Click here to load reader

Imóveis & Decor - 6 de março de 2016

  • View
    228

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Imóveis & Decor - Caderno de imóveis do jornal Amazonas EM TEMPO

Text of Imóveis & Decor - 6 de março de 2016

  • 3090-1017

    1

    MANAUS, DOMINGO, 6 DE MARO DE 2016

    TENDNCIAS

    Arquiteta fala sobre novidades

    Pginas 4 e 5

    DIVULGAO

    Ainda h demanda por investimentos em IrandubaOs preos de imveis variam de acordo com o tamanho do lote e tm parcelas mensais entre R$ 400 e R$ 700

    Os empreendimentos imobilirios locali-zados no municpio de Iranduba, a 27 quilmetros distante de Ma-naus, que tiveram um boom aps a construo da ponte sobre o rio Negro que liga a capital regio metropolita-na, sofrem com a crise, porm a tendncia de melhora.Os imveis que esto na

    estrada ainda so os mais cotados entre os clientes por conta da proximidade a Manaus. De acordo com o corretor de imveis Valdemir Botelho, aps a concluso da construo da ponte que liga Manaus a Iranduba, a melho-ra foi de 100% nas vendas. Melhorou muito, e o fl uxo

    de pessoas procurando, tam-bm, bem maior que antes, disse Botelho, ao destacar que os loteamentos parcela-dos so os mais procurados por quem deseja investir em um pedao de terra. Os preos so dos mais

    variados, e dependendo do tamanho do lote, as parcelas mensais vo de R$ 400 at R$ 700. Alm desses lotes, os apartamentos que no se distanciam muito da ponte tambm esto em alta entre quem deseja investir. Apar-tamentos e casas prximos ao quilmetro 5 at o 8 ainda so um bom atrativo, explicou o corretor.Botelho revela, entretanto,

    que o nico perodo de queda da demanda que ele presen-ciou aps a construo da

    ponte foi no incio deste ano, e isso motivado pelo momento conturbado da eco-nomia brasileira. Por conta da crise, a procura diminuiu um pouco, mas mesmo assim ainda estamos vendendo bem, pois as difi culdades no so apenas em Iranduba, mas em todo o Brasil, avaliou.

    InvestimentoO agrnomo Augusto

    William Pereira afi rma que s comprou um imvel em Iranduba aps a construo da ponte. Eu tinha muita von-tade de ter uma casa fora de Manaus, mas a acessibilidade aos municpios sempre foi um problema. Agora moro prxi-mo ao meu trabalho, o que bem melhor, comentou.Apesar da crise, o presiden-

    te da Associao das Empre-sas do Mercado Imobilirio (Ademi), Romero Reis, consi-dera que o momento econ-mico favorvel ao consu-midor, pois em praticamente todos bairros de Manaus h empreendimentos imobili-rios e, principalmente, em Iranduba, onde h um amplo mercado e opes para inves-

    tir. As incorporadoras cons-trutoras esto no momento de privilegiar a venda de seus estoques, explicou Reis.

    Mais em contaCom o valor mdio do metro

    quadrado avaliado em R$ 4,4 mil, o Amazonas um dos Estados que apresentam imveis com preos mais bai-xos em nvel nacional, onde a mdia do metro quadrado chega a R$ 7,3 mil.Mesmo com os lotes estan-

    do com preos mais baixos no momento da compra de um imvel ou terreno, apro-ximadamente 9% das vendas referente ao primeiro ms do ano se do com imveis de trs quartos, com mais de cem unidades vendidas, segundo balano da Ademi-Am.

    AdaptadosDurante a aquisio de

    um imvel, a planta fi ca por conta da escolha do cliente. O tamanho de uma sala, ou cozinha, assim como o nmero de quartos, o que mais causa impacto no momento de es-colha, explicou o presidente do Sindicato da Indstria da Construo Civil do Amazonas (Sinduscon-AM), Frank Souza, e isso faz com que muitos projetos sejam readequados.Quando voc escolher um

    apartamento, ele j tem uma modulao e no caso do n-mero de quartos, na planta, o cliente pode optar e a constru-tora adequa conforme o gos-to. Tem construtora, inclusive, que exemplo, transforma um quarto e uma grande sala ou um home theater, fi nalizou.

