Cordel do BrOffice

  • View
    222

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Cordel que explica sobre a suíte de escritório (que fora do Brasil era conhecida como OpenOffice).

Text of Cordel do BrOffice

  • Crlisson Galdino nasceu em 1981 no municpio de Arapiraca, Alagoas, sendo Membro Efetivo da Academia Arapiraquense de Letras e Artes (ACALA) desde 2006, com a cadeira de nmero 37, do patrono Joo Ribeiro Lima.

    Poeta, contista e romancista, possui um livro de poesias publicado em papel, alm de dois romances, duas novelas, diversos

    contos e poesias publicados na Internet, em seu stio pessoal: http://www.carlissongaldino.com.br/.

    Como cordelista, iniciou publicando o Cordel do Software Livre, que foi distribudo para divulgao dos ideais desse movimento social.

    Bacharel em Cincia da Computao pela Universidade Federal de Alagoas, onde hoje trabalha, defensor do Software Livre e mantm alguns projetos prprios. Presidente do GUSLA Grupo de Usurios de Software Livre de Arapiraca.

    Literatura de cordel um tipo de poesia popular especialmente no Nordeste brasileiro. Tradio de Portugal, os livretos deste tipo de poesia eram vendidos em feiras, pendurados em barbante (ou cordel).

    O Cordel do BrOffice escrito em stimas (estrofe de sete versos com rima x-A-y-A-B-B-A) em redondilhas maiores (versos de sete slabas poticas).

    2011

  • Cordel do BrOffice

    H nem tanto tempo assimPoucas dcadas atrsQuem trabalhava em bancoEscritrios e outros maisSempre tinha precisoDe no escrever a moDocumentos oficiais

    por isso que usavamQuando o trabalho pediaUma mquina adequadaPara a DatilografiaSempre grande e pesadaNuma mesa, preparadaEm todo canto uma havia

    Assim, quando precisavamUm documento fazerIam pra ela prontamentePra mquina de escreverComo foi tambm chamadaEra a forma consagradaA forma de proceder

    Mas apesar do seu usoEla no era perfeitaExigia atenoPois nem tudo se endireitaSe uma carta fosse escritaCom um erro na benditaTeria que ser refeita

  • Cada letra do alfabetoTinha sempre o mesmo espaoO "m" era encolhidinhoO "i" era muito largoNem ano, nem colossalO tamanho sempre igualLetra, nmero ou trao

    Foi por isso que o povoCom uma grande alegriaRecebeu aquele novoEditor que apareciaIsso no foi to recenteEu nem estava presenteMas foi feliz esse dia

    O que estava se usandoEsse tal de "editor"Era s mais um programaPro tal de "computador"Pra mesma necessidadeMas com muita novidadePara qualquer escritor

    Agora j era possvelEscrever de todo jeitoCom letra de toda formaNum trabalho to bem-feito!E se errasse no alvorooNem precisava um esforoPro texto ficar direito

  • Foi tanta revoluoQue at foto entrou no meioFicando junto com o textoPra ele ficar menos feioSeja desenho ou imagemOu barras de porcentagemTexto ento tinha recheio

    Mas havia um problemaPra carta ficar bonitaCom figuras e desenhosToda coisa que foi ditaToda a diagramaoEra feita sem perdoNuma lngua esquisita

    Como isso era chatoA mudana foi em frentePra algum dia ser possvelEscrever exatamenteTudo o que a gente queriaComo a gente gostariaTudo fcil para a gente

    Veio ento um editorQue tornava isso possvelFazer o texto na telaDe um jeito to incrvelQue imprimindo o que se viaComo uma fotografiaSeria igual, infalvel

  • Esse editor de textoDessa nova geraoFinalmente ficou prontoPra alegria da naoLogo foi reproduzidoE por outros foi seguidoEm uma competio

    Cada editor desse tipoVem com alguns aliadosUm programa de slideDe apresentao no quadroEm tecnologia de pontaUma planilha de contaPra trabalhos tabelados

    Esse conjunto completoFicou ento conhecidoPor "pacote de escritrio"No era um programa tidoMas sim programas diversosPara trabalhos impressosDos mais variados tipos

    Acontece que, c'o tempoO pacote que ficouDesses para escritrioQue ento se consagrouNo foi bem o mais perfeitoMas o que arrumou um jeitoDe sem opo se impor

  • Foi o MS OfficeO pacote de programasPra se usar em escritrioQue mais forte teve a famaLogo em quase todo ladoEstava ele instaladoDe Tquio a Copacabana

