Click here to load reader

Fortaleza Decor

  • View
    229

  • Download
    6

Embed Size (px)

DESCRIPTION

A Vez da Sustentabilidade

Text of Fortaleza Decor

  • fortalezadecorPUBLICAO QUINZENAL EDIO 2 ANO I 6 DE OUTUBRO DE 2009

    AcessibilidadeCiclo de palestra discute polticas pblicas para adaptao de espaos urbanos a deficientes e idosos

    ArtesanatoCasa Cor 2009 abre espao para o melhor do artesanato em Maracana

    NESTA EDIO

    ESTA EDIO TRAR AS NOVIDADES EXIBIDAS NA EDIO DA CASA COR, QUE PRIVILEGIOU O TEMA SUSTENTABILIDADE E

    HOMENAGEOOU O PAISAGISTA BURLE MARX

    ESPECIALCASA COR 2009

  • 04

    12

    06

    Sumrio Editorial

    ExpedienteFortalezaDecor publicado quinzenal com distribuio gratuita em Fortaleza. Tiragem: 2.000 exemplares. Jornalista responsvel: Rodrigo Cunha (MTb 1907/CE). Diagramao/Projeto Grfico: Rodrigo Cunha. Departamento Comercial: Eliza Souza - (85) 8772.2394. Administrao e Publicidade: Llian Fernandes - (85) 9936.6936. Consultor: Carlos Zaranza - (85) 8716.9909. Editado por Spot Publicidade e Editora. Telefone: (85) 3082.8886 E-mail: [email protected]: Nlson Monteiro, DOIS.COM Comunicao & Estratgia, Matheus Rios, Tatiana Alves, Vlia Maria e Marcellus Rocha.

    03

    04

    05

    VITRINE. Ambientes da Casa Cor 2009 demonstram a varidade de estilos e bom gosto das cadeiras.

    MUNDO SUSTENTVEL. Lmpadas LED como proposta de um ambiente ecologicamente correto.

    PAISAGISMO. A vida e o trabalho de Burle Marx, o artista que trouxe aproximou a natureza dos grandes centros urbanos.

    06

    10

    12

    CAPA. Casa Cor levou este ano o tema sustentabilidade para os ambientes e homenageou Roberto Burle Marx.

    EVENTOS. Ciclo de palestras discute a adaptao e planejamento de espaos pblicos a deficientes e idosos.

    ARTESANATO. Maracana ganha espao exclusivo na Casa Cor 2009 para expor a cultura do artesanato no municpio.

    Aps uma excelente receptividade na primeira edio do Fortaleza De-cor, decidimos dedicar esta nova publicao com um especial sobre a Casa Cor 2009, evento anual realizado em diversas capitais, inclusive em Fortaleza.

    Este ano, o evento foi sediado na Manso Macdo, no corao do bairro da Aldeota, construdo em 1969 para ser a residncia do empresrio Benedito Dias Macdo, sob o privilgio de ter o jardim projeto pelo consagrado paisagis-ta Roberto Burle Marx, um dos homenageados da Casa Cor Cear.

    Nas reportagens desta edio, selecionamos alguns ambientes que mais se destacaram no evento, praticamente todos inspirados sobre o tema da sus-tentabilidade, com a utilizao de materiais que pouco degradam a natureza. Muitos ambientes da Casa Cor Cear foram batizados com ttulos de canes do arquiteto, msico, poeta e compositor Fausto Nilo, tambm homenageado desta edio do evento.

    Conseguimos tambm capturar alguns detalhes da exposio, como o es-pao dedicado exclusivamente ao artesanato de Maracana, uma tica pouco conhecida de um municpio que se destaca principalmente pela sua indstria, e o ciclo de palestras que abordou sobre a acessibilidade em espaos pblicos no mundo, no Brasil e no Cear. Durante este evento, o Governo lanou o Guia de Acessilidade, com diversas especificaes tcnicas para instalao de equipamentos que facilitem a vida dos idosos e deficientes.

    A coluna Mundo Sustentvel retrata o poder das lmpadas LED no am-biente que, alm de provocar ateno das pessoas pelo seu poder de luminosi-dade, tambm favorece a natureza ao reduzir a emisso de gs carbnico.

    Esperamos conseguir sintetizar todas as novidades deste que um dos principais eventos sobre arquitetura, paisagismo e decorao do Cear, que gera receitas e impulsiona a economia do Estado.

    Ficam aqui os nossos desejos de uma agradvel leitura!

    02 FORTALEZA DECOR

  • Vitrine

    A DANA DAS CADEIRASOS AMBIENTES DA CASA COR 2009 DEMOSTRAM A VARIEDADE DE ESTILOS E BOM GOSTO DESTES MOBILIRIOSTEXTO. CARLOS ZARANZA FOTOGRAFIA. DIVULGAO

    As Cadeiras de Design so o grande destaque de alguns dos mais interessantes ambientes da Casa Cor Cear 2009. Quem visita a mostra desse ano e seus diversos espaos observa esse detalhe que desperta a ateno pela sua variedade de estilos e bom gosto.

    De clssicos do mobilirio a peas recm-chegadas as lojas locais, estas peas no so simplesmente utilitrias. Entram no ambiente dando um grande contraponto.

