Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio da Câmara dos Deputados Audiência Pública: Participação dos Trabalhadores nos Lucros ou Resultados

  • View
    105

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • Slide 1
  • Slide 2
  • Comisso de Desenvolvimento Econmico, Indstria e Comrcio da Cmara dos Deputados Audincia Pblica: Participao dos Trabalhadores nos Lucros ou Resultados da Empresa Braslia, 13 de setembro de 2011 Loureno Ferreira do Prado Vice - Presidente da Unio Geral dos Trabalhadores
  • Slide 3
  • Breve Histrico da PLR no Brasil O direito dos trabalhadores Participao nos Lucros j estava garantido nas Constituies de 1946 e 1946, mas nunca fora regulamentada. Novamente, consagrada como um direito na Constituio de 1988, cujo inciso XI no Artigo 7 dispe: Art. 7 - So direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, alm de outros que visem melhoria de sua condio social: (...) XI- PARTICIPAO NOS LUCROS OU RESULTADOS, desvinculada da remunerao, e, excepcionalmente, participao na gesto da empresa, conforme definido em lei.. A primeira regulamentao desse direito constitucional foi dada pelo edio da primeira Medida Provisria (MP) sobre o tema, a MP n 794 - de 29/12/94. Desde ento, f oram 77 Reedies da mesma Medida Provisria. Somente em dezembro de 2000, sai em fim a Lei N10.101, que regulamentou o dispositivo constitucional. Mas mesmo antes da Lei, por fora da MP 794 e as seguintes, ampliaram-se a prticas de PLR.
  • Slide 4
  • Regras da Lei 10.101, de 19/12/2000 Apurao de lucros ou resultados Irredutibilidade da remunerao Instrumentos de negociao: prev a participao do sindicato Regras claras e objetivas das metas Mecanismos de aferio das metas Periodicidade do pagamento Arquivamento do acordo de PLR no sindicato dos trabalhadores
  • Slide 5
  • Problemas estruturais e desmotivadores Falta de clareza dos objetivos tanto da parte das empresas quanto dos trabalhadores Falta de vinculao entre produtividade do trabalhador e resultado da empresa Metas inatingveis colabora para frustrar as expectativas e o prprio programa Dificuldades de realizar o controle de resultados Muitas empresas ainda no adotam por falta de conhecimento das regras Ausncia da cultura participativa e de administraes participativas
  • Slide 6
  • BENEFCIOS FISCAIS LEI 10.101 EMPREGADOR ISENO DE ENCARGOS SOCIAIS DEDUO COMO DESPESA NO IRPJ NO INTEGRALIZAO AO SALRIO TRABALHADOR ISENO DE ENCARGOS SOCIAIS RETENO DE IR NA FONTE (DIMINUINDO SUA RENDA)
  • Slide 7
  • FORMAS DE NEGOCIAO 1. CONVENO COLETIVA Entre Sindicato Patronal e Sindicato dos Trabalhadores 2. ACORDO COLETIVO Entre a Empresa e o Sindicato dos Trabalhadores 3. COMISSO DE NEGOCIAO Escolhida pelas partes: Empresa, Empregados e Sindicato dos Trabalhadores
  • Slide 8
  • Modalidades dos programas de PLR Segundo o DIEESE, os programas de PLR podem ser classificados, em termos conceituais, em quatro modalidades: A) Participao nos Lucros (PL), quando vincula o pagamento, a ser feito ao empregado, a uma meta de lucratividade auferida pela empresa; B) Participao nos Resultados(PR), quando o pagamento depende do alcance de resultados operacionais; C) Participao nos Lucros e Resultados (ou mista), quando o pagamento dos empregados est subordinado tanto obteno de lucro quanto ao alcance de resultados operacionais; e Participao D) Independente (PI), quando o pagamento caracteriza-se como uma espcie de abono a ttulo de E) PLR, sem vinculao a nenhuma meta
  • Slide 9
  • Forma de distribuio da PLR A forma de distribuio da PLR entre os trabalhadores costuma ser um item polmico durante a negociao. Como a lei no define parmetros em relao ao valor a ser pago e nem em relao s regras de distribuio deste valor 1 entre os empregados, pode-se perceber que, em termos gerais, a distribuio da PLR tem ocorrido de trs maneiras distintas: a) distribuio em valor igual para todos os trabalhadores; b) distribuio de forma desigual entre os trabalhadores (que provoca frustraes); c) distribuio mista, composta por uma parcela igual e uma desigual.
