of 30 /30
Administração Científica Teoria Geral da Administração Turma 01

Administração Científica Teoria Geral da Administração Turma 01

Embed Size (px)

Text of Administração Científica Teoria Geral da Administração Turma 01

  • Slide 1
  • Administrao Cientfica Teoria Geral da Administrao Turma 01
  • Slide 2
  • Frederick Winslow Taylor Fundador da Administrao Cientfica 1878 - Operrio da Midvale Stell Co. 1885 - Promovido a Engenheiro 50 patentes de mquinas, ferramentas e processos 1911 - Publicao do livro Princpios da Administrao Cientfica
  • Slide 3
  • Frederick Winslow Taylor ELIMINAR O FANTASMA DO DESPERDCIO E DAS PERDAS SOFRIDAS PELAS INDUSTRIAS E ELEVAR OS NVEIS DE PRODUTIVIDADE POR MEIO DE MTODOS E TCNICAS DE ENGENHARIA INDUSTRIAL
  • Slide 4
  • Administrao Cientfica Destaque: Frederick Taylor (1903) nfase: Na tarefa Termos mais utilizados Organizao racional Diviso das tarefas Simplificao Especializao Tempos e movimentos
  • Slide 5
  • Characteristics da Primeira Revoluo Industrial: Mecanizao da indstria e da agricultura. Aplicao da fora motriz indstria. Desenvolvimento do sistema fabril. Espetacular aceleramento dos transportes e comunicaes.
  • Slide 6
  • Characteristics da Segunda Revoluo Industrial : Substituio do ferro pelo ao. Substituio do vapor pela eletricidade. Desenvolvimento de mquinas automticas. Especializao do operrio. Crescente domnio da indstria pela cincia. Transformaes nos transportes e nas comunicaes. Novas formas de organizao capitalista. Expanso da industrializao.
  • Slide 7
  • ADMINISTRAO CIENTFICA ELEMENTOS DE APLICAO Estudo de tempo e padres de produo. Superviso funcional. Padronizao de ferramentas e instrumentos. Planejamento de tarefas e cargos. Sistema de classificao dos produtos e materiais. Sistema de delineamento da rotina de trabalho.
  • Slide 8
  • O primeiro perodo de Taylor: 1.O objetivo da Administrao pagar salrios melhores e reduzir custos de produo. 1.Para tal objetivo, a Administrao deve aplicar mtodos cientficos de pesquisa. 1.Os empregados devem ser cientificamente selecionados e colocados em seus cargos com condies de trabalho adequadas. 1.Os empregados devem ser cientificamente treinados para aperfeioar suas aptides e executar uma tarefa para que a produo normal seja cumprida. A Administrao precisa criar uma atmosfera de cooperao com os trabalhadores para garantir a permanncia desse ambiente psicolgico.
  • Slide 9
  • ADMINISTRAO CIENTIFICA Males apontadas por Taylor Vadiagem Sistematica: Reduo da produo para evitar reduo nos ganhos Desconhecimento pela gerencias dos tempos gastos para execuo de uma determinada tarefa Falta de metodologia de trabalho
  • Slide 10
  • MAXIMAS DE TAYLOR Cincia em lugar de empirismo Harmonia em lugar de discrdia Cooperao e no individualismo Rendimento mximo em lugar de produo reduzida Desenvolvimento de cada homem no sentido de alcanar maior eficincia e prosperidade
  • Slide 11
  • Estudo de Tempos e Movimentos Lei da Fadiga Determinao do Mtodo de Trabalho Seleo Cientfica do Trabalhador Padro de Produo Incentivos Superviso Cond. Ambientais Mxima Eficincia Maiores Lucros e Salrios ADMINISTRAO CIENTFICA
  • Slide 12
  • 1.Eliminao do desperdcio de esforo humano e de movimentos inteis. 2.Adaptao dos operrios tarefa. 3.Facilidade no treinamento dos operrios, melhoria da eficincia e do rendimento da produo pela especializao das atividades. 4. Distribuio uniforme do trabalho para que no haja perodos de falta ou de excesso de trabalho. 5.Definio de mtodos e estabelecimento de normas para a execuo do trabalho. 6.Estabelecer uma base uniforme para salrios eqitativos e prmios de produo. Objetivos do estudo de tempos e movimentos
  • Slide 13
  • PRINCPIOS Planejamento Preparo. Controle. Execuo ADMINISTRAO CIENTFICA
  • Slide 14
  • Organizao Racional do Trabalho (ORT) 1.Anlise do trabalho e estudo dos tempos e mtodos. 2.Estudo da fadiga humana. 3.Diviso do trabalho e especializao. 4.Desenho de cargos e tarefas. 5.Incentivos salariais e prmios de produo. 6.Conceito de HOMO ECONOMICOS. 7.Condies ambientais de trabalho. 8.Padronizao de mtodo e mquinas. 9.Superviso funcional.
  • Slide 15
  • Anlise do trabalho e estudo dos tempos e movimentos A anlise do trabalho refere-se diviso e subdiviso de todos os movimentos necessrios execuo de cada operao. A essa anlise do trabalho seguia-se o estudo dos tempos e movimentos, ou seja, a determinao do tempo mdio que um operrio comum levaria para a execuo da tarefa, por meio da utilizao do cronmetro.
  • Slide 16
  • Estudo da Fadiga Humana O estudo movimentos baseia-se na anatomia e fisiologia humanas. Observou-se que a fadiga leva uma certa diminuio da capacidade produtiva do operrio, doenas e acidentes, e consequentemente diminuio da produtividade. Com este estudo pretendia- se racionalizar todos os movimentos, eliminando aqueles que produzem a fadiga.
  • Slide 17
  • Diviso do Trabalho e Especializao do Operrio Uma das decorrncias do estudo dos tempos e movimentos foi a diviso do trabalho e a especializao do operrio a fim de elevar sua produtividade. Com isto, cada operrio passou a ser especializado na execuo de uma nica tarefa ou de tarefas simples e elementares, para ajustar-se aos padres descritos e s normas de desempenho estabelecidas pelo mtodo.
  • Slide 18
  • Desenho de Cargos e Tarefas Desenhar um cargo especificar seu contedo (tarefas), ou mtodos de executar as tarefas e as relaes com os demais cargos existentes. O desenho de cargos a maneira pela qual um cargo criado e projetado e combinado com outros cargos para execuo de tarefas maiores
  • Slide 19
  • INCENTIVOS SALARIAIS E PRMIOS DE PRODUO Para alcanar umas maior colaborao do empregado perante empresa, Taylor e seus seguidores desenvolveram planos de incentivos salariais de prmios de produo. A idia bsica era a de que a remunerao baseada no tempo no estimulava ningum a trabalhar mais e de veria ser substituda por remunerao baseada na produo de cada operrio.
  • Slide 20
  • Conceito de Homo Economicus Segundo esse conceito, toda pessoa concebida como influenciada e exclusivamente por recompensas salariais, econmicas e materiais. Em outros termos, o homem procura o trabalho no porque gosta dele, mas como um modo de ganhar a vida por meio do salrio que o trabalho proporciona. O homem motivado a trabalhar pelo medo da fome e pela necessidade de dinheiro para viver. Assim, as recompensas salariais e os prmios de produo influenciam profundamente os esforos individuais do trabalho
  • Slide 21
  • Condies de Trabalho O conforto do operrio e a melhoria do ambiente fsico (iluminao, ventilao, aspectos visuais da fbrica, eliminao do rudo etc.) passaram a ser muito valorizados, no porque as pessoas o merecessem, mas porque eram essenciais para a obteno da eficincia do trabalhador.
  • Slide 22
  • Padronizao Com a padronizao das mquinas e equipamentos, ferramentas e instrumentos de trabalho, matrias-primas e componentes, no sentido de reduzir a variabilidade e a diversidade no processo produtivo e, consequentemente, eliminar o desperdcio e aumentar a eficincia. Na Administrao Cientfica, a padronizao passa a ser uma preocupao constante na obteno da eficincia.
  • Slide 23
  • Superviso Funcional Taylor propunha a chamada superviso funcional, que nada mais do que a existncia de diversos supervisores, cada qual especializado em determinada rea, e que tem autoridade funcional (relativa somente sua especialidade) sobre os mesmos subordinados. A superviso funcional pressupe uma autoridade relativa, dividida e zoneada.
  • Slide 24
  • Os 5 Princpios da Administrao Cientfica de Taylor. Princpio do Planejamento Substituir no trabalho o critrio individual do operrio, a improvisao e a atuao emprico-prtica pelos mtodos que se baseiam em procedimentos cientficos. Substituir a improvisao pela cincia, por meio do planejamento do mtodo. Princpio do Preparo Selecionar cientificamente os trabalhadores de acordo com suas aptides, prepara-los e treina-los para produzirem mais e melhor, conforme o mtodo planejado. Alm do preparo da mo-de-obra, preparar tambm as mquinas e os equipamentos de produo, bem como o arranjo fsico e a disposio racional das ferramentas e dos materiais. Princpio do Controle Controlar o trabalho para se certificar de que est sendo executado de acordo com as normas estabelecidas e segundo o plano previsto. A gerncia deve cooperar com os trabalhadores para que a execuo seja a melhor possvel. Princpio da Execuo Distribuir distintamente as atribuies e as responsabilidades, para que a execuo do trabalho seja bem mais disciplinada.
  • Slide 25
  • 1. Adequao de ferramentas de trabalho e equipamentos de produo para minimizar o esforo do operador e a perda de tempo na execuo da tarefa. 2. Arranjo fsico de mquinas e equipamentos para racionalizar o fluxo da produo. 3. Melhoria do ambiente fsico de trabalho para evitar que rudo, ventilao, iluminao e conforto no trabalho no reduzam a eficincia do trabalhador. 4. Projeto de instrumentos e equipamentos especiais, como transportadores, seguidores, contadores e utenslios para reduzir movimentos inteis. AS CONDIES DE TRABALHO PARA A ADMINISTRAO CIENTFICA:
  • Slide 26
  • Admisso de empregados com qualificaes mnimas e salrios menores para reduzir os custos de produo 2. Minimizao dos custos de treinamento 3. Reduo de erros na execuo para diminuir rejeies e refugos 4. Facilidade na superviso para que cada supervisor possa controlar 1.Aumento da eficincia do trabalhador permitindo maior produtividade. Admisso de empregados com qualificaes mnimas e salrios menores para reduzir os custos de produo 2. Minimizao dos custos de treinamento 3. Reduo de erros na execuo para diminuir rejeies e refugos 4. Facilidade na superviso para que cada supervisor possa controlar 1.Aumento da eficincia do trabalhador permitindo maior produtividade. Vantagens na simplificao do desenho de cargos:
  • Slide 27
  • Princpios de Eficincia de Emerson Harrington Emerson (1853-1931) foi o homem que popularizou a Administrao Cientfica e desenvolveu os primeiros trabalhos sobre seleo e treinamento de empregados. Dentre seus princpios podemos citar:
  • Slide 28
  • 1 - Traar um plano objetivo e bem definido, de acordo com os ideais. 2- Estabelecer o predomnio do bom senso. 3- Manter orientao e superviso competentes. 4- Manter disciplina. 5- Manter honestidade nos acordos. 6- Manter registros precisos imediatos e adequados. 7- Fixar remunerao proporcional ao trabalho. 8- Fixar normas padronizadas para as condies do trabalho. 9- Fixar normas padronizadas para o trabalho. 10- Fixar normas padronizadas para as operaes. 11- Estabelecer instrues precisas. 12- Fixar incentivos eficientes ao maior rendimento e eficincia.
  • Slide 29
  • Contribuio de Ford (1863-1947) Aspectos da produo em massa: Produtos em progresso planejada, ordenada e contnua. Trabalhador recebe o trabalho, no vai busc-lo. Operao em elementos constituintes. Princpios bsicos: Intensificao Economicidade Produtividade
  • Slide 30
  • Mecanicismo da Administrao Cientfica. Superespecializao do operrio. Viso microscpica do ser humano. Ausncia de comprovao cientfica. Abordagem incompleta da organizao. Limitao do campo de aplicao. Abordagem prescritiva e normativa. Abordagem de sistema fechado. Pioneirismo na Administrao. Mecanicismo da Administrao Cientfica. Superespecializao do operrio. Viso microscpica do ser humano. Ausncia de comprovao cientfica. Abordagem incompleta da organizao. Limitao do campo de aplicao. Abordagem prescritiva e normativa. Abordagem de sistema fechado. Pioneirismo na Administrao. Apreciao Crtica da Administrao Cientfica :