    Na Sala de Jantar de Rodrigo Maia, as cadeiras Max do designer brasileiro Srgio Faher, compe so-lenemente o espao ocupando somente as cabeceiras da grande mesa de laca. Sendo revestida de um tecido que d um efeito de couro de cobra.

    J no ambiente Family Room, da arquiteta Dora So Bernardo, a grande vedete a vistosa poltrona Sha-dow Chair, desenho do designer Holands Tord Boontje. Inspiradas nas antigas cadeiras de praia mediterrneas, a pea nos chama ateno pelo colorido intenso e a altura que chega a 1,60 m, sendo quase uma alegoria em meio a tons de preto e dourado usados no projeto. uma pea

    FORTALEZA DECOR 03

    Mas uma coisa certa, estas e outras cadeiras apresentadas neste evento no so simples assentos, e sim verdadeiras obras de arte e devem ser encaradas em um ambiente como tal...

    totalmente artesanal, tendncia que se torna crescente no mercado e que d a pea um toque de exclusividade.

    Este efeito tambm pode ser dado ao quarto de ca-sal projetado por Paulo Andr Salles. A cadeira denomi-nada Antibodi, da designer espanhola Patrcia Urquio-la, nos parece a um primeiro instante simples, embora curiosa. O que muitos no sabem que ao avesso ganha-se uma nova composio de cores, o que permite efeitos variados. Para ter essa pea em sua casa, no se desembolsa menos que 25 mil reais (preo apresentado na revista Vogue de outubro de 2009).

    Mas uma coisa certa, estas e outras ca-deiras apresentadas neste evento no so simples assentos, e sim verdadeiras obras de arte e devem ser encaradas em um ambiente como tal...

    CARLOS ZARANZA CONSULTOR, DESIGNER DE AMBIENTES E PROFESSORhttp://carloszaranzadecorador.blogspot.com

    Quarto de casal de Paulo Andr Salles e a cadeira Antibodi

    Chaise Antibodi, da designer Patrcia Urquiola

    Sala de jantar de Rodrigo Maia e as cadeiras Max, do designer Srgio Faher

    Cadeira Shadow Chair, do holands Tord Boontje

  • Mundo sustentvel

    04 FORTALEZA DECOR

    ELIZA SOUZA ([email protected])

    Um dos temas mais importantes e divulgados em todo o Brasil nos mais variados segmentos a Sus-tentabilidade. A Casa Cor em suas diversas franquias espalhadas pelo pas, explorou esse tema em seus ambientes em todas as suas nuances.

    Seja no reaproveitamento e econo-mia de gua, uso de materiais ecologica-mente corretos, uso de madeiras certifica-das e de demolio e fontes alternativas de energia eltrica, tudo foi pensado de manei-ra que se possa mostrar de forma simples e bonita um novo conceito de moradia.

    A mostra deu o tom do que sero nossas casas em um futuro bem prximo e um dos maiores destaques desse novo con-ceito de moradia foi a presena das Lmpa-das LED (Light Emitting Diode) em muitos

    ambientes.Sejam salas, quartos, cozinhas, escri-

    trios, l esto elas trazendo sua proposta de economia e sustentabilidade.

    Esse sucesso todo se deu por um fa-tor muito simples: elas duram muito mais e consomem muito menos energia do que as lmpadas convencionais.

    O LED um componente eletrnico semicondutor, ou seja, um diodo emissor de luz, mesma tecnologia usada nos com-putadores que tem a capacidade de trans-formar energia eltrica em luz.

    Cientistas divulgaram que a mudan-a definitiva para a tecnologia LED dimi-nuiria at 50% as emisses de CO2 em um perodo de um pouco mais de 20 anos. Essas lmpadas no possuem vapor de mercrio e outros produtos nocivos sade humana

    A hora e a vez dasLmpadas LED

    e so duas vezes mais eficientes que as lm-padas fluorescentes. Alguns modelos pro-porcionam uma economia de mais de 80% quando comparados as lmpadas algenas ou as incandescentes comuns em uma vida til que chega as 45 mil horas, 50 vezes mais que uma incandescente comum.

    Por ser um produto ainda relativa-mente novo no mercado o seu preo ainda est alm do que se gostaria de gastar para a compra de uma lmpada, porm, h quem diga que em pouqussimo espao de tempo o preo do produto cair para nveis aceitveis ao bolso do brasileiro.

    A mostra Casa Cor Cear 2009, trs em seus diversos ambientes o uso desse novo aliado da sustentabilidade, mostrando que se pode ser econmico sem abrir mo do requinte e da sofisticao de morar bem.

    Recepo e bilheteria O Tempo e o Lugar de Andra Alencar e Natlia Mota

    Cozinha Gourmet de Renata Targino e Cristina Brito: um ponto de encontro entre o cozinheiro e seus convidados

  • Paisagismo

    FORTALEZA DECOR 05

    INTIMIDADE COM A NATUREZAO CONSAGRADO PAISAGISTA ROBERTO BURLE MARX UM DOS HOMENAGEADOS DESTA EDIO DA CASA COR CEARTEXTO. RODRIGO CUNHA FOTOGRAFIA. DIVULGAO

    O paisagista Roberto Burle Marx pode ser considerado um gnio completo. Do-minava como nunca os mais diversos ofcios, desde a pintura e o canto, at se consolidar como um conceituado paisagista, responsvel por aproximar a natureza do espao urbano atravs de seus trabalhos espalhados pelo Pas.

