Extracao Ouro

  • View
    49

  • Download
    5

Embed Size (px)

Transcript

  • Extrao de Ouro Princpios, Tecnologia e Meio Ambiente, a materializaode uma excelente idia, oportuna e competentemente concretizada pelos editores Robertode Barros Emery Trindade e Olavo Barbosa Filho.

    Contando com a colaborao de profissionais reconhecidos e de slida formaotcnico-cientfica que no enumeraremos aqui para no alongar muito este texto, mascujos nomes o caro leitor encontrar no Sumrio, a seguir -, j ao ser publicada tornar-se , imediatamente, obra de referncia para todos os que se interessarem em melhorconhecer o OURO NO BRASIL, bem mineral que contribuiu decisivamente para aconstruo do nosso Pas, a emergncia e a luta pela independncia, a integrao doBrasil ao mundo exterior e para a fundao da Escola de Minas de Ouro Preto, celulamater da engenharia minero-metalrgica no territrio brasileiro e, fundamentalmente racionalidade do desenvolvimento nacional.

    Mais ainda, como bem destacou Paulo Pinheiro Chagas, no Brasil, a mineraode ouro foi a fazedora da democracia e, via o estabelecimento da burocracia dafiscalizao das minas pela Coroa portuguesa, produziu as sementes da AdministraoPblica brasileira.

    Desnecessrio, pois, destacar a importncia do ouro para o desenvolvimentodo Brasil, a qual permanece ainda hoje, eis que os profissionais da geologia so enfticosem afirmar o potencial brasileiro no que respeita a este bem mineral, o qual, alis, oPRIMEIRO mais lembrado pela sociedade quando o assunto MINERAO.

    De fato, em Pesquisa de Opinio Pblica recentssima (Janeiro e Fevereiro de2002) realizada por empresa especializada, contratada pelo Instituto Brasileiro de Minerao IBRAM juntamente com a Secretaria de Minas e Metalurgia do Ministrio de Minas eEnergia do Brasil na qual foram ouvidas 2455 pessoas, em 8 (oito) Estados da Federao,nas 5 (cinco) regies Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul, depois detratados mais de 200.000 dados, o ouro despontou em primeirssimo lugar como o bemmineral mais lembrado em respostas espontneas.

  • V-se, pois, ser mais que oportuna a publicao de Extrao de Ouro Princpios,Tecnologia e Meio Ambiente.

    A destacar, tambm, a excelente escolha dos assuntos e sua abordagem, eisque propicia ao leitor uma viso panormica completa do tema, inclusive seus aspectoseconmicos, sociais e ambientais, no que respeita a este ltimo valendo lembrar que apresente bem como sua publicao no ano de realizao da Rio+10 em Joanesburgo,frica do Sul, importantssima reunio mundial das Naes Unidas sobreDesenvolvimento Sustentvel, sem sombra de dvida mostra a ateno e a preocupaodos Editores e dos Autores em serem contemporneos da modernidade e da oferta deferramentas para a soluo dos grandes desafios enfrentados para a efetivao do citadoDesenvolvimento Sustentvel.

    Honrado com o convite para elaborar este Prefcio, agradecendo, sensibilizado,aos Editores, no tenho a menor dvida em, com nfase, recomendar a leitura destelivro: ao mesmo tempo, convido o leitor a, na era da comunicao interativa, apresentaraos Editores sugestes e comentrios inclusive bibliografia eventualmente no citadapelos autores de modo que a presente obra no s tenha ressaltados seu interesse eimportncia, como possa vir a ser permanentemente enriquecida, em suas edies futuras.

    Parabns aos editores, autores e cumprimentos a voc, leitor, por ter em mosesta oportuna e muito interessante contribuio ao melhor conhecimento, pelo Brasil epelos brasileiros, de um dos pilares histricos do seu desenvolvimento tcnicocientfico,poltico , econmico e social: o OURO.

