Click here to load reader

Desigual Final

  • View
    437

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Desigual Final

Plano estratgico

Trabalho realizado por: Francisco Nogueira n 24099 Srgio Teixeira n24109 Curso: gesto

Docente: Ana Sofia Coelho Disciplina: Estratgia

ndice

Proposta de trabalho.3 Introduo ..4 1-Anlise do Meio Envolvente 1.1 Meio envolvente contextual5,6 1.2 Meio envolvente transaccional.7 1.2.1 Rivalidade entre concorrentes.7 1.2.2 Potencial de novas entradas7 1.2.3 Poder negocial dos clientes..7 1.2.4 Presso dos produtos substitutos7 1.3 Atractividade da Industria.8 1.4 Estrutura da Industria9 1.5 Factores crticos de sucesso..10 2-Anlise da Empresa: 2.1 Recursos da Empresa..11 2.2 Competncias Centrais11 2.3 Anlise SWOT...12 3- Misso, Objectivos e Estratgia 3.1 Viso13 3.2 Misso.13 3.3 Objectivos13 3.4 Estratgia Empresarial..13 4- Produtos-Mercados 4.1 Natureza da Estratgia de Produtos-Mercados14 4.2 Vantagem Competitiva..14 4.3 Diferenciao do Produto.14 4.4 Diversificaao 15 4.5 Evoluo da Estratgia de Produtos-Mercados15 5- Internacionalizao 5.1 Estratgia de internacionalizao.. 16 5.2 Internacionalizao nos E.U.A16 6- Outsourcing Vs Fabricao prpria..17 Concluso..18 Bibliogragia...

Proposta de trabalhoFrancisco Nogueira n 24099 Srgio Teixeira n 24109 No mbito da disciplina de Estratgia, leccionada pala Dr. Ana Sofia Coelho, foi proposto a anlise estratgica de uma empresa no nosso caso escolhemos abordar uma empresa do ramo txtil mais concretamente a DESIGUAL. A escolha da empresa teve em conta o facto de se destacar no mercado pela diferenciao. Pelo slogan (ITS NOT THE SAME/No o mesmo) da marca podemos logo verificar a estratgia da empresa, ou seja a empresa quer afirmar aos potenciais clientes que a escolha pela sua marca deve ter em conta a originalidade das suas peas. Desta forma fica comunicado a escolha da nossa empresa e o porqu dessa escolha.

Introduo Para a elaborao deste plano estratgico a empresa adoptada foi a DESIGUAL, esta escolha teve em conta o sucesso com que a marca se tem deparado nos ultimos anos assim como a estratgia defenida pela marca para alcanas este sucesso.

A DESIGUAL uma marca espanhola que tem como inspirao a espontaneidade, as emoes positivas e pela criao de uma moda pouco convencional. A marca foi criada em 1984 entre Barcelona e Ibiza, embora actualmente a sede operativa se encontre apenas em Barcelona. O seu fundador Thomas Meyer continua a marcar o espirito da marca estando a frente da equipa criativa. A DESIGUAL aposta num design fresco, positivo e inconformista o que traduz na perfeio um dos seus lemas que defende que cada cliente diferente entre si. Estas estratgias fizeram com que a DESIGUAL conseguisse despertar a curiosidade de muitas pessoas conseguindo assim um grupo de seguidores espalhados por todo o globo. esta estratgia, que tem como parte fulcral para o sucesso a diferenciao aliada a qualidade do produto, que est descrita no nosso plano estratgico.

1-Analise do meio envolvente 1.1-Meio envolvente contextual Politico-Legal -Portugal apresenta uma estabilidade poltica, que em conjunto com a adeso a unio europeia faz com que seja um pas propicio para o investimento por parte de agentes empresariais nacionais e internacionais. Beneficiando tambm da livre-circulao de mercadoria na Europa.

-De acordo com o cdigo de Classificao das Actividades Econmicas1, a Indstria Txtil e do Vesturio enquadra-se na seco das Indstrias Transformadoras e engloba a Fabricao de txteis e a Indstria do Vesturio, Preparao, Tingimento e Fabricao de artigos de peles com plo. -Actualmente atravessa uma fase de reestruturao e reconverso que se tem repercutido na eliminao de milhares de postos de trabalho como resultado da queda das barreiras ao comrcio internacional e da emergncia de um novo quadro regulador do comrcio internacional de txteis e vesturio -As fronteiras nacionais assumem um papel cada vez menos relevante para este sector, disperso ao longo do globo, fazendo com que os produtos da fileira sejam cada vez mais produtos globais sujeitos a uma procura cada vez mais homognea no que respeita aos gostos e preferncias dos consumidores. -Portugal no apresenta um sistema legal suficiente para combater o Plgio de design e fuga de informao. Econmico -A Indstria Txtil e do Vesturio (ITV) uma das indstrias com maior representatividade na estrutura industrial portuguesa e desde sempre assumiu um papel de relevo em termos de emprego e peso na economia nacional. Trata-se de um sector maduro, fragmentado e sujeito a desajustamentos peridicos entre a oferta e a procura, cujo desempenho se encontra fortemente condicionado pelas flutuaes da actividade econmica mundial. -Em matria salarial, as remuneraes dos trabalhadores mantm-se baixas e, por isso,competitivas face ao mercado europeu mas em desvantagem em relao aos pases asiticos que tm custos salariais mais baixos; -A taxa de desemprego foi de 9,8%, no 3 trimestre de 2009, traduzindo um acrscimo de 2,1 p.p., face ao trimestre homlogo de 2008, e de 0,7 p.p., face ao trimestre anterior. A taxa de desemprego dos homens foi de 9,1% a das mulheres foi de 10,6%. -A taxa de juro implcita no conjunto dos contratos de crdito habitao fixou-se, em Outubro, no valor mdio de 2,211% Socioculturais -O sector tem vindo a registar em Portugal comportamentos dinmicos e competitivos em determinados subsectores e empresas, aproveitando alguns dos seus pontos fortes como a proximidade geogrfica e cultural face ao mercado europeu, tradio e saber-fazer acumulado. -Em termos de utilizao de mo-de-obra, a ITV encontra-se entre os primeiros lugares no conjunto da Indstria Transformadora, representando, em mdia 25% do total da Indstria Transformadora nacional Tecnolgico -realizao de elevados investimentos de modernizao tecnolgica, desenvolvimento progressivo de uma cultura de qualidade e de resposta rpida

1.2-Meio Envolvente Transaccional Foras Porter: 1.2.1- Rivalidade entre concorrentes: A rivalidade no sector do vesturio feita por gamas, a DESIGUAL encontrase numa gama mdia/alta, que prima pela originalidade do seu produto e constante inovao, assim como uma forte aposta num marketing no convencional. Como principal concorrente podemos ver a SKUNKFUNK uma marca tambm espanhola esta marca tambm prima pela originalidade e constante inovao e interactividade com os seus clientes. 1.2.2-Potencial de novas entradas: No ramo do txtil e em especial na gama mdia/alta, a entrada no mercado difcil pois existem elevados custos, estes custos esto ligados principalmente na aposta em inovao e em publicidade. de salientar tambm o alto custo de entrada de uma marca no mercado e o tempo que demora a alcanar a notoriedade. 1.2.3-Poder negocial dos clientes:

Os clientes da marca esto preparados para pagar um preo mais elevado pelo produto tendo em conta a sua originalidade e qualidade, podemos dizer que se te trata de um produto de alto valor acrescentado. A empresa aposta num conceito diferente de publicidade onde consegue integrar os clientes, como por exemplo a campanha que juntou clientes e conhecidos da marca com o objectivo de juntar o maior nmero de pessoa a beijar-se. 1.2.4-Presso dos produtos substitutos: Embora o mercado txtil seja vasto, existindo uma variada gama de oferta de produtos semelhantes, podemos dizer que a DESIGUAL tm o seu lugar assegurado no mercado pois aposta da diferenciao do seu produto conseguindo assim a sua quota de mercado. O risco da cpia do produto uma realidade no sector, mas podemos afirmar que o cliente procura a qualidade da marca assim como a diversidade oferecida por quase 1000 peas diferentes em cada coleco.

1.3- Atractividade da Indstria A Indstria Txtil e de Vesturio uma das mais importantes indstrias para a economia portuguesa. Portugal tem cerca de 7 mil empresas laborando em todos os subsectores da indstria txtil e do vesturio, algumas das quais so unidades verticais, embora na sua maioria sejam pequenas e mdias empresas, todas bem conhecidas pela sua flexibilidade e resposta rpida, know-how e inovao. O sector composto por duas indstrias que se organizam em fileira: - A montante, a indstria txtil, que engloba as seguintes etapas do processo produtivo: a preparao da fibra, a fiao, a tecelagem, as malhas e os acabamentos (tinturaria, estamparia e ultimao); - A jusante, a indstria de vesturio, que compreende a confeco de artigos de vesturio e os acessrios. Representa: 11% do total das Exportaes portuguesas; 22% do Emprego da Indstria Transformadora; 8% do Volume de Negcios da Indstria Transformadora 7% da Produo da Indstria Transformadora. No quadro a seguir podemos ver a evoluo do sector da indstria txtil em Portugal: 2003 7.840 2004 7.890 2005 6.756 2006 6.749 2007 6.733 2008 6.164*

Produo (milhes )

Volume de Negcios 8.103 8.145 6.993 6.931 6.980 6.349* (milhes ) Exportaes (milhes 4.572 4.319 4.118 4.113 4.295 3.985 ) Importaes (milhes ) 3.048 2.971 2.993 3.086 3.329 3.212 Emprego 222.602 209.768 201.265 186.837 180.335 167.712* *Estimativas ATP Fonte: Associao Txtil e Vesturio de Portugal

1.4- Estrutura da indstria Em Portugal, a ITV est concentrada em trs grandes regies: Norte, Centro e Vale do Tejo, tendo-se verificado nos ltimos anos um aumento do peso relativo da regio Norte, em detrimento de Lisboa e Vale do Tejo. Do ponto de vista territorial, a ITV encontra-se dispersa por todo o territrio nacional com importantes clusters segregados pelo tipo de actividade. Os dois grandes focos desta indstria situam-se no Norte de Portugal e na Beira Interior, nomeadamente as empresas do sector algodoeiro e do sector dos lanifcios. Esta dinmica de localizao histrica deve-se essencialmente a factores tangveis de produo, como o caso do custo de mo-de-obra e das matrias-primas, que acabou por se tornar uma vantagem competitiva para as empresas do sector. H uma tendncia para a concentrao espacial das unidades produtivas em grandes centros industriais, aproveitando economias de localizao: a concentrao de um grande nmero de empresas