    Marx era paulistano, nasceu em 4 de agosto de 1909 e completaria seu centsimo aniversrio neste ano. Era filho de Ceclia Burle, de origem fran-cesa e pernambucana, e de Wilhelm Marx, um judeu alemo da cidade de Stuttgart. Karl Marx era primo do av de Wilhelm. O interesse da me pianis-ta pela msica e pelas plantas propor-cionou a mesma paixo nos filhos. Os

    problemas nos negcios do pai, comer-ciante de couros em So Paulo, obriga-ram a famlia a se mudar para o Rio de Janeiro em 1913 e Wilhelm Marx volta a ter resultados positivos com a expor-tao e importao de couros. Burle Marx, com apenas 8 anos, comea a ter sua prpria coleo de plantas e a culti-var suas mudas.

    Aos 19 anos, Roberto Burle Marx apresenta problema nos olhos, o que faz a famlia largar o Rio de Janeiro e viajar at a Alemanha para fazer um tratamento na viso. Permanecem por l entre os anos de 1928 e 1929, poca em que o jovem artista passa a ter con-tato com as vanguardas e exposies de mestres da pintura como Picasso, Matisse e Van Gogh, que o estimula a estudar sobre as artes. Em 1930, de vol-ta ao Rio, ingressa na Escola Nacional de Belas Artes, convivendo com nomes da arquitetura brasileira como Oscar Niemeyer e Hlio Ucha. Foi nesta d-cada que Burle Marx passou a chefiar o Departamento de Parques e Jardins de Pernambuco e comeou a desenvolver sua prpria esttica nos projetos paisa-gsticos, valorizando principalmente a flora nativa, ao invs de copiar o mode-lo de jardins europeus.

    Desde ento, at sua morte, em junho de 1994, Burle Marx conseguiu desenvolver mais de 2 mil jardins, den-tre os mais conhecidos projetos para o Aterro do Flamengo e o jardim do Mu-

    Desde a dcada de 1930 at sua morte, em 1994, Roberto Burle Marx desenvolveu mais de 2 mil jardins em todo o Brasil, inclusive no Cear, valorizando as espcies da flora nativa

    seu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. No Cear, Marx, em parceria

    com o cearense Roberto Marinho, desenvolveu alguns jardins como a do Banco do Nordeste do Brasil, da fbrica da Vicunha Txtil, do Centro Empre-sarial Clvis Rolim e a parte externa do Theatro Jos de Alencar. Em muitos destes jardins, o paisagista procurou utilizar plantas da prpria regio.

    Esta caracterstica tem chamado a ateno da tambm paisagista Valria Maldonado, admiradora confessa de Burle Marx, e que desenvolveu um pro-jeto de restaurao de um dos jardins que ele assinou no casaro que recebe agora a Casa Cor 2009. O projeto, que procurou recompor algumas espcies usadas no projeto original, como plan-tas aquticas e folhagens exuberantes, ganhou um prmio de Meno Hon-rosa. O jardim ocupa uma rea de 900 m e teve sua paisagem complementa-da por rvores e palmeiras j existentes no local.

    A paisagista Valria Maldonado procurou recompor o projeto original do jardim de Burle Marx em seu ambiente

    CRONOLOGIA1909. Nasce no dia 5 de agosto, em So Paulo1913. Muda-se com a famlia para o Rio de Janeiro1928. Vive um perodo na Alemanha com a famlia1930. Retorna ao Rio e frequenta a Escola Nacional de Belas Artes1932. Realiza seu primeiro projeto de paisagismo para a residncia da famlia Schwartz no Rio de Janeiro1934. Assume a diretoria de Parques e Jardins do Recife1949. Adquire um stio em Guaratiba (RJ), onde abriga uma coleo de plantas1954. Projeta os jardins do Parque Ibirapuera, em So Paulo1961. Realiza o projeto paisagstico do Aterro do Flamengo, no Rio1982. Recebe o ttulo Doutor honoris causa do Royal College of Art, em Londres1994. Morre no Rio de Janeiro, em 5 de junho, tendo projetado mais de 2 mil jardins

  • Capa

    06 FORTALEZA DECOR

    A VEZ DA SUSTENTABILIDADEA CASA COR CEAR 2009 LEVOU O TEMA PARA OS AMBIENTES E HOMENAGEOU O PAISAGISTA ROBERTO BURLE MARXTEXTO. RODRIGO CUNHA FOTOGRAFIA. DIVULGAO

    Burle Marx foi homenageado

    O LOCALMANSO MACDO

    A Casa Cor Cear 2009 foi sediada no imvel do empresrio Benedito Dias Macdo, projeto pelo arquiteto carioca Accio Gil Borsoi e construdo em 1969. O jardim foi assinado na poca pelo paisagista Roberto Burle Marx, contemplando um conjunto de plantas e lagos que ambientam o terreno.

