Design Para Quem Não É Designer

  • View
    47

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

A presente obra tem como intuito dar noes bsicas de planejamento visual, com isso seus trabalhos ficaro com esttica e aparncia melhores. Indicado aquelas pessoas que no dispem de muito tempo para estudar profundamente o tema.

Transcript

  • DSIGNFAR.A

    QUeM- ,

    NAQ E.DeSIGNeI'

    noees

    bsicas

    de

    planejamentovisual

    Robin Willia", s

    ~.EDIT ORA "

  • Este livro servepara voc?Este livro se destina a todos aqu eles que precisam criar pginas mas que notm qua lquer tipo de treino fo rmal em designo No me refiro apenas qu eles qu eesto crian do embalagens incrveis ou folhetos extensos: falo das secret riascujos chefes, hoje em dia, solicitam qu e das criem os jornais info rmativos (newsletters):dos volunt rios religiosos que esto montando materiais com informaes sobresua s congregaes; dos peque nos empresrio s que esto criando seus prp riosanncios; dos estuda ntes qu e compreendem qu e um trabalho com uma boaaparncia pode significar uma no ta melhor ; dos pro fissionais que tm conscinciade que uma apresentao interessante conquista mais respeito ; dos professo resque aprenderam que os alunos reagemde maneira muito mais positiva s informaesdispos tas de maneira mais esttica; aos profissionais da rea de estatstica queesto notando que os nmero s e as porce ntagens podem ser o rgan izados demaneira .l convidar leitura e no a dormi r.

    Aqu i parto do pressuposto de que os leitores no tm tempo ou von tade deestudar design e tipografia, mas 90s/a fia m de saber como criar suas pginas comuma esttica melhor. A maioria das pessoas tem capacidade de olhar para umapgina com um design pob re e concluir que no gostam dela, mas 11(10 saberiam o(jlleJazaparamelhor-Ia. Aqui abordareiquatro conceitos bsicos utilizados praticamenteem todos os bons trabalhos de criao. Essec conceitos so claros e concretos. Sevoc no sabe o que h de errado em uma pgina, como pod er ajust- la? Quan doconhe cer os conceitos, saber dizer se eles foram ou no aplicados em suas pginas.Quando se pode dar nome li 11 m problema, i possvel eIlcon/rar li soluo.o objctivo deste livro no substituir qua tro anos de estudos na rea de designoNo tenho a pretenso de achar que voc se transfor mar automaticamente emum brilh ante designer ap s a leitura desta obra, mas gara nto que vo c jamaisolhar para uma pgina da mesma maneira. Garanto qu e se voc seguir estesprincpio s bsicos, seu trabalho ter uma aparncia mais profissiona l, organizada ,unificada e interessante. E.. . voc se sen tir fortalecido.

    Carinhosamente,

    m

  • m D ES I GN I' A R A QU E M NO D E SIG NER

    Mini-glossrioOs termos a seguir so utilizados neste livro . Paraco nhec er um gloss rio co mpleto de design c de termostipogr ficos. veja outro livro de min ha au toria : HoU' to8055 }'ollr FOlIls ArOlllll (Como Trabalhar com Fontes) .1\ linhade base a linha invisvel sobre a qual o tipo cstposicionado (veja a pgina 94).Texto corrido, mancha de texto e. s vezes, apenasmancha ou texto referem-se ao princ ipal bloco de textolido, que o opos to de ttulos pr incipa is. subttulos.ttu los etc. O texto corrido costuma ser apresentado entreos tamanhos (corpos) 9 e 12.Um sinai de tpico (tambm co nhecido como tpico) (-um pequ eno marcador quc costuma ser ut ilizado emuma lista. substituindo os nmeros ou. ainda, pode sercolo cado en tre palavras. Este o sinal de tpico comum-

    Um dingbat um caractere pequeno, ornamental.como estes: O..* -a'lHb. Voc deve ter as fonte s ZapfDingba ts ou WingDings. que so feitas de dingbats .

    Elementos so os objctos ind ividuais da pgin a. Umelemento pode ser u ma n ica linh a de texto, um aimagem ou, ainda, um co njunto de Jtens to prximosentre si que s o cons iderados como uma unidade. Parasaber o nmero de elementos q ue existe em u mapg ina, pisq ue os o lhos e conte qu antas vezes elespilram pilra olha r cada item ind ividualmente.

    Texto extenso refere- se ao texto co rrido (como nopa rgrafo acima). qu an do h muito texto . Exemplo : umlivro ou um lo ngo relatrio.

    Qua ndo mencion o seu olho ou o fluxo dos olhos, refiro-me aos seus olhos como se eles fossem um serindependente. Pode-se contro lar a maneira atravs da qualuma pessoa movimenta os olhos qua ndo est vendo umapgina (o fluxo dos olhos). Portan to. preciso ser maisconsciente sob re como St'lIS olhos se movimentam quan dovoc est olhando para uma pgina.

    O texto justificado u m bloco de texto alinhado emambos os lados (o d ireito e o esq ue rdo) .Um fio u ma linha desenh ad a, como a que foi usadano ttulo "Mfni-glossrio".

    Espao em branco o espao de pgina qu e no preen chido por textos ou figuras. Os iniciant es tendem ano u tiliza r o espao em bran co ; os profission a is da rea de design grfico utilizam muitos espaos embran co .

    O espao em branco distribudo oco rre q uan do oespao em bran co de u ma pgina est preso entre oselementos (co mo textos o u fotos), sem espao pa ra fluir.

