Click here to load reader

Eletrosul Agora nº 129 - Maio

  • View
    222

  • Download
    3

Embed Size (px)

Text of Eletrosul Agora nº 129 - Maio

  • Maio 2014 | Ano XX | N129 Um jornal para novos tempos

    Pgs. 6 e 7

    Pg. 3

    Desafio das obras deinfraestrutura

    ENGENHARIA

    Pg. 11

    Cresce mercado de renovveis

    SUSTENTABILIDADE

    Pg. 8

    INCLUSO

    RS ter cinco novos telecentros

    Pg. 9

    Teatro ocupa ruas de Porto Alegre

    CULTURA

    Pgs. 6 e 7

    Complexo Elico Campos Neutrais

    Investimentos somam R$ 3,5 bilhes

  • Crescer investindoCom investimentos de R$ 3,5 bilhes, a Eletrosul, em conjunto com empresas parceiras, est erguendo no Rio Grande do Sul o maior complexo elico da Am-rica Latina e construindo o sistema de transmisso que ir escoar essa energia para abastecer cerca de 3,3 milhes de habitantes. So obras grandiosas que envolvem muitos desafios para a enge-

    nharia e nmeros que impressionam. A presente edio destaca, na matria principal, os empreendimentos no ex-tremo Sul, que colocam a empresa na liderana dos investimentos elicos e mostra tambm um pouco das dificul-dades das obras de infraestrutura ener-gtica, que so superadas com capacida-de tcnica e criatividade. Boa leitura!

    EXPEDIENTE

    Diretoria ExecutivaDiretor-Presidente

    Eurides Luiz Mescolotto

    Diretor de Engenharia e Operao

    Ronaldo dos Santos Custdio

    Diretor Financeiro

    Antonio Waldir Vittori

    Diretor Administrativo

    Paulo Afonso Evangelista Vieira

    Conselho Editorial

    Cleiton Luis Rezende CabralLarcio FariaLuiz Ricardo MachadoRonaldo Bauer LessaRubem Abraho Gonalves Filho

    Gerente ACS

    Sandra da Silva [email protected]

    Coordenao

    Jonatas [email protected]

    Edio

    Andra [email protected]

    Jonatas [email protected]

    Textos

    Anahi GurgelAndra LombardoCleusa FreseGilberto Del Pozzo

    Edio de Fotografia

    Hermnio Nunes

    Fotos

    Anselmo CunhaArquivo DDOM/DGIArquivo CHTPArquivo Construtora IntegraoArquivo Costa Oeste TransmissoraArquivo Elicas do SulArquivo ESBRArquivo Marumbi TransmissoraArquivo TSBEArquivo TSLECau MendonaDivulgao Prefeitura de Porto AlegreEduardo GrandaHermnio NunesJoel VargasLuciano LanesNelio Catharina PintoRoberto Samper

    Projeto Grfico

    Agenciamob

    Contedo e Projeto Editorial

    Giusti Comunicao Integrada

    Tiragem 6.000 exemplares

    Peridico editado pela ACS Assessoriade Comunicao Social e Marketing

    Rua Dep. Antnio Edu Vieira, 999, PantanalFlorianpolis/SCCEP 88040901Fone (48) 3231.7269 / 3231.7075

    www.eletrosul.gov.br

    2 EDITORIAL

    Elaborado entre 2000 e 2002, o primeiro Atlas Elico gacho foi coordenado pelo engenheiro Ronaldo Custdio, atual Diretor de Engenharia e Operao da Eletrosul. Com informaes coletadas a 50 metros de altura, na poca os estudos apontaram um potencial de 15.840 megawatts (MW), resultado que serviu de base para a expanso do aproveitamento elico no Estado.

    Doze anos aps o lanamento do primeiro Atlas Elico do Rio

    Grande do Sul, a Eletrosul, em conjunto com o Governo do

    Estado, deu incio atualizao do mapeamento. As medies

    sero mais detalhadas e iro aferir, tambm, o regime dos

    ventos que sopram sobre o oceano offshore a uma

    altura de at 100 metros.

  • OBRAS NO TAIM

    DESTAQUE 3Eletrosul agora - Maio 2014

    Condies ambientais adversas exigem solues tcnicas inditas no sistema de transmisso da Eletrosul

    Desafios da engenharia

    Por trs de grandes obras de infraestrutura, h desafios que a engenharia busca superar com solues que muitas vezes envolvem, alm da tcnica, uma boa dose de criativida-de e ousadia. Um exemplo claro disso so as obras do linho de quase 500 quilmetros, que ir escoar a energia do Complexo Elico Campos Neutrais, no extremo Sul do Pas, e integrar a regio ao sistema eltrico nacional. Aproximadamente 15 quilmetros do trecho Sul da linha de transmisso que vai da Su-bestao Povo Novo (RS) Subestao Santa Vitria do Palmar (RS), em uma extenso to-tal de 200 quilmetros passam pela Estao Ecolgica do Taim. Dez quilmetros esto dentro da Lagoa Mirim, condio que exigiu alternativas construtivas at ento inditas em obras da Eletrosul.

    Uma das exigncias do rgo ambiental para a obra dentro da reserva foi que o traa-do seguisse em paralelo a uma linha de 138 kV j existente, pertencente CEEE Distribui-o. Por essa razo, foi necessrio projetar a rede na parte alagada. No entanto, quando o traado foi definido, apenas seis torres fica-vam dentro dgua. Quando a obra comeou de fato, esse nmero subiu para dezoito, em funo das peculiaridades da hidrologia da

    regio. Como a Lagoa Mirim sofre forte influ-ncia do mar, da presso atmosfrica e dos ventos, as variaes no nvel e extenso da lmina dgua so constantes.