    O local serviu de moradia de Benedito e sua famlia at 1975, quando passou a pertencer ao grupo J. Macdo. Em 1978, aps reforma a ampliao do imvel, com novo projeto de Borsoi, o imvel passou a sediar a holding do Grupo. A sede permanceu no espao at 2003, quando foi desabitado.

    Este ano, a Casa Cor Cear chega a sua 11a. edio, numa mostra que pretende reunir arquitetu-ra, decorao e paisagismo da Amri-ca Latina em um espao mais amplo. Desta vez, a sede escolhida foi o imvel pertencente ao Grupo J. Macdo, com residncia e prdio comercial projeta-dos pelo arquiteto Accio Gil Borsoi e jardim com projeto original de Burle Max, construdo na dcada de 1960, no bairro da Aldeota.

    Roberto Burle Marx tambm um dos principais homenageados da edio, no mesmo ano em que o paisa-gista completaria 100 anos de seu nas-cimento. Outros homenageados so dois cearenses: o arquiteto, urbanista, cantor e compositor Fausto Nilo, cujos ttulos das canes batizam os ambien-tes e o mdico neuro-cirurgio Dr. Mairton Lucena.

    Como todos os anos, a Casa Cor Cear escolhe um tema para evi-denciar o evento. Este ano, o foco dos ambientes foi a sustentabilidade, apresentando a preocupao dos deco-radores e paisagistas com a preservao ambiental.

    Dos 10 mil metros quadrados do terreno ocupado pela Casa Cor Cear, o evento contou com 4.200 m de rea construda, com espaos divididos em Residencial, com 25 ambientes como Adega, Living, Home-Theather, Suites e ou-tros, ocupando os cmodos da manso; Entetenimento, com Praa para Encon-tros, Restaurante, Caf, Chocolateria, Cozinha dos Cheffs, Oficina de Arte, alm do Stio Dona Benta, que reproduz os persona-gens do conto infantil Stio do Pica-Pau

    Amarelo, atrao para as crianas que acompanham os pais durante a visita. Outra novidade da edio foi o Hotel Casa Cor, mantido em parceria com o Sebrae-CE e o Governo do Estado, no primeiro andar do prdio comercial, com cinco sutes: master, nupcial, urbana, serra e praia, expondo novidades para o segmento.

    No mesmo ambiente foi possvel tambm encontrar espaos como o Lobby do Hotel, Joalheria, Agncia de Viagens,

    Este ano, o foco dos ambientes foi a sustentabilidade, apresentando a preocupao dos decoradores e paisagistas com a preservao ambiental.

    Oca Viva do arquiteto Luiz Deusdar, vencedor do prmio Ambiente com nfase no Design

  • FORTALEZA DECOR 07

    Loja ntima e a Loja Casa Cor, com produ-tos licenciados pela marca como livros, CDs, louas, cermicas e peas do arte-sanato cearense, onde o pblico pde adquirir estes produtos.

    J o segundo piso do prdio co-mercial contou com a ambientao do Salo de Festas e Eventos, cenrios para festas, coquetis e palestras realizados durante a mostra.

    A Casa Cor Cear abriu espao para a indstria local com destaque para os mveis produzidos na cidade de Marco e o artesanato produzido pelo municpio de Maracana.

    Os visitantes puderam ter acesso ao evento durante todo o perodo, no meses de outubro e novembro, atravs do Passaporte Casa Cor, outra novidade desta edio. Nos dois ltimos dias de funcionamento - 9 e 10 de novembro - ocorreu a Special Sale, quando as peas expostas nos ambientes puderam ser adquiridas com descontos de 30% a 70% (com informaes da assessoria).

    ServioCasa Cor Cear 2009entre 30 de setembro a 10 de novembroRua Visconde de Mau, 1000 - Aldeota www.casacorceara.com.br

    Dos 10 mil metros quadrados do terreno ocupado pela Casa Cor Cear, o evento contou com 4.200 m de rea construda, com espaos dividos em Residencial, Entretenimento e Stio Dona Benta.

    Dorothy LAmour, de Sophia Romcy, vencedor do prmio Melhor Ambiente de Uso Pblico e Comercial.

    A designer Telma Aguiar criou um espao inusitado na Casa Cor 2009. Em seu Lavabo ntimo, um ambiente que d suporte as reas de convivncia da residncia, misturou de forma harmnica o tecido shantung que revestiu a parede, e material reciclado fazendo um contraponto elegante ao espao. o mosaico com espelhos feito pela profissional aumenta propositalmente o espao dando-lhe tambm um aspecto ldico. O vidro bolhado um lanamento e

    exclusividade do ambiente. Detalhes como o pendente feito em forma de pizza de ao com pingentes em cristal tchecos e Swarovski do um toque a mais de sofisticao. Com foco na sustentabilidade, o piso de madeira eco-sustentvel. A torneira, lanamento da linha Decalux, com acionamento e sensor bivolt, e a descarga Deca Slim, que tem opes de descarga de 3 e 6 litros, vencedora do prmio IF Design, so tambm destaques no espao.

    possvel as pessoas usarem a mistura do lixo, luxo e sustentabilidade

    Lavabo ntimo, de Telma AguiarLavabo, de Sergei de Castro

  • 08 FORTALEZA DECOR

    Capa

    Palavras e SilnciosProfissionais: Beatriz Bittencourt, Lvia Silveira e Thomas Calixto

    No terrao de leitura, com aproximadamente 72m, os profissionais optaram por um projeto totalmente sustentvel, com a utilizaao de elementos de origem natural. Um espao acolhedor e prazeroso, no s para os apaixonados pela leitura, como tamm para quem quer relaxar, pois o ambiente possibilita uma interao com o jardim. O espao funcional e sofisticado, utiliza materiais contemporneos e ecologicamente corretos, como madeira de reflorestamento, couro sinttico e pedra, que do um toque acolhedor e relaxante. A gua tambm faz parte do cenrio, pois um lago foi projeto para compor o ambiente.