    ASAFE OLIVEIRA OPORTUNIDADE

    Inaugurada em 2011, a ponte Rio Negro abriu oportunidades para in-corporadoras oferecerem produtos imobilirios. De acordo com projees do Sindmoveis-AM, dez empreendimentos (45 mil moradias) devem ser entregues at 2017

    IONE MORENO

    01 - IMVEIS&DECOR.indd 1 04/03/2016 21:03:33

  • MANAUS, DOMINGO, 6 DE MARO DE 20162

    EXPEDIENTEEDIO Mellanie [email protected]

    REPORTAGEMAsafe Oliveira

    FOTOSArquivo EM TEMPO

    REVISODernando Monteiro eJoo Alves

    DIAGRAMAOAdyel Vieira

    TRATAMENTO DE FOTOSKleuton Silva

    Avano no ndice que reajusta valor do aluguelO levantamento feito mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundao Getulio Vargas (FGV)

    O ndice Geral de Preos do Mercado (IGP-M) variou 1,29% em fe-vereiro, um avano de 0,15% sobre janeiro. O levan-tamento feito pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundao Getulio Vargas (FGV) com base nos preos coletados entre os dias 21 de janeiro e 20 de fevereiro. Em 12 meses, o IGP-M registrou alta de 12,08%.O ndice de Preos ao Pro-

    dutor Amplo (IPA) apresentou variao de 1,45% em feverei-ro. No ms anterior, a taxa foi de 1,14%. O ndice relativo aos bens fi nais variou 1,43% neste ms. Em janeiro, esse grupo de produtos teve variao de 1,84%. Contribuiu para o recuo o subgrupo alimentos in natura, cuja taxa de variao passou de 7,6% para 2,48%.O ndice referente ao gru-

    po bens intermedirios variou

    1,16% neste ms. Em janeiro, a taxa foi de 0,69%. O principal responsvel por esse movi-mento foi o subgrupo materiais e componentes para a manufa-tura, cuja taxa passou de 1,06% para 1,96%. O ndice de bens intermedirios, calculado aps a excluso do subgrupo com-bustveis e lubrifi cantes para a produo, variou 1,43%, ante 0,87%, em janeiro.No estgio inicial da produ-

    o, o ndice do grupo matrias-primas brutas variou 1,83% em fevereiro. Em janeiro, o ndice registrou variao de 0,85%. Os itens que mais con-triburam para esse movimen-to foram: milho em gro (9,68% para 17,79%), bovinos (0,09% para 2,63%) e cana-de-acar (1,39% para 4,03%). Em senti-do oposto, destacam-se: soja em gro (1,83% para -1,45%), sunos (-0,58% para -11,08%) e aves (-2,48% para -4,20%).O ndice de Preos ao Consu-

    midor (IPC) registrou variao de 1,19% em fevereiro, ante 1,48% em janeiro. Trs das oito classes de despesa com-ponentes do ndice registraram decrscimo em suas taxas: a principal contribuio foi do grupo alimentao (2,36% para 1,42%). Nessa classe de despesa, o destaque o item hortalias e legumes, cuja taxa passou de 19,44% para 5,29%.

    DIVULG

    AO

    ndice Geral de Preos do Mercado variou 1,29% em fevereiro, um avano de 0,15% sobre janeiro

    TENDNCIA

    O aumento do IGP-M segue a tendncia apresentada no ms anterior. No acumu-lado dos 12 meses de 2015, a taxa indica aumento de 10,95%. O ndice utilizado para o clculo do rea-juste do aluguel

    02 - IMVEIS&DECOR.indd 2 04/03/2016 21:07:30

  • MANAUS, DOMINGO, 6 DE MARO DE 20163

    Como escolher os vasos ideais para cada espcieNa hora da compra, algumas caractersticas do recipiente devem ser observadas para determinar a vitalidade da planta

    A especialista garante que o material ou formato do vaso no infl uenciam no crescimento da planta

    Escolher o vaso correto um fator crucial para de-terminar a vitalidade da planta. Por isso, na hora da compra, o mais importante a se levar em conta o tama-nho. Deve-se escolher um que tenha a dimenso adequada para o desenvolvimento de cada planta. Sendo assim, escolha primeiro a planta que voc quer. Tendo ela em mos, o vaso precisa ter espao para que o torro (a raiz) seja envolvido por terra em todos os lados, e no apenas na parte baixa do vaso.A arquiteta e paisagista

