Click here to load reader

Hermeneutica juridica

  • View
    452

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Hermeneutica juridica

SIDNEY GUERRA E LLIAN MRCIA BALMANT EMERIQUE

295

HERMENUTICA DOS DIREITOS FUNDAMENTAISSidney Guerra* Llian Mrcia Balmant Emerique** SUMRIO: Introduo. 1. Noes gerais de Hermenutica Jurdica. 2. A interpretao das normas constitucionais. 3. O intrprete. 4. Os processos hermenuticos. 5. A interpretao das normas constitucionais de direitos fundamentais. 7. Concluso. RESUMO: O presente trabalho procura descrever alguns pontos relevantes da nova hermenutica, apontando suas contribuies para a interpretao das normas constitucionais que so carregadas de peculiaridades. Como tambm defende a idia de que esta abordagem hermenutica melhor se adequa a interpretao dos direitos fundamentais to caros as sociedades contemporneas. ABSTRACT: The present work seeks to describe some relevant aspects of the new hermeneutica, pointing to its contributions for the interpretation of constitutional norms that are filled with peculiarities. It is also defended the idea that such hermeneutical approach better suits the interpretation of the fundamental rights so expensive to contemporary societies.

*

Doutor e Mestre em Direito. Professor Adjunto da Faculdade Nacional de Direito (UFRJ). Professor Titular e Coordenador de Pesquisa Jurdica da UNIGRANRIO. Professor do Programa de Mestrado da Faculdade de Direito de Campos. Membro da Inter American Bar Associaiton, da Associao Nacional de Direitos Humanos Ensino e Pesquisa e da Sociedade Brasileira de Direito Internacional. ([email protected] e [email protected]) ** Doutora e mestre em Direito. Professora e pesquisadora da UNIGRANRIO e UNIFLU (FDC). Revista da Faculdade de Direito de Campos, Ano VI, N 7 - Dezembro de 2005

296

HERMENUTICA DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS

Revista da Faculdade de Direito de Campos, Ano VI, N 7 - Dezembro de 2005

SIDNEY GUERRA E LLIAN MRCIA BALMANT EMERIQUE

297

1. Introduo Durante muitos anos a hermenutica constitucional no Brasil esteve pautada nos mtodos tradicionais (gramatical, histrico, sistemtico e teleolgico) e o formalismo tomou conta da atividade interpretativa em quase sua maioria. Poucos ousaram desenvolver consideraes e crticas que questionassem o alcance da interpretao promovida pelo nico e exclusivo emprego desta metodologia. Atualmente pode-se perceber a influncia da hermenutica estruturada na Alemanha a partir da dcada de cinqenta e que vem pondo em discusso um novo mtodo, alm de questionar o alcance da atividade interpretativa, inserindo novos atores sociais no quadro daqueles que tomam parte desta atividade com base na teoria democrtica. O presente trabalho procura descrever alguns pontos relevantes da Nova Hermenutica, apontando suas contribuies para a interpretao das normas constitucionais que so carregadas de peculiaridades. Como tambm defende a idia de que esta abordagem hermenutica melhor se adequa a interpretao dos direitos fundamentais to caros as sociedades contemporneas. Para tanto, primeiramente relacionam-se as particularidades das normas constitucionais que tornam a tarefa de interpret-las mais dificultosa do que a interpretao dos comandos infraconstitucionais. Em seguida mencionam-se algumas razes que justificam a necessidade de uma nova hermenutica mais apropriada a interpretao da Constituio, privilegiando na abordagem o emprego do mtodo hermenutico concretizante. Como desdobramento dos principais componentes deste mtodo se expe o pensamento de trs autores (Peter Hberle, Konrad Hesse e Jos Joaquim Gomes Canotilho), fazendo referncia ao contributo de suas obras para o desenvolvimento de uma Nova Hermenutica.Revista da Faculdade de Direito de Campos, Ano VI, N 7 - Dezembro de 2005

298

HERMENUTICA DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS

Depois se desenvolve um pouco mais os meandros do mtodo hermenutico concretizante. Finalizando o estudo com a defesa de tal mtodo como sendo o mais indicado para a interpretao das normas de direitos fundamentais, descrevendo as razes justificadoras desta posio.

2. Noes gerais de Hermenutica Jurdica A hermenutica,1 segundo Saldanha,2 corresponde a teoria dos fundamentos do interpretar, ou seja, se exterioriza como sendo o processo coordenador que ampara e fornece os trilhos de atuao da atividade da interpretao tcnica, que, por sua vez, consiste na busca prtica e investigativa da verdadeira essncia de cada texto que lhe apresentado, de modo que seja possvel retirar o correto entendimento, contedo e significado da norma analisada. A concluso em cadeia dos mtodos do processo hermenutico, via interpretao tcnica, permite a boa aplicao do resultado final ao fato pertinente, confirmando-o, moldando-o ou negando-lhe validade, ou seja, cada agente interpretador, conforme a sua competncia, atribuio ou condio, ir adequar e moldar, aos verdadeiros ditames das respectivas normas jurdicas interpretadas, os fatos concretos a ele subjugados. Prima a viso didtica que relaciona separadamente a hermenutica da interpretao e da aplicao. Vicente Ro assevera que: A hermenutica tem por objeto investigar e coordenar por modo sistemtico os princpios