    Saleta Po e PoesiaProfissional: Sergei de Castro

    O profissional desenvolveu dois ambientes: uma saleta informal de caf com ambiente inspirado nas pinturas do aldeo russo Marc Chagall do incio do sculo 20, representado na pintura do teto abobado pintado pelo prprio decorador.

    Jardim Burle MarxProfissional: Valria Maldonado

    No jardim projeto por Burle Marx h mais de 30 anos, a Casa Cor Cear presta uma homenagem ao grande paisagista procurando recompor algumas espcies usadas no projeto original, como plantas aquticas e folhagens exuberantes, completando a paisagem com rvores e palmeiras existentes em uma rea de 900 metros quadrados.

    GALERIA: AMBIENTES

  • FORTALEZA DECOR 09

    Pavilho J. Macdo 70 anosProfissional: Marcos Cartum

    Pavilho compacto, suavemente implantando sobre o lago lateral dos jardins que circundam o imvel, que estabelece um dilogo harmnico e instigante tanto com os elementos que compem o paisagismo como com a arquitetura da residncia. O conceito do projeto de arquitetura sbria e minimalista optou por configurar um conjunto vazado por generosas aberturas que possibilitam a circulao natural do ar e forte interao dos ambientes de modo a facilitar a fluidez no percurso do visitante. A sequncia de ambientes tematiza os principais fatos que apresentam a histria e o perfil das sete dcadas do Grupo Empresarial J. Macdo, da sua fundao aos dias de hoje.

    Stio Passarim do AssarProfissional: Alberto Bruno

    Em uma rea de 1.440 m, o complexo, dedicado s crianas, abriga vrios ambientes, todos projetados com base na minimizao dos resduos oriundos da obra, racionalizao de energia eltrica atravs de fontes alternativas, uso racional da madeira toda certificada e luminrias confeccionadas de vidro reciclado e reduo da temperatura e, consequentemente, do consumo de energia, a partir dos telhados feitos de taubilha e pintados com tinta ecolgica branca base de gua; destaque para telhas de demolio retiradas de um casaro do ano de 1818. O ambiente recebeu o prmio Ambiente com nfase em Artesanato.

    Galeria Burle Marx Profissionais: Gabriela Jeszensky e Andr Pitta

    Os ambientes so trs galerias distintas, mas com a mesma linguagem arquitetnica, podendo destacar a madeira como elemento principal do projeto. O trabalho iniciou com o estudo do homenageado, que era uma pessoa completa em todos os sentidos das artes. Os profissionais foram buscar com um grande amigo de Burle Marx, o Ricardo Marinho, uma tcnica usada para criar um jardim interno como forma de painel vertical, que um painel vivo, onde as plantas no precisam ser substitudas, tem em sua estrutura um mecanismo de irrigao que as mantm vivas.

  • Eventos

    10 FORTALEZA DECOR

    AGENDA

    EventosSPECIAL SALE. O pblico poder adquirir peas com descontos de 30% a 70% expostas nos diversos ambientes da Casa Cor Cear 2009. Dias 9 e 10 de No-vembro (dois ltimos dias do evento), de 16h s 22h.

    ACESSIBILIDADEA TODOSEVENTO DISCUTE ADAPTAO DO ESPAO URBANO A DEFICIENTES E IDOSOSTEXTO. RODRIGO CUNHA FOTOGRAFIA. DIVULGAO

    A acessibildiade um dos temas mais comentados dentro do tema sobre espao pblico ur-bano, principalmente quando se relata a dificuldade diria de idosos e portadores de deficincia para percorrer caladas e edifcios. Sobre essa questo, estudantes e profissionais das reas de arquitetura e engenharia puderam assistir a um ciclo de palestras denominado Acessibilidade no Cear: Arquietetura sem Barreiras e Desenho Universal, promovido pelo Governo do Estado, por intermdio da primeira dama Maria Clia Habib Mou-ra Ferreira Gomes, durante o Casa Cor Cear 2009.

    O ciclo se constituiu de quatro palestras: acessibilidade no mundo (apresentado no dia 8 de outubro), no Brasil (no dia 15 de outubro), no Cear (no dia 29 de outubro) e em interiores (no dia 5 de novembro).

    Na oportunidade, a Secretaria de Infraestrutura do Estado apresentou o Guia da Acessibilidade, para orientar os profissionais da rea em promover aes que permitam adaptar os pro-jetos para atender tambm o pblico idoso e deficientes fsicos.

