DECRETO 2745 98 2 1 Dispensa e Inexigibilidade da Licitação; 22

  • View
    637

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of DECRETO 2745 98 2 1 Dispensa e Inexigibilidade da Licitação; 22

MANUAL DE CONTRATAO DA BRSUMRIO 1 - Introduo 1.1 Objeto 1.2 Aplicao 1.3 Disposies Gerais 1.4 Iniciativa 1.5 Representao e Autorizaes 1.6 Formalizao 1.7 Situaes Especiais 2 - Licitaes 2.1 Modalidades de Licitao 2.2 Tipos de Licitao 2.3 Escolha do Tipo e da Modalidade de Licitao 2.4 Processamento da Licitao 2.5 Julgamento das Licitaes 2.6 Recursos 2.7 Relatrio de Julgamento e Concluso da Licitao 2.8 Disposies Gerais sobre Licitaes 3 Contrataes Diretas 3.1 Processamento da Contratao Direta 3.2 Hipteses de Dispensa 3.3 Hipteses de Inexigibilidade 4 Contratos 4.1 Generalidades 4.2 Contedo dos Contratos 4.3 Gerenciamento e Fiscalizao 5 Contrataes Especiais 5.1 Alienao de Ativos 5.2 Bens Imveis

5.3 Bens Mveis 5.4 Dispensa de Licitao 6 - Sanes 7 Cadastramento 8 Documentos Complementares 9- Definies e Siglas

1 - Introduo 1.1 Objeto 1.1.1 Este Manual tem por objeto complementar o Regulamento do Procedimento Licitatrio Simplificado - Decreto 2.745/98, e sistematizar os procedimentos bsicos para as contrataes atinentes atividade-meio efetuadas pela BR. 1.1.2 Os contratos firmados pela BR so regidos pelas normas de direito privado e pelas regras procedimentais contidas no presente Manual. 1.1.2.1 Dentro das atividades de contratao da BR, devem ser sempre analisadas as interfaces das contrataes com as normas jurdicas atinentes ao direito empresarial (Lei das Sociedades Annimas, Cdigo do Consumidor, Lei de Propriedade Industrial, entre outros). 1.1.3 No aplicado o Decreto 2.745/98 nos casos de contratao de bens e servios atinentes atividade-fim da empresa, ou seja, aquelas decorrentes de procedimentos usuais do mercado em que atua e indispensveis ao desenvolvimento de sua atividade finalstica, conforme definido no objeto social da BR. 1.1.4 Outros tipos de instrumentos jurdicos no tratados neste Manual tais como Acordos de Cooperao, Protocolos de Inteno, patrocnios, locaes, arrendamentos, entre outros, devem ser tratados pela rea interessada em articulao com a GJD, obedecendo a TLC e o Estatuto da BR. 1.1.5 As situaes especiais no previstas neste Manual, bem como aquelas oriundas de fatos supervenientes, devem ser objeto de anlise da GJD, que pode valer-se da consulta a outras Gerncias da companhia, e emitir parecer sobre a referida situao, orientando qual o procedimento e o instrumento contratual que devero ser observados pela gerncia contratante.

1.2 Aplicao

1.2.1 Os procedimentos estabelecidos neste Manual so aplicveis a todas as Gerncias da BR, sendo obrigatria a consulta prvia GJD em caso de dvida sobre suas diretrizes ou de eventual necessidade de alterao nos instrumentos convocatrios e das minutas-padro de contratos elaboradas pela GJD.

1.3 Disposies Gerais 1.3.1 A conduo de um processo licitatrio deve se nortear pelas seguintes diretrizes:

a) Atender Legislao em vigor, regulamentos e normas internas da BR; b) Desenvolver todo o processo dentro dos prazos programados de forma a no afetar o cronograma de contratao da Gerncia; c) Evitar imperfeies de documentos ou de aes tomadas no decorrer do processo visando a reduo de recursos ou aes judiciais de licitantes. 1.3.2 A licitao destina-se a selecionar a proposta mais vantajosa para a realizao da obra, servio, fornecimento pretendido ou alienao e ser processada e julgada com observncia dos princpios da legalidade, da impessoalidade, da moralidade, da publicidade, da igualdade, da vinculao ao ato convocatrio, da economicidade, do julgamento objetivo e dos que lhes so correlatos. 1.3.3 As minutas-padro de editais/cartas-convite, analisadas e aprovadas pela Diretoria Executiva, no so exaustivas, podendo ser adaptadas conforme as peculiaridades de cada caso concreto. As inovaes ou alteraes que porventura venham a modificar as minutas-padro em carter no-pontual devem ser submetidas anlise da GJD, para posterior aprovao da Diretoria Executiva da BR, enquanto que aquelas alteraes pontuais, especficas a um caso concreto, em decorrncia de negociao, devem ser submetidas anlise da GJD para posterior aprovao pelo Diretor de contato da gerncia solicitante, ad referendum da Diretoria Executiva. 1.3.4 Devem ser chamados pela Gerncia solicitante e Gerncia licitante, preferencialmente, todos os fornecedores cadastrados na atividade objeto da licitao. Sempre que houver fornecedores cadastrados e no chamados deve ser justificado pela Gerncia solicitante. 1.3.5 proibida a contratao de empresas que tenham em seus quadros societrios empregados ou diretores do Sistema Petrobras.

