of 52 /52
EDIÇÃO 51 OUTUBRO 2008 ANO 9 EDIÇÃO 56 MARÇO 2009 Pedro Mariano, Jair Oliveira e Leo Von têm a música no sangue, e na alma EDIÇÃO 56 MARÇO 2009 Pedro Mariano FILHO DE PEIXE... Tratamentos estéticos à base de chocolate KIA OPIRUS, um sedã luxuoso

Dolce Morumbi 56

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Filho de peixe...

Text of Dolce Morumbi 56

  • edi

    o 5

    1 o

    utub

    ro

    2008

    ano 9 edio 56 maro 2009

    Pedro Mariano, Jair Oliveira e Leo Von tm a msica no sangue, e na alma

    edi

    o 56

    mar

    o 2

    009

    Pedromariano

    FiLhO de Peixe...

    Tratamentos estticos base de chocolate KiA OPiRUS, um sed luxuoso

  • editorial

  • 3MoruMbimaro 2009

    Carta ao leitor

    Conhece-te a ti mesmo

    Com o forte calor dos ltimos tempos, caminhar pelas ladeiras do Morumbi um exerccio mais vivel nas primeiras horas da manh. nesses momentos que o bairro mostra algumas de suas mais gritantes realidades. A primeira delas a

    exuberncia do verde nos tomando no apenas o olhar, mas tambm nos envolvendo

    com o frescor que empresta brisa e com o canto dos passarinhos nas copas de suas

    rvores. As flores ainda guardam uma variedade colorida e perfumada, distraindo e

    alegrando o passo do caminhante. bem nesse ponto que outra realidade do bairro

    grita por ateno. O passo distrado pelas flores corre grande risco de ser dado em falso

    por conta da incrvel irregularidade das caladas do bairro, muitas delas abandonadas

    em frente aos terrenos ainda desocupados. Por abandonadas entenda-se totalmente

    quebradas, invadidas pelo mato, com infiltraes, concreto de obra etc. Isso sem falar

    nas caladas inexistentes e na onipresena de dejetos animais. No consigo deixar de

    rir quando Luciana, grande companheira das caminhadas, dispara: Aqui no Morumbi

    a gente tem que fazer como se faz na ndia, chegando em casa tem que tirar o tnis

    na porta porque seno contamina a casa inteira!. Um verdadeiro caminho das ndias

    bem aqui do nosso lado... Nossa caminhada diria no revela animais abandonados,

    ento me parece que se trata mesmo de falta de conscincia dos donos. Falta

    conscincia tambm a muitos motoristas, que na pressa de chegarem logo ao trnsito

    de sada do bairro (outra realidade gritante) fazem das ruazinhas sinuosas um circuito

    de corrida, quase ignorando que os pedestres tm que andar pela beira do asfalto,

    porque calada que bom...

    Em meio a essa verdadeira exposio da vida, no Morumbi, como ela , saltam aos

    olhos tambm os bons exemplos, como a praa urbanizada pela construtora Edilar,

    um osis com jardinagem em dia e caladas planas, feita por uma empresa que

    daqui mesmo, do Morumbi. Me fez lembrar o famoso lema do pensamento socrtico,

    conhece-te a ti mesmo, para a partir da tomar conscincia do que necessrio

    desenvolver. Se cada um de ns adotar alguma prtica de cuidado com o bairro ou

    no mnimo levar um saquinho de papel nas caminhadas com o cachorro! certamente

    estaremos contribuindo com uma realidade menos gritante e mais encantadora.

    Em tempo: de nossa parte, estaremos informando aos rgos competentes tudo o

    que nossas andanas por a revelarem...

    Uma tima leitura!

    Denise [email protected]

    PUBLISHER Denise Gonalves [email protected]

    PRODUO E ARTEDIRETORA

    Vania Ferreira [email protected]

    REDAOFrancilene Oliveira / Mtb 47.074 [email protected]

    Roseli Gonalves [email protected]

    JORNALISTA RESPONSVEL Jorge Fernando Jordo / Mtb 25.370

    DEPARTAMENTO ADMINISTRATIVO E COMERCIALDIRETORA

    Elisabeth Resende [email protected] COMERCIAL

    Alice Cristina Gonalves [email protected] ASSISTENTE ADMINISTRATIVO

    Mrcia Maria Gonalves [email protected] JURDICA

    Joo de Paulo Neto [email protected]

    REPRESENTANTES COMERCIAIS Ana Paula Freitas, Cilmara Ferreira, Ftima Lopes,

    Mirella Vedrano e Sergio Falsetta

    COLABORARAM NESTA EDIO: Claudia Castellan, Floriano Serra, JAF (fotos), Lvio Giosa, Marcelo Negro, Paulo roberto Amaral, renato

    Corra, rosa richter, roseli Gonalves (reviso) e Thais Narkevitz

    IMPRESSO CLY

    DISTRIBUIO Gratuita via courier para mailing VIP

    TRFEGO ronaldo Ferreira

    Revista DOLCE MORUMBI uma publicao da Supernova Editora Ltda. A editora no se responsabiliza pelas opinies emitidas nos artigos

    assinados. Ningum pode retirar produtos nem quaisquer outros materiais em nome desta publicao sem autorizao expressa,

    por escrito, em papel timbrado, da diretoria da Supernova.

    CARTAS PARA A REDAO Av. Dr. Guilherme Dumont Villares, 2309 b

    CEP 05640-004 So Paulo [email protected]

    Tel.: (11) 3464-6600 Fax: (11) 3464-6612

    DOLCE apoia:

    www.reciclamorumbi.com.br www.escoladopovo.org

    Tiragem 15 mil exemplares

    DIRETORIA Denise Gonalves, Elisabeth resende e Vania Ferreira

    A N o 9 E D i o 5 6 M A R O 2 0 0 9

  • 14 20

    Colunas 14 moda por Claudia Castellan Com que roupa eu vou?

    20 TEST dRIVE por Renato Corra Kia Opirus: Sofisticao em quatro rodas

    22 ESpoRTE por Marcelo Negro Anabolizantes: o risco para sua sade

    30 CIdadanIa por Rosa Richter Todas as mulheres do mundo

    32 CoRpoRaTIVo por Lvio Giosa Qual ser o futuro do profissional de Marketing?

    34 pEnSaTa por Paulo Amaral Quem tem a chave da porta?

    50 fInal fElIz por Floriano Serra

    Se navegar preciso... Namorar tambm

    06 n Capa A msica est no sangue e... na alma

    12 n ESpECIaIS Especial Confraria Um ano de encontros s para elas

    40 Chocolate Nesta Pscoa, abuse do chocolate, mas s nos cosmticos

    Sees 16 aChadoS Pscoa: o que trazes pra mim?

    18 BEm-CaSado Bacalhoada Gomes de S & Vinho

    24 Em foCo

    e d i O 5 6 M A r O 2 0 0 9

    12

    16

  • sumrio

  • 6 MoruMbi maro 2009

    CAPA por Francilene Oliveira

    Pura emoo

    Ao primeiro contato, Pedro Mariano, filho de Elis Regina, mantm uma polida dis-tncia do interlocutor. Em sua vida, as-sim como na carreira, s entra quem ele gosta e se identifica com sua personalidade. Seno, deleta sem pudor.

    Prtico e objetivo, ele tem as rdeas da vida nas mos e, invariavelmente, toma decises radi-cais, movidas por autoanlise ou por insatisfao. Foi assim em 2004, quando saiu de uma grava-dora multinacional para trabalhar na Trama, gra-vadora alternativa pertencente ao seu irmo pro-dutor Joo Marcello Bscoli.

    Com as mudanas, alm de cantar, Pedro passou a ser tambm produtor e arranjador mu-sical dos shows, ter uma banda fixa e uma equipe coesa. Com ele no tem frufru, adepto do lema de Nelson Rodrigues A vida como ela .

    O que Pedro Mariano mais gosta de fazer cantar, nasceu em um ambiente musical in-fluenciado pela me e pelo pai pianista, Cesar Camargo Mariano, que trabalhou com Elis Regi-na por 11 anos. Com a separao do casal, Pedro foi morar com o pai, por isso sente-se musical-mente mais prximo a ele.

    Sem supersties, o nico ritual que o cantor faz antes de encarar o pblico reunir a equipe em seu camarim e olhar no olho de cada um isso faz parte da energizao, para que todos fi-quem relaxados e no mesmo clima bom.

    Pedro Mariano busca dar novos sentidos aos momentos vividos. Est fazendo isso com o ano de 2004, poca em que no pde lanar o disco j

    pronto devido sua sada da multinacional. Nes-se ano no pensou em nenhuma nota musical, foram apenas conversas interminveis com ad-vogados e burocracias. Somente agora ele rece-beu autorizao para lanar o lbum em meados de 2009. O disco ser intitulado Incondicional. O que foi um momento ruim, foi ressignificado, agora bom, principalmente porque o disco ser lanado com selo prprio, mais um desafio.

