DDS Variados

  • View
    218

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

DDS variados

Transcript

  • DDS DILOGO DIRIO DE SEGURANA

  • NDICE

    01 - CULOS DE SEGURANA 02 - AR COMPRIMIDO 03 - CONDIES PERIGOSAS NO USO DE MAARICOS 04 - EFEITOS DO RUDO NO HOMEM E SISTEMA AUDITIVO 05 - O CONTROLE DO RUDO 06 - AERODISPERSIDES NO MEIO AMBIENTE 07 - LEVANTAMENTO E TRANSPORTE MANUAL DE PESO 08 - TRANSPORTE E ELEVAO DE CARGAS 09 - PRODUTOS QUMICOS 10 - ATIVIDADE FSICA 11 - RECICLAGEM DE RESDUOS 12 L.E.R. 13 - SEGURANA NO LAR 14 - DIAS DE DESCANSO 15 - CUIDADOS COM A PELE 16 - LIMPEZA DAS MOS 17 - A SADE 18 - COLUNA VERTEBRAL 19 - PROTEO DOS PULMES 20 - HOJE NO O MESMO QUE ONTEM 21 - TODOS DEVEMOS NOS PREOCUPAR COM A PREVENO DE ACIDENTES 22 - OS INCIDENTES SO ADVERTNCIA 23 - NINGUM DESEJA CULPAR NINGUM 24 - UMA OFICINA LIMPA UMA OFICINA SEGURA 25 - ARRUMAO, LIMPEZA E ORDENAO SO BONS HBITOS 26 - FIQUE ATENTO A VIDRO QUEBRADO 27 - PREPARAO DE REAS SEGURAS DE TRABALHO 28 - ESTEJA ALERTA AOS RISCOS COM BATERIAS 29 - LUBRIFICAO E REPAROS 30 - ACIDENTES PODEM ACONTECER EM QUALQUER LUGAR 31 - COMO PODEMOS PREVENIR INCNDIO 32 - PROCEDIMENTOS CORRETOS PARA REABASTECIMENTO 33 - LIMPEZA DE TAMBORES 34 - POEIRA EXPLOSIVA 35 - FUJA DE INCNDIOS, ONDE QUER QUE VOC ESTEJA

  • 36 - PEQUENOS FERIMENTOS 37 - PRIMEIROS SOCORROS PARA OS OLHOS 38 - SOLVENTES COMUNS 39 - CUIDADOS COM A ELETRICIDADE 40 - CABOS DE EXTENSO 41 - CHOQUE ELTRICO 42 - EQUIPAMENTOS DE PROTEO 43 - PROTEO DAS MOS 44 - PROTEO PARA OS OLHOS 45 - COMPETIO PARA CABEAS DURAS 46 - O VALOR DO CAPACETE DE SEGURANA J FOI PROVADO 47 - LESES NAS COSTAS 48 - MANUSEIE CARGAS COM SEGURANA 49 - CARRINHOS DE MO 50 - EMPILHADEIRAS - AS MULAS DE CARGA DO TRABALHO 51 - IAMENTO MECNICO E OUTROS EQUIPAMENTOS MOTORIZADOS 52 - DICAS DE SEGURANA PARA OPERAO COM GUINDASTE MVEL 53 - SEGURANA COM CABOS DE AO 54 - PRTICAS DE SEGURANA NA UTILIZAO DE ESCADAS 55 - PENSE EM SEGURANA QUANDO USAR ANDAIMES 56 - SEGURANA COM MQUINAS OPERATRIZES EM OFICINAS 57 - O ESMERIL 58 - SEGURANA COM PRENSA/FURADEIRA PARA METAL 59 - DICAS SOBRE FERRAMENTAS 60 - CHAVE DE FENDA A FERRAMENTA MAIS SUJEITA A ABUSOS 61 - USE OS MARTELOS COM SEGURANA 62 - PREVENO DE ACIDENTES COM CHAVES DE BOCA 63 - PORQUE INSPECIONAR FERRAMENTAS E EQUIPAMENTOS? 64 - REGRAS DE SEGURANA PARA FERRAMENTAS ELTRICAS 65 - SEGURANA COM FACAS 66 - FURADEIRAS ELTRICAS PORTTEIS 67 - A INFLUNCIA DO CALOR NO TRABALHO 68 - CRIANAS NO TRNSITO 69 - CONSCINCIA DE SEGURANA 70 - POR QUE AS PESSOAS NO USAM CINTO DE SEGURANA? 71 - CREDO DA SEGURANA

