Click here to load reader

Informativo nº 01

  • View
    219

  • Download
    3

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Informativo nº 01

  • Entidade de Representao Empresarial da Indstria Moveleira no Paran - SIMOV

    Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel Curitiba PR CEP 80240-000

    Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I [email protected]

    DESTAQUE_________________

    CONTRIBUIO SINDICAL DEVE SER RECOLHIDA AT DIA 31

    ACESSE: http://www.fiepr.org.br/contribuicaosindical/

  • Entidade de Representao Empresarial da Indstria Moveleira no Paran - SIMOV

    Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel Curitiba PR CEP 80240-000

    Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I [email protected]

    DESTAQUE_________________

    HOSPITAL ERASTO GAERTNER ENTREGOU QUASE 1000 CESTAS DE NATAL EM 2013

    O Hospital Erasto Gaertner entregou 989 cestas de natal aos seus pacientes em 2013! O Simov tem orgulho de ter apoiado a causa e agradece a todos que participaram desta ao, doando panetones.

    Obrigado e Parabns!

  • Entidade de Representao Empresarial da Indstria Moveleira no Paran - SIMOV

    Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel Curitiba PR CEP 80240-000

    Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I [email protected]

    DESTAQUE_________________

    JORNAL GAZETA DO POVO DESTACA A INOVAO DA MOVELARIA PARANISTA

    Clique aqui e leia reportagem na ntegra

  • Entidade de Representao Empresarial da Indstria Moveleira no Paran - SIMOV

    Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel Curitiba PR CEP 80240-000

    Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I [email protected]

    DESTAQUE_________________ CRONOGRAMA PROCOMPI

    Abaixo, cronograma Procompi 2013/2014

  • Entidade de Representao Empresarial da Indstria Moveleira no Paran - SIMOV

    Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel Curitiba PR CEP 80240-000

    Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I [email protected]

    DESTAQUE_________________ PAT - PROGRAMA DE ALIMENTAO DO TRABALHADOR D DIREITO A ISENO DE ENCARGOS SOCIAIS

    BOLETIM INFORMATIVO

    Conselho Temtico de Relaes do Trabalho

    AUXLIO-ALIMENTAO (vale-alimentao ou cesta bsica)

    AS VANTAGENS PARA A INDSTRIA E a FORMA CORRETA DE FORNECER O BENEFCIO VISANDO EVITAR PASSIVOS

    TRABALHISTAS

    O fornecimento de alimentao, na modalidade de vale refeio e/ou cesta de alimentos somente obrigatrio quando previsto em acordo ou conveno coletiva de trabalho. No entanto, nada impede que os empregadores forneam auxlio alimentao por liberalidade prpria. Inclusive, existe na legislao brasileira incentivos fiscais para aqueles que o fazem, contanto que estejam inscritos no PAT. A sigla PAT, refere-se ao Programa de Alimentao do Trabalhador, institudo pela Lei n 6.321, de 14 de abril de 1976 e regulamentado pelo Decreto n 5, de 14 de janeiro de 1991. O principal objetivo do programa a melhora das condies nutricionais dos trabalhadores e visa repercusses positivas para a qualidade de vida, reduo de acidentes de trabalho e aumento da produtividade. Apesar de ser um programa destinado classe laboral, no so somente os trabalhadores que saem ganhando. Os empregadores inscritos, alm de fornecer um benefcio a mais para seus empregados, esto isentos dos encargos sociais sobre o valor do benefcio concedido e ainda podem obter um desconto de at 4% do imposto de renda devido (empresa de

  • Entidade de Representao Empresarial da Indstria Moveleira no Paran - SIMOV

    Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel Curitiba PR CEP 80240-000

    Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I [email protected]