    Daniela Sedo explica que ou-tras caractersticas indispen-sveis de um vaso so ter furo para a sada da gua excedente da rega, ter prato um pouco maior do que a base do vaso (o prato deve ter pelo menos 5 cm a mais do que a base do vaso) e colocar rodzio caso o local precise ser limpo com frequncia. Isso porque o rodzio facilita a movimenta-o do vaso e a manuteno

    tambm, sem riscar o piso do local. Alm disso, permite que a planta seja virada para que ela receba sol por igual, diz.Alm disso, a profi ssional

    refora que o material do vaso no infl uencia no desenvolvi-

    mento da planta, porm plan-tas com razes fortes podem quebrar vasos, como vasos de terracota com uma primavera. Mais cedo ou mais tarde a

    raiz da primavera vai quebrar o vaso. A planta ter fl ores no uma condicional para retir-la

    de um vaso. Por exemplo, o antrio, o agapanto e outras espcies de pequeno porte podem viver em vaso durante muitos anos, ressalta.

    DvidaH tambm sempre a dvida

    de qual o momento ideal para trocar uma planta para um vaso maior. E, para isso, necessrio conhecer o desen-volvimento de cada espcie para saber o momento certo. Uma planta que est h

    trs anos ou mais no mesmo vaso, provavelmente precisa-r de um novo, devido ao crescimento de suas razes e a necessidade de mais terra e nutrientes. necessrio es-quecer a ideia de vaso ideal para colocar dentro de casa no existe vaso ideal. A escolha do vaso depender de quanto a pessoa quer gastar e o que mais combina com o estilo de decorao da casa, e principalmente, do tamanho da planta, ensina Daniela.

    INOVAO

    A MPD, construtora e in-corporadora de Alphaville, a primeira empresa brasileira da rea de construo civil a seguir a tendncia mundial de vdeos 360, que estourou no fi nal de 2014 estreando em festas de casamento, grandes shows e eventos e tomou grandes propores em 2015, ano em que empre-sas como Redbull, Facebook e Samsung comearam a se comunicar com consumido-res de maneira inovadora. E agora a soluo alcana um novo patamar e ser utilizada para otimizar o tempo de quem procura por um novo lar.O diferencial de um vdeo

    em 360 graus que ele regis-tra todos os ngulos possveis, e faz com que no se perca nenhum detalhe, permitindo que o espectador tenha a sen-sao de estar participando do vdeo, explica a diretora de incorporao, Dbora Ber-tini. Essa plataforma aceita que, por meio do vdeo, sejam visualizados todos os ambien-tes minuciosamente e o mais interessante que basta um

    movimento no tablet ou smar-tphone para que se tenha uma experincia completa.Alm de acompanhar o con-

    ceito da empresa, que busca trazer inovao e solues prticas para os seus clien-tes, o vdeo uma novidade importante para o mercado imobilirio. Como a maioria de nossos clientes so pessoas que moram em So Paulo e esto interessadas em migrar para Alphaville, o vdeo uma ferramenta importante que oferece todos os detalhes do decorado para o cliente sem ele ter o trabalho de se deslocar e sair do conforto do seu lar, diz.A diretora ainda refora,

    ainda, que uma das van-tagens do 360 que ele d vida ao ambiente, dessa forma o comprador ter uma noo de espao com pesso-as cozinhando, andando pelo apartamento, por exemplo.

    VantagensPara quem acredita que

    existe alguma restrio ou ponto cego no vdeo 360 est enganado, o que

    garante a produtora Sinto-nia Cine, responsvel pelo vdeo do apartamento de-corado do Boulevard Tam-bor, empreendimento da MPD que ser entregue em fevereiro de 2017. O vdeo em 360 graus

    mostra absolutamente tudo, do cho ao teto, da esquerda para a direita, o que no permite pontos cegos. A cap-tao realizada por um equipamento que possui seis cmeras GoPro acopladas e a edio realizada por meio de um so ware especial. Ou-tra grande diferena que o cliente no precisa sair da casa dele nem precisa ir at o estande. No existe outra tecnologia que chegue to perto de mostrar os detalhes de um decorado, explica Felipe Correa, scio diretor da Sintonia Cine.Para ter a experincia com-

    pleta, indicado que o usurio assista ao vdeo pelo celular ou pelo tablet usando o apli-cativo do Youtube ou pelo Facebook da MPD. Acesse http://bit.ly/1LWbF8F.

