FoCA - 10ª Edição

Embed Size (px)

DESCRIPTION

O FoCA é o jornal realizado, como parte das atividades da Aeca, pelos estudantes de Jornalismo da Faculdade de Comunicação, Arte e Designer, do Ceunsp.

Text of FoCA - 10ª Edição

  • Dis

    tribu

    io

    Gra

    tuita

    Chamem os Clows!

    E mais: Autismo: conhea mais dessa doena silenciosa Vegetarianismo: um estilo de vida Reta Final: TCC

    Gisele

    Gutie

    rrez/

    FoCA

    Mayar

    a Cruz

    Ano 3 - 10 Edio. Novembro/Dezembro 2012

    Conhea a irreverncia dessa turma que no quer apenas fazer sorrir

    30 Bienal de So Paulo: Arte para todos

    Ler sem entender: Analfabetismo Funcional

    Julian

    a San

    dres/

    FoCA

  • Caros leitores,

    Esta a ltima edio do FoCA no ano de 2012, tambm a ltima vez que escrevo este editorial, no sem um aperto no corao, o que absolutamente justificvel. Foram dois anos de muito aprendizado, em que professores e diversas equipes, que fizeram parte deste jornal, acrescentaram sempre um algo a mais para que ele se tornasse o que hoje: um material de qualidade e que tem a nossa cara.

    Essa edio do FoCA chega com um acrscimo, literalmente: so quatro pginas a mais de informao e novas possibilidades.

    Nosso especial buscou inspirao em Charles Chaplin, so os clowns, mais que palhaos, mas uma turma que quer, antes de tudo, fazer com que o espectador questine e pense sobre sua prpria realidade. Tambm demos um passeio pela 30 Bienal de Artes de So Paulo, em que o contemporneo e a reflexo so palavras de ordem.

    Falamos ainda sobre vegetarianismo, TCC, estgio, autismo, comidas exticas e debatemos um problema que se reflete agora, na universidade: o analfabetismo funcional.

    Por fim, s resta agradecer a todos que acreditam e investem no principal jornal da FCAD. Afinal, somos FoCAS!

    Gisele Gutierrez

    FoCA FoCAEDITORIAL

    EXPEDIENTE

    VIDA UNIVERSITRIA

    2 3

    O FoCA est no Face! Curta

    Foca Ceunsp

    MURAL FCA+D

    O que rolou na FCAD

    FoCA - 2012Professor Orientador - Roberta SteganhaEditora chefe - Gisele GutierrezEditora assistente - Adla Machado

    Reprteres - Adla Machado, Gabriel Balista, Hugo Antoneli, Juliana Sandres, Lenita Lerri, Luiz Vicentin, Ricardo Santos.

    Colaboradores: Mayara Cruz, Blog Jornalismo FCAD, Matheus Garcez, Plano Sequncia, Andr Borges, Gabriel Giovanelli Rando.

    O FoCA um produto da Agncia Experimental de Comunicao e Arte (AECA), da Faculdade de Comunicao e Artes (FCA) - CEUNSP

    ContatoEmail focafca2011@gmail.comFacebook - Foca Ceunsp

    Os textos publicados so de responsabilidade de seus autores.

    Corrida de fim de anoJuliana Sandres

    Lip Dub 2012 - Animao contagiante dos alunos da FCAD no dia de gravao

    Gabri

    el Gio

    vanelli

    Ran

    do

    Andr

    Borge

    s

    Insnia II - Principais nomes da mfia invadiram os corredores do Bloco K

    Todo fim de ano a mesma coisa, alunos do ltimo semestre correndo feito loucos para terminarem seus Trabalhos de Concluso de Curso os famosos TCCs.

    Segundo o professor de Jornalismo Pedro Courbassier, a apresentao do trabalho de concluso a oportunidade que o aluno tem de colocar em prtica os ensinamentos a ele passados ao longo do curso. A apresentao uma ponte entre a vida acadmica e o mercado profissional. como se, depois de treinar na faculdade, o estudante apresentasse publicamente o que aprendeu, comenta.

    Para o estudante do ltimo semestre de Fotografia Coh Merlin, a maior dificuldade em fazer o TCC a falta de tempo. comum neste estgio do curso o aluno j estar trabalhando em tempo integral, o que dificulta na hora de preparar um trabalho to importante. Eu at que no tive muitas dificuldades em preparar meu TCC, a minha maior barreira foi a falta de tempo mesmo, diz o estudante que d aulas de fotografia na Secretaria da Cultura e Turismo de Salto e trabalha como tcnico de fotografia no Ceunsp (Centro Universitrio Nossa Senhora do Patrocnio).

    Durante o processo de desenvolvimento do TCC os graduandos contam com a ajuda de um professor orientador, que tem a misso de direcionar os estudantes a conseguirem os melhores resultados. A estudante de Jornalismo Natlia Esteves fala sobre a importncia do orientador. Eles nos ajudam a no nos perdemos. Me ajudaram a no fugir do Jornalismo, porque a crnica muitas vezes se encaixa em Literatura. As vezes d raiva porque um TCC nosso filho, a gente quer criar do nosso jeito, a vem a Super Nanny palpitar em como devemos fazer, mas no fim vemos que era tudo para o nosso bem, explica a criadora da revista Crnicativa.