    De acordo com Censo 2000, o Brasil possua cerca de 24,5 milhes de pessoas com algum tipo de deficincia. No Cear, esse nmero representava 17,34% da populao total do Estado

    Pblico assiste a palestra da arquiteta e professora da UFC, Zilsa Maria Pinto Santiago, que falou sobre a acessibilidade no Cear

    A representante do Governo do Estado, Josete Andrade, fala sobre as aes do Programa Cear Acessvel

    Governo do Estado lanou, durante o ciclo de palestras

    na Casa Cor 2009, publicao com normas de padronozao de espaos

    pblicos voltados a atender a populao deficiente e idosos.

    FEIRA DO ARTEFATO. Oferece aos visitantes as mais variadas opes de pre-sentes, produtos artesanais, obras de arte, mveis rsticos, comida regional, diverso infantil e msica ao vivo. Primeiro sbado de todo ms, nesse ms 07/11, de 15h s 22h no Shopping Salinas.

    Entre os palestrantes, estiveram presentes a pesquisadora e professora Ana Lcia Faria Burjato, a professora da USP Elizabeth Lopes, a arquiteta e professora da UFC Zilsa Maria Pinto Santiago, a engenheira Nadja Dutra Montenegro, o professor e empresrio do setor de mveis Neandro Nasci-mento e a arquiteta Nora Geoffroy.

    Nas palestras tambm foi apre-sentado o programa Cear Acess-vel, que executa projetos entre treze secretarias do Estado, com a finalidade de promover estudos e pesquisas que envolvam o pblico deficiente fsico e idoso. O Guia de Acessibilidade, o por-tal da internet Cear Inclusivo e a Gr-fica Braille foram algumas das aes mais recentes do programa.

    Apesar de existir lei que tratava apenas sobre o acesso de deficientes em edifcios e logradouros em 1978, houve a insero efetiva do tema apenas com a Constituio Federal de 1988, que es-clarece sobre o direito de ir e vir e de construir adaptaes que facilitem esse direito aos portadores de deficincia.

    Em 2000, foram regulamentadas Leis Federais que apresentaram uma viso mais ampla sobre acessibilidade. De acordo com dados do ltimo Censo de 2000, o Brasil possui cerca de 16 mi-lhes de pessoas com deficincia visual, 8 milhes com deficincia motora, 5,7 milhes com deficincia auditiva, 2,8 milhes com deficincia mental e 1,4 milhes com deficincia fsica, repre-sentando um nmero de 24,5 milhes de pessoas portadoras de algum tipo de deficincia (total que considera os 10 milhes de brasileiros que possuem mais uma dessas deficincias).

    No Cear, o nmero da popu-lao com deficincia, ainda segundo estudo do IBGE de 2000, representava 17,34% da populao total do Estado.

  • ARQUITETOS E URBANISTAS

    ANA CAROLINA FAANHA. Rua Marcos Macedo, 1255, ap. 102. (85) 3461-3167.

    ANDREA PINHEIRO. Rua Oliveira Via-na, 290, ap. 301 - Papicu. (85) 3262-9010.

    ANDREIA E NATLIA MOTA. Av. Br. de Studart, 1165, sl. 405 - Aldeota. (85) 3224-5779.

    BEATRIZ BITTENCOURT, THOMS CA-LIXTO E LVIA SILVEIRA. Av. Santos Dumont, 2122, sl. 401 - Aldeota. (85) 4005-9090.

    BRUNA PONTES E MARISSA PRUDEN-TE. Av. Dom Lus, 500, sl. 914 - Meire-les. (85) 3082-4054.

    CAMILA FREITAS. Av. Santos Dumont, 3131, sl. 515 - Aldeota. (85) 9116-7720.

    CARLA CRUZ. Av. Santos Dumont, 2828, sl. 1506. (85) 9171-9730.

    CIBELE PARREIRAS. Av. Santos Dumont, 3131A, sl. 921, Torre Del Paseo - Aldeo-ta. (85) 3264-0384.

    CLARYANNE AGUIAR. (85) 3242-7312.

    CRISTINA BRITO E RENATA TARGINO. Av. Dom Lus, 500, sl. 1703 - Aldeota. (85) 3082-7942.

    DAYANNE BARBOSA E KEL OLIVEIRA. Rua Barbosa de Freitas, 1505, ap. 901 - Aldeota. (85) 3248-0323.

    DBORA MELO. Rua Pereira de Miran-da, 1155, sl. 301 - Papicu. (85) 8727-9294/8730-3200/8725-6230.

    DORA SO BERNARDO. Rua Norvinda Pires, 83 - Aldeota. (85) 3244-7113.

    RICO MONTEIRO. Rua Prof. Dias da Rocha, 2240, ap. 801 - Dionsio Torres. (85) 3227-1426.

    FTIMA NOGUEIRA, SOCORRO LIMA E NATASHA NOGUEIRA. Rua Prof. Jacinto Botelho, 40 - Salinas. (85) 3241-4277.

    GINA PAIVA E ALINE ALMEIDA. Rua Cel. Linhares, 2272, sl. 107 e 108 - Dionsio Torres. (85) 3272-7988.

    HENRY TEIXEIRA. Av. Dom Lus, 685, sl. 103 - Meireles. (85) 8822-0180/9925-0180.