    Soluo: visita por vdeo 360

    No vdeo, o usurio pode explorar todos os ambientes do apartamento com descrio de detalhes de cada um

    DIVULG

    AO

    MANAUS, DOMINGO, 6 DE MARO DE 20163

    DICA

    Leve em considera-o o equilbrio entre planta e vaso, at porque, esteticamen-te falando, neces-srio que este exista. No d para colocar uma planta pequena em um vaso grande ou vice-versa

    FOTO

    S: DIVULG

    AO

    03 - IMVEIS&DECOR.indd 3 04/03/2016 21:11:57

  • 4 5MANAUS, DOMINGO, 6 DE MARO DE 2016

    Tendncias 2016: as novidades do dcorQuem no gosta de tendncias? A ideia no segui-las risca, mas t-las como referncia e encaixar os insights dentro do nosso prprio estilo, seja atravs da moda, das cores e da decorao. A arquiteta e desenvolvedora de contedo rica Giacomelli fez um levantamento das principais tendncias do morar 2016 e antecipa o que vem por a

    - Aconchego/HousewarmingA tendncia pela procura de aconchego (hou-

    sewarming) vai se desenvolver em 2016. A caa pelo que relaxado, soft, confortvel e sossegado vai desde design residencial, at escritrios e ambientes pblicos. Essa tendncia tambm trata da modificao dos ambientes: a onda receber e entreter em casa, compar-tilhar o espao com os outros. Os ambientes vo se tornando cada vez mais multifuncionais, com foco nas cozinhas. Para aplicar essa ten-dncia, recomendado o uso de madeira em lugares estratgicos, bem como o uso de ma-teriais naturais e design flexvel para integrar todos esses elementos.

    - DarkComo uma contra tendncia dos ambientes mais claros (que esto presentes em

    quase todas as outras tendncias mostradas), alguns designers de interiores esto apostando mais em ambientes mais escuros, principalmente ambientes de hospitalidade como hotis, restaurantes, bares etc. A tendncia no apenas o uso de tons mais escuros de maneira deliberada, e sim todo um estudo de tons noturnos e profundos, e uma maior utilizao de patterns escuras. Nessa tendncia, toda a paleta de cores escura e fechada. A influncia desses ambientes vai chegar em interiores domsticos com paletas de cores mais escuras e um tom mais melanclico do design.

    - Herana/HeritageA tendncia Herana Histrica marcada pelo re-

    torno aos perodos clssicos e s heranas histricas e culturais. Essa tendncia, assim como a Housewar-ming, est sendo aplicada em residncias, hotis e principalmente em espaos de varejo. O foco principal dessa tendncia no revival de tecidos tradicionais com patterns intrincadas e clssicas, de veludos e de sedas. Alm do uso de papis de parede que in-terpretam essa tendncia de uma maneira criativa: ou com a extrapolao de imagens de poca, ou com superfcies pintadas a mo ou at com iluses de boiserie em neoprene.

    - Minimalismo escandinavoO estilo escandinavo sempre foi

    incrivelmente minimalista, mas, alm disso, ele est se desenvolvendo para um look cool e impecvel, que traz uma vibrao calma e serena ao mesmo tempo em que mostra toda sua capacidade de habilidade, prin-cipalmente em madeira. Para chegar ao look menos mais, simplicidade acima de tudo, sem detalhes deco-rativos desnecessrios. O mobilirio deve ser de madeira clara com formas simples e diretas. uma tendncia um pouco mais fria e distante do que estamos acostumados no Brasil.

    - Espaos com curadoriaA tendncia dos Curated Lands-

    capes trata da curadoria cuidadosa de espaos pequenos e na liberdade de modifi cao dos mesmos. Como as casas esto se tornando mais do que apenas espaos de morar, e sim ambientes multifuncionais para aco-modar diversas atividades diferentes, e os mesmos no esto crescendo em tamanho, e sim diminuindo, os mobili-rios modulares, as maneiras de guardar objetos e de mostrar peas decorativas e ornamentos esto crescendo em popularidade. Essa tendncia trata da forma como selecionamos e guarda-mos/organizamos objetos e peas.

