade individual e a igualdade formal. (p. 53)HALL, Stuart. A questo multicultural. In: ______. Da dispora: identidades e mediaes culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003. p. 51-100.Ao falar-se das condies de emergncia, possvel dizer que as sociedade multiculturais no constituem algo novo. Existem desde a Antiguidade, quando das conquistas empreendidas por egpcios, gregos, romanos, islmicos e otomanos promovendo uma multiplicidade tnica, lingustica e cultural. (p. 55)

Na era moderna, o colonialismo causou uma nova expanso cultural, visto que os povos europeus, ao dominarem as regies da Amrica, frica e sia, promoveram, mesmo que de forma coercitiva, uma mediao cultural e identitria com outros povos. (p. 55)

HALL, Stuart. A questo multicultural. In: ______. Da dispora: identidades e mediaes culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003. p. 51-100.Depois da II Guerra Mundial, no houve apenas um crescimento, mas tambm uma constante transformao nas condies emergenciais do multiculturalismo. Alguns motivos contribuem para esse processo, dentre eles o desmantelamento dos antigos imprios coloniais e a criao de novos Estados-nao, multitnicos e multiculturais. (p. 56)

Outro elemento importante a ser considerado o fim da Guerra Fria, onde decaa a Unio Sovitica, como uma formao transtnica e transnacional, o declnio do comunismo de Estado como modelo alternativo de desenvolvimento. Isso causou um fenmeno semelhante ao do desmantelamento dos antigos regimes coloniais. (p. 57)

HALL, Stuart. A questo multicultural. In: ______. Da dispora: identidades e mediaes culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003. p. 51-100.O terceiro fator a conhecida globalizao, que, por sua vez, tambm no algo novo, podendo ser creditada a ela a expanso, conquista e colonizao europeia. No entanto, a partir dos anos 1970, novos mercados financeiros desregulamentados, bem como o capital global e o fluxo da moeda assumiram lugar na sociedade, causando mudanas exponenciais, inclusive, na indstria cultural. Surgem ideias relacionadas economia do conhecimento, e uma nova compreenso da relao tempo-espao. (p. 58)

HALL, Stuart. A questo multicultural. In: ______. Da dispora: identidades e mediaes culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003. p. 51-100.Um fenmeno prprio do multiculturalismo, considerado um paradoxo da globalizao, a chamada proliferao subalterna da diferena. Consiste num processo em que, muitas vezes, as coisas parecem semelhantes ou unificadas (como, por exemplo, a americanizao da cultura), mas que, por outro lado, adquirem caractersticas particulares, estabelecendo a diferena (ou diffrance, na perspectiva de Jacques Derrida), impedindo que qualquer sistema se estabilize em uma totalidade inteiramente saturada. (p. 60-61)HALL, Stuart. A questo multicultural. In: ______. Da dispora: identidades e mediaes culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003. p. 51-100.Para exemplificar a questo multicultural, ou, mais especificamente, o multiculturalismo, citado o caso britnico. Mesmo sendo a Gr-Bretanha uma reino formado por trs unidades nacionais de caractersticas distintas (Inglaterra, Esccia e Irlanda do Norte), exerce uma ao xenfoba frente aos pases dominados pelo imperialismo britnico, como forma de manuteno da prpria identidade. (p. 62-64)

Por conta desse imperialismo, muitos indianos, chineses e africanos orientais, que migraram para a regio, sentiram o peso da diferena tnica, que se manifestava na subeducao e nos subempregos. Surgiram da comunidades tnicas, que reflete o forte senso de identidade existente entre esses grupos, que, muito embora no constituam grupos homogneos, apresentam desejos e problemas semelhantes. (p. 65)HALL, Stuart. A questo multicultural. In: ______. Da dispora: identidades e mediaes culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003. p. 51-100.Por outro lado, certas questes prprias de supostas identidades tnicas vo perdendo fora nas novas geraes. o caso da negritude que marcava os afro-caribenhos, ou mesmo a f hindu ou muulmana, caracterstica dos descendentes desse povo. Tais caractersticas comeam a se diluir na adeso cultural que os mais jovens vo fazendo, paulatinamente, a elementos culturais mais globalizados. (p. 66)

Dessa maneira, possvel perceber que as generalizaes, quanto s caractersticas culturais de um povo ou grupo barram perante a complexidade multicultural, que torna as identidades cada vez mais mltiplas e complexas. (p. 67)

HALL, Stuart. A questo multicultural. In: ______. Da dispora: identidades e mediaes culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003. p. 51-100.Para se pensar melhor na questo multicultural, bem como as questes tnico-nacionais e a xenofobia, necessrio diferenciar-se raa e etnia. Por raa, entende-se uma construo poltica e social. a categoria discursiva em torno da qual se organiza um sistema de poder socioeconmico, de explorao e excluso o racismo. O racismo procura explicar as diferenas socioculturais a partir de matrizes biolgicas, ou seja, uma maneira de dar ao mundo uma explicao que parta dos efeitos de naturalizao. (p. 69)

A etnicidade, por seu turno, gera um discurso baseado na diferena que se processa por conta das caractersticas culturais e religiosas, diferenciando-se do racismo, uma vez que esse valoriza elementos como a cor da pele. Mesmo assim, quando consideramos as questes tnicas (e, especialmente, as etnias considerada inferiores), estas tambm so caracterizadas pelos demais pelo tipo fsico (vide os magreb na Frana).HALL, Stuart. A questo multicultural. In: ______. Da dispora: identidades e mediaes culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003. p. 51-100.Outra questo desestabilizada com a questo multicultural o prprio conceito de cultura, e o binmio tradio/modernidade. As culturas, numa perspectiva multicultural, deixam de viver divididas entre extremos, e caminham no sentido do hibridismo cultural, que tem por base uma mistura de valores tradicionais com certas rupturas na tradio. (p. 73-75)HALL, Stuart. A questo multicultural. In: ______. Da dispora: identidades e mediaes culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003. p. 51-100.No campo poltico, a questo multicultural tambm se manifestar. Chega o momento em que o chamado estado constitucional liberal, forjado conceitualmente no Iluminismo, e tendo por base uma regra constitucional e aes que visem o bem comum se desestabilize, e seja obrigado a observar questes mais subjetivas, como as identidades culturais particulares dos grupos que compem um Estado. Entram em cena elementos antes no to considerados, como as questes tnicas, religiosas, de gnero passem a ocupar um espao maior nas decises governamentais. A isso, outros autores, como Flix Guattari e Suely Rolnik chamam de micropoltica. (p. 76-81)

Dessa maneira, outras palavras passam a integrar o vocabulrio poltico contemporneo: igualdade, diferena, minorias, identidades, subjetividades, etc. Questes que passem a abarcar as necessidades de uma sociedade que se apresenta cada vez mais plural. (p. 82-87) HALL, Stuart. A questo multicultural. In: ______. Da dispora: identidades e mediaes culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003. p. 51-100.Frente questo multicultural, em que bases podemos discutir as questes polticas, sociais e identitrias na atualidade?