  • P ARTE U M P R I NC P I O S D E DE S IGN m

    ~c~ t'~Jr:-" /,::.~{;l :l ~'.,I

    i t * >i L-1:':'. 1\? :~ I.,;"l\Vti , ,~ lir1:"

  • II DES IGN P AR A QUEM NO DES I GN E R

    Os quatro princpios bsicosVeja a seguir uma abordagem genrica dos princpios. Apesar de eu descrev-los separa damente no decorrer do livro, lembre-se de qu e eles esto inter-relacion ados. Raramente apenas um dos princpios ser utilizado.

    Contrasteo objctivo do co ntraste ev itar elementos meramente similarcsem um a pgina. Se 0 5 elementos (tipo, cor, tamanho, espessurada linha, for ma, espao etc.l n o forem os 111 ' 5111 05, diferencie-oscompletamente. O contraste costu ma ser a mais importanteatrao visual de u ma pgina.

    RepetioRepita os elemen tos visu ais do design e espa lhe-os pelo ma -teria!. Voc pode repetir a cor, a fo rm a, a textura e as relaesespacia is como a espessura, os tama nhos etc. Isso ajud a acria r um a organiz a o e fortalece a un idade.

    AlinhamentoNad a deve ser colocado ar bitrariamente em uma pg ina . Cadaelemento deve ter uma ligao visual com outro elemento dapgi na. Isso cria uma aparncia limpa, so fisticada e suave.

    proximidadeItens relacionados entre si deveriam ser agrupados. Quandovrios itens esto prxi mo s, to rnam-se uma unidade v isual, eno vr ias unidad es ind ividualizada s. Isso ajuda a organiza ras info rma es e reduz a desordem.

  • ProximidadeAs pginas criadas pelos iniciantes costumam ter palavras. frases e imagensespalhadas. preenchendo cantos e ocup and o muito espao. de man eiraque no sobre espao livre. Parece have r certo medo dos espaos vazios .Quando as partes qu e compe m uma pgina so espalhadas. esta pginaassum e uma aparncia desorganizada e possvel que as informaesno fiquem imediatamen te acessveis para o leitor.

    Segundo o princpio da proximidade. itens relacionados entre si devemser agrupados e aproximados uns dos outros. para que sejam vistoscomo um conjunto coeso e no como um emaranhado de partes semligao. Itens ou con juntos de info rmaes que no esto relacionadosentre si no deveriam estar prximos; isso ofe rece ao leito r lima pistavisual imediata da organizao e do contedo da pgina. As pginas aseguir ilustra m esse princpio.

    m

  • III DE S IG N P AR A Q UEM NO D E S I G N E R

    D uma olhada neste carto de visita. Quantos elemento s ind ividu aisvo c pode ver nesse pequeno espao? Quantas vezes seu olh o p ra puravi sualizar algo?

    '" Por acaso seu olho parou cinco vezes? lgico: h cinco itensindependentes neste pequeno carto. Por onde voc comeou aleitura? Provavelm ente pela parte centra l, porque a f rase do meio a co m m aior evidncia (negrito). O que voc leu a seguir (daesquerda para a direita)? O que aconteceu quando voc alcanou ocanto infer ior direito; para onde seu olho se dirigiu? Ele ficouvagando para certificar-se de no ter perdido alguma inform aoespalhada pelos cantos?

    Reilly Pickett (717 ) 555-1212

    Toad Hall

    916 Old River Road Red River; NM

    '" E se eu confundir ainda mais as coisas?

    Reilly P lcket t (1 7) 555 -1212

    Toad Hall

    916 Qld River eoac Red River, NM

    Agora que existem duas frases em negr ito (bold), por ondecomear? Pelo canto superior esquerdo ou pelo meio? E aps leresses dois itens, para onde seu olho vai? Talvez voc fique indo evindo entre as duas palavras em negr ito. em uma tentat ivaangustiada de "capturar" as out ras palavras colocadas nos cantos. fcil determ inar o fim da leitura? Seu am igo fez a leitura damesma maneira que voc?

  • 2 DESIGN PROXI MI DADE II

    Quando v rios itens esto prximos entre si, eles se torna m uma unidadevisual e no vrias unidades separadas. Assim como na vida,a proximidadeimplica em uma relao.

    Vrias coisas acontecem qua ndo elemen tos similares so agrupados emuma unidade. A pgina fica mais organ izada. possvel saber por ondecomear a leitura e onde termin-la. Alm disso, o espao em branco (oespao ao redor das letras) tam bm fica mais organizado.

    T Um problema do carto anterior que nenhumdos itens parece estar relacionado a qualqueroutro. No est claro por onde a leitura devecomear ou terminar.Se eu fizer uma coisa neste carto de visita- agrupar os elementos relacionados - ,veja o que acontece:

    Toad HallRelly Pckett

    916 Qld River RoadRed River; NM

    (7171 555- 121 2

    '" Ser que ainda existe alguma dvida sobreonde comear a ler o carto? E sobre o final?Veja, observa ndo este conceito m uito sim ples.este carto est organizado tento lgica quantovisualmente.

  • m DE S IG N PARA QU E M NO DE S IGNER

    A seguir vo c ver um tpico cabealho de news letter (jornal). Quan toselementos separados se encontram neste mate rial? De acordo com opos icionamento, existe algum item relacion ado a outro?

    '" Pense um pouco para decidir quais so os itensque deveria m ser agrupados e quais dever iamficar separados.

    Agosto . 1996

    FLORESTA DO MUNICfplO DE RE DWOOD

    UN IVE RSIDA DE DO OESTEO QU E EST ACONTECENDO NA...

    EXTENSO COOPERATIVA

    '" Os dois itens da parte super ior esquerda estoprximos entre si, o que implica em uma relao.Deveria haver uma relao