Fatima do Pontal - 200.216.236.44200.216.236.44/fotos/Folders2007/Fatima do Pontal_  · 3. Bacteriológico:…

Embed Size (px)

Text of Fatima do Pontal - 200.216.236.44200.216.236.44/fotos/Folders2007/Fatima do Pontal_  · 3....

  • Empresa responsvel pelo abastecimento de gua: Companhia de Saneamento de Minas Gerais - Rua Mar de Espanha, 525 -Belo Horizonte - MG - CEP: 30330-270 - Tel.: (31) 3348-9600.

    Responsvel legal: Samuel Von Ancken - Tel.: (34) 3411-8148.rgo responsvel pela vigilncia e qualidade da gua: Secretaria Municipal de Sade,

    situada Av. Avelino Socorro Filho, 697 - Carneirinho - MG - Tel.: (34) 3454-1008.Informaes complementares: Escritrio Local da COPASA: Rua Jos Luiz, 875 - Tel.: (34) 3411-8148.

    FTIMA DO PONTAL(CARNEIRINHO)

    COPASA.A GUA DE MINAS.

    RELATRIO DO CONTROLE DE QUALIDADEDE GUA, REALIZADO NO PERODO DE

    JANEIRO A DEZEMBRO DE 2006

  • RESULTADO DA QUALIDADE DA GUA - UM COMPROMISSO CLARO E CRISTALINO

    ETAPAS DO TRATAMENTO DA SUA GUA

    Para que voc tenha certeza de que est recebendo gua potvel, a COPASA faz diversas anlises, considerando quatro aspectos:1. Fsico: verifica-se a cor, o cheiro e o sabor da gua, alm da sua turbidez, ou seja, alteraes na sua transparncia devido a resduos no eliminados.2. Qumico: verifica-se a presena de materiais orgnicos ou inorgnicos que afetam a sade das pessoas (pesticidas, ferro, alumnio).3. Bacteriolgico: verifica-se a existncia de coliformes totais e fecais, entre outros microorganismos, indicativos da possibilidade da presena de outrosmicroorganismos causadores de doenas no homem.4. Hidrobiolgico: verifica-se a presena de microorganismos (vegetais e animais) que prejudiquem o tratamento da gua ou que possam liberar substncias txicas.

    O sistema de abastecimento de Ftima do Pontal, municpio de Carneirinho, comeou a ser operado pela COPASA em maio de 2004. A captao

    subterrnea, em poos profundos, e a gua recebe tratamento de desinfeco com cloro e adio de flor. O sistema, que tem capacidade de

    produo de 173 mil litros de gua por dia, atende a uma populao de 354 habitantes, atravs de 2.862 metros de redes de distribuio.

    O controle de qualidade de gua da COPASA comea com o monitoramento da gua do manancial utilizado para o abastecimento pblico em

    relao quantidade e qualidade. Assim, possvel definir a melhor forma de tratamento e tambm estimular a adoo de prticas de recuperao

    e proteo do manancial.

    DESCRIO DO SISTEMA

    PROTEO DOS MANANCIAIS

    11 -- DDeessiinnffeeccoo - A gua j est limpa quando chega a esta etapa. Ento ela recebe adio de cloro, que elimina os germes nocivos sade,

    garantindo tambm a qualidade da gua nas redes de distribuio e nos reservatrios domiciliares.

    22 -- FFlluuoorreettaaoo - Com a gua j limpa, nesta etapa ela recebe a aplicao de uma dosagem de um composto de flor, que contribui no combate

    s cries, principalmente no perodo de formao dos dentes.

    PARMETROS MEDIDOS PARA AVALIAO DA QUALIDADE DA SUA GUA

    1. Cloro: Produto qumico utilizado para eliminarmicroorganismos que no foram removidos nasetapas anteriores do tratamento. Sua presenaresidual na gua tratada final atua como umasegurana adicional contra eventuais contaminaesdurante o processo de distribuio.

    2. Coliforme Total: Indicador microbiolgico utilizado paramedir a eficincia do tratamento naremoo de microorganismos da gua para consumo humano.

    4. Escherichia coli: Indicador microbiolgico utilizado paramedir alguma eventual contaminaoda gua por matria fecal que possavir a veicular microorganismoscausadores de doenas ao homem.