    ALBERTO BRUNO. Rua Silva Jatahy, 15, sl. 204 - Meireles. (85) 3243-2974.

    AMAURY JUNIOR. Av. Sen. Virgilio Tvora, 465 - Meireles. (85) 8710-0050.

    ALEX S. Rua Carlos Vasconcelos, 807 - Aldeota. (85) 3242-1535.

    ANA NEUDSA QUEIROZ MORENO. Rua Jos Hiplito, 2200B - Messejana. (85) 3276-6208.

    VALRIA MALDONADO. Rua Andrade Furtado, 1069, ap. 202 - Papicu. (85) 3265-4478.

    Profissionais Casa Cor Cear 2009

    FORTALEZA DECOR 11

    HERBET ROCHA. Rua Domingos Olmpio, 152 - Centro - Sobral (CE). (88) 3613-1733/3613-2010.

    LINA FEINGOLD E LAURA RIOS. Rua Mar-cos Macdo, 1333, sl. 1013 - Aldeota. (85) 9121-2728.

    LUCE GALVO DE S. Av. Santos Du-mont, 3615, sl. 103 - Aldeota. (85) 3267-3099.

    LUIZ DEUSDAR. Rua Jos Vilar, 475, sl. 3 - Meireles. (85) 3224-6011.

    MAGALY GENTIL. Av. Des. Leite Albuquer-que, 635, ap. 604 - Aldeota. (85) 3224-6947.

    MARAL BARROS. Rua Silva Jatahy, 15, sl. 904 - Meireles. (85) 3248-5653.

    MARCELA MIRANDA. Rua Jos Alves Cavalcante, 1163, Cidade dos Funcion-rios. (85) 9924-0164.

    MARCELLA LIMA. Rua Marcos Macedo, 1333, sl. 1507 - Aldeota. (85) 9107-8680.

    MARCELO FRANCO. Rua Mons. Bruno, 927 - Meireles. (85) 3244-1611.

    MARCILIO LOPES. Av. Washington Soa-res, 1400, sl. 207 - Edson Queiroz. (85) 3273-2779.

    MARIA JOS LOPES. Av. Dom Lus, 500, sl. 1318 - Aldeota. (85) 3458-1661.

    MARLIA ESKINAZI, CRISTIANE ALVES E AIDA ANDRADE. Rua Costa Barros, 2234 - Aldeota. (85) 3224-3162/3087-5308.

    MAYRA SOARES. Av. Santos Dumont, 3131A, sl. 12151 - Aldeota. (85) 3264-0367.

    MAX FROTA E ITATIENE GARCIA. Av. San-tos Dumont, 2789, sl. 803 - Aldeota. (85) 3261-2293.

    ODETE ARAGO. Av. Eng. Santana Jnior, 2730 - Coc. (85) 3258-2005.

    PAULO ANDR SALLES. Rua Cel. Linha-res, 950, sl. 1101 - Aldeota. (85) 3261-0699.

    RACHELL AGUIAR. Rua Tibrcio Caval-cante, 1947 - Aldeota. (85) 3133-4444.

    REGINA CATUNDA E IVINA DE AGUIAR. Rua Isaac Amaral, 550 - Dionsio Torres. (85) 3272-7772.

    RENATA RLA E PAOLA SOUZA. Av. Wa-

    shington Soares, 909, ljs. 63 e 64 - Gua-rarapes. (85) 3241-3482.

    RICARDO SANTANA. Rua Lourdes Vidal Alves, 1375 - Lagoa Redonda. (85) 3474-6000.

    RODRIGO MAIA. Av. Pe. Antnio Toms, 920 - Aldeota. (85) 3304-9417/3304-9442.

    ROSALINDA PINHEIRO. Rua Carlos Vas-concelos, 889, 1o Andar - Meireles. (85) 3264-6558.

    SRGIO VERAS. Rua Antnio Augusto, 205, ap. 1300 - Meireles. (85) 3219-3127.

    SOFHYA ROMCY. Rua Vicente Leite, 220 - Meireles. (85) 9156-8121.

    TICIANA DUARTE. Rua Prof. Jacinto Bo-telho, 700, ap. 401 - coc. (85) 3241-0130.

    VALDO FIGUEIREDO. Av. Dom Lus, 1200, sl. 1805 - Meireles. (85) 8825-6969.

    VNIA FRANCK. Rua Costa Barros, 2000, lj. 6 - Aldeota. (85) 3224-4026.

    ARQUITETURA DE INTERIORES

    ANA FIZA E CELINA FIZA. Rua Vicen-te Leite, 1022 - Meireles. (85) 3242-1311.

    FLVIO FARIAS. Rua Prof. Dias da Ro-cha, 325. (85) 3242-4224.

    GERMANO RABELO. Av. Herclito Gra-a, 1574 - Aldeota. (85) 8723-8860.

    KARINE MAIA E DBORA MELO. Rua Pereira de Miranda, 1155, ap. 301 - Pa-picu. (85) 8727-9294/8730-3200.

    MARCELUS CARACAS. Rua Miguel Dias, 150, ap. 602 - Guararapes. (85) 3257-3722.

