FACULDADE SANTA TEREZINHA/ DISCIPLINAS/ENF/2018.1/6o... · Fundamentos filosóficos e sociológicos… page 1
FACULDADE SANTA TEREZINHA/ DISCIPLINAS/ENF/2018.1/6o... · Fundamentos filosóficos e sociológicos… page 2
FACULDADE SANTA TEREZINHA/ DISCIPLINAS/ENF/2018.1/6o... · Fundamentos filosóficos e sociológicos… page 3

FACULDADE SANTA TEREZINHA/ DISCIPLINAS/ENF/2018.1/6o... · Fundamentos filosóficos e sociológicos…

Embed Size (px)

Text of FACULDADE SANTA TEREZINHA/ DISCIPLINAS/ENF/2018.1/6o... · Fundamentos filosóficos e...

FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAO DO CURSO DE ENFERMAGEM

PLANO DE ENSINO

CEST: MISSO E VISO

Misso

Promover educao superior de excelncia, formando profissionais competentes e ticos, cidados comprometidos

com o desenvolvimento da sociedade e com o segmento das pessoas com deficincia, conscientes de sua funo

transformadora.

Viso Ser referncia regional em educao superior, reconhecida pela excelncia de sua atuao e compromisso social.

DADOS DA DISCIPLINA

CDIGO NOME CH GLOBAL PERODO

0842 FUNDAMENTOS DIDTICO-PEDAGGICOS

60 h 6

EMENTA

Fundamentos filosficos e sociolgicos da educao. Teorias da aprendizagem. A Enfermagem como promotora da sade atravs da educao. Educao em sade comunitria. Educao em grupo. Educao continuada.

OBJETIVOS

GERAL: Reconhecer a enfermagem como promotora da sade por meio da educao e das diversas modalidades do trabalho educativo em sade, a partir do conhecimento dos processos educacionais, dos fundamentos filosficos e sociolgicos da educao e dos princpios bsicos das teorias de aprendizagem.

ESPECFICOS: Estabelecer correlaes, de forma crtica e reflexiva, entre os conceitos de educao, sade e cidadania.

Perceber os limites e possibilidades do trabalho educativo desenvolvido pelo profissional da sade.

Elaborar propostas de aes educativas que contribuam para a promoo da sade, preveno de doenas e para o xito de intervenes teraputicas, voltadas para a recuperao da sade.

CONTEDO PROGRAMTICO

PROCEDIMENTOS DIDTICOS PREVISTOS

Aulas expositivas dialogadas; Estudo dirigido; Estudo de caso; Discusso em grupo; Oficinas; Aulas prticas.

UNIDADE I - ASPECTOS EDUCACIONAIS (8h) 1.1 Educao e escola 1.2 Aes educativas que identificam os processos educacionais

UNIDADE II - LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAO NACIONAL (LDBEN) n. 9394/96 (8h) 2.1 Artigos 1 ao 5, 21, 22, 23, 24.

UNIDADE III - TEORIAS DA APRENDIZAGEM (19h) 3.1 Fundamentos da aprendizagem segundo as abordagens: Behaviorista, Cognitivista, Humanista e Sociocultural 3.2 Consideraes sobre teorias da aprendizagem 3.2.1 Behaviorismo: Skinner; Bandura 3.2.2 Cognitivista: Piaget; Vygotsky; Ausubel; Brunner 3.2.3 Humanista: Rogers; Maslow 3.2.4 Sociocultural: Freire

UNIDADE IV - EDUCAO, SOCIEDADE E CULTURA (3h)

UNIDADE V - TRABALHO COMO PRINCPIO EDUCATIVO (6h)

UNIDADE VI - A ENFERMAGEM E A EDUCAO (16h) 6.1 A Enfermagem como educadora de profissionais 6.2 Modalidades do trabalho educativo em enfermagem e sua importncia para promoo da sade

FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAO DO CURSO DE ENFERMAGEM

PLANO DE ENSINO

TRABALHOS DISCENTES EFETIVOS TDEs

TDE 1: Desenvolver uma anlise crtica do filme Sociedade dos poetas mortos (1989), correlacionando-o com a disciplina (4h); TDE 2: Elaborao de um relatrio descritivo contendo informaes pertinentes ao projeto Mdias Sociais realizado no perodo de 4 meses com anlise das redes sociais como forma de educao online ao pblico alvo (4h) - 2 avaliao; TDE 3: Criao de atividade em forma de dinmica a respeito das teorias de aprendizagem, em que cada grupo (composto de 6 alunos), ficar responsvel em criar um dinmica que retrate um modelo de aprendizagem a partir da anlise de cada teoria. Essa diviso ser feita previamente, em sala de aula, para que no haja repeties (4h)

RECURSOS DIDTICOS

Datashow; Quadro branco e pincis; Livros, revistas e artigos cientficos.