    Quando no tem shows, Pedro leva uma vida tranquila. Acorda cedo, porque no consegue dormir com claridade e nem com barulho. Ento, assim que o sol nasce e os passarinhos cantam, est de p. Ele d comida para os seis cachorros, leva a filha Rafaela, de dois anos, para a escola e, na volta, passa na padaria onde compra pes quentinhos para saborear no caf com a esposa, Patrcia Fano.

    Alm da msica, Pedro tem outras paixes: seu blog (www.pedromariano.zip.net), bateria, t-nis, So Paulo Futebol Clube e futebol. Esta ltima rendeu-lhe um dissabor em um jogo com amigos no Estdio do Morumbi. Depois de 40 segundos em campo, sofreu uma leso no joelho. Hoje est recuperado, mas, apesar da enorme vontade de jogar novamente, tem receio.

    O que o acalma e emociona nestes ltimos meses so msicas de jazz tradicional, Frank Si-natra e Ray Charles que escuta todos os dias em seu iPod, apesar de no terem nada a ver com seu trabalho de arranjos mais pop. Pedro, ao contr-rio da me, no se prope a ser um inovador ou revolucionrio. Mas, como ela, se prope a ser o melhor no que faz.

    eles so filhos de cantores que marcaram uma gerao. Seguiram a mesma carreira dos pais, mas criaram uma identidade prpria. Conhea a histria de Pedro mariano, Jair oliveira e Leo Von

    a mSiCa est no sangue e... na aLma

  • 7MoruMbimaro 2009

    Em 15 anos de carreira, Pedro j lanou seis lbuns, dois deles indicados ao Grammy Latino: Voz no ouvido, de 2000, e Piano e Voz, de 2004

    foto

    diV

    uLGa

    o

  • 8 MoruMbi maro 2009

    Um cclico compositorUm grande amigo de Pedro Mariano, perten-

    cente mesma gerao, Jair Oliveira, o Jairzinho, filho de Jair Rodrigues.

    Uma certa noite, Jair Oliveira observava a espo-sa Tania Khalill dormindo envolvida em lenis bran-cos. Na poca ainda eram namorados; ele pegou papel e caneta e comps a msica Bom dia, anjo.

    Alm do universo feminino, Jair se inspira em sua paixo por So Paulo e no cotidiano. Ele no tem um mtodo para compor, algo que de repente explode e flui em forma de msica, apre-ciada em todo o mundo.

    Em alguns momentos, Jair chega a repensar o seu caminho. s vezes fica at angustiado com a prpria arte e pe em dvida suas atitudes como artista, compositor, produtor, principalmente por ter escolhido participar de um mercado indepen-dente. Mas no fim se d conta de que a vida cclica e cheia de aprendizado.

    Jair conheceu o mundo artstico muito cedo, aos seis anos cantou ao lado do pai num disco, em1981. E aos sete anos comeou a participar do grupo infantil de maior sucesso no Brasil, A Turma

    CAPA

    do Balo Mgico, onde adquiriu experincia nos palcos e na TV. Convencido de que seu mundo era a msica, aos 17 anos foi para a Faculdade Ber klee of Music em Boston, nos Estados Unidos, onde conheceu grandes msicos e formou-se no curso duplo de Produo Musical e Music Business.

    De volta ao Brasil, o cantor lanou seu primeiro CD, Disritmia, e montou uma produtora de som em Pinheiros em sociedade com alguns amigos.

    O fato mais inusitado na carreira de Jair foi em um show beneficente Natal Sem Fome, no Pacaembu, onde cantou para umas 100 pes-soas, pois devido ao frio da manh, atpico para a poca, muitos fs resolveram ficar em casa.

    Jairzinho, assim como Pedro Mariano, co-nhece bem o Morumbi, pois j morou na regio, divide o tempo de forma saudvel entre o traba-lho e a famlia, principalmente depois que Isabela nasceu. Devido aos shows, costuma dormir tarde, mas acorda cedo para ficar um pouco com a filha e com a mulher, quando ela no est gravando a novela Caminho das ndias. No fim de tarde costuma ir ao estdio e quando no tem shows, compe at de madrugada.

    os momentos de questionamento so tambm de criao para Jair oliveira

    foto

    : ike L

    evy

  • 10 MoruMbi maro 2009

    CAPA

    O nascimento de Isabela despertou um novo projeto em Jair chamado Grandes Pequeninos, um CD com 12 msicas inditas e um livro, que ser lanado pela Ediouro, que falam sobre o uni-verso dos bebs e sua relao com os pais.

    Na noite em que Jair comps Bom dia, anjo para a esposa, uma caracterstica do cantor ficou evidente: homenagear quem mais ama da ma-neira que faz melhor, com a msica.

    DeixanDo o cabelo crescerQuem tambm faz da msica o melhor

    Leo Von, de 21 anos. Em suas feies, apenas o corte do cabelo mdio lembra o aspecto de um roqueiro tradicional. As outras caractersticas ele compe: blusas pretas, anis grossos nos dedos e a performance transcendental enquanto inter-preta as msicas no palco. Leo Von, filho de Ron-nie Von e Cristina Rangel, trabalha o lanamento de seu disco com msicas inditas, produzido em parceria com Thiago Bianchi, vocalista da banda Shaman.

    Entre as msicas inditas, Leo tem uma preferida: Knucklehead Ted, que homenageia os ciclistas do mundo inteiro

    No incio, o pai msico no concordou com a ideia da carreira musical do filho, por ser um mercado difcil em que se tem que dar a cara para bater. Tentou dissuadi-lo, mas o empenho de Leo nas gravaes o convenceu de que no adiantaria ir contra.

    Mas o garoto est indo com calma des-de que criou um calo nas cordas vocais, em 2007, quando tinha uma banda de rock co-ver e cantava quase 40 msicas por show. Ele teve que visitar a fonoaudiloga regularmen-te e tomar remdios. A partir da tem repen-sado sua carreira e ido com calma: primeiro o disco, depois a divulgao e apresentaes de shows. Tudo ao seu tempo para no se machucar de novo.

    Leo Von trabalha com publicidade, se forma no final deste perodo, mas pretende viver apenas de msica. Enquanto isso no acontece, vai divulgando seu trabalho em apresentaes especiais em bandas de ami-gos e pela internet atravs de seu site (leo-von.com.br) e do My Space.

    Leo canta rock, mas gosta de qualquer estilo de msica boa: erudito, samba, chorinho, coun-try, blues, e rock, em especial as msicas de Paul McCartney, o dolo no qual se inspira. Leo s no gosta de msica eletrnica, isso no.

    Todas as msicas de seu disco foram com-postas por ele, exceto Judas, regravao de uma msica de Raul Seixas. As letras revelam crtica social e falam sobre humanidade, msica e moto-cicleta, paixo do cantor que ostenta um anel da Harley-Davidson na mo direita.

    O maior sonho do garoto sempre foi ter uma motocicleta Harley-Davidson. Ainda criana, ia aos encontros do Ibira Moto Point, onde fez mui-tas amizades. Tambm fez shows com a Absolut Rock e sua banda cover chegou a ser oficial da Fe-derao dos Motoclubes do Estado de So Paulo.

    Alm de msica, Leo gosta de filmes dos anos 70, de histria em quadrinhos, coleciona bonequinhos e l sobre aquilo que o interessa, no por obrigao. Ele cresceu ouvindo e tocan-do rock e aos dez anos participou de uma banda cover dos Beatles, A turma do I-i-i.

    Leo, assim como Pedro Mariano e Jair Oliveira, canta no somente porque a msica est no san-gue, mas, principalmente, porque est na alma. g

    foTo

    : jaf

  • 12 MoruMbi maro 2009

    especial 1 ano de confraria

    Os dias de reunio da Confraria de Mulheres do Morumbi comeam cedo, pois preci-so deixar tudo pronto a tempo: palestras, buffet, brindes, mesas e o ambiente para que fique o mais confortvel possvel. Aos poucos, as empre-srias e moradoras do bairro chegam e j se sen-tem em casa, num convite a conversas agradveis e descontrao. Afinal, aquele seu momento.

    A ideia de fazer uma confraria s para elas foi posta em prtica no dia 28 de fevereiro de 2008, no Clube Chalezinho, com a proposta de relacio-namento e de reunir pessoas que amam tanto este bairro. De l para c, mais de 200 mulheres se tornaram adeptas e frequentam, regularmen-te ou no, as reunies. O fato que j so muitas histrias a serem contadas, de coincidncias, re-encontros e negcios onde as protagonistas so comadres de carteirinha.