    !"#

  • A presente obra descreve as principais etapas da metalurgia extrativa doouro. O ponto de partida o panorama geral da explorao de ouro no Brasil e aconcluso o refino deste metal. Incluem-se ainda a eletro-oxidaco de minriosrefratrios e a eletro-recuperao de ouro a partir de solues diludas, alm decaptulos sobre reagentes alternativos ao cianeto, a proteo do meio ambiente, ogarimpo e a economia mineral do ouro no Brasil.

    Este livro tem como principal objetivo mostrar de que forma realizada aextrao de ouro no Brasil e, sempre que possvel, apresentar as razes pelas quaisuma tecnologia pode ser usada em detrimento de outra. Acredita-se que o livroseja til a empresas, universidades professores e alunos - e centros de pesquisaque atuam sobretudo nas reas de tecnologia mineral, meio ambiente e geocincias.Existem, claro, bons livros sobre a metalurgia extrativa do ouro. A grande maioria,porm, est escrita em lngua inglesa ou outro idioma que no o Portugus.

    O texto pode ser utilizado como fonte de informao pontual, ou seja, cadacaptulo pode ser considerado independente dos demais. Entretanto, desde o incioo leitor percebe uma sequncia lgica dos assuntos, o que, acredita-se, facilite acompreenso do tema e a consulta ao texto.

  • Para reunir o material ora publicado, foi indispensvel a valiosa colaborao deprofessores, pesquisadores e engenheiros dos setores de Tecnologia Mineral e Controleda Poluio Ambiental. So eles:

    Achilles Junqueira Bourdot Dutra COPPE / UFRJAlberto Rogrio B. Silva - ARBS ConsultoriaAntnio Eduardo Clark Peres UFMGArthur Pinto Chaves USPurea D. Gomes CVRDCludio Gerheim Porto UFRJEduardo Valle - Bamburra Planejamento e Economia Mineral Ltda.Hildebrando Herrmann - IG - UNICAMPFernando Antonio Freitas Lins CETEM / MCTFernando Roberto Mendes Pires UFRJJennifer J. Hinton UBC / Vancouver CanadJuliano Peres Barbosa CETEM / MCTLaura De Simone Borma LNCC / MCTLino Rodrigues de Freitas CVRDLuis Alberto Dantas Barbosa CETEM / MCTLuis Gonzaga Sobral CETEM / MCTMarcello Mariz da Veiga UBC / Vancouver CanadMaurcio Leonardo Torem PUC-RioNely Palermo UERJPaulo Srgio Moreira Soares CETEM / MCTRenato de Sousa Costa CVRDRonaldo Luiz Correa dos Santos CETEM / MCTVirgnia Sampaio T. Ciminelli UFMG

  • A eles o nosso sincero agradecimento pelo privilgio de compartilharem conoscoseus conhecimentos e experincia, alm, claro, pelo tempo dedicado elaborao dostextos.

    Os Editores no poderiam tambm deixar de reiterar seus agradecimentos aoCentro de Tecnologia Mineral (CETEM/MCT) e Pontifcia Universidade Catlica doRio de Janeiro (PUC-Rio), instituies nas quais desenvolvem suas atividades profissionais,e ao Programa de Apoio ao Desenvolvimento Cientfico e Tecnolgico (PADCT) porintermdio da Coordenao de Aperfeioamento de Pessoal de Nvel Superior (CAPES).

    A edio de um livro dessa natureza se mostrou tarefa mais complexa do que antecipadopelos editores. Os colaboradores so profissionais gabaritados e, por essa razo, viade regra sempre requisitados para vrias outras atividades. Inmeros encontros fo-ram realizados at que se pudesse chegar concluso do texto final aqui apresentado.Os colaboradores esto, evidentemente, isentos de possveis imperfeies e falhas,as quais devem ser atribudas nica e exclusivamente aos editores. Crticas construtivasso, desde j, benvindas.