    O nervosismo nesta reta final inevitvel, afinal o trabalho precisa ser apresentado para uma banca julgadora. Natlia se diz

    Capa da revista Crnicativa, trabalho de concluso de curso desenvolvido pela estudante de Jornalismo Natlia Esteves

    " como se, depois de treinar

    na faculdade, o estudante

    apresentasse publicamente o que

    aprendeuPedro Courbassier

    ansiosa, apesar de preparada para o desafio. Estou ansiosa! No vejo a hora. Sei que fui bem nas pr-bancas, mas a banca oficial ter outras pessoas me julgando, ento fico na ansiedade de: Ser que vo gostar? Ser que vo entender minha inteno?

    Para quem ainda no est no ltimo ano, fica a dica: comece a se preparar para o seu trabalho de concluso de curso desde j. Segundo Courbassier, quanto antes melhor. E por antes significa comear a pensar no tema, na abordagem que vai dar a esse tema, em procurar e ler a bibliografia - e no, necessariamente, a escrever o trabalho. Tem muito a fazer. Portanto, arregacem as mangas, comecem suas pesquisas e evitem a famosa correria de final de curso.

    Coh Merlin desenvolveu para o seu TCC o ensaio fotogrfico Retrato e Sensual

    Jorna

    lismo F

    CAD

    Jorna

    lismo F

    CAD

    Mathe

    us Ga

    rcez

  • busca uma vaga de estgio. fundamental que o interesse seja na vaga e no somente porque o estgio necessrio para se formar comenta.

    Para ela, o candidato deve saber exatamente o que procura, deve se informar e conhecer um pouco sobre a empresa da qual participar do processo seletivo. Ser sempre sincero, claro e objetivo enfatiza. A analista ainda faz um alerta muito importante: hoje as empresas exigem que os alunos, e qualquer outro profissional, sejam antenados sobre todos os assuntos, que tenham determinao, atitude e, principalmente, que sejam flexveis.

    FoCA 54 FoCA

    Segundo definio da Organizao das Naes Unidas para a Educao, a Cincia e a Cultura (UNESCO), o analfabeto funcional o indivduo que sabe escrever seu prprio nome, assim como l e escreve frases simples e efetua clculos bsicos, porm incapaz de interpretar o que l. Ou seja, estes indivduos sabem ler e escrever, mas no conseguem compreender ou interpretar textos longos. Tampouco sabem decifrar entrelinhas, ironias ou metforas contidas nos mesmos ou tirar suas prprias concluses sobre eles.

    O termo analfabeto funcional surgiu durante a Segunda Guerra Mundial. o que afirma a professora universitria Maria Regina Amlio, 52, formada em Letras, com especializao em Didtica no Ensino Superior. Durante a Segunda Guerra, militares americanos passaram a utilizar o termo para identificar a capacidade de suas tropas em entender as instrues escritas, necessrias para a realizao das tarefas militares, explica a professora.

    Atualmente, no Brasil, 38% dos estudantes universitrios so considerados analfabetos funcionais, como aponta o Indicador de Alfabetismo Funcional (Inaf). Para a professora Maria Eduarda Santos Farias, 32, formada em

    Letras, Literatura e Pedagogia, este nmero consequncia de falhas no ensino bsico, tanto pblico quanto particular, e tem relao direta com a falta de infraestrutura das instituies.

    Tive a experincia de trabalhar com analfabetos funcionais tanto na rede pblica quanto na particular. Na rede pblica, trabalhei no EJA (Educao de Jovens e Adultos) e encontrei vrios obstculos estruturais. Eles no tinham livros, a escola no possua mquina de xerox e nem disponibilizava material ou qualquer outro recurso. Havia alunos no 2 ano do Ensino Mdio que mal sabiam escrever o nome, revela. Apesar de ser em menor proporo, o problema tambm est presente na rede particular de ensino. Na rede particular, havia uma estrutura disponvel para que o trabalho fosse realizado de forma plena e mesmo assim existiam cinco alunos, em uma turma de 30, que eram analfabetos

    Juliana Sandres

    Sem entender: Analfabetismo Funcional

    funcionais. Esses alunos acabam chegando nas universidades com lacunas que deveriam ter sido sanadas nos anos anteriores, explica Maria Eduarda.

    DEBATE

    "Havia alunos no 2 ano do Ensino Mdio que mal

    sabiam escrever o nome

    Maria Eduarda Santos Farias

    "J me deparei com estudantes que diziam odiar

    literatura, isso numa faculdade

    de Comunicao e Artes"

    Regina Amlio

    A forma como a leitura abordada em algumas instituies pode fazer com que a literatura torne-se uma matria chata para os alunos, dificultando que este hbito seja associado ao prazer. Para a estudante Carolina Rodrigues, 18, poucos professores conseguem ou tentam abordar a leitura como forma de prazer. A maioria dos professores nos fazem ler apenas para que possamos decorar a matria e passar no vestibular, relata.

    Segundo Regina Amlio, pessoas que esperam da leitura apenas benefcios prticos no so bons leitores. J cheguei a me deparar com estudantes que diziam odiar literatura, isso numa faculdade de Comunicao e Artes, onde o substrato so as questes relacionadas ao pensamento, e completa dizendo: Bom mesmo ser o dia em que, numa pardia titnica, cantarmos: a gente no quer s ler. A gente quer ler, entender e ter prazer.

    MERCADO

    Julian

    a San

    dres/

    FoCA

    Gisele

    Gutie

    rrez/

    FoCA

    Estgio: O Pontap Inicial

    Depois de comear o to sonhado curso, muitos questionamentos passam na cabea do estudante. Quem nunca se perguntou nos corredores da fa