    lucro real), como incentivo fiscal. No entanto, para ter direito a tais incentivos a empresa no pode vincular o fornecimento do benefcio a qualquer premiao ou punio para o trabalhador (absentesmo, produtividade, etc.). Quem pode participar? Qualquer pessoa jurdica que possua ao menos 01 (um) empregado pode se inscrever, sendo a adeso voluntria. Importante alertar que, caso a empresa conceda benefcio-alimentao aos seus trabalhadores, seja por liberalidade ou por imposio de norma coletiva, mas no se inscreva no Programa, dever recolher todos os encargos sociais sobre o valor do beneficio concedido e no ter direito a qualquer incentivo fiscal previsto no PAT, visto que nesse caso o fornecimento do beneficio (independente da forma) ser considerado salrio in natura (art. 458 da CLT) Caso a empresa opte pela inscrio no programa, ter obrigatoriamente que conceder o benefcio de forma a atender a totalidade dos funcionrios que recebem at cinco salrios mnimos. Para aqueles com remunerao mais elevada, possvel optar pela concesso ou no do benefcio. Ressalta-se, no entanto, que o benefcio fornecido aos trabalhadores com renda elevada nunca poder ser maior do que o fornecido aos trabalhadores de baixa renda. Outra informao importante que a participao financeira do trabalhador fica limitada a 20% do custo direto da refeio, independentemente de sua faixa salarial. Como se inscrever? Para participar, basta a empresa efetuar a inscrio via internet pelo link: http://portal.mte.gov.br/pat/ (em anexo, tutorial passo a passo para o cadastramento). importante que o formulrio seja, correta e completamente preenchido para evitar o bloqueio da aprovao automtica no Programa. Caso a empresa possua filiais localizadas em diferentes Unidades da Federao, o Cadastro Nacional da Pessoa Jurdica (CNPJ) utilizado para iniciar a inscrio deve ser necessariamente o da matriz, agregando-se a essa inscrio, as filiais por CNPJ. Toda a documentao relacionada aos gastos com o Programa e aos incentivos dele decorrentes dever ser mantida disposio da fiscalizao federal do trabalho, de forma a possibilitar seu exame e confronto com os registros contbeis e fiscais exigidos pela legislao. Caso deseje maiores informaes sobre o PAT ou sobre o fornecimento do benefcio da alimentao, o Departamento de Assistncia Sindical da FIEP est disposio para atend-lo.

    Carlos Walter Martins Pedro Coordenador do Conselho Temtico de Relaes do Trabalho

    Federao das Indstrias do Estado do Paran

  • Entidade de Representao Empresarial da Indstria Moveleira no Paran - SIMOV

    Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel Curitiba PR CEP 80240-000

    Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I [email protected]

    DESTAQUE_________________

    O que LOGISTICA REVERSA - Muito mais abrangente que simples descarte de resduos

    de produo

    Com o objetivo de orientar os sindicatos empresariais do Paran a se adequarem nova legislao estadual que ir

    regular a prtica da Logstica Reversa, a Fiep elaborou este material, trazendo esclarecimentos sobre os principais

    pontos que devem ser observados na construo de uma proposta para atender ao Edital de Chamamento n

    001/2012, da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA).

    PERGUNTAS E RESPOSTAS

    1. O que logstica reversa?

    Logstica Reversa a rea da logstica que trata do fluxo fsico de produtos, embalagens ou outros materiais, desde o

    ponto de consumo at o local de origem. Ou seja, o caminho inverso do produto, indo do consumidor at o

    fabricante. A logstica reversa aborda a questo da recuperao de produtos, embalagens e outros materiais, visando

    minimizar os impactos ambientais gerados pelos resduos aps o consumo, proporcionando sua destinao final em

    local seguro e com o menor risco ambiental possvel. Vale destacar que o tema Logstica Reversa faz parte da Poltica

    Nacional de Resduos Slidos PNRS, instituda pela Lei N 12.305, de 2 de agosto de 2010, que dispe sobre seus

    princpios, objetivos e instrumentos, bem como sobre as diretrizes relativas gesto integrada e ao gerenciamento de

    resduos slidos no Brasil, possibilitando aos Estados e Municpios a criao de legislao prpria.

    2. O que o Edital de Chamamento SEMA 001/2012?

    Atravs do Edital de Chamamento SEMA 001/2012, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA) convocou os

    fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de produtos de significativo impacto ambiental, a implantarem um programa de responsabilidade ps-consumo para fins de recolhimento, tratamento e destinao final

    de resduos slidos, indicando o conjunto de aes, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a

    destinao dos resduos slidos ao setor empresarial, para que sejam reaproveitados em seu ciclo, ou em outro ciclo

    produtivo, ou ento para outra destinao final ambientalmente adequada.

    3. Quem so os envolvidos no processo?

    Os envolvidos no processo de articulao do Plano Setorial de Logstica Reversa so a Secretaria Estadual de Meio

    Ambiente (SEMA), Federao das Indstrias do Paran (FIEP), Sindicatos empresariais (patronais), Organizao as

    Cooperativas do Paran (OCEPAR), Federao do Comrcio (FECOMRCIO), alm de associaes representativas de

    nvel regional e nacional de segmentos empresariais e industriais, e empresas interessