Click here to load reader

Cef2012 - Atualidades - Cassio

  • View
    5

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Cef2012 - Atualidades - Cassio

  • ATUALIDADES CAIXA ECONMICA FEDERAL

    www.acasadoconcurseiro.com.br Prof. Cssio Albernaz Pgina 1

    Prof. Cssio Albernaz

    [email protected]

    http://www.facebook.com/cassioalbernaz

    VEJA O MEU BLOG!!! http://saberatualidades.blogspot.com/

    Concurso Caixa Econmica Federal 2012

    Clipping de Notcias

    O que uma prova de Atualidades?

    Corriqueiramente, concurseiros dos mais diversos nveis se deparam com essa pergunta e a resposta no to bvia quanto parece ser. A origem dessa confuso comea no contedo dos prprios programas de provas das diferentes instituies organizadoras. As bancas organizadoras possuem diferentes compreenses sobre o que vem a ser uma prova de Atualidades. Portanto, a aprovao na prova de Atualidades comea por uma leitura atenta do edital de prova e do seu contedo programtico.

    Apesar das dificuldades e das desconfianas que se possa ter com relao a este contedo existem alguns terrenos seguros nos quais podemos nos debruar. Para desvendar esses ns, devemos definir algumas prioridades. Inicialmente, possvel entender atualidades como o domnio global de tpicos atuais e relevantes. Nesse sentido, domnio global significa saber situar e se situar frente aos temas, algo diferente de colecionar e decorar fatos da atualidade. A relevncia de tais tpicos se d em funo da agenda de debates do momento e do contedo programtico do concurso que se vai realizar. Ou seja, nem tudo interessa para uma prova de Atualidades.

    Numa prova sria e bem feita de Atualidades (e pasmem elas existem!), o mundo das celebridades, o vai e vem do mercado futebolstico, o cotidiano do noticirio policial, etc., tm pouco valor como contedo de prova. Assim, os fatos s passam a ser contedos de prova quando possuem valor histrico, sociolgico, e poltico para compreenso da realidade presente e dos seus principais desafios.

    Dessa forma, o contedo de prova refere-se as atualidades e seus fatos atravs de um desencadeamento global de conhecimentos e noes que se relacionam ao contexto nacional e ao internacional. Portanto, tal contedo tem como caracterstica fundamental a interpretao do

  • ATUALIDADES CAIXA ECONMICA FEDERAL

    www.acasadoconcurseiro.com.br Prof. Cssio Albernaz Pgina 2

    fenmeno histrico poltico e social a partir de seus diferentes tpicos: poltica econmica; poltica ambiental; poltica internacional; poltica educacional; poltica tecnolgica; polticas pblicas; poltica energtica; poltica governamental; aspectos da sociedade; bem como o desencadeamento de relaes entre esses contedos e os fatos da atualidade.

    Desde j, chama-se a ateno para o fato de que o contedo de Atualidades muito diferente de outros contedos. No existem frmulas, macetes, atalhos, musiquinhas, ou qualquer outro estratagema capaz de preparar um aluno para tal empreitada. O que existe interesse e leitura. O que esse material oferece ento o direcionamento para a prova. As chaves de interpretao, modos de pensar e de relacionar os contedos sero fornecidos em aula. Assim, colocamos disposio textos e comentrios para informao e reflexo prvia sobre os principais tpicos de Atualidades.

    Por que estudar Atualidades?

    Para alm da resposta bvia: - para passar no concurso! - o contedo de atualidades hoje um diferencial em tempos de concursos to disputados, pois as mdias de acertos so elevadas nas matrias mais tradicionais, como Portugus, Direitos, etc., os acertos no contedo de Atualidades podem lanar o candidato muitas posies frente. Esse argumento ganha maior peso porque a maioria dos concurseiros no sabe o que estudar e nem como estudar.

    Para alm desse fato, saber refletir sobre Atualidades um ato de conscientizao poltica e social, engajamento, e cidadania, por isso muitos concursos pblicos exigem esse conhecimento de forma orientada.

    Dessa forma, pergunto aos concursandos:- Por que no estudar Atualidades?

    Bons estudos!

    Cssio Albernaz

  • ATUALIDADES CAIXA ECONMICA FEDERAL

    www.acasadoconcurseiro.com.br Prof. Cssio Albernaz Pgina 3

    Contedo do ltimo Edital:

    Tpicos atuais e relevantes nas seguintes reas: Poltica, Economia, Sociedade, Educao, Segurana, Tecnologia, Energia, Relaes Internacionais, Desenvolvimento Sustentvel, Responsabilidade socioambiental e ecologia, e suas vinculaes histricas.

    Poltica

    Entenda as crises que atingiram o governo Dilma

    Com o saldo de cinco ministros que j deixaram o governo nos ltimos meses, Dilma Rousseff enfrenta nova crise na Esplanada e a ameaa de precisar trocar novamente sua equipe. Desta vez, as suspeitas recaem sobre o titular do Esporte, Orlando Silva, filiado ao PC do B.

    Ele responde s acusaes de ter participado de um suposto esquema de fraude no programa Segundo Tempo, do Ministrio do Esporte. As suspeitas foram levantadas pelo policial militar Joo Dias Ferreira em entrevista a revista "Veja". O policial diz ter provas das irregularidades, mas ainda no as apresentou.

    Entenda cada uma das crises que j atingiram os ministrios de Dilma desde o incio do governo:

    ESPORTES

    Dois integrantes de um suposto esquema de desvio de recursos do Ministrio do Esporte acusam Orlando de participao direta nas fraudes, segundo reportagem publicada pela revista "Veja".

    O soldado da Polcia Militar do Distrito Federal Joo Dias Ferreira e seu funcionrio Clio Soares Pereira disseram revista que o ministro recebeu parte do dinheiro desviado pessoalmente na garagem do ministrio.

    O procurador-geral da Repblica, Roberto Gurgel, afirmou que ir investigar as acusaes.

    Segundo o ministro, que tem desqualificado o policial militar em entrevistas e nas oportunidades que falou do assunto, disse que as acusaes podem ser uma reao ao pedido que fez para que o TCU investigue os convnios do ministrio com a ONG que pertence ao autor das denncias.

    Em nota, o Ministrio do Esporte disse que Joo Dias firmou dois convnios com a pasta, em 2005 e 2006, que no foram executados. O ministrio pede a devoluo de R$ 3,16 milhes dos convnios.

  • ATUALIDADES CAIXA ECONMICA FEDERAL

    www.acasadoconcurseiro.com.br Prof. Cssio Albernaz Pgina 4

    De acordo com o ministro, desde que o TCU foi acionado, integrantes de sua equipe vm recebendo ameaas.

    TURISMO

    A situao do ex-ministro do Turismo Pedro Novais ficou insustentvel no Planalto e dentro de seu prprio partido depois de duas revelaes da Folha: a de que ele pagou com dinheiro pblico o salrio de sua governanta por sete anos e a de que sua mulher usa irregularmente um funcionrio da Cmara dos Deputados como motorista particular.

    Ele estava em situao delicada desde o comeo de agosto quando uma operao da Polcia Federal prendeu 35 pessoas, incluindo o ento secretrio-executivo do Ministrio do Turismo, Frederico Costa.

    Logo aps a sua nomeao, em dezembro de 2010, o jornal "O Estado de S. Paulo" revelou que Novais usou R$ 2.156 da sua cota parlamentar para pagar despesas de um motel em So Lus, em junho do ano passado.

    No mesmo ms, a Folha mostrou que Novais foi flagrado em escutas da Polcia Federal pedindo ao empresrio Fernando Sarney que beneficiasse um aliado na Justia Federal.

    AGRICULTURA

    No dia 17 de agosto, o ento ministro da Agricultura, Wagner Rossi (PMDB), pediu demisso, atingido por uma onda de acusaes que apontou pagamento de propinas, influncia de lobistas e aparelhamento poltico em sua gesto no ministrio. Foi substitudo por Mendes Ribeiro (PMDB).

    Os problemas do ministrio comearam quando o ex-diretor financeiro da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), Oscar Juc Neto, irmo do lder no governo no Senado, Romero Juc (PMDB), afirmar que havia "bandidos" no rgo e sugerir que Rossi participava de esquemas de corrupo.

    Aps nova reportagem da revista "Veja", desta vez sobre a atuao de um lobista no ministrio, o ento secretrio-executivo da pasta, Milton Ortolan, pediu demisso do cargo.

    A situao do ministro se agravou aps Israel Leonardo Batista, ex-chefe da comisso de licitao da Agricultura, afirmar em entrevista Folha que o Ministrio da Agricultura foi "corrompido" aps a chegada de Wagner Rossi pasta. Segundo Batista, o ministro colocou pessoas no assinar o que no devem".

  • ATUALIDADES CAIXA ECONMICA FEDERAL

    www.acasadoconcurseiro.com.br Prof. Cssio Albernaz Pgina 5

    Outra acusao que atingiu o ministro foi a revelao, pelo jornal "Correio Braziliense", de que Rossi e um de seus filhos, o deputado estadual Baleia Rossi (PMDB-SP), viajaram vrias vezes em um jatinho pertencente a uma empresa de agronegcios. Ele admitiu ter pegado carona no avio.

    DEFESA

    A queda de Nelson Jobim (PMDB) do Ministrio da Defesa, ocorreu no dia 4 de agosto, aps desavenas com Dilma e declaraes de que havia votado em Jos Serra (PSDB) na eleies presidenciais. Foi substitudo por Celso Amorim.

    A situao piorou aps Jobim dizer, revista "Piau" a ministra Ideli Salvatti (Relaes Institucionais) "fraquinha" e que Gleisi Hoffmann (Casa Civil) "sequer conhece Braslia".

    Antes, Jobim tambm causou constrangimento ao Planalto, na solenidade de homenagem ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

    Na ocasio, disse ser preciso tolerar a convivncia com "idiotas", que "escrevem para o esquecimento". Ele explicou que se referia a jornalistas, mas petistas entenderam como recado ao governo.

    TRANSPORTES

    Em 6 de julho, foi a vez de Alfredo Nascimento (PR) se demitir dos Transportes no dia 6 de julho, aps ter seu nome envolvido em um escndalo de superfaturamento de obras e recebimento de propina envolvendo servidores e rgos. Foi substitudo por Paulo Srgio Passos (PR).

    A crise co