1

Para melhor entendimento da matria, recomenda-se a obra de GUERRA, Sidney; MERON, Gustavo. Direito constitucional aplicado funo legislativa. Rio de Janeiro: Amrica Jurdica, 2002. 2 SALDANHA, Nelson. Ordem e hermenutica: sobre as relaes entre as formas de organizao e o pensamento interpretativo, principalmente no direito. Rio de Janeiro: Renovar, 1992. p. 246. Revista da Faculdade de Direito de Campos, Ano VI, N 7 - Dezembro de 2005

SIDNEY GUERRA E LLIAN MRCIA BALMANT EMERIQUE

299

cientficos e leis decorrentes, que disciplinam a apurao do contedo, do sentido e dos fins das normas jurdicas e a restaurao do conceito orgnico do direito, para o efeito de sua aplicao; a interpretao, por meio de regras e processos especiais, procura realizar, praticamente, estes princpios e estas leis cientficas; a aplicao das normas jurdicas consiste na tcnica de adaptao dos preceitos nelas contidos e assim interpretados, s situaes de fato que se lhes subordinam.3 De fato, a hermenutica jurdica tem por objeto o estudo e a sistematizao dos processos aplicveis para determinar o sentido e o alcance das expresses do Direito. As leis positivas so formuladas em termos gerais; fixam regras, consolidam princpios, estabelecem normas, em linguagem clara e precisa, porm ampla, sem descer a mincias. (...) A interpretao, como as artes em geral, possui a sua tcnica, os meios para chegar aos fins colimados. Foi orientada por princpios e regras que se desenvolveu e aperfeioou a medida que envolveu a sociedade e desabrocharam as doutrinas jurdicas. A arte ficou subordinada, em seu desenvolvimento progressivo, a uma cincia geral, o Direito, obediente, por sua vez, aos postulados da Sociologia; e a outra, especial, a Hermenutica.4 Habermas lembra que a hermenutica jurdica teve o mrito de contrapor ao modelo convencional, que v a deciso jurdica como uma subsuno do caso sob uma regra correspondente, a idia aristotlica de que nenhuma regra pode regular sua prpria aplicao. (...) A hermenutica prope um modelo processual de interpretao.5

3

RO, Vicente. O direito e a vida dos direitos. 5. ed. anot. e atual. por Ovdio Rocha Barros Sandoval. So Paulo: Revista dos Tribunais, 1999. p. 456. 4 MAXIMILIANO, Carlos. Hermenutica e aplicao do direito. 17. ed. Rio de Janeiro: Forense, 1998. p. 1. 5 HABERMAS, Jrgen. Direito e democracia entre facticidade e validade. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1997. p. 247 Revista da Faculdade de Direito de Campos, Ano VI, N 7 - Dezembro de 2005

300

HERMENUTICA DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS

3. A interpretao das normas constitucionais Primeiramente, cabe conceituar o que vem a ser a atividade de interpretao no mbito jurdico. A doutrina vem geralmente entendendo que interpretar atribuir um significado a norma. Contudo, este conceito est longe de apaziguar as tenses que envolvem a atividade do intrprete ou mesmo concluir que tal tarefa destina-se apenas aos casos nos quais no h consenso sobre o significado atribudo a uma norma jurdica. As questes hermenuticas suscitam temas ligados ao texto, ao intrprete e a interpretao em si mesma. Um ponto que no pode ser deixado de lado diz respeito ao texto que ser objeto da interpretao, at porque sobre ele que se concentram os esforos para que um significado lhe seja atribudo como resultado da atividade desenvolvida. Excluindo-se o texto toda a idia de interpretao fica comprometida, entretanto, no se defende a nica e exclusiva relevncia do texto, pelo contrrio, a interpretao no prescinde dos fatos, ela atribui um significado a norma dentro de uma realidade espacial e temporal. Atualmente a corrente da hermenutica jurdica que mais impacto apresenta na literatura nacional sustenta que o problema fundamental para a interpretao da norma. O texto necessariamente est relacionado com a linguagem, com a teoria da comunicao. Por meio da linguagem se trava a comunicao. A linguagem designa, mas tambm fonte de incertezas em funo da ambigidade, do carter vago e da textura aberta. Contudo, no se pode negar que ela uma forma de expresso rica e cheia de complexidade. Cada vez mais a linguagem desperta o interesse dos estudiosos, especialmente no campo da semitica, de onde surgem discusses de interesse para o Direito, dando origem a um segmento preocupado com a semitica jurdica inquieta com as relaes entre direito,Revista da Faculdade de Direito de Campos, Ano VI, N 7 - Dezembro de 2005

SIDNEY GUERRA E LLIAN MRCIA BALMANT EMERIQUE

301

lgica e linguagem, buscando estabelecer uma triangular conexo entre sintaxe, semntica e pragmtica. A hermenutica tambm deve dedicar-se ao estudo daquele que desenvolver a atividade interpretativa, pois interpretar consiste em dotar de significado e nesta tarefa o intrprete uma espcie de mediador que comunica aos demais o significado que se atribui as