    MURIEL MELO. Av. Dom Lus, 1200, sl. 2104 - Aldeota. (85) 9985-1626.

    TSSIA FERREIRA. Rua Silva Jatahy, 72, ap. 300 - Meireles. (85) 3248-1677.

    DESIGNERS E DECORADORES

    ANA CLUDIA CANAMARY E KARINA PI-RES. Rua Carlos Vasconcelos, 146, sl. 800 - Meireles.

    ANDR PITTA E GABRIELA JESZENSKY (ARQUITETA). Av. Dom Lus, 1200, sl. 2112 - Meireles.

    CELENE GURGEL. Av. Beira Mar, 4050, ap. 706 - Mucuripe. (85) 3091-9340.

    CHAGUINHA SILVEIRA. Rua Jos vilas, 430, ap. 1000 - Meireles. (85) 3224-0919.

    CONCEIO GARCEZ E GARCEZ FILHO (ENG. CIVIL). (85) 3264-1890.

    EMLIA PORTO E ALBANIZIA CUNHA. Rua Ramos Botelho, 99, ap. 302 - Papicu. (85) 8861-6131/8686-2444.

    JACANA AGUIAR. Av. Santos Dumont, 1937 - Aldeota. (85) 3452-8844.

    LIGIA SILVEIRA. Av. Santos Dumont, 2122, sl. 501 - Aldeota. (85) 3264-8477.

    MARCUS CARTUM. Rua Vitorino Carmilo, 453, casa 3 - Campos Elsios - So Paulo (SP). (11) 3663-3911.

    NEIDE BARBOSA. Av. Sen. Virgilio Tvo-ra, 1901, sls. 501 e 502 - Aldeota. (85) 3261-3944.

    ROBERTO PAMPLONA JNIOR. Av. San-tos Dumont, 2828, sl. 1903. (85) 3486-1280.

    ROSLAVO ARAJO BRILHANTE. Rua Lour-des Vidal Alves, 1375 - Lagoa Redonda.

    SERGEI DE CASTRO. Rua Jlio Azevedo, 380 - Papicu.

    TECO COLOSSI. Rua Andrade Furtado, 1060, ap. 402 - Coc. (85) 3268-2053.

    TELMA AGUIAR. Rua Leonardo Mota, 455, ap. 802 - Meireles. (85) 3242-0783.

    PAISAGISTAS

  • Artesanato

    12 FORTALEZA DECOR

    Maracana, municpio distante a 15 km da capital, conheci-do por ser o plo industrial da Grande Fortaleza. O que no se conhecia at ento era a atividade artesanal dos moradores da cidade, exposta atravs de um espao exclusivo na Casa Cor 2009 e utilizados tambm no diversos ambien-tes do evento.

    CIDADE CRIATIVAMARACANA GANHA ESPAO EXCLUSIVO NA CASA COR 2009, ALM DE EXPOR SEUS TRABALHOS EM DIVERSOS AMBIENTESTEXTO. RODRIGO CUNHA FOTOGRAFIA. DIVULGAO

    Os artesos receberam capacitao em design, melhoria de peas e decorao de ambientes, e puderam mostrar o resultado dessa diversidade de trabalhos no evento

    O espao Maracana Design foi concretizado graas ao apoio da ONG Instituto Idear, em parceria da prefeitura. Segundo a assessora da Secretaria de Ci-ncia, Tecnologia, Trabalho, Emprego e Empreendedorismo, Cristina Luz, os ar-tesos receberam capacitao em design, melhoria de peas e decorao de am-bientes, e puderam mostrar o resultado dessa diversidade de trabalhos no evento.

    As peas expostas no espao foram colocadas a venda. Entre os trabalhos apresentados estava desde esculturas em ferro e aramado dos artesos Deim e Amador, que reproduzem msicos tocando, at uma rede feita com tcnica indgena por Ronaldo Silva. muito resistente, confortvel e bonita, comple-menta Cristina.

    Fora da loja, outras peas dos arte-sos de Maracana foram aplicadas aos demais ambientes da Casa Cor, a exem-plo do jogo americano em OSB (material de madeira reaproveitada) e da caixa de-corativa de vidro, da artes Andria Via-

    na, ambos decorando o espao Family Room, da arquiteta Dora So Bernardo.

    O arteso Deim tambm elaborou a escultura Dorothy LAmour, ttulo de uma cano composta por Fausto Nilo (tam-bm homenageado da edio), onde exibe um par de danarinos exposto do restaurante homnimo. J as esculturas em aramado que compem a Agncia de Viagens, O Pescador, e a Sute do Filho Internauta, Motocicleta, so assinados por

    Amador. Neste ltimo ambiente tam-bm existe uma guitarra em ferro inox, produzida por Roberto Fonseca e Ceclia Barroso.

    Todas as peas tambm sero colo-cadas a venda na Special Sale, que acon-tecer entre os dias 9 e 10 de novembro dois ltimos dias do evento , quando o pblico poder adquirir as peas com descontos de 30% a 70% .

    ServioPrograma de Desenvolvimento do Artesanato de Maracana(85) 3401.8002

    ONG Instituto [email protected](85) 3521.5959

    Visitantes conferem trabalhos na loja Maracana Design