    OpOrtunidadesMuitas oportunidades de negcios surgiram

    e uma parceria forte apareceu quando Lia Cimini convidou Juliana Souza para organizarem juntas um evento em homenagem ao Dia da Mulher, afim de fortalecer relacionamentos no bairro. Se uniram depois a elas como parceiras no evento Lucilene Braz Lumaturo, Adriana Lara, Ftima Froes, Ceclia Martins e Denise Laurenti. A turma est mui-to animada e j planeja outras maneiras de forta-lecer os laos. Dos encontros, tm surgido muitos frutos e uma conexo de amizade, parceria efetiva, aprendizado, que tem resultado em sucesso.

    Outro caso, o de Adriana Lara, do Breeze Studio, que conheceu Ftima Froes nos encon-tros. As duas se deram to bem que Ftima mon-tou uma butique dentro do salo e chamada de mamis por Adriana. Luciana Karaptsias, da Esteti-cka, tambm montou uma equipe de esttica no salo, onde fica alguns momentos de seu dia.

    elas merecemA Confraria se tornou para as participantes

    o seu momento, assim como os homens tm o futebol de domingo. Foi assim com as amigas Alessandra Cristina Santos, Milena Damsio Rodri-gues, Mayra Milan Nunes, Daniela Andrade e Sueli Nunes, que moram prximas h cerca de cinco anos e depois dos encontros saem juntas para jantar, jogar, conversar, enfim, se divertir juntas.

    nOvas amizadesDurante uma das palestras da Confraria, Teresa

    Novaes ouviu Ndia Venina expondo suas ideias e percebeu que tinham muitas coisas em comum. Elas tm estilos de vida parecidos, so alegres e brincalhonas, alm de adorarem danar e ir praia. Em fevereiro deste ano foram passar alguns dias de vero em Salvador. A praia era programa obrigat-rio. noite, a cidade fervia porque o carnaval estava se aproximando, e durante o dia visitaram lugares histricos, como o Pelourinho, comeram o acaraj mais famoso da Bahia na praia de Itapu, e o sor-vete de frutas regionais na Ribeira. Tambm assis-tiram ao pr-do-sol no Farol da Barra e danaram ax com a banda Asa de guia. As duas retornaram da viagem com uma certeza: a amizade ficou mais slida nestes dias de convivncia.

    Um ano de encOntrOss para elas

    1 Lia Cimini e Juliana Souza ( frente). Ftima Froes, Adriana Lara, Ceclia Martins e Lucilene Braz Lumaturo (atrs): homenagem ao Dia da Mulher

    2 Alessandra Cristina Santos, Milena Damsio Rodrigues, Mayra Milan Nunes, Daniela Andrade e Sueli Nunes: amizade fortalecida

    3 Teresa Novaes e Ndia Venina: vero em Salvador

    4 Carina Chaves e Jonil Muchon: caminhos cruzados

    5 Adriana Lara (ao centro)Ftima Froes(esq.) e Luciana Karaptsias (dir.) : parceria de sucesso

  • 13MoruMbimaro 2009

    ReencontRoCarina Chaves, da empresa Jantar a 2, e Jo-

    nil Muchon, da Campo Limpo Turismo, so de Sorocaba e no se viam h 14 anos. As duas se conheceram h 25 anos atravs das festas do Bu-ffet Balaio, uma casa tradicional que existe h 35 anos, de propriedade dos pais de Carina. O Balaio faz as melhores festas sociais da cidade. Na poca, Carina cuidava do relacionamento com os clien-tes, e Jonil, ou J, era considerada uma cliente VIP, sempre cheia de energia e bom humor. Ca-rina tornou-se tambm amiga das filhas de J, que frequentavam os mesmos lugares que ela e chegaram a viajar juntas para a Disney quando Jonil trabalhava como guia de turismo. As duas se mudaram para So Paulo praticamente na mes-ma poca, mas nunca mais se encontraram at que, quando menos esperavam, seus caminhos se cruzaram novamente na Confraria...

    Com assuntos variados, as palestras realizadas durante o primeiro ano de confraria agradaram a todos os gostos. Confira no quadro ao lado a rela-o de temas e palestrantes.

    Confraria isso: estar reunido com quem se gosta, partilhar interesses em comum e ter muitas histrias para contar. g

    Confraria: Segundo o dicionrio Houaiss, confraria a associao de pessoas que levam o mesmo modo de vida, unidas por algo em comum.

    2

    por Francilene Oliveira

  • 14 MoruMbi maro 2009

    Moda

    Com que roupa eu vou?

    Claudia Castellan consultora de imagem, consultora de private label, especialista em marketing de moda, professora universitria e do Senac, palestrante e autora de cursos na rea de moda. Site claudiacastellan.com.brE-mail [email protected]

    Sabemos que, muito provavelmente, este ser um ano mais difcil, de cinto apertado, e por isso aproveitar bem as promoes agora fa-ro diferena na hora que voc precisar buscar ra-pidamente um look fashion, porm que te permita outras combinaes posteriormente. Busque cores bsicas e peas em que ter uma a mais sempre um timo investimento. preciso ter, na verdade, muito cuidado com a seleo do vesturio, aprenda a educar seu olhar para tirar proveito dos detalhes, e compre coordenado com o que voc j tem.

    Mas esta no outra matria sobre promoes.Como aqui o nosso cinto continua sendo fashion e dicas no entram em crise, lembrei de muitas ami-gas e clientes que sempre me perguntam o que usar em determinadas situaes emergenciais, em que precisam estar bem-arrumadas e no tm tem-po de correr as lojas em busca de uma pea nova.

    Se voc como muitas, que ficam desespera-das para encontrar o outfit perfeito, no se preocupe mais, dependendo do evento d uma olhada em seu guarda-roupa em busca da melhor combinao.

    Criei um look para cada ocasio: almoo ou jantar da empresa, jantar da empresa em casa (se receber scios de seu marido, por exemplo) e par-ty com amigas.

    Siga aS dicaS: Almoo corporativo: provavelmente voc

    ir trabalhar antes e isto reduz suas possibilida-des estilsticas.

    Prefira cala de alfaiataria, camisa branca de esti-lo romntico (detalhes como peitilho pregueado ou no pulso) ou lisa, sapatos de salto ou botas, se for in-verno, blazer e um maxicolar, e se voc vintage, me-lhor! O detalhe? Sofistique seu look com um cama-feu na lapela do blazer, no lugar do colar. Tradicional? Sim, as peas de qualidade e atuais no corte e tecido, alm do colar moderno, atualizam o visual.

    Jantar corporativo: aqui voc tem mais opes. Procure ser discreta (no sem-graa!) e elegante, um vestido preto ou o escuro que voc puder usar prximo ao corpo, no justo, co-lares longos de voltas de prolas, no se esquea

    Para almoos corporativos:Camisa branca

    sapatos de salto ecamafeu

    Jantar corporativo:clutch dourado

    Baggy pants de seda ou veludo preto

    Para as clssicas: pashmina!

    shop

    ahol

    icsite.co

    M

    news.M

    ango

    .coM

    shop

    ahol

    icsite.co

    M

    shop

    ahol

    icsite.co

    M

    shop

    ahol

    icsite.co

    M

    Com as amigas: melhor

    ocasio para desfilar seus

    vestidos mais inovadores

    por Claudia Castellan

    rich

    Man

    cash

    Mer

    e.coM

    www.apiny

    a.co.uk

  • 15MoruMbimaro 2009

    que devem ser no plural, clutch dourado, sapa-tos mais pesados (mais modernos), mas prprios para noite em uma cor original (use um mais baixo durante o dia e troque depois), lembre que bolsa e sapatos devem ser de cores diferentes mas complementares, meias esto de volta, saiba combinar e estar perfeita.

    Se o jantar for muito importante e pedir algo mais, experimente: Baggy pants de seda ou veludo preto, camiseta branca pode ser jrsei ou viscolycra de qualidade , jaquetinha preta de lantejouras (tendncia inverno, mas se voc tem sobrepeso fuja de qualquer tipo de brilho) e echarpe longa preta. Para um toque mais elegante: brincos no demasiadamente carregados, clutch prata e sapatos oxford em verniz preto.

    Mas, para as mais clssicas que no querem arriscar, cocktail dress, sapatos de salto, pashmina (sim, ainda se usa) e cabelo liso simples. Uma boni-ta gargantilha far o resto. Nunca selecione peas curtas ou decotadas para esta ocasio. Nunca es-colha vestidos em cores muito chamativas, como vermelho, amarelo ou verde cido. Tambm no so adequados os tons pastis, como azul-celeste, rosa-plido, lils ou areia.

    Party com amigas: Esta a melhor ocasio para desfilar seus vestidos mais inovadores. Use com meias mais opacas.