  • Slide 10
  • Elementos para um bom programa de PLR No existe um modelo ideal, universal, para o trabalhador, de acordo de Participao nos Lucros e/ou Resultados (PLR). A negociao da PLR, assim como a negociao coletiva de data-base, condicionada por aspectos diversos como o contexto macroeconmico do pas, as condies econmicas especficas do setor de atividade ou da empresa, a concepo sindical acerca da PLR, os interesses dos trabalhadores e da empresa, o grau de mobilizao da categoria entre outros aspectos. Mas existem alguns parmetros bsicos a serem observados. Em linhas gerais, possvel dizer que um bom acordo de PLR para o trabalhador :
  • Slide 11
  • 1)Um acordo feito atravs de negociao com o sindicato ou atravs de negociao com uma comisso de negociao, escolhida de comum acordo entre as partes, com participao ativa do sindicato em todas as etapas da negociao, inclusive no acompanhamento da execuo das metas; 2)Um acordo que no tenha o lucro como condicionante para o pagamento dos resultados (ou vice e versa), de forma a impedir aquela situao em que o trabalhador realiza todas as metas acordadas, mas nada recebe porque o lucro esperado pela empresa no aconteceu (ou as metas no foram cumpridas, no caso contrrio); 3)Um acordo que garanta a transparncia nas informaes por parte da empresa, que deve fornecer todos os dados necessrios definio das metas e ao seu acompanhamento;
  • Slide 12
  • 4) Construo de indicadores compreensveis para todos os trabalhadores e metas factveis dentro da jornada normal, para que no haja uma intensificao do ritmo de trabalho e nem prejuzos sade do trabalhador. Para tanto, devem ser exaustivamente discutidos os procedimentos de trabalho para o alcance das metas; 5) Construo de metas coletivas, vlidas para todos os empregados da empresa, de forma a evitar a quebra de solidariedade entre os trabalhadores e o surgimento de competio entre equipes ou mesmo entre companheiros de uma mesma equipe; 6) Construo de metas de contrapartida de responsabilidade da empresa, de forma que sejam asseguradas as condies ideais para que o trabalho seja executado, visando os objetivos acordados;
  • Slide 13
  • 8) Os recursos recebidos a ttulo de PLR no devem substituir os salrios nem os benefcios constitudos; 9) A PLR deve assegurar que o aumento da produtividade seja periodicamente incorporada aos salrios; 10) Um acordo de PLR deve ser baseado em princpios distributivos, que assegure o pagamento da PLR em valores semelhantes para todos os trabalhadores; 11) O acordo deve contemplar todos os trabalhadores da empresa, incluindo os contratados por tempo determinado, os terceirizados, os estagirios, os aprendizes, os licenciados por motivos mdicos, as mes em licena maternidade ou adoo, os afastados por acidente de trabalho, os dirigentes sindicais; 12) Um acordo que garanta divulgao ampla e peridica, por parte da empresa, das metas acordadas e regras claras de acompanhamento para que os trabalhadores possam, inclusive, negociar alteraes de procedimentos ao longo do exerccio.
  • Slide 14
  • Uma questo fundamental: a participao dos trabalhadores na gesto da empresa necessrio regulamentar a forma pela qual os trabalhadores podero participar na gesto das empresas, tal como garante o inciso XI do artigo 7 da Constituio Federal. A ausncia desta regulamentao talvez explique em parte o fato de a prtica da PLR ainda no ter sido universalizada em todas as empresas. Entendemos que a democracia no termina onde comea a economia. Logo, democratizar a gesto das empresas com a participao dos trabalhadores algo que j ocorre em alguns pases avanados uma necessidade para construirmos novas relaes entre capital e trabalho.
  • Slide 15
  • Muito Obrigado
  • Slide 16