    - Indoor/OutdoorOs limites do que rea interna e o que rea externa

    vo sumir completamente em 2016, o que diz a ten-dncia Indoor/Outdoor (Interior/Exterior). Acompanhando as modificaes que j vem ocorrendo h vrios anos, a tendncia eliminar a diferenciao do que casa e o que lazer, fundindo essas designaes para uma rea nica e contnua. O mercado vem se aproveitando desta tendncia e propondo um design mais flexvel e com o mes-mo nvel de conforto: seja para a rea interna ou externa. Para se aproveitar dessa tendncia no necessrio ter uma casa, j vemos no Brasil uma implementao dessa tendncia h muitos anos com a nivelao das varandas e a incorporao das mesmas no espao interno de casa com o uso das janelas retrteis em apartamentos.

    04 e 05 IMVEIS&DECOR.indd Todas as pginas 04/03/2016 21:37:04

  • 4 5MANAUS, DOMINGO, 6 DE MARO DE 2016

    Tendncias 2016: as novidades do dcorQuem no gosta de tendncias? A ideia no segui-las risca, mas t-las como referncia e encaixar os insights dentro do nosso prprio estilo, seja atravs da moda, das cores e da decorao. A arquiteta e desenvolvedora de contedo rica Giacomelli fez um levantamento das principais tendncias do morar 2016 e antecipa o que vem por a

    - Aconchego/HousewarmingA tendncia pela procura de aconchego (hou-

    sewarming) vai se desenvolver em 2016. A caa pelo que relaxado, soft, confortvel e sossegado vai desde design residencial, at escritrios e ambientes pblicos. Essa tendncia tambm trata da modificao dos ambientes: a onda receber e entreter em casa, compar-tilhar o espao com os outros. Os ambientes vo se tornando cada vez mais multifuncionais, com foco nas cozinhas. Para aplicar essa ten-dncia, recomendado o uso de madeira em lugares estratgicos, bem como o uso de ma-teriais naturais e design flexvel para integrar todos esses elementos.

    - DarkComo uma contra tendncia dos ambientes mais claros (que esto presentes em

    quase todas as outras tendncias mostradas), alguns designers de interiores esto apostando mais em ambientes mais escuros, principalmente ambientes de hospitalidade como hotis, restaurantes, bares etc. A tendncia no apenas o uso de tons mais escuros de maneira deliberada, e sim todo um estudo de tons noturnos e profundos, e uma maior utilizao de patterns escuras. Nessa tendncia, toda a paleta de cores escura e fechada. A influncia desses ambientes vai chegar em interiores domsticos com paletas de cores mais escuras e um tom mais melanclico do design.

    - Herana/HeritageA tendncia Herana Histrica marcada pelo re-

    torno aos perodos clssicos e s heranas histricas e culturais. Essa tendncia, assim como a Housewar-ming, est sendo aplicada em residncias, hotis e principalmente em espaos de varejo. O foco principal dessa tendncia no revival de tecidos tradicionais com patterns intrincadas e clssicas, de veludos e de sedas. Alm do uso de papis de parede que in-terpretam essa tendncia de uma maneira criativa: ou com a extrapolao de imagens de poca, ou com superfcies pintadas a mo ou at com iluses de boiserie em neoprene.

    - Minimalismo escandinavoO estilo escandinavo sempre foi

    incrivelmente minimalista, mas, alm disso, ele est se desenvolvendo para um look cool e impecvel, que traz uma vibrao calma e serena ao mesmo tempo em que mostra toda sua capacidade de habilidade, prin-cipalmente em madeira. Para chegar ao look menos mais, simplicidade acima de tudo, sem detalhes deco-rativos desnecessrios. O mobilirio deve ser de madeira clara com formas simples e diretas. uma tendncia um pouco mais fria e distante do que estamos acostumados no Brasil.

    - Espaos com curadoriaA tendncia dos Curated Lands-

    capes trata da curadoria cuidadosa de espaos pequenos e na liberdade de modifi cao dos mesmos. Como as casas esto se tornando mais do que apenas espaos de morar, e sim ambientes multifuncionais para aco-modar diversas atividades diferentes, e os mesmos no esto crescendo em tamanho, e sim diminuindo, os mobili-rios modulares, as maneiras de guardar objetos e de mostrar peas decorativas e ornamentos esto crescendo em popularidade. Essa tendncia trata da forma como selecionamos e guarda-mos/organizamos objetos e peas.