  • 72 - DICAS DE SEGURANA PARA DIRIGIR EM DIAS CHUVOSOS 73 - OS DEVERES DO MOTORISTA 74 - A CURIOSIDADE EXCESSIVA 75 - TRNSITO: UM DESAFIO NO DIA A DIA 76 - A RESPONSABILIDADE DE CADA UM NA PREVENO DE ACIDENTES 77 - FRIAS 78 - COMO AGIR NUM NEVOEIRO? 79 - COMO DIRIGIR UM CARRO USANDO O FREIO CORRETAMENTE 80 - POSTURA CORPORAL 81 - LEI N 01 - MOTORISTA PRUDENTE 82 - CORRIDA MATINAL 83 - ECOLOGIA DO TRABALHO 84 - MENOR NO VOLANTE 85 - PROTEGENDO AS MOS 86 - A LEGISLAO BRASILEIRA E OS EPIs 87 - TRABALHADORES MAIS SEGUROS

  • 01 - CULOS DE SEGURANA

    A proteo dos olhos um dos pontos importantes na preveno de acidentes e a finalidades dos culos de segurana proteg-los contra partculas slidas projetadas e/ou em suspenso. Para ser aprovado em nossa empresa, os culos de segurana devem ser confeccionados segundo as normas da ABNT e possuir o C A (certificado de aprovao). Praticamente em toda rea da usina, existe uma grande variedade de riscos que podem ter como conseqncia a leso nos olhos. por isto, que o culos de segurana considerado EPI bsico, ou seja, indicados e de uso obrigatrio para todo empregado ou pessoa que trabalhe ou transite na rea da usina. Recomendaes sobre o uso e conservao:

    O culo deve ajustar-se perfeitamente ao rosto, sem deixar aberturas; A haste ou elstico deve manter os culos firmes no rosto, porm sem incomodar

    ou machucar; Use-se constantemente durante todo o tempo que permanecer no trabalho para o

    qual for designado; Ao colocar ou retirar no segure os culos apenas por uma haste, mas pelas duas

    ao mesmo tempo; Limpe as lentes somente com tecido ou papel limpo e macio; No deixe que as lentes tenham contato com qualquer superfcie, coloque os

    culos com as lentes sempre para cima; No o guarde ou carregue-o nos bolsos traseiros das calas; No o transporte junto de ferramentas; No o abandone junto a fontes de calor; No deixe em local onde possa receber respingos de leo, graxa, cidos,

    corrosivos, solventes ou qualquer substncia que possa danific-lo;

    02 - AR COMPRIMIDO

    O Ar comprimido muito utilizado nas indstrias e pode ser considerado to importante como a energia eltrica ou a matria-prima. Entretanto por estarem comprimidos, o ar e outros gases de uso industrial, requerem manipulao delicada e precaues especiais para seu uso. Como de conhecimento da maioria dos que atuam na rea de segurana e sade do trabalhador, o ar comprimido, muitas vezes usado de forma inadequada, como por exemplo, a utilizao do ar comprimido para limpar a roupa ou para se refrescar. Atos desta natureza podero acarretar srias conseqncias aqueles que, por desconhecimento ou por ignorar os preceitos de segurana, venham a cometer estas imprudncias.

  • A fim de complementar a conscientizao dos trabalhadores, deve-se fazer uma explanao sobre os riscos que podem decorrer do mau uso do ar comprimido, para que estes fiquem cientes dos danos que podero sofrer, caso utilizem inadequadamente o ar comprimido. No se deve utilizar o ar comprimido para limpeza de roupas ou cabelos, pois um jato de ar suficientemente forte de uma mangueira, poder arrancar um olho de sua rbita, romper um tmpano ou causar hemorragia, como pode tambm penetrar por um corte ou escoriaes na pele e insuflar a carne, causando dor intensa ou uma leso mais grave. Se o ar chegar a penetrar em vaso sangneo, pode produzir bolhas de ar que ir interromper a circulao do sangue dentro dos vasos sangneo. Esta leso denomina-se embolia por ar. Um jato de ar comprimido, mesmo com presses baixas pode arremessar partculas de metais ou outros materiais slidos a velocidades to altas, que se convertem em perigo para os olhos e o rosto.