    Essas torres que esto dentro da Estao Ecolgica do Taim so de circuito duplo, isto , mais reforadas e ficaro com os cabos para--raios e condutores lanados, prontos, anteci-pando a passagem de um segundo circuito e evitando, dessa forma, outra interveno ambiental nessa rea to adversa, explicou o engenheiro Eduardo Cabane, da Transmisso-ra Sul Brasileira de Energia (TSLE) empresa constituda pela Eletrosul (51%) e Compa-nhia Estadual de Gerao e Transmisso de Energia Eltrica - CEEE-GT (49%), responsvel pela obra.

    DesafiosAs condies ambientais adversas impuse-

    ram uma srie de adaptaes para a instala-o das torres. As principais dificuldades para fazer as fundaes tm sido a profundidade da lagoa 60 centmetros em mdia e o tipo de solo, que bastante arenoso. No h calado su-ficiente para as balsas que carregam os mate-riais, o concreto, e so usadas como bases de tra-balho, relatou o engenheiro. O jeito foi apelar

    para a criatividade. Uma escavadeira hidrulica em cada balsa faz a movimentao e abertura de calado onde necessrio. Para garantir sus-tentao adequada, as fundaes foram proje-tadas com estacas tubulares de 60 centmetros de dimetro, que so cravadas com bate estacas, atingindo profundidades de 12 a 38 metros. Em cada um dos quatro ps da torre so instaladas pelo menos cinco estacas que, depois de crava-das, so preenchidas com concreto e coroadas por blocos do mesmo material. O volume de concreto usado nas fundaes de cada torre va-ria de 80 m at 180 m.

    A concretagem foi outro desafio. Para as tor-res mais prximas margem, foi usado um caminho-bomba de concreto com tubulao modulada instalada a partir da margem at as fundaes mais prximas. Para as mais afasta-das da margem, a sada foi transportar, em uma balsa maior, dois pequenos caminhes betonei-ras com capacidade de 4 m de concreto cada.

    Segundo Cabane, considerando as dificulda-des encontradas, as obras esto caminhando em bom ritmo, com o trabalho em srie e um contingente maior de trabalhadores envolvi-dos. A concluso da implantao da linha de transmisso em toda sua extenso est previs-ta para o segundo semestre deste ano.

  • h

    CANTEIRO DE OBRAS

    MAIO DE 2014

    4

    SE CURITIBA LESTE

    LT SUL LITORNEA

    Subestao Marmeleiro: vista da entrada da linha de transmisso vinda da Subestao Santa Vitria do Palmar.

    UHE TELES PIRES

    RS

    N

    525 kV

    Extenso: 468 km

    Canaleta de passagem de cabos da casa de comando para equi-pamentos.

    1.820MW

    Capacidade de atendimento: 6.500.000 habitantes

    N

    MT

    PA

    Vista de montan-te da montagem da cobertura metlica e fecha-mento lateral da casa de fora.

    672MVA

    Capacidade de atendimento:

    900.000 habitantesN

    Curitiba

    +LT 525 kVExtenso: 29,4km

    AMPLIAO DO COMPLEXO ELICO CERRO CHATO

    Segue a montagem mecnica dos aerogeradores. Na foto, as trs primeiras unidades montadas da Usina Cerro Chato VI.

    Com 100% dos equipa-mentos dos ptios de 230 kV e 69 kV monta-dos, est sendo iniciado o comissionamento na SE Camaqu 3.

    LT SUL BRASILEIRA

    525 kV230 kV781 km de extenso:

    494 km em 525kV

    287 km em 230 kVN

    RS

    78MW

    Capacidade de atendimento:

    447.000 habitantes

    RS

    N

  • h

    CANTEIRO DE OBRASEletrosul agora - Maio 2014

    CANTEIRO DE OBRAS5

    LINHO DO MADEIRA - CIRCUITO 2

    UHE JIRAU

    Obras de barra-mento areo da SE Candiota.

    Torre nmero 2142/2, tipo estaiada, sen-do montada com guindaste e localizada no municpio de Itarum (GO).

    Prticos de entrada e sada, e barras de proteo sen-do montadas no ptio da Subestao Geribatu. direi-ta, a casa de comando em construo.

    jusante da casa de fora da margem direita, esto sen-do executadas obras civis em 14 unidades geradoras. Das outras 14 turbinas que compem essa estrutura, trs j esto em operao comercial, uma em comissio-namento e dez em montagem eletromecnica. At mea-dos de maio, a usina tinha oito unidades geradoras em operao comercial, totalizando 600 MW.

    PARQUE ELICO GERIBATU

    Cabos j lanados no mu-nicpio de Iracema do Oeste (PR), entre a SE Umuarama e SE Cascavel Norte.

    INTERLIGAO BRASIL URUGUAI

    258MW

    Capacidade de atendimento:

    1.600.000 habitantes

    RS

    N

    MEGAwATT SOLAR

    600kV

    Maior LT de 600 kV do mundo,

    com 2.412 Km de extensoN

    525 kV230 kV

    60 km em 525 kV3 km em 230 kV

    SE Candiota:525/230 kV

    672 MVA

    1MW

    Capacidade de atendimento:

    540 residnciasSC

    N

    Obras nos estacionamentos da Eletrosul em fase final para incio da operao em teste j autorizada pela Agncia Nacional de Ener-gia Eltrica (Aneel).

    Obras de drenagem no acesso principal Norte.

    PARQUE ELICO CHU

    144MW

    Capacidade de atendimento:

    900.000 habitantes

    RS

    N

    300MVA

    Capacidade de atendimento:

    400.000 habitantes

    N

    SE Umuarama (230 kV)

    +LT 230 kVExtenso: 142 km

    SE Cascavel Oeste (230 kV)

    LT Cascavel