    - Indoor/OutdoorOs limites do que rea interna e o que rea externa

    vo sumir completamente em 2016, o que diz a ten-dncia Indoor/Outdoor (Interior/Exterior). Acompanhando as modificaes que j vem ocorrendo h vrios anos, a tendncia eliminar a diferenciao do que casa e o que lazer, fundindo essas designaes para uma rea nica e contnua. O mercado vem se aproveitando desta tendncia e propondo um design mais flexvel e com o mes-mo nvel de conforto: seja para a rea interna ou externa. Para se aproveitar dessa tendncia no necessrio ter uma casa, j vemos no Brasil uma implementao dessa tendncia h muitos anos com a nivelao das varandas e a incorporao das mesmas no espao interno de casa com o uso das janelas retrteis em apartamentos.

    04 e 05 IMVEIS&DECOR.indd Todas as pginas 04/03/2016 21:37:04

  • MANAUS, DOMINGO, 6 DE MARO DE 20166

    Stockholm Furniture & Light Fair: tendncias internacionais em Estocolmo

    Paulo Ricardo Sachs Atuante no mercado nacional e internacional de mobilirio e alta decorao

    Arquitetando

    A feira de Estocolmo h mais de seis d-cadas uma grande refrencia na inspirao para profissionais especificadores nos quesi-tos: linguagem, contedo e insights, aguan-do o processo criativo dos mesmos

    [email protected]

    @pricardosachs

    arquitetandomanaus

    www.arquitetandomanaus.com.br

    FOTOS: JOO SACCARO

    A Saccaro, marca de mobilirio de luxo, re-conhecida no cenrio nacional e internacio-nal, com 45 lojas no Brasil e 24 no exterior, convidou um grande grupo de parceiros especifi cadores para a Sto-ckholm Furniture & Light Fair, uma conceituada feira que apresenta ao mundo as novi-dades do design escandinavo, seja em mobilirio residencial ou corporativo, reunindo o que h do melhor em design. Co-nhecidos pelo processo nato em design criativo, os escandi-navos tem uma presena forte na feira, desde expositores aspirantes de design. Assim como no Salo Internacional de Milo, acontecem even-tos satlites de alto nvel em showrooms, galerias de arte, lojas em torno de Estocolmo. O dia feito para visitar, fechar negcios; enxergar o design por outra tica, no caso, agregar a criativavidade e percepo atravs dos expo-sitores da Stockholm Furni-ture & Light Fair. Este evento serve ainda como ncora para lanamento de novos produ-tos no mercado internacional. Esta edio aconteceu entre 9 e 13 de fevereiro. Surpre-endentemente a Off ect e Bia Stantion, fi guram entre os hits da feira. A belssima Montpar-nasse, poltrona desenvolvida pela Off ect foi inspirada em materiais de camping, dobr-vel, fcil de armar, e com revestimento surpreendente, isto ; funcional o que re-sume design. A essncia do design sueco fundamentada sobre ts pilares: o design tem que ser acessvel para todos; pensar sobre como e

    de onde vem os materiais necessrios para a cons-truo de um produto, ou seja criar novos conceitos sobre a extrao dos ma-teriais, causando menor dano possvel a natureza ou seja, l o pensamento da tal sustentabilidade muito falada e pouco aplicada nas bandas do norte do Brasil, funciona. Os desig-ners criam o objeto com o foco no meio ambiente, usando o melhor da tec-nologia e melhorando um mesmo produto ao longo do tempo. O business da Stockholm Furniture & Light Fair promover a diversidade no setor e benefi ciar tambm as produ-es de pequena escala dos designers. Presena forte de cor, acabamentos em metal com forte tendncia ao ouro-rosa, como em relgios de bom quilate; forte uso do couro e suas formais naturais, assim como madeiras que chegam novamente com leitura na-tural. Ambientes corporati-vos apresentaram um novo comportamento, mais cosmo-polita e menos atrelado ao comportamento tubes, ternos e gravatas. Um must. Manaus foi duplamente representada pelo escritrio Barakat & Fi-gueiredo Arquitetos Associa-dos. Leila Barakat e seu afvel scio, companheiro, gourmet e amigo Joo Pedro Figueire-do estiveram viajando para a feira por mrito e por par-ceria com a Sacaro Manaus. E ainda no melhor conceito twice. No mereceira menos. Agradecimentos Joo Sac-caro pela iniciativa de cunho internacional. Raz!

