Estrutura e funcionamento da comunicação

  • View
    529

  • Download
    4

Embed Size (px)

Text of Estrutura e funcionamento da comunicação

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA

Estrutura e Funcionamento da ComunicaoComunicao e ExpressoEcila Lira de Lima Mabelini

MANAUS, 2009

Apresentao:

Daniele Tavares Azevedo Jssica Arajo Portela Nayana Andrade Campelo Priscilla Dias da Silva Selma de Jesus Ambrsio de Oliveira.

Introduo:

Se pararmos e olharmos nossa volta, poderemos verificar como a linguagem, em todas as suas manifestaes, faz parte de nosso cotidiano; que por sua vez, possibilita e constitui um processo de comunicao. Porm, para haver comunicao com xito, devemos observar que para construir o texto (mensagem) o emissor precisa saber sobre o que vai se manifestar (referente), que sistema de sinais vai utilizar (cdigo) e por que meio (canal) vai fazer chegar a mensagem ao receptor.Nayana

Para comear... Uma estrutura de trs peas

Danny

Fluxo comunicativo:

Danny

Remetente e Destinatrio: Vistam a camisa, por favor!

emissor

emissor

emissor emissor

Danny

No basta ser uma boa idia... Tem de ser uma boa mensagem!

Danny

Cdigo: uma quarta pea meio escondida.

Definio: sistema de sinais (ou de signos, ou de smbolos) que, por conveno prvia, se destina a representar e a transmitir a informao entre a fonte (ou emissor) dos sinais e o ponto de destino (ou receptor). Os sinais que formam um cdigo so em nmero restrito.

Priscilla

A importncia do cdigo.

O cdigo uma pea essencial na estrutura da comunicao, pois a partir dele que um estmulo fsico qualquer pode virar signo.

Priscilla

Codificao e descodificao Codificao o remetente liga uma idia ou significado a um estmulo fsico ou significante,formando um signo. Descodificao o destinatrio, por sua vez,ao receber o signo,captando o significante e extraindo o significado que vem associado a esse mesmo significante ,est realizando o processo inverso,ou seja,a descodificao.

Priscilla

A importncia da descodificao

A descodificao o ponto decisivo no fluxo do ato comunicativo, se o destinatrio no descodificar corretamente os signos no ter possibilidade de entender o significado.

Priscilla

Como obter um processo eficiente de codificao e descodificao O domnio do cdigo. Manter um cdigo fechado. Cdigo aberto.

Priscilla

Cdigo aberto

O cdigo aberto permite mais de uma descodificao e em consequencia mais de um significado . O cdigo aberto pode ser eficaz,mas se quisermos ser claros e objetivos,visando a obteno uma descodificao,utilizamos o cdigo fechado.

Priscilla

Todos ns carregamos uma bagagem... cultural: o repertrio

Momento em que o gerente se queixa: -Eu no entendo, francamente, eu no entendo: todo mundo aqui na firma j est cansado de saber que eu no gosto de viajar de avio, que eu s viajo de trem noturno, que sempre me reservam uma cabina com leito, que eu adoro viajar em cabina com leito...poxa, mas onde foi que eu errei? Iluso O gerente est se apoiando numa perigosa certeza, quando diz que todo mundo aqui na firma j est cansado de saber...

Selma

A grande falha

Ateno Nem todo mundo sabe das preferncias de todo mundo!

No levar em conta a experinciae o grau de conhecimento a quem deseja falar. Experincia O indivduo pode saber de muitas coisas e ignorar completamente outras.Selma

Mensagem escrita

corretamente descodificada

Experincia e grau de conhecimento do destinatrio

Temos que pensar

Informaes bvias

Informaes desconhecidas Resposta a ser produzidaSelma

Experincia e grau de conhecimento

Bagagem cultural

Repertrio

Selma

O que h dentro da bagagem ou... do repertrio?Rede de referncias

Selma

Essas referncias, valores e conhecimentos mudam de indivduo para indivduo, gerando diferentes repertrios que levam a distintas percepes e vises do mundo.

Selma

Uma pergunta - chave: Qual o repertrio do destinatrio?

O repertrio tem influncia direta na descodificao de signos e da mensagem.

O repertrio do individuo que recebe a mensagem deve ser preocupao constante do remetente.

Selma

Cuidado com esteretipos! Esteretipo: idia solidificada na mente e que utilizada, atravs da percepo, para reconhecer acontecimentos. Carimbo mental

Selma

Esteretipo aplicado rigidamente percepo do comportamento humano gera conhecimento deformado dos indivduos.

Selma

Repertrio: Mais uma condio necessria.

A comunicao no funciona sem o repertrio.

Selma

Sem veculo... a mensagem no chegar ao destinatrio

Veculo pode ser definido como todo elemento fsico utilizado para transportar ou conduzir a mensagem at o destinatrio.

1. Utilizao dos veculos depende de alguns fatores: Contedo e condies de emisso da mensagem Objetivo do remetente Situao e contexto da comunicao entre remetente destinatrio Condies de recepo da mensagem

Jssica

Veiculo mais usado: e-mail. Outros tipos: carta, oficio, memorando, relatrio, livro, jornal, revista, rdio, televiso... Nem todo veiculo serve para qualquer mensagem, e vice-versa. Mensagens e veiculo devem adaptar-se um ao outro.

Jssica

10 dicas para um e-mail profissional

Jssica

Descodificao eficaz

Conhecimento do cdigo Uso de cdigos fechados Conhecimento do repertrio Uso adequado do veculo

Jssica

Consideraes Finais:

Para obter xito no ato comunicativo preciso portanto, conhecer o funcionamento das seis peas da estrutura da comunicao.

Nayana

Preencher tambm as cinco condies para a decodificao eficaz: conhecer o cdigo, usar cdigo fechado, conhecer o repertrio do destinatrio, bem como o contexto cultural e profissional, e usar por fim, o veculo adequado. Fique ligado, afinal comunicao sinnimo de sobrevivncia!

Nayana

Referncias Bibliogrficas:

BLINKSTEIN, Isidoro. Tcnicas de Comunicao Escrita. 22 ed. So Paulo: tica, 2006. 103. http://www.faac.unesp.br/posgraduado/comunicacao/textos. Acessado em: 19 de maio 2009, s 20h10min. GRIFFI, Beth. Portugus, 1: literatura, gramtica e redao: 2 grau. 1. Ed. So Paulo: Moderna 1991. TERRA, Ernani. Portugus de olho no mundo do trabalho: volume nico / Ernani Terra, Jos de Nicola. So Paulo: Scipione, 2004. (Coleo de olho no mundo do trabalho).

OBRIGADA! E AT PERODO QUE VEM!

Search related