    Acreditamos ter atingido o objetivo inicial e desejamos que o texto possaser til a muitas pessoas.

    Rio de Janeiro, maio / 2002

    Os Editores

    Roberto de Barros Emery Trindade Olavo Barbosa FilhoCETEM / MCT PUC-Riortrindade@cetem.gov.br obarbosa@dcmm.puc-rio.br

  • !" ##

    $%&'()*((+*

    ,%-((+*

    .%/0(+*

    (12####3#! #43 # #1 # !%

    (12####3#3 5#163

    (12####3#!#

    (12####3##78 3### # 6#4##

    (12####3# #9#5 :3#43; 3#

  • "

    =%((

    >(+*

    5?@

  • "

    ! " -5: 1G "(%#-(

    $%(-(

    ,%

    (-*

    .%"(P"(

    =%""*@0"((

    *(

    H%"(*Q((

    *(

    I%(--(

    O%+(""*&((-((*)-("Q0

    R%J++*

    # $* 5##-( 6#-(

    $%(

    ,%">

    .%"*"0

    =%("--(

    C?

    1#13###A!3C?34?4

    #7A#C?

  • "

    % 3# 7+(T

    $%(

    ,%0(*

    .%/("

    C9# 23#

    C9#23#

    =%/(Q**(

    H%P"*-

    #?13 L

    3 C?

    1

    23

    & ;32

    3 C? *4

    42

    1&

    3 C?#0 #

    I%(/

    O%J++*

    & #+!#"TT"

    $%"*U

    (*"**

    ,%(

    .%("

    =%*J(P"-*(((

    *

    1#C?!

    1

    G(#1#? 35

    H%**0(

    V&*V**

    I%(

    O%("(

  • "

    R%*J(P"+J(

    1#C?

    ( #

    5C?

    1

    1#C?2

    #

    W%*&"

    L:3

    #

    5C?2

    73

    1C?2

    5##

    ' ( "*#!( #+!#"T"*# 65 #!"T"3# 7+(T

    $%(

    ,%*(("*/(*0(

    .%J("

    "

    */(*0(

    =%Q***(*("(*/(*0(

    H%*(*"*(("

    *0(

    I%/*@0"

    O%(-((-%-*"*-((

    R%((("*)(

    W%*J(((

    $X%J++*

  • "

    $X%*J((*-+)(((

    $$%*J(">+((

    $,%(**>((

    $.%Q(*('

    $=%Q***@0""*)(D**VE

    $H%"((*""*@0"

    $I%(/

    $O%J++*

    ) *

    *#!( #+!#"T"*# 65 #!"T" *6% #"T"

    $%(

    ,%

    (*)(

    .%("'(

    (*)((*

    =%(/

    H%J++*

    + , $ !+# "T"4+!#

    $%(

    ,%QउC?3331C?#C? #C9#A:#37:3#

    .%+" #C9#A:#37:3#

  • "

    =%*( #C9#A:#37:3#

    H% #C9#A:#37:3#

    I%

    * #C9#:#3@:3#

    O%J++*

    - , * , " . *( +*T"L5"#"T"

    $%(

    ,%((0('*(

    ("1##:#3:#3###:##13##13:A3#

  • "

    , /01 .,2 "3"6-5+

    $%"*(/

    ,%&'(""">S

    .%*(

    "

    =%"+

    H%

    I%("

    O%J++*

    -+!Z3 "

    $%"&'

    ,%**'

    .%S"

    =%-

    H%

    I%J++*

    Hildebrando Herrmann - IG/UNICAMP

  • !

    "!

    ##$#%% !

    O Brasil tem tradicionalmente ocupado uma posio de destaque na produo mundialde ouro. Durante o ciclo do ouro, entre 1700 e 1850, o Brasil foi o maior produtormundial chegando a produzir 16 t anuais (Figura 1) provenientes principalmente dealuvies e outros depsitos superficiais explorados pelos Bandeirantes na regio doQuadrilt