SISTEMA DE AVALIAO

A avaliao tem carter processual e diagnstico, objetivando o acompanhamento do desempenho do aluno no decorrer da disciplina, para tanto, devem ser considerados aspectos qualitativos como a participao ativa nas aulas e atividades acadmicas, o relacionamento aluno-professor e aluno-aluno, a cooperao, a competncia fundamentada na segurana dos conhecimentos adquiridos, a autonomia para aprofundar os conhecimentos, a pontualidade, o cumprimento de prazos na entrega de trabalhos, dentre outros.

Cotidianamente, a cada aula, a avaliao ocorrer com base em procedimentos como: discusso de temas relacionados aos contedos; exerccios escritos; produo textual; estudos dirigidos, debates etc.

Alm dos aspectos qualitativos, sero observados os critrios objetivos regimentais: a) frequncia mnima de 75% da carga horria da disciplina; b) trs notas parciais (aproximadamente a cada 1/3 do contedo trabalhado, cumulativamente ou no) que sero compostas da seguinte forma: - avaliao individual com peso de 100% quando admitir, em seu contedo, questes referentes ao texto acadmico; - avaliaes individuais na proporo mnima de 70%, quando associadas a atividades acadmicas, cuja proporo ser de at 30% para a composio da nota.

Esto previstas como atividades acadmicas avaliativas para composio da nota na proporo de 30%: a) Para a primeira avaliao ser realizado estudo sobre a LDB, por meio de trabalho em grupo, a ser

apresentado em sala de aula, por meio de dinmica a escolher. Essa produo ter peso avaliativo de 30% na composio da nota. .

b) Para a segunda avaliao os alunos sero divididos em grupos e cada grupo criar, a partir das mdias sociais e fazendo uso da tecnologia de informao, um blog ou site ou feed de notcias, que dever ser diariamente alimentado com informaes especificas previamente pr-selecionadas pelo grupo na rea da enfermagem, com a participao da docente. Essa produo ter peso avaliativo de 30% na composio da nota.

c) Para a terceira avaliao, os alunos devero ministrar uma microaula em sala de aula utilizando-se de uma didtica tradicional. O plano de aula ser cobrado como parte da composio da nota. Essa produo ter peso avaliativo de 70% que ser somada ao 3 TDE (plano de aula) para composio da 3 nota.

d) Em consonncia s normas institucionais, no obtendo mdia para aprovao a partir das trs notas parciais, o discente automaticamente estar inscrito para realizar a prova substitutiva e, caso ainda no seja aprovado, mas tendo alcanado a mdia quatro, se submeter prova final.

ARTIGO CIENTFICO E TEXTO PARA ATIVIDADES ACADMICAS

Artigo Cientfico: PEIXOTO, Joana, dos Santos; ARAUJO, Cludia Helena, Tecnologia e educao: algumas consideraes sobre o discurso pedaggico contemporneo. Educao & Sociedade [en linea] 2012, 33 (Enero-Marzo): Acesso em 11 de janeiro de 2018. Disponivel em: ISSN 0101-7330 Texto: SOUSA, Leilane Barbosa de; TORRES, Cibele Almeida; PINHEIRO, Patrcia Neyva da Costa; PINHEIRO, Ana Karina Bezerra. Prticas de educao em sade no Brasil: a atuao da enfermagem. Rev. enferm. UERJ; 18(1): 55-60, jan.-mar. 2010. Acesso em 11 de janeiro de 2018. Disponvel em: http://www.facenf.uerj.br/v18n1/v18n1a10.pdf

BIBLIOGRAFIA

BSICA AMORIM, Dalmo de souza (Org.); ALESSI, Neiry Primo (Org.); GATTAS, Maria Lucia Borges (Org.). Praticas interdisciplinares na area da saude . Holos, Editora, 2007. ANASTASIOU, L.G.C.; ALVES, L.P. Processos de ensinagem na universidade: pressuposto para as estratgias de trabalho em aula. 9. ed. Joinville, SC: UNIVILLE, 2010.

FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAO DO CURSO DE ENFERMAGEM

PLANO DE ENSINO

GIL, Antonio Carlos. Didtica do ensino superior. So Paulo: Atlas, 2011.

COMPLEMENTAR CAMPOS, Dinah Martins de Souza. Psicologia da Aprendizagem. 29.ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2000. DELORS, Jacques. Educaao: Um Tesouro A Descobrir. 4.ed. So Paulo: Cortez, 2000. DEMO, Pedro. Educao hoje: "novas tecnologias, presses e oportunidades. So Paulo: Atlas, 2009. MORIN, Edgar. Os sete saberes necessrios educao do futuro. 10.ed. So Paulo: Cortez, 2005. PILETTI, C. Didtica geral. So Paulo: tica, 2001.

Coordenao do Curso de Enfermagem