    O ar comprimido contm muitas impurezas, tais como: partculas de leo, graxas e outras partculas pequenas. Um jato de ar comprimido sobre a pele introduz estas impurezas atravs dos poros, podendo causar srias doenas de pele. Todos ns devemos estar conscientes dos riscos e cuidados a serem tomados nos trabalhos com ar comprimido.

    03 - CONDIES PERIGOSAS NO USO DE MAARICOS

    Antes de qualquer coisa, vamos definir o instrumento de trabalho conhecido pelo nome maarico. Trata-se de um aparelho no qual se processa a mistura sob determinada presso de um gs comburente com outro combustvel. Depois de inflamada, esta mistura produz uma chama, com uma temperatura aproximada de 3.200 graus centgrados, portanto, capaz de fundir os metais que no contenham mais de 1,9% de carbono. Vamos conhecer estes gases. ACETILENO - um gs incolor de cheiro caracterstico e altamente combustvel. Sua notao qumica C2H2. um composto instvel, sujeito a violentas exploses quando se decompe. Por este motivo, este gs no deve ser comprimido, quando puro, para suportar presses superiores a 15Lb./Pol2. Em determinadas condies, quando em contato com a prata, mercrio e cobre, pode provocar exploses. PRECAUES NO MANUSEIO DOS CILINDROS.

    Nunca deixar os cilindros de Acetileno diretamente sob o sol; Os cilindros devero ser armazenados em locais adequados e seguros;

  • Evitar os choques, quedas ou golpes com os cilindros de Acetileno; No utilizar qualquer pea ou tubo de cobre ou lato, para a circulao do

    Acetileno; Usar sempre um regulador de Acetileno, ligado vlvula do cilindro, seja qual for

    aplicao dada ao gs. EFEITOS: O acetileno um gs anestsico, no venenoso. Suas concentraes muito altas em ambientes fechados sufocaro o ser humano, em virtude da excluso do oxignio. Os trabalhos em altas estruturas, onde as vertigens podem ocasionar, quedas, com graves conseqncias, deve-se ter o cuidado de no respirar muito o acetileno. OXIGNIO - um gs comburente, incolor e inspido, seu smbolo O2 e seu peso 32. Convm mencionar que, no ar, o oxignio entra na proporo de 21% e o nitrognio com quase 79%. Em pequenas quantidades, existem ainda, na composio do ar, os chamados gases raros, so eles: Hlio, Xennio, Argnio e o Criptnio. PRECAUES GERAIS:

    Nunca utilize oxignio em aparelhos para os quais seja necessrio o ar comprimido;

    Evite qualquer contato de leo ou graxa, com qualquer parte do cilindro, da rede, reguladores ou dos seus acessrios. O leo ou a graxa pode formar compostos e queimar violentamente, na presena do oxignio.

    Ao ligar diretamente o maarico deve-se observar:

    a) Se h qualquer vazamento de oxignio e acetileno no maarico, reguladores, vlvula hidrulica, mangueira e vlvula de reteno;

    b) Observar a tabela progressiva de regulagens como padro, pelas fbricas de maaricos;

    c) Jamais utilizar o oxignio para refrigerar o ambiente de trabalho. Pr ser altamente comburente, isto , pr ativar a combusto, altas concentraes podero ocasionar combusto, seguida de exploso.

    O RETROCESSO DA CHAMA: O manuseio incorreto do maarico pode causar o retrocesso da chama. Esta se apaga com um estalo. Principais causas: a) - Toque do bico do maarico na pea; b) - O super aquecimento do bico do maarico; c) - Utilizao de presses inadequadas; d) - Bico mal apertado; e) - Sujeira na sede do bico do maarico f) - Vazamento;

  • Quando o motivo do retrocesso tiver sido determinado e eliminado o seu agente, o maarico poder ser aceso nov