GEADÁGIO - ccdb.gea.nom.br ?· Não compre o capacete enquanto não puder ter a motocicleta... ...…

  • View
    215

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

GEADGIO

Provrbios e Pensamentosextrados das pginas

capitularesdo escrito

Ga

Agora com excertos similaresde Genha (Geinhadgio)mas no todos, que s se acham nos

prprios livros

(No contm as poesias, seno a de abertura:

as demais devem ser lidas no texto de Ga)

2

No escrevo Gacom o intuito de superar

Homero, Verglio ou Cames:meu objetivo muito maior!Quando esse objetivo exigir,

oh! creia-me, Leitor!super-los-ei.Eis quem sou.

SIM! ARROGANTE!(e dou comeo a Ga)

Nasci a tremer: sou preto-e-branco.No vento do sul; sim: bandeirante!

Do ndio ao saci; vou, firo e tranco.De harpa ao azul, c te garante,

Subir desde aqui; por porte? cordas!Quem som si verter das treze listras.Brasil fiz do cu; oh! di? discordas?Da morte teu vu! se te encalistras.

MAS NEM TANTO...(e Verglio enceta A Eneida)

Aquelle, ... , ao toar da gracil frauta,Em outro tempo, versos modulou,

E, j deixado o matto, a darem lautaColheita, ao colono avido, obrigou

Estes campos visinhos, eis quem sou.

EIS QUEM SOU

Pgina 16 de Ga - Livro Primeiro

3

Clausar tem nua diante de si a perfeio: Ky.Ky, com seus olhos profundos qual profundo mar de Ga,

iluminados de sol, a emitir o verde calmo do Amor e a iridescncia dodesejo, entreabre os lbios surpresos e sussurra...

- Mas Voc meu pai!...

Pgina 19 de Ga - Livro Primeiro

4 Pgina 56 de Ga - Livro Primeiro

As drogas s vezes do imenso prazer,mas sempre do infinita dor.

No compre o capacete enquanto no puder ter a motocicleta...mas jamais deixe de sonhar: quando tiver a moto, compre dois!

Se dermos a migalha ao necessitado,ele devolver todo o po do mundo.

O mar cheio de desejo: acaricia com mos de ondas e unhasde espumas o bojo dos navios, feito o homem a seios, louco por

naufrag-los e possu-los para sempre.

Tal como alguns pintores e escultores alcanam o movimento,alguns homens alcanam a eternidade.

No centro do Universo h uma coluna truncada. Sobre a colunaest o Nada. A coluna se chama Imaginao, quem a sustenta

Deus e quem olha o Nada o homem.

O jovem s tem a criatividade; o adulto, s afazeres; o velho,s experincia: nenhum pode criar provrbios. S quem

velho, adulto e jovem pode, e esse se chama escritor.Escreva e seja trs em um: assim, nunca estar s.

Um diamante do dimetro do dia o diadema do Diabo:foi a aliana com o homem, roubada do dedo de Deus.

No se preocupe coa vida: basta uma clula para reviver umplaneta morto... mas tem de ver se a Vida querer fazer a

clula, pois o planeta fcil.

A diferena da preciosidade para o preciosismo a mesma daourivesaria para a bijuteria, mas, a despeito dos despeitosos,

ambos valorizam textos e testas.

5

Uma obrarepleta de erros,

mas com um nico acerto,pode salvar a humanidade;

uma obra repleta de acertos,mas com um nico erro,

podedestrui-la

( humanidadeou salvadora obra).

Dir ento o perfeccionista:faamos obras totalmente certas.

Dir o cnico: faamos obras totalmente erradas.Dir o medocre: faamos obras meio certas e meio erradas.

Dir o covarde: oh, no! no obremos jamais!Dir o crente: deixemos Deus obrar.

Digo eu: fao Ga sozinho,onde a humanidade

to-somente umadas obras.

As pupilas, em si, nada so; e, tal como o Nada, so tudo...

sbio quem abandona um problema quando os sbios no lheacham a soluo; louco o insistente, e gnio se a encontra.

Certas mulheres so tesouras:abrem as pernas e a mente, mas nunca o corao;

outras so pinas: abrem pernas e corao, jamais a mente;prefiro as canivetes: abrem-se inteiras, na hora certa...

e cortam o dedo de quem no as merece.

Certos homens culpam a Deuspor todas as suas prprias imperfeies deles

e querem ouvi-Lo pedir perdo por hav-los criado!

Pgina 100 de Ga - Livro Primeiro

6 Pgina 122 de Ga - Livro Primeiro

Algumasgrandes peras, sinfonias;

certos livros, filmes; vrios poemas, cantos;todos esses comeam como a decolagem dos caas,

lanados pela catapulta num navio-aerdromo. Outros seiniciam feito a flor e a vida: de manso, para desabrocharem,

matizarem o planeta, odorarem o ar e, at mesmo! volverem aoprincpio e ressuscitarem. Este o caso de Ga: Ga a minhae a sua vida, Leitora, Leitor. Est certo quem adquire apenas oprimeiro volume de uma coleo para ler e, se gostar, compraro resto. Porm, nem sempre quem est certo o certssimo dos

certos. O escrito Ga no foi feito para ser vendido; sim,para ser lido, lido, lido inteiro, e, mxime, relido.

Quem s ler um volume ter lido o broto;quem ler todos ter lido o boto;

quem reler ter lidoa rosa.