    Estofados: design inteligente e cor tendncia do ano

    Ambiente da feira: visitaoPor dentro da Stockholm Furniture & Light FairEstocolmo: linda, fria, assptica e encantadora

    Cadeiras: design arrojado e paixo nrdicaLuminrias: metal, ourorosa e formas arredondadas

    Ambientes corporativo: descolado, cor, vida

    Tons da madeira: tendncia cores clarasO vencedor leva tudo: Leila Barakat e Joo FigueiredoCH22: Hans J. Wegner, lanada em 1950

    Montparnasse: um dos hits da Off ect totalmente funcional

    06 - IMVEIS&DECOR.indd 6 04/03/2016 21:31:46

  • MANAUS, DOMINGO, 6 DE MARO DE 20167

    Financiamento da casa prpria facilitado pelo BBBanco do Brasil vai pedir ao Conselho Curador para fi car com R$ 5 bi do FGTS para aumentar fi nanciamento imobilirio

    DIVULG

    AO

    A expectativa do BB aumentar em 20% a carteira imobiliria neste ano, depois de crescer 27% em 2015, ano em que o mercado cresceu 16%

    BRASLIA, DF (FO-LHAPRESS) - O Banco do Brasil vai pedir ao Conselho Curador do FGTS que fique com cerca de R$ 5 bilhes dos R$ 21,7 bilhes liberados na ltima sexta-feira (26) para incrementar o finan-ciamento imobilirio no pas neste ano.O banco solicitou entre R$

    2 bilhes e R$ 2,5 bilhes para incremento na linha Pr-Cotista, de um total de R$ 8,2 bilhes disponveis. E mais at R$ 3 bilhes para compra de CRIs (Certificados de Recebveis Imobilirios), de um total de R$ 10 bilhes.O valor que ser direciona-

    do para cada banco depende da demanda das instituies financeiras pelos recursos.

    ValoresO BB pretende utilizar os

    recursos para financiamento de imveis novos e usados no valor de at R$ 400 mil. onde tem demanda. H

    muito deficit habitacional nesse segmento, diz Raul Moreira, vice-presidente de Negcios de Varejo do BB.

    A linha Pr-Cotista des-tinada a trabalhadores que possuem conta no FGTS. A taxa de juros de 8,66% + TR ao ano. Segundo o Ministrio do Trabalho, a maior parte dos recursos deve ir obriga-toriamente para imveis de at R$ 500 mil.

    DemandaNessa faixa de valor, se-

    gundo o executivo, h mui-tas pessoas adquirindo o primeiro imvel, saindo do aluguel, o que faz com que a financiamento no altere significativamente seu com-prometimento de renda.A expectativa do BB au-

    mentar em 20% a carteira imobiliria neste ano, depois de crescer 27% em 2015, ano em que o mercado cresceu 16%. O banco hoje o segun-do maior banco no segmento e detm 8% do mercado.A Caixa retomou as con-

    trataes de emprstimos com a linha Pr-Cotista. O banco j havia utilizado in-tegralmente a sua parte no oramento de 2016. Desde o ano passado, essa linha tem sido utilizada para suprir a falta de recursos da poupan-a para crdito imobilirio.

    EDUARDO CUCOLO

    07 - IMVEIS&DECOR.indd 7 04/03/2016 21:23:39

  • MANAUS, DOMINGO, 6 DE MARO DE 20168

    Custo da construo tem alta

    Construo civil com quedano emprego e na atividadeOs ndices de atividade continuam no mesmo patamar de dezembro e se mantm prximos ao piso da srie histrica

    A indstria da constru-o comeou o ano com queda na ativida-de e no emprego, in-formou esta semana a Confe-derao Nacional da Indstria (CNI). A Sondagem Indstria da Construo mostra que o indicador de evoluo do nvel de atividade registrou 33,6 pontos e o de evoluo de nmero de empregados assi-nalou 33,8 pontos em janeiro.Os ndices de evoluo do

    nvel de atividade e do nmero de empregados variam de 0 a 100 pontos. Quanto mais abai-xo dos 50 pontos, mais intensa e disseminada a queda da produo e do emprego.Os ndices de atividade, cuja

    srie comeou em dezembro de 2009, e o de emprego, iniciada em janeiro de 2011, continuam no mesmo pata-mar de dezembro e se mantm prximos ao piso da srie histrica, informou a CNI.

    PessimismoA utilizao da capacidade

    de operao fi cou em 56%, 10 pontos percentuais abaixo da mdia da srie histrica iniciada em janeiro de 2012.As expectativas dos empre-

    srios em fevereiro para os prximos seis meses so nega-tivas em todos os indicadores, que esto abaixo da linha dos 50 pontos. Enquanto o ndice de perspectivas para o nvel de atividade fi cou em 39,8 pontos, o do nmero de empregados assinalou 38,5 pontos e os de novos empreendimentos e servios e o de compras de insumos e matrias-primas acusaram 38,1 pontos.De acordo com a CNI, a com-

    binao do baixo desempenho da indstria da construo com o pessimismo em relao aos prximos meses deixa os em-presrios do segmento menos propensos a investir. O ndice de inteno de investimento fi cou em 25,9 pontos em fevereiro. O indicador tambm varia de 0 a 100 pontos e, quanto mais baixo, menor a propenso dos empresrios para investir nos prximos seis meses.A edio da Sondagem In-

    dstria da Construo foi feita entre 1 e 18 de fevereiro com 590 empresas, das quais 178 de pequeno porte, 268 mdias e 144 grandes.

    O Custo Unitrio Bsi-co (CUB) da construo ficou praticamente es-tvel em fevereiro, com alta de 0,05%, segundo levantamento divulgado na ltima quarta-feira (2) pelo Sindicato da Inds-tria da Construo Civil do Estado de So Paulo (Sinduscon-SP). O CUB ficou em R$ 1.145,68 por metro quadrado. Em 12 meses, a alta de 4,82%.Calculado pelo Sindus-

    con em parceria com a Fundao Getulio Vargas (FGV), o Custo Unitrio Bsico mede a variao dos gastos mensais das construtoras para a uti-lizao nos reajustes dos contratos de obras.Em fevereiro, os cus-

    tos mdios com mate-riais subiram 0,06%, os

    com mo de obra 0,04% e os administrativos ficaram estveis.Para o vice-presidente

    de economia do Sindus-con, Eduardo Zaidan, a pequena variao con-sequncia do desempe-nho fraco do setor. A estabilidade do CUB re-flete a baixa atividade da construo e, conse-quentemente, a reduzida demanda por insumos, de um lado, e a queda do nvel de emprego no setor, de outro, ressaltou.Para ele, no h pers-

    pectiva de melhora da situao no curto prazo. No se vislumbra uma mudana neste cenrio nos prximos meses, enfatizou.

    continuam no mesmo pata-mar de dezembro e se mantm prximos ao piso da srie histrica, informou a CNI.

    PessimismoA utilizao da capacidade

    de operao fi cou em 56%, 10 pontos percentuais abaixo da mdia da srie histrica iniciada em janeiro de 2012.As expectativas dos empre-

    srios em fevereiro para os prximos seis meses so nega-tivas em todos os indicadores, que esto abaixo da linha dos 50 pontos. Enquanto o ndice de perspectivas para o nvel de atividade fi cou em 39,8 pontos, o do nmero de empregados assinalou 38,5 pontos e os de novos empreendimentos e servios e o de compras de insumos e matrias-primas acusaram 38,1 pontos.De acordo com a CNI, a com-

    binao do baixo desempenho da indstria da construo com o pessimismo em relao aos prximos meses deixa os em-presrios do segmento menos propensos a investir. O ndice de inteno de investimento fi cou em 25,9 pontos em fevereiro. O indicador tambm varia de 0 a 100 pontos e, quanto mais baixo, menor a propenso dos empresrios para investir nos prximos seis meses.A edio da Sondagem In-

    dstria da Construo foi feita entre 1 e 18 de fevereiro com 590 empresas, das quais 178 de pequeno porte, 268 mdias e 144 grandes.

    construtoras para a uti-lizao nos reajustes dos contratos de obras.Em fevereiro, os cus-

    tos mdios com mate-riais subiram 0,06%, os

    No se vislumbra uma mudana neste cenrio nos prximos meses, enfatizou.

    Para CNI, baixo desempenho da in-dstria da construo e o pessimismo em relao aos prximos meses deixam os empresrios menos propensos a investir

    08 - IMVEIS&DECOR.indd 8 04/03/2016 21:19:41