1.4 Iniciativa

1.4.1 As providncias preliminares e necessrias instaurao dos processos de contratao, conforme NC-GSC-DE-013 - Contratao de Servios, inclusive sua autorizao, so de responsabilidade da Gerncia solicitante. 1.4.2 Quando a estimativa da contratao se situar no Limite de Competncia da Diretoria Executiva, a solicitao de autorizao para a instaurao do processo deve ser encaminhada por meio de DIP conjunto pela Gerncia interessada com a co-autoria da GSC. 1.4.2.1 Quando a contratao se situar na competncia da Diretoria Executiva, o PRD/Diretor de Contato pode autorizar o incio da negociao, "ad referendum" do Colegiado, cabendo Gerncia interessada encaminhar, por meio de DIP exclusivo, a respectiva solicitao. 1.4.3 Os resultados obtidos na licitao devem ser encaminhados pela GSC para aprovao pela Gerncia que detm o limite de competncia conforme TLC, por meio do Relatrio de Julgamento conforme especificado no padro FG-GCSERV-002. 1.4.4 Nos casos em que a contratao se situe no Limite de Competncia do PRD/Diretor de Contato, responsabilidade do Gerente Executivo da Gerncia solicitante o encaminhamento do resultado para obteno da autorizao. 1.4.5 Nos casos em que a contratao se situe no Limite de Competncia da Diretoria Executiva, o resultado da licitao encaminhado por meio de DIP conjunto pela GSC com co-autoria da Gerncia solicitante.

1.5 Representao e Autorizaes 1.5.1 Em consonncia com o Estatuto Social da BR, a Companhia representada em juzo ou fora dele, por sua Diretoria Executiva, individualmente por seu Presidente, ou por dois Diretores em conjunto, podendo, quaisquer desses administradores, nomear procuradores ou representantes. 1.5.2 Quando no for utilizada a minuta-padro, as minutas de contratos na competncia de aprovao da Diretoria Executiva devem ser, previamente, submetidas anlise da GJD e devem ser chanceladas por meio de carimbo prprio com as respectivas rubricas de identificao. 1.5.3 A Tabela de Limites de Competncia define os valores mximos que as Gerncias esto autorizadas a contratar. Os processos de contratao e de compras acima dos valores mnimos estabelecidos para dispensa de licitao pelo valor, na TLC, so realizados pela GSC.

1.5.4 Para os processos de competncia da Diretoria Executiva as planilhas de estimativa de custo, devidamente preenchidas e assinadas pelos responsveis e pelos Gerentes Executivos, devem ser emitidas em duas vias (envelopes lacrados) e mantidas em poder da GCRI/SEGE, conforme procedimento detalhado no PC-GCRI-002. Aps apreciao do assunto pela Diretoria Executiva, um dos envelopes deve ser arquivado na SEGE (lacrado) e outro enviado pela SEGE (lacrado) GSC, conforme descrito no referido Procedimento.

1.6 Formalizao 1.6.1 O resultado dos processos aprovados para aquisio de bens ou servios deve ser, obrigatoriamente, formalizado por escrito, por meio de contrato. Cabe Gerncia licitante manter em arquivo o processo de contratao de acordo com a Tabela de Temporalidade Documental disponibilizada pela GSC na BRNET acessando a opo: A Empresa / Tabela da temporalidade Documental. 1.6.1.1 Os termos aditivos tambm devem ser formalizados por escrito e ser arquivados, nos termos do disposto no item 1.6.1.

1.7 Situaes Especiais 1.7.1 Os contratos que envolvam propriedade intelectual, relativos a direitos autorais ou propriedade industrial (marcas e patentes), antes da averbao prvia junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) ou outros rgos pblicos ou privados, no pas ou no exterior, so sempre objeto de anlise prvia da GJD e de consulta GCRI.

2 - Licitaes 2.1 Modalidades de licitao a) Concorrncia - a modalidade de licitao em que admitida a participao de qualquer interessado que rena as condies exigidas no Edital; b) Tomada de Preos - a modalidade de licitao entre pessoas fsicas ou jurdicas previamente cadastradas e classificadas na Petrobras ou na BR no ramo pertinente ao objeto; c) Convite - a modalidade de licitao entre pessoas fsicas ou jurdicas, do ramo pertinente ao objeto, em nmero mnimo de trs, inscritas ou no no registro cadastral de licitantes da Petrobras ou da BR;

d) Concurso - a modalidade de licitao entre quaisquer interessados, para escolha de trabalho tcnico ou artstico, mediante a instituio de prmios aos vencedores; e) Leilo - a modalidade de licitao entre quaisquer interessados, para alienao de bens do ativo permanente da BR, a quem oferecer o maior lance, igual ou superior ao da avaliao; f) Prego Eletrnico - a modalidade de licitao em que admitida a participao de qualquer interessado que rena as condies exigidas no Edital. realizada pela Internet, em sesso pblica e em portal especializado, indicado pela BR.

2.2 Tipos de Licitao 2.2.1 Os tipos de licitao dizem respeito ao critrio estabelecido no ato convocatrio para o julgamento das propostas, em funo da complexidade ou fatores tcnicos envolvidos, independentemente do valor estimado da contratao e da modalidade de licitao adotada. 2.2.2 De acordo com a complexidade e especializao da obra, servio ou fornecimento a ser contratado, as licitaes podem ser dos seguintes tipos: a) DE MELHOR PREO quando no existem fatores especiais de ordem tcnica que devam ser ponderados e o critrio de julgamento indicar que a melhor proposta a que implicar o menor dispndio, ou o maior pagamento, no caso de alienao, observada a verificao dos fatores indicados no ato convocatri