Felizmente nem todos pensam como eu,pois, se pensassem, no precisaria mais pensar...

Disse Blaise Pascal: como no podemos conhecertudo de tudo, devemos conhecer de tudo um pouco. Os

cientistas, entanto, procuram conhecer tudo de um pouco,e acabam conhecendo nada de tudo. Se submetssemos acincia filosofia; e esta, ao misticismo, conheceramos,sim, tudo de tudo, pois num pouco desse pouco h tudo.

Para o s preciso uma coleo de romances;para o amante, basta um nome.

Um dia, respondi a escura carta do mais claro amigo, sobre oslimites cerebrais e o contnuo espao-tempo: As dimenses

alcanadas pelo crebro transcendem esse continuum, sepermitirmos a nosso rgo mximo pulsar feito o corao.

7Pgina 162 de Ga - Livro Primeiro

O livro a ponta do iceberg escritor, cuja Alma toda a guado Universo, cujo Leitor todo o ar, cuja matria toda a

terra, cujo estro todo o fogo e cujo Deus o livro.

Transparncias no fazem mal s crianas; ocultaes sim.O maior pecado da tela a escandalosa supresso da nudez.

Devido impunidade, o bandido assassinou jovem casal,quando este preparava o terreno para construir morada

e criar filhos. Esse bandido repetidamente assassina outrosjovens casais, e ningum toma providncias. Os casais

so marimbondos, o terreno o teto de minha sala e o bandido sou eu.

Chama, entre as chamas, o infernal Hades divina Persfonee aponta-lhe, no alto, a cavernosidade de seu subterrneoznite: - L, onde um dia reinou Zeus, subvivem nossos

sditos: so as minhas cidhades!....

No sou contra os ces: sou a favor dos gatos.

Olhe sempre os dentes, principalmente se o cavalo for dado;seno, olhe ao menos os dentes de quem deu.

O homem inseguro est beira do abismo de si prprio, onde todosquantos descobrem-no querem atir-lo. Ah, se desse por si umpasso alm! o abismo mero espelho, estendido no cho...

Deus cria o Universo fabricando e pisando espelhos.

Para os muito superiores, o tdio de ver os inferiores chega atornar-se interesse e at generosidade, confundidos por estes

com igualdade e fraternidade, a ponto de tomarem liberdades...(Esse o motivo de este escritor tomar certas liberdades comDeus e de certos crticos tomarem liberdades com Escritores).

8Pgina 182 de Ga - Livro Primeiro

Devido riqueza de suas psiques, os homens so os maisheterogneos dos seres na Terra; contudo, essa mesma

heterogeneidade permite-lhes assemelharem-se mais, semobrig-los a tristemente se igualarem.

No Brasil, um bilho vale mil milhes;em Portugal, mil vezes isso. Logo, um ladro de bilho

brasileiro tem de roubar mil vezes mais para igualar um ladrode bilho portugus. Por isso se rouba tanto aqui. S por isso.

As hemcias do rico so rubi; do nobre, safira; e do pobre,plidas, at o mdico ou o bandido igualarem-nas em vermelho

e os polticos pretejarem-nas com os apages. Felizmente asminhas j so pretas, pois, no sangue, correm-me letras.

No comeo do fim, chove sol, venta vcuo, neva fogo,anoitecem manhs, amanhecem noites, verticaliza-se o

horizonte e nasce a Morte, mas no morre a Vida,pois no fim do fim est o comeo do comeo.

O prosador conduz no sangue prosa e dor: hemcias pretas deletras, tcitos leuccitos de espcios; batem-lhe, no peitolangue, exclamaes de efeito, e no crebro pulsa-lhe a

saudade mais cida, de quem, amena qual pena! roubou-lhe,em leito escuro e noite calma, num plcido riso, o futuro, o

direito, o arrimo, o jeito, a rima, o siso, a f at... e, qui ded, deixou-lhe s um fio de luz, a linha da pgina, plumbaginapor onde, ao fugir, se esconde, dana, e, criana, p ante p,

desenrolou-lhe a Alma.

Nada to belo quanto nova poesia velha.

As quatro foras do Universo so: cincia, filosofia, misticismoe fico, perfeitamente unificadas no escrito Ga...

9Pgina 250 de Ga - Livro Segundo

Durono

...dar sua vida, sim, , por pitecantropos!morrer

nosbraos

dacruz...

Escritor:no queira compor

como este ou aquele literato;sim, qual certo pintor, feito algum escultor,msico, ou outro mestre qualquer. Melhor

ainda: queira escrever igualVoc mesmo.

Umjardim

no se v:freqenta-se:

mutvel comoo programa de um

cinema.

A terra no como Penlope: no espera quem diz ser dono:vai com quem cuidar dela.

No se preocupe com o futuro distante:uma cobra muito longe pode ser uma minhoca perto.

A fantasia o mais belo traje da Verdade:por trs de todas as iluses religiosas e os delrios msticos

h uma Verdade s!

10 Pgina 384 de Ga - Livro Segundo

O vero escritor evita, mas comete, erros, pois, se dedicasse otempo todo a os no cometer, jamais escreveria, muito menos

inovaria e nem sequer gramtico ou professor seria.Isso no prioriza a clareza sobre a correo: deve-se escreverclaro e certo. Troque-se erros por escuridades, los porlas, cl