    5. Flor: Produto qumico adicionado gua tratada final, como objetivo de colaborar na preveno da crie dental,contribuindo para a melhoria da sade bucal dapopulao.

    7. Turbidez: Alteraes no aspecto esttico da gua causadaspela presena de partculas slidas em suspenso oriundas do seu contato com o solo erochas (eroso), ou ainda, aquelas provenientesde rejeitos domsticos e industriais.

    6. pH: Valor que exprime a qualidade cida, bsica ou neutra,com que a gua pode se apresentar. Essas caractersticaspodem estar relacionadas com a capacidade das mesmasde se apresentarem como corrosivas ou incrustantes emrelao aos materiais dos equipamentos com os quaisentram em contato, como redes e reservatrios dedistribuio. Possui tambm relao direta com aeficincia da desinfeco atrves do cloro.

    Cloro mg/L Cl 124 124 0 124 0,81 0.2 a 2

    Coliformes Totais NMP/100ml 124 124 1 123 99,17% Obs.

    Cor UH 65 65 0 65 1,63 15

    Escherichia coli NMP/100ml 119 119 0 119 100% Obs.

    Fluoreto mg/L F 65 65 0 65 0,76 0.6 a 0.85

    pH - 65 65 0 65 7,02 6 a 9.5

    Turbidez UT 65 65 0 65 0,22 5

    N de Amostras ValorParmetro UnidadeMnimo Realizadas Fora Padres Dentro Padres mdio

    Limites

    Dados referentes ao perodo: 01/2006 a 12/2006

    Observaes:Para os parmetros Coliformes Totais e Escherichia coli, os valoresmdios no se aplicam. Referem-se ao percentual de amostras queatende aos padres no perodo, sendo avaliados de acordo com oscritrios ao lado.

    Coliformes Totais:- Sistemas que analisam 40 ou mais amostras/ms: ausncia em 100ml em 95% das

    amostras examinadas.- Sistemas que analisam menos de 40 amostras/ms: apenas uma amostra poder

    apresentar resultado positivo em 100ml.

    Escherichia coli:Ausncia em 100 ml.

    Este relatrio tambm se encontra disponvel no site www.copasa.com.br

    Lei n 8.078 / 1990Art. 6 So direitos bsicos do consumidor:III a informao adequada e clara sobre os diferentes produtos e servios, com especificao correta de quantidade, caractersticas, composio, qualidade e preo, bem como sobre os riscos que apresentem;Art. 31 A oferta e apresentao de produtos ou servios devem assegurar informaes corretas, composio, preo, garantia, prazos de validade e origem, entre outros dados, bem como sobre os riscos que apresentam sade e segurana dos consumidores.

    ANLISES TRIMESTRAIS E SEMESTRAIS

    Eventuais anlises fora dos padres foram refeitas, acompanhadas de inspees sanitrias, descargas no ponto de coleta e outras aespertinentes para garantir a qualidade da gua.

    Dos resultados encontrados, nenhum comprometeu a qualidade da gua distribuda populao.

    MEDIDAS ADOTADAS PARA MANTER A QUALIDADE DA GUA

    Md

    ia

    Mnimo exigido 12 10 10 10 12 10 10 10 10 10 10 10

    Realizadas 12 10 10 10 12 10 10 10 10 10 10 10

    Fora dos Padres 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

    Dentro dos Padres 12 10 10 10 12 10 10 10 10 10 10 10Teor mdio mensal 0,84 0,58 0,94 0,76 0,72 0,88 0,76 0,72 0,82 0,82 0,96 0,92

    Limites da Portaria 518 0.2 a 2

    N d

    e Am

    ostra

    s

    0,81

    Perodo - 2006 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez

    PARMETRO: CLORO (mg/l Cl)

    %

    Mnimo exigido 12 10 10 10 12 10 10 10 10 10 10 10

    Realizadas 12 10 10 10 12 10 10 10 10 10 10 10

    Fora dos Padres 0 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

    Dentro dos Padres 12 9 10 10 12 10 10 10 10 10 10 10Percentual de ausncia 0 10 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

    Limites da Portaria 518 N amostras > 40 : 95% de ausncia/N amostras