    Mas nem todo instalado- E at hoje est igual -Foi comprado direitinhoComo uma cpia legalJ que custa mais de milMuita gente preferiuEconomizar Real

    Mas o dilema difcilSem ter nenhuma opoO povo ou pirateiaCom o risco de prisoOu ento tem que fazerMil reais aparecerPra pagar a aplicao

    E hoje em dia esses programasSo real necessidadePra trabalhos de escolaOu pra contabilidadeDe programas dessa espcieTodo mundo hoje carecePor isso a dificuldade

  • Eis que o Software LivreQue falei uma outra vezNos mostrou uma respostaE o dilema se desfezPois tem em seu repertrioUm pacote de escritrioPara mim e pra vocs

    Aberto por uma empresaA Sun, empresa estrangeiraOpenOffice.org a forma mais certeiraDe economizar dinheiroE ter um pacote inteiroDe aplicaes de primeira

    Mas esse pacote livreNo Brasil se renomeiaPor causa de confusoDe algum cabra de peia"Open" por "BR" troqueBrOffice.orgDesse jeito aqui se leia

    Tudo aquilo que foi ditoEsse pacote nos trazTem um editor de textoContas em planilha fazTambm apresentaesBanco de dado', ediesDe desenhos vetoriais

  • Alm de essa escolha serDe gastos a mais isentaE de tanto oferecerNa vantagem que experimentaSendo um Software LivreAlm de tudo, inclusiveMais vantagens apresenta

    A equipe brasileira um grupo voluntrioQue dedicado trabalhaPelo Brasil espalhadoTraduzir j traduzia,Hoje ainda faz melhoriasNos programas trabalhados

    Aumentam o dicionrioDe verbetes conhecidosCatalogam os modelosDe texto, os mais pedidosCriam tanto manual!E um corr'tor gramaticalFoi feito e oferecido

    BrOffice.orgVoc tem que visitarTambm tem lista de e-mailPreparada pra tirarDvidas de iniciantesDar dicas interessantesO tempo todo no ar

  • Como se isso fosse poucoAinda h outra razoPra usar BrOfficeComo sua opoTem a ver com os formatosComo arquivos so guardadosPois seguem sim um padro

    O padro utilizado aprovado no ISOPor ser bom e aplicvel(Nenhum lobby foi preciso)Foi feito conforme a normaOpen Document Format o nome concebido

    Esse formato to bom bastante apoiadoGovernos de todo o mundoJ o tm tido adotadoEmpresas de nome e bemSe colocaram tambmEm apoio ao formato

    E pra provar que ODF mesmo padro de fatoEle j est sendo usadoBem nesse momento exatoPelo editor do GoogleE tem outros, te asseguroJ usando este formato

  • Hoje eu apresenteiUm conjunto diferenteDe programas excelentesCom a liberdade em menteE uma equipe que fazE o melhora ainda maisPra ser mais til gente

    Espero que o BrOfficeFaa a voc diferenaNo s na economia- Embora ela seja imensa - bem mais, na realidadePelo que , por qualidadeQue bem maior que se pensa

    E assim, mais uma vezTendo dado meu recadoComo em tudo que comeaO final , pois, chegadoE a todo cidadoQue dedicou atenoMeu adeus e obrigado!

    -- Crlisson Galdino-- http://www.carlissongaldino.com.br/

  • Outras obras do autor

    Cordis http://cordel.bardo.ws/ A Prosa de Vlad e Louis Asas Negras Baluarte Alexandrino Castelo Gtico Cordel da Pirataria Cordel do BrOffice Cordel do GNU/Linux Cordel Quilombola Cordel do Software Livre Do Livre e do Grtis O Castelo de Zumbis O Castelo do Rei Falco O Gnio Onde pra sempre hei de morar Peleja da Rua Peleja de Pel contra Roberto Carlos Piratas e Reis Planeta dos Vampiros Um Conto no Oeste Um Desafio a Pedro Cevada Voc tem os fontes tambm

  • Livros As Asas da guia (poesia) Chuva Estelar (poesia) Contos Psicodlicos (contos) Escarlate (romance folhetim) http://escarlate.bardo.ws/ Escarlate II (romance folhetim) Jasmim (romance folhetim) http://blog.jasmim.bardo.ws/ Marfim Cobra (romance) http://mc.bardo.ws/ Os Guerreiros do Fogo (romance)

    http://dofogo.bardo.ws/

    Cordel do BrOfficeOutras obras do autor