    Experimente variar nas cores do vestido, ouse nas meias com cor, j falado na matria que tra-tamos delas. Por exemplo, se quiser arriscar, faa com meias vinho ou azul-escuras se o vestido for preto, rosa-fcsia se o vestido for grafite ou laranja, se for preto e voc mais jovem.

    Seja tambm original e atreva-se com o pen-teado se a roupa for mais simples, use as origi-nais e to na moda diademas, esta melhor oca-sio. Deixe no carro umas sapatilhas, sero, com certeza, salva-vidas depois de horas de baile...

    O importante nunca escolher para estas ocasies vestidos de algodo ou calas demasia-damente informais com camisetas, , de todos os looks, o mais inadequado.

    Espero que este ano seja de escolhas sensatas, equilbrio nas decises e, acima de tudo, coerncia no resultado final, na moda e na vida!!! g

    * entrega garantida para os ceps da rea de abrangncia, ver mapa no site.

  • 16 MoruMbi MARO 2009

    achados

    O que trazes pra mim?J vo longe os tempos em que apenas os to queridos

    ovos de chocolate, cheios de bombons e outras surpresas, simbolizavam a Pscoa. Com sofisticao, chegamos s

    cestas, bolos, docinhos decorados... e tambm chocolates! Guloseimas em embalagens que so verdadeiros

    presentes enchem os olhos e despertam o paladar.

    Lata de biscoitoGlaceado, com 250 g R$ 28.Mystre du chOcOlatR. Regente Leon Kaniefsky, 512 Tel.: 3721-5394

    colomba PascalCom frutas, nozes, castanha de caju, chocolate.R$ 10,90.POrtal dO PadeirOR. Prof. Jos Horcio M. Teixeira, 546 Tel.: 3744-6114

    docinhos decorados Brigadeiro, cajuzinho e beijinho R$ 3 a unidade.sucr et salR. Regente Leon Kaniefsky, 183 Tel.: 3507-4973

    Bolos personalizados Vrios sabores. R$ 140 o quilo.sucr et salR. Regente Leon Kaniefsky, 183Tel.: 3507-4973

    charuto de chocolate Ao leite. Caixa com trs unidades. R$ 4.

    dOceria caraMeladaAv. Dr. Guilherme Dumont Villares,

    1210 Shopping Open CenterTel.: 2592-3824

    cesta PremiumCom sete itens, entre eles Ovo Lngua de Gato, de 500 g, Ovo Duas Caras, de 500 g, e Caixa Bossa Nova, de 320 g. R$ 487.

    kOPenhagenJardiM sul i

    Tel.: 3773-6900JardiM sul ii

    Tel.: 3772-2956POrtal dO MOruMbi

    Tel.: 3501-0846

    caixinha de BombonsPeso 80 g e16 cm de altura total. R$ 14.chOcOlates arianeR. Jos Jannarelli, 171 Tel.: 3721-3059

    Minibolo coelho Feito com massa de brownie com nozes e gotas de chocolate decorado com pasta americana. R$ 16 cada. Patty chedde Tel.: 2539-4600 pattychede.com.br

  • 17MoruMbiMARO 2009

    Caixa de madeira Com bombons na gavetinha. Peso100 g, 28 cm altura. R$ 32,50. CHOCOLATES ARIANE Rua Jos Janarelli, 171 Tel.: 3721-3059

    Caverna de ChocolateMassa de po doce com gotas de chocolate, coberto com chocolate ao leite e chocolate meio-amargo, com minitrufas, cerejas, raspas de chocolate e fios de ovos. Peso: 1 kg. R$ 40.SABOR DAS MASSASR. Dep. Joo Sussumo Hirata, 495 Panamby Tel.: 3501-2931R. Prof. Jos Horcio M. Teixeira, 893 Portal Tel.: 3739-0056

    Coelhos de pelciaCoelho Zinho e coelha Zinha, 30 cm altura. R$ 36,99 cada.LupI LupIAv. Dr. Guilherme Dumont Villares, 1269 Shopping PortalTel.: 3743-5210

    Coelho e Ovo ao Leite 220 g, 29 cm de altura.R$ 45.CHOCOLATES ARIANERua Jos Jannarelli, 171Tel.: 3721-3059

    Ursinho Pooh A Pscoa de GuruDVD Disney (Sonopress).Siga pelo Bosque dos Cem Acres em mais uma emocionante histria com Pooh e sua turma. R$ 21,90. LIvRARIA SARAIvAAv. Giovanni Gronchi, 5819 Shopping Jardim SulTel.: 3744-4636

    Minibolo Coelho Feito com massa de brownie com nozes e gotas de chocolate decorado com pasta americana. R$ 16 cada. pATTy CHEDDE Tel.: 2539-4600 pattychede.com.br

    Veja mais produtos de Pscoa em www.dolcemorumbi.com/revista/exclusivo

    Consulte os estabelecimentos para verificar a disponibilidade dos produtos. Preos vlidos enquanto durarem os estoques e sujeitos a alterao sem prvio aviso.

  • maro 2009

    bem-casado

    Bacalhoada Gomes de S & Vinho

    Servio Lorena Selvaggio GastronomiaRua Osris Magalhes de Almeida, 417Tel.: 3744-9767 e 2157-9767lorenaselvaggio.com.br

    vinhoCasa dos Arcos emprio do vinhoVinho Monte Velho Branco 2006R$ 42Rua Dep. Joo Sussumo Hirata, 30Tel.: 3746-7303

    18 MORuMBi

  • 20 MoruMbi maro 2009

    TEST DRIVEpor Renato Corra

    KIA OPIRUS Sofisticao sobre quatro rodas

    A Kia a maior empresa que atua no mercado automotivo brasileiro sem fbrica no pas, supe-rando em nmeros de vendas algumas com-panhias com planta no Brasil. A montadora coreana, pela primeira vez, coloca no mercado internacional um sed de luxo topo de linha. Classificado no segmento Premium de automveis grandes e de luxo, o Opirus, fabricado em Hwasung, Coreia, amplia a gama de ve-culos da Kia Motors.O nome deriva de Ophir, cidade bblica imortalizada no poema Cargoes de John Masefield. Ophir foi um renomado centro de comrcio de artigos de grande valor como ouro, sndalo e animais exticos. Dentre os vrios prmios, o Kia Opirus recebeu a nota mxima do Instituto de Seguros para Proteo nas Estradas dos Estados Unidos (IIHS) em um teste de impacto lateral para carros grandes de luxo. O modelo um exemplo de como a Kia pode desenvolver veculos com estilo, alta qualidade, conforto e segurana colocando-os venda por preos interessantes.

    MOtORIzAO e CMbIO O motor Sigma, de 3,8 li-tros V6, gasolina, garante potncia e desempenho. So

    fotos divulgAo

    Renato Corra jornalista, diretor do Jornal off road, piloto das categorias Turismo, Kart, rally Cross Country,

    Enduro e rally com motos. morador do morumbi.E-mail: [email protected]

    PUblICIdAde

  • 21MoruMbimaro 2009 4

    267cv que a 6 mil rpm conferem grande performance ao sed. O cmbio de cinco velocidades proporciona ao motorista a es-colha entre trocas automticas ou de modo esportivo com troca de marcha manual. O conjunto motor e cmbio movimenta com eficincia este sed de duas toneladas.

    A CarroCeria monobloco foi construda com conceito de zonas de deformao pro-gramadas, quer dizer, a absoro de impacto nas reas atingidas preserva a integridade fsi-ca e a segurana do motorista e passageiros.Barras de proteo nas portas ampliam a pre-servao do habitculo em caso de coliso lateral. Foram adotados diversos mecanismos inovadores de proteo para reforar a estru-tura e minimizar impacto e tores e atende s mais rgidas normas de segurana da legis-lao onde o veculo comercializado.

    Conforto Comea pela Conduo O raio de giro do Opirus de quase seis metros, o que facilita a execuo de mano-bras. A direo com assistncia hidrulica progressiva controlada eletronicamente. Do lado de dentro possvel sentir o con-forto proporcionado pelo novo sistema de suspenso um conjunto mais robusto assimila melhor as irregularidades com me-nos vibrao e menos rudo. O ferro fundi-do utilizado no passado foi substitudo por alumnio na forja de peas e componentes, tornando o conjunto muito mais leve.A suspenso outro ponto alto: braos double wishbone, molas helicoidais, barra estabilizadora e amortecedores a gs garan-tem eficincia no conjunto dianteiro; na tra-seira o sistema multilink trabalha com molas helicoidais e barra estabilizadora, alm dos amortecedores a gs.

    freios Discos ventilados na frente e slidos nas rodas traseiras proporcionam eficincia e estabilidade na hora de frear. O sistema de freios do Opirus conta com ABS, EBD e TCS como itens de srie. Para maior controle em situao de manobra de emergncia ainda se pode contar com um sistema ESP. A com-

    binao dos quatro sistemas faz desse sed um dos veculos mais completos da monta-dora coreana, em termos de tecnologia em segurana ativa.

    segurana Reconhecida por desenvolver alguns dos veculos mais seguros do mun-do, a Kia equipou o Opirus com a terceira gerao do ESP (Eletronic Stability Program) desenvolvido na Alemanha. Esse programa trabalha monitorando e comparando os da-dos do comportamento do motorista um conjunto de sensores mede a rotao, a ace-lerao, a velocidade, a presso do freio. Como itens de srie, traz completo sistema de segurana com oito airbags duplos para motorista e passageiro, alm dos late-rais e de cortina. Os apoios de cabea incor-poram tecnologia que, em caso de coliso, movimentam-se para cima e para a frente impedindo que a cabea do ocupante v para trs com violncia.Os cintos de segurana so ajustveis na altura e os controles so posicionados er-gonomicamente para garantir facilidade de acesso. O Opirus est equipado com sen-sores de aproximao dianteiro e traseiro. Tudo para garantir a mxima segurana e o mais alto ndice de conforto.

    luxo e espao no interior O espao interno amplo e claro. Cinco adultos via-jam confortavelmente. O assento do banco do motorista tem oito ajustes por comando eltrico. No meio do banco traseiro h um console multiuso com tomada 12v e coman-dos para regulagem eltrica dos bancos. O ar-condicionado do tipo dual zone. O teto solar funciona com comando eltrico. O console central largo. O freio de estaciona-mento acionado com o p, deixando mais espao na coluna central. O sistema de udio oferece som de alta qualidade 270 watts de potncia, oito alto-falantes alm de entra-das adicionais para USB e iPod. Computador de bordo, luzes internas, porta-objetos, e so-briedade no prata e no preto.Surpreenda-se com o Kia Opirus. Visite um revendedor autorizado. g

  • MARO 2009

    esportepor Marcelo Negro

    AnAbolizAntes: o risco para a sua sade

    Marcelo Negro jogador

    de vlei de praia, campeo olmpico,

    Embaixador dos Esportespelo Banco do Brasil e morador do Morumbi.

    E-mail: [email protected]

    rojascomunicacao.com.br

    PublicidAde

    22 MoruMbi

  • 24 MoruMbi maro 2009

    em foco

    Mulheres na direoUma parceria entre Lia Cimini, da Service Mo-tors, e Juliana Souza, da nica Seguros (foto ao lado), resultou em uma homenagem ao Dia da Mulher numa noite descontrada em que as presentes tambm assistiram a uma palestra sobre mecnica para mulheres. Cada deta-lhe foi cuidadosamente pensado desde a m-sica ambiente, decorao e o buffet. O melhor de tudo que 100% do valor arrecadado com as inscries foi revertido para a ONG Vivendo com Arte.

  • 25MoruMbimaro 2009

    shopping portal

  • 26 MoruMbi maro 2009

    em foco

    Novidades no LO StudioSempre visando oferecer os melhores servios

    aos seus clientes, o LO Studio est trazendo a maquiagem a jato, que tem como vantagens sobre o mtodo tradicional: alta definio, o que significa uma maquiagem perfeita, mais uniforme, deixando a pele com aspecto aveludado; durabilida-de de 12 a 14 horas e prova dgua. O mtodo moderno e revolucionrio, e a especialis-ta do LO, Cleusa Oliveira, est disposio para tirar todas as dvidas que possam surgir.

    SERVIO LO STUDIO R. Jos Ramon Urtiza, 1220 Tel.: 3776-7280 - lostudio.com.br

    Beleza em destaqueFoi um sucesso o curso de automaquiagem que aconteceu no Breeze Studio no dia 6 de maro. O evento contou com a presena da diretora de vendas independente da Mary Kay empresa norte-americana de cosmticos , Priscila Morelli, e que tambm parceira do Studio.

    SERVIO BREEzE STUDIO R. Jos Ramon Urtiza, 308 - Tel.: 3739-0581

    Foto 1 Priscila Morelli, Foto 2 Adriana Lara, Priscila Morelli e Luciana raposo

  • 27MoruMbimaro 2009

    Boticrio: uma doce vidaPscoa , antes de mais nada, celebrar um momento doce da vida. E nestas horas nada melhor para marcar do que perfume. O Boti-crio sabe disso, por isso investe nos perfumes Egeo Dolce Masculino e Feminino R$ 69,90 , que fazem parte de uma linha gourmand inspirada em notas de baunilha, sorvete de framboesa e algodo-doce despertando sen-tidos e trazendo uma sensao de bem-estar.Egeo, em grego, quer dizer desejo e em latim impetuoso, revelando sua ligao com a emoo. O perfume foi lanado em 2007 como edio limitada, mas fez tanto sucesso e marcou tantos bons momentos que venceram os pedidos para que a fragrncia continuasse em linha fixa. E viva uma doce vida!

    SERVIO O BoticrioShopping Jardim Sul Tel.: 3742-0975 Carrefour Tel.: 3742-1127Extra Joo Dias Tel.: 5851-7908 Centro Empresarial Tel.: 3741-4526

    PUBLIEDITORIAL

  • 28 MoruMbi maro 2009

    em foco

    Chegou o Vectra Next EditionA concessionria Viamar apresentou no dia 18 de fevereiro o novo Vectra sed Next Edition. O carro possui novo design e tem boas melhorias: est mais poten-te, mais econmico, os faris esto maiores e possui 15 porta-objetos. Todas as mudanas foram solicitadas por clientes em pesquisa. A GM oferece as verses Expression em torno de R$ 54 mil, o Elegance, R$ 62 mil, e o Elite por R$ 70 mil.Viamar Av. Giovanni Gronchi, 4100Tel.: 3746-4100

    Mais um encontroO laser tem se tornado um timo aliado para a esttica. O Dr. Ygor Moura falou s participantes da confraria sobre o Fraxel, que aconteceu no dia 17 de fevereiro indicado para a remoo de cicatrizes e rejuvenescimento da pele, e depilao a laser que reduz os pelos significativamente. J a psicloga Mara Pusch, com bom humor, dissertou s mulheres sobre como manter o prazer nas diversas reas da vida, lembrando que o mais importante fazer o que se gosta.

  • 29MoruMbimaro 2009

    Publicidade

    Inspirao orientalA unidade Morumbi do CPV, em parceria com a Namast Yoga Morumbi, promoveu o almo-o temtico Sabores da ndia em comemora-o ao Dia Internacional da Mulher, no dia 9 de maro, em suas dependncias. O evento foi aberto aos pais, alunos, funcionrios da escola e comunidade em geral, e o cardpio esta-va recheado de delcias da culinria indiana, preparados com especiarias exticas, alm da presena de dois danarinos, que deram mais alegria festa. Na foto direita: Marta Benve-nutti, Eliane Moreira e Eliana Chumer.

    Novo espao no SPFCFoi inaugurado no dia 18 de fevereiro o Espa-o Unyco no Concept Hall do So Paulo Fute-bol Clube. Com capacidade para mil pessoas, oferece trs experincias diferentes aos seus frequentadores: camarotes, lounges e cadei-ras numeradas. O espao foi idealizado por Marcelo Neves (foto abaixo), filho do ex-golei-ro Gylmar dos Santos Neves e conta com uma gostosa parceria da Applebees.

    SolidariedadeA Locguel, maior rede de locao de equipamentos para construo do Bra-sil, j comeou a receber doaes para o projeto Oficina do brinquedo, que restaura objetos a serem distribudos na se-mana da criana. Em 2008, a filial Morumbi adotou a instituio Mais Vida, que atende 64 crianas, desde recm-nascidos at ado-lescentes abandonados pela famlia. Informaes sobre doaes podem ser obtidas pelo telefone 3772-5000.Em dezembro, a empresa tambm foi parceira na montagem da rvore de Natal da AMO Jardim Sul. locguel R. Prof. Gioia Martins, 84Tel.: 3772-5000

  • 30 MoruMbi maro 2009

    Caro Leitor,Falar sobre as mulheres algo muito especial!

    Lembro dos grandes exemplos de mulheres da minha famlia: minhas avs (Chiquinha e Hermi-da) sempre foram fortalezas, que, apesar de no estarem mais presentes fisicamente, esto entre ns com todo o exemplo de fora, perseverana, amor, fidelidade, respeito, discrio, personalidade, companheirismo etc. que passaram para vrias ge-raes, e todas ns da famlia , minha me (Rosa), tias (Joanna, Anglica, Vera, Fran, Bila), irms (Ellen e Graziella) etc. tivemos o grande privilgio de compartilhar!

    A fora da mulher no est nos msculos, no uma fora mecnica. algo sublime e inexplicvel.

    Dizem que a mulher o sexo frgil, mas que mentira absurda. Eu que fao parte da roti-na de uma delas, sei que a fora est com elas.

    (Mulher Sexo Frgil, de Narinha e Erasmo Carlos)

    Neste ms comemorativo ao Dia Internacional da Mulher, inevitvel tocar em assuntos inerentes condio feminina. Mas no vou me ater a dis-cursos inflamados em favor da igualdade de gne-ro ou lanar campanhas feministas de guerra ao mundo machista. verdade que o mundo ainda , sim, muito machista e eu defendo fortemente qualquer ao que vise ao fim do preconceito con-tra as mulheres. J passou da hora de exterminar qualquer pensamento e atitude que coloquem a mulher em condio inferior, submissa e incapaz.

    Acho que no preciso citar exemplos que ilus-trem o quo forte, batalhadora e competente a mulher pode ser.

    Tenho certeza de que qualquer uma que olhar para o lado ou para si mesma , encontrar uma mulher assim. E, mesmo que no seja to forte, nem a maior das batalhadoras, nem competente, qualquer mulher merecedora de respeito, digni-dade e ateno.

    No posso deixar de falar sobre a violncia domstica e familiar sofrida por muitas mulheres. assustador o nmero de mulheres que ainda se mantm caladas diante da violncia dentro de casa, independentemente da classe social. No po-demos fechar os olhos e achar que isso no existe mais, ou mesmo que normal.

    Dados da Secretaria Especial de Poltica para as Mulheres (SPM), com base na Pesquisa Perseu Abramo (2001), revelam que 43% das mulheres j foram vtimas de algum tipo de violncia doms-tica. Em outra pesquisa, do Ibope (2006), 51% dos entrevistados declararam conhecer ao menos uma mulher que j foi agredida pelo seu companheiro.

    Isso muito srio. inaceitvel. absurdo!E por isso, neste ms em que, teoricamente,

    devamos comemorar as conquistas femininas, me proponho a contribuir para a divulgao de aes que buscam mudar esse cenrio lastimvel, lamen-tvel, absurdo, e conto com a participao ativa de cada um dos leitores para divulgarem tambm es-ses dados e como denunciar tal barbrie.

    A SPM lanou a Central de Atendimento Mu-lher, pelo telefone 180, para receber, entre outras demandas, denncias de violncia. S em 2007 fo-

    Todas as mulheres do mundo

    PubLiCidade

    por Rosa Richter

  • maro 2009 31MoruMbi

    Todas as mulheres do mundo

    Rosa Richter pedagoga; presidente do Conseg Portal do morumbi; presidente da associao Cultural e de Cidadania do Panamby; presidente da amo Jardim Sul; vice-presidente do Instituto So Paulo contra a Violncia; conselheira e diretora de vrias entidades na rea de desenvolvimento [email protected]

    ram 200 mil atendimentos, sendo que 10% foram relatos ou denncias de violncia.

    Em conjunto com a sano da Lei Maria da Penha, em agosto de 2006, que estipula aes e penas mais rigorosas de combate violncia do-mstica e familiar contra a mulher, essa ao pode ser um passo importante para gerar resultados po-sitivos. Por isso, vamos divulgar este nmero.

    Mulheres, lembrem-se, a fora da famlia est

    nas nossas mos, o exemplo ns damos, ns cons-trumos, ns fazemos!

    Mulheres, continuem lutando, amando, sor-rindo...

    Quando carem lgrimas em seu semblante, lembre-se, tudo na vida passa...

    Parabns, mulher GUERREIRA,Parabns, mulher AMIGA, ESPOSA, NAMORADA, AMANTE,Parabns, mulher DETERMINADA, PERSEVERANTE, BATALHADORA,Parabns, mulher AMADA, ADORADA, ADMIRADA... Parabns, MULHER! PARABNS PELO NOSSO DIA! g

    cidadania

  • 32 MoruMbi maro 2009

    por Lvio Giosa

    Construir valor, ser uma das reas mais importan-tes e estratgicas da empresa e ser reconhecida fazem parte de um processo ativo que a ativi-dade de marketing vem conquistando no Brasil.

    Com profissionais cada vez mais qualificados, atravs de constante aprimoramento em cursos de ps-graduao e MBAs, estes tcnicos avanam seu conhecimento pelo mercado, irradiando estratgias cada vez mais bem-sucedidas impulsionadas pela ha-bilidade, criatividade e liderana.

    Diante deste cenrio, conversamos com trs es-pecialistas de renome nacional: os professores Marcos Cobra, Marcos Campomar e Ivan Pinto. Vejam suas afirmaes:

    No tem mais essa de que o consumidor o Rei. Se fizer tudo que o consumidor quer a empresa que-bra. A afirmao veemente um convite ao debate sobre o futuro do marketing e o papel dele no desen-

    volvimento da sociedade. O autor, o professor Marcos Campomar. O consumidor est no foco de um outro especialista no assunto. Para o professor Marcos Co-bra, ser preciso definir como estratgia dois pontos-chaves, o tempo livre e a emoo, na conquista do consumidor, que cada vez mais exigente e respon-svel pelo crescimento do setor de servios. Hoje, os servios representam 60% do PIB e os especialistas apostam que em breve j estaro respondendo por mais de 70%. uma tendncia que sinaliza as empre-sas para tomadas de decises que valorizem as mar-cas, como defende o professor Ivan Pinto. Acredito no fortalecimento da conscincia da marca como a determinante das decises estratgicas das empresas e, portanto, das estratgias de marketing. O resultado brasileiro acompanha uma tendncia mundial, muito embora nossa participao no mercado internacional seja muito pequena, 0,8%. O desafio das empresas o de melhorar a produtividade e criar estratgias para aumentar essa participao. As novas tecnologias am-pliam a comunicao com o consumidor, aumentan-do a proximidade e a interao, e podem ser aliadas na guerra pela conquista de novos mercados. Os mer-cados nacional e internacional tendem a crescer, por conta de necessidades no-atendidas , seja por busca de melhoria de qualidade de vida, seja na busca de melhor uso do tempo livre, defende o professor Mar-cos Cobra. o consumidor se conectando ao mundo das facilidades e querendo ser surpreendido, ou ainda, ser tocado pela emoo, como afirma Cobra, a equa-o ter bons servios, geis, fascinantes e maravilho-sos, pois o consumidor adora ser paparicado.

    No Brasil, a mudana de perfil do consumidor se acelerou com as transformaes polticas. A passivida-de do perodo em que as empresas estatais domina-vam o cenrio econmico nacional deu lugar a uma atuao mais forte e exigente do consumidor com o fortalecimento do setor privado. So mudanas que modernizam as relaes empresa/consumidor e que agora obrigam os profissionais a uma constante re-ciclagem. Mas ser que nossos profissionais esto se preparando adequadamente?

    O professor Marcos Campomar tem uma viso

    Qual ser o futuro do profissional de Marketing?

    publicidade

  • CORPORATIVO

    Qual ser o futuro do profissional de Marketing?

    LVIO GIOSA Presidente do CENAM Centro Nacional de Modernizao; vice-presidente da ADVB Associao dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil; coordenador geral do IRES Instituto ADVB de Responsabilidade Socioambiental; e scio-diretor da G,LM Assessoria Empresarial.

    crtica sobre o assunto: O marketing de servios, uma tendncia mundial, desconhecido aqui no Brasil. Eu tenho alunos que so gerentes de grandes corpora-es de servios e no tm ideia clara de como isso funciona. No sabem conceitos sobre o assunto. Ain-da estamos engatinhando neste segmento. Ningum fala em marketing de telecomunicao, de energia, de tecnologia e por qu? Porque ningum sabe fazer isso aqui no Brasil. Ns precisamos aprender a desenvol-ver a rea de servios. O setor de telecomunicaes est jogando dinheiro fora. Investem uma fortuna em propaganda e no fazem marketing. Alis, no Brasil, praticamente s se faz propaganda.

    Um outro aspecto que vem sendo destacado nas relaes de mercado aponta para os compromis-sos sociais das empresas como forma de alavancar

    resultados comerciais. A necessidade de vincular as marcas s aes sociais desenvolvidas pelas empre-sas se espalhou como uma Epidemia do Bem. Para o professor Ivan Pinto, o consumidor um cidado e a empresa que o quer como consumidor de suas marcas precisa convenc-lo de que uma boa cida-d. Marcos Cobra considera que a responsabilidade social pode influenciar nas decises do consumidor, valorizar as marcas e construir diferenciais que vo balizar o desenvolvimento das empresas. Criar uma boa vontade para a marca o grande desafio das empresas socialmente responsveis.

    Com tais observaes, cabe ao profissional de marketing perceber exatamente a funo estratgica da rea e, pela competncia, exercer o poder de trans-formar e garantir bons resultados s empresas. g

  • 34 MoruMbi

    pensata

    Leis, normas, regras, estatutos, procedimentos, re-gulamentaes, no importa o padro adotado, na prtica, quando se estabelece parmetros de comportamento o objetivo um s: determinar o modelo de convivncia para evitar conflitos neste ou naquele ambiente social. A questo : quem vai fazer cumprir o que foi sentenciado? Quando o agente de trnsito anota uma infrao no com ele que se deve discutir. A funo deste servi-dor pblico cumprir o que foi determinado. Quan-do ele traz pra si o poder de decidir se deve ou no anotar uma irregularidade, ele se desvirtua da funo, mexe no organograma funcional e cria brechas para a desordem. O motorista que recorre ao jeitinho est colaborando para o caos, abrindo espao para o incio de um processo que pode, em ltima anlise, conta-minar a burocracia do estado. O que eu quero dizer que se deve levar sempre uma pendncia para o foro apropriado, uma forma de proteo contra uma srie de aborrecimentos e discusses incuas. No adianta tentar convencer o marronzinho de que

    aquela manobra irregular foi por um motivo justifica-do e que a multa no devida. No o padro, nem no meio da rua, atravancando ainda mais o trnsito, que voc vai se livrar da penalidade.O princpio o mesmo, em outras situaes do nosso cotidiano. Se o condomnio estabelece um determi-nado horrio de funcionamento no adianta querer brigar com o porteiro, no ele quem vai mudar o que foi acordado e, se o fizer, desconfie, porque da prxima vez voc poder ser o prejudicado. Tudo se-ria mais fcil na convivncia social se prevalecesse um nico princpio, o do bom senso. Seria exigir demais das pessoas a lucidez para julgar as prprias atitudes? Vamos fazer um teste rpido:1- Se o trnsito est lento numa determinada via, como voc age no cruzamento?a Cede a vez ao carro que est na outra rua.b Fora a passagem e no aceita de jeito nenhum que algum tome o seu lugar.c No est nem a. Liga o rdio do carro e nem se d conta do que est acontecendo do lado de fora.2- Se na porta do elevador voc percebe a aproxi-mao de um vizinho, o que faz?a Aguarda um sinal para saber se ele vai ou no tomar o elevador e espera gentilmente pelo embarque.b No olha pro lado e quase no respira para entrar rapidamente no elevador sem precisar esperar por ningum.c No est nem a. At cumprimenta o vizinho, mas ele que chegue logo ao elevador antes de a porta se fechar. 3- Se voc um dos primeiros de uma longa fila, o que faz quando chega um idoso ou uma mulher grvida?a o primeiro a ceder o lugar e ainda tenta achar uma cadeira para acomod-los.b Na sua frente ningum vai entrar. Voc chegou cedo e no tem culpa se no h uma fila preferencial.c No est nem a. Pe os culos escuros, o fone de ouvi-do e ainda assovia a msica que est tocando no MP4. Como voc se encaixa nessas situaes corriqueiras o que vai determinar o padro do seu comportamento social. uma forma de avaliar como voc est contri-buindo para diminuir os pequenos conflitos cotidianos.Neste teste de convivncia quem sabe o resultado voc. Afinal, quem tem a chave da porta? g

    Quem tem a cHaVE Da PORTa?

    Paulo Roberto Amaral

    morador do Morumbi e

    jornalista da Rede Globo de

    Televiso, onde edita o Jornal Hoje.

    PubliciDaDE

    por paulo R. amaral

  • 36 MoruMbi maro 2009

    vitrine

    A Fundao Aron Birmann, que admi-nistra o Parque Burle Marx, est lanan-do a campanha Amigos do Parque, pela qual os moradores e comerciantes do bairro estaro envolvidos em uma rede de parceria em prol da manuten-o da qualidade do espao. O Burle Marx foi eleito como um dos me-lhores de So Paulo pelo Sindicato da Arquitetura e Engenharia (Sinaenco), em pesquisa realizada entre outubro e novembro de 2008. Os 41 parques da capital foram avaliados pelos arquite-tos Pedro Taddei e Csar Bergstron, que observaram os seguintes itens: aces-sibilidade, reas verdes, playgrounds, bebedouros, banheiros, espaos espor-tivos, como quadras, equipamentos de ginstica, pista de cooper e trilhas.A campanha disponibilizar um carto de descontos em mais de 30 lojas par-ceiras na regio. Em troca, o morador participante destinar R$ 10 mensais para a Fundao investir na manuten-

    Amigos do Parque

    Burle Marx

    foto

    s: di

    vulg

    ao

  • 37MoruMbimaro 2009

    vitrine

  • 38 MoruMbi maro 2009

    vitrinevitrine

    o do parque, j que ela depende de doaes. Os formulrios para a inscri-o na Campanha podero ser adqui-ridos no prprio Parque ou nos estabe-lecimentos conveniados. O Burle reserva muitas surpresas. Inau-gurado em 1995, ocupa a antiga pro-priedade do empresrio Baby Pignatari. Seus belos jardins foram projetados por Burle Marx (da seu nome), cujo projeto paisagstico inclui espelhos dgua e painis de concreto.O espao, alm de um campo aberto, que lembra os parques de primeiro mundo, possui reserva de Mata Atln-tica e uma rea reflorestada com euca-liptos. Na mata, h trilhas para cami-nhadas repletas de subidas e descidas nos trechos mais ngremes onde se pode avistar muitas espcies de aves como o pica-pau-ano.

    Parque burle marxR. Dona Helena Pereira de Moraes, 200Tel.: 3746-7631De seg a dom das 7h s 19h

  • 40 MoruMbi maro 2009

    vitrinevitrine

    Nesta Pscoa abuse do

    chocolate, mas s nos cosmticos

    O chocolate, conhecido por despertar a gula, tambm aliado da beleza h muitos anos. Segundo a lenda, o Deus asteca Quetzcoalt presenteava os ho-mens com sementes de cacau, por isso o chocolate era considerado sagrado e com propriedades medicinais.

    Alm de possuir substncias antioxi-dantes, o cacau rico em vitaminas B1 e B2, importantes para o cresci-mento e fortalecimento dos tecidos. Os princpios ativos da fruta tambm so utilizados no combate gordura localizada e celulite, pois possui a xantina metlica, substncia-chave para a eliminao de gordura.

    As propriedades do chocolate hidra-

  • 41MoruMbimaro 2009

    vitrinevitrine

  • 42 MoruMbi maro 2009

    vitrine

    tam a pele e a deixam mais macia, com brilho e vitalidade, alm de trazerem sensaes de bem-estar e relaxamento. Como tem alto teor de gordura, real-mente hidratante e nutritivo, recomen-dado para peles secas, com o objetivo de restaurar o manto hidrolipdico, que perde a camada de gordura e a hidra-tao com o passar dos anos.

    No Morumbi, muitos espaos ofere-cem tratamentos de beleza que utili-zam o chocolate como principal com-ponente. Confira.

    Banho de imerso em chocolateO banho de imerso um poderoso aliado contra a pele desvitalizada, ressecada pelo sol do vero e fragi-lizada pelas mudanas de tempo. O banho repe as energias e auxilia na circulao sangunea. Ptalas de flo-res, leite, luz de velas, chs, msica e essncia de chocolate completam o momento relaxante, que agua to-dos os sentidos. Este tratamento ideal para ser feito em pessoas com a pele fragilizada, seca ou mista. Pes-soas com pele oleosa, ou mesmo com acne, devem evitar.

    Gomagem com sementes de cacau, seguida de hidratao corporalEssa esfoliao corporal tem como funo afinar a pele de forma suave sem causar danos e auxiliar na mi-crocirculao; tambm propicia pele maior permeabilidade e facilita a ao de outros produtos. Aps a gomagem aplicada a hidratao corporal.

    Cera depilatria de chocolateA Cera Marroquina, feita base de chocolate, cera de abelha e ervas medicinais, extrai os pelos com mais profundidade, inibindo a velocidade do crescimento e pelos encravados.

  • 44 MoruMbi maro 2009

    vitrine

    Servio

    Banho de imerso em chocolate Gomagem com sementes de cacauBreeze Studio Rua Jos Ramon Urtiza, 308 Tel.: 3739-0581

    Cera depilatria de chocolateFlux.uS Rua Dr. Chibata Miyakoshi, 119 Tel.: 3758-5288/2507-0070

    Progressiva de chocolatePariS Hair deSiGn Av. Jorge Joo Saad, 254 Tel.: 3744-8688

    Hidratao facial e corporalemaGreCentro Rua Dr. Luiz Migliano, 1110, loja 11 Tel.: 3739-2930 www.emagrecentromorumbi.com.br

    As propriedades do chocolate so ex-celentes na hidratao da pele e retar-dam o envelhecimento. A cera de cho-colate descartvel, rejuvenescedora, hidratante, cicatrizante, anti-inflama-tria e reduz a dor em at 80%.

    Progressiva de chocolate base de chocolate, a progressiva de chocolate, ao mesmo tempo em que alisa os fios, hidrata o cabelo deixan-do seu aspecto mais natural e sedoso. Para o efeito permanecer por mais tempo, importante comprar produ-tos base de chocolate para a manu-teno e jamais entrar na piscina ou no mar sem proteo solar nas ma-deixas. O efeito demora aproxima-damente trs meses e fica melhor se o cabelo for lavado apenas trs dias aps o tratamento.

    Hidratao facial e corporalMantm a hidratao da pele e evita os problemas causados pelo resse-camento decorrente do dia-a-dia. A manteiga de cacau, um emoliente eficaz, recomendada para restabe-lecer a untuosidade natural da pele ressecada.

  • 46 MoruMbi maro 2009

    vitrine

    Loo Hidratante Cacau e cupuauProporciona maciez e suavidade pele, protegendo-a das agresses do ambiente, trazendo sensao agradvel de frescor. indicada para pessoas com pele morena a negra.

    o botiCrio Shopping Jardim Sul Tel.: 3742-0975 Carrefour Tel.: 3742-1127 Extra Joo Dias Tel.: 5851-7908 Centro Empresarial Tel.: 3741-4526

    Consuma!Produtos de beleza

    Alm dos tratamentos em sales de beleza, o mercado est repleto de produtos feitos base de chocolate, como cremes hidratantes e linhas para o cabelo, que podem ser usa-dos em casa. A indstria aposta nos benefcios do cacau como hidratao e nutrio, sem falar no delicioso aro-ma do chocolate que traz uma sen-sao de relaxamento profundo libe-rando emoes, alm de estimular os afetos e as amizades. Confira.

  • 47MoruMbimaro 2009

    vitrine

  • 48 MoruMbi maro 2009

    vitrine

    Linha Seda Chocolate IntenseA Seda lanou a linha Chocolate Intense. A frmula, com extrato de cacau e Vitaminas B5, tem como principais benefcios a nutrio e a hidratao. A linha composta por shampoo, condicionador, creme para pentear e creme de tratamento.

    Po de auCar PortaL R. Mal. Hastimphilo de Moura, 30 Tel.: 3749-1437CarreFour BaIrro Av. Giovanni Gronchi, 5930 Tel.: 3779-4419

    * entrega garantida para os ceps da rea de abrangncia, ver mapa no site.

    Continue a receber GratuItaMeNte

    a revista dolce em sua casa*

    Cadastre-se no site, para garantir o seu exemplar

    mensalmente.

    dolcemorumbi.com

  • 49MoruMbimaro 2009

    vitrine

    Pscoa Gourmet no Jardim sul

    Numa parceria com a escola de gastronomia Atelier Gourmand, o shopping Jardim Sul preparou uma oficina de Pscoa para crianas, que vai ensinar os pequenos a decorarem, com pasta americana, pirulitos de po de mel em formato de coelho.Para participar da brincadeira, basta apresentar cupom fiscal com valor mnimo de R$ 50.

    Data: 3 a 12 de abrilHorrio: das 14h s 20 hLocaL: Atrium (Piso Trreo)

    Pscoa solidria

    A Doceira Ofner est promovendo uma campanha de venda de ovos de Pscoa, em que, de cada ovo vendido, 10 gramas sero doados para produo de um ovo gigante (170 kg), que ser presen-teado ao GRAAC (Grupo de Apoio ao Adolescente e Criana com Cncer). A campanha vai at o dia 12 de abril.

    Doceira ofner Av. Roque Petroni Jr., 1089 Morumbi ShoppingTel.: 5182-0372Hor.: Seg a dom das 10h s 23h

    Vai acontecer

    cinemaseGunda mania

    O UCI do Shopping Jardim Sul lanou uma promoo superbacana, a Segunda Mania. Toda segunda-feira, por tempo indeterminado, o cinema exibir sua programao de filmes por apenas R$ 6 e R$ 3 (meia)! Entre as pelculas, est o filme grande ganhador do Oscar Quem Quer Ser Um Milionrio?. A programao completa pode ser consultada atravs do telefone 2164-7711.

  • 50 MoruMbi

    Todo grande amor comea com um grande romance, no verdade? Romance uma das tantas palavras mgicas que fazem parte do universo amoroso, e seu sim-ples enunciado j nos transmite uma ideia de afetividade e calor. Para alguns casais, o clima romntico ainda alimenta a vida a dois mesmo que j tenha se passado muito tempo do comeo da relao. Eles conseguem manter o mesmo clima amoroso do incio.

    No entanto e infelizmente isso no regra geral. sabido que o romantismo entre alguns casais tende a cair com o passar do tempo. Por que gradualmente o tempo tende a acabar com o clima de atrao e seduo do in-cio? Sabe-se que uma das grandes causas a rotina, mas h outras, com certeza. Uma delas a imaturidade de um dos parceiros. Para parceiros emocionalmente imaturos, o entusiasmo pela relao s sobrevive enquanto a conquis-ta no se consuma. Esses parceiros (eles ou elas) tratam a relao como se fosse um jogo, um desafio, no qual o que realmente importa vencer, subjugar, mas sem se envolver. Ento, todo o empenho em parecer sedutor, gentil, aten-cioso, romntico desaparece em pouco tempo, to logo tenha a certeza de que venceu o jogo da conquista.

    Descuidar da imagem tanto fsica como compor-tamental tambm tem se revelado uma causa frequen-te do esfriamento do romance. Sabe-se que, dentre outros atrativos, o visual um forte componente no processo de conquista. Se, depois de algum tempo, no houver mais empenho na conquista, tambm no haver maior preo-cupao com a imagem. Surgem ento cabelos maltra-tados, roupas desalinhadas, protuberncias abdominais, odores desagradveis, dentes malcuidados, hbitos e pro-cedimentos antiestticos, grosseiros e at anti-higinicos! Ou seja, um total desrespeito a si prprio e ao parceiro. No h romance que resista a tanta falta de cuidados.

    Por maior que seja a nossa conscincia de sermos seres falveis, o amor cria em volta dos parceiros uma aura mgica de fantasia, encanto e charme. E isso deve e pode ser mantido, apesar do tempo. No so as varizes, celuli-tes, rugas e cabelos brancos que desgastam o romance; ao contrrio, eles acrescentam o sentimento de perpetua-o da relao. Essas marcas que o corpo adquire com o tempo representam uma forma de registro da histria de uma vida.

    Todo casal tem uma misso que requer algo mais do que apenas amar bastante. O romance, para ser mantido,

    FINAL FELIZ

    Floriano Serra psiclogo, consultor, palestrante e autor de vrios livros e artigos sobre o comportamento humano. E-mail: [email protected]

    Ilustrao Thais Narkevitz

    por Floriano Serra

    maro 2009

    exige criatividade, empenho e, sobretudo, motivao para conquistar, diariamente, seu parceiro. Isso no ser difcil para quem realmente ama. Sempre haver rosas que se-ro bem-vindas, sempre haver um telefonema carinhoso e inesperado, espelhos onde podero ser grudados bilhe-tes romnticos. Quando houver vontade, pode-se plantar ternura em todos os lugares por onde passarmos. A na-tureza nos d demonstraes de ternura que podemos dividir com a pessoa amada: luar, noites estreladas, sol, mar, cachoeira, chuva, cheiro de grama molhada, orvalho; basta estarmos receptivos e sabermos reconhecer essas mensa-gens da vida.

    Portanto, se o clima de romance diminuiu muito ou at desapareceu, o casal deve conversar a respeito para tentar uma renovao, um recomeo. Para que o amor continue bastante, preciso que o casal continue agindo como namorados. Que se faam cada dia mais bonitos e sedutores um para o outro. Que se conquistem outra vez com propostas atraentes e criativas. Que se lembrem de que a idade no impedimento para nada, em matria de amor. Respeitados os limites da tica e da legalidade, em qualquer momento de nossas vidas podemos fazer tudo o que a nossa mente conceber, nossos valores permitirem e o corpo puder operacionalizar, desde que isso contribua para o bem-estar do casal. Mas se a mente estiver bloquea-da por valores ultrapassados ou por crenas preconceituo-sas, o corpo no receber nenhum comando ou permis-so para agir e nada acontecer.

    Para casais que j agem assim, no tenho outra pala-vra a no ser: Parabns! Vocs so pessoas especiais. Vo-cs esto provando que o amor bastante vivel desde que faamos algo mais do que apenas amar bastante. g

    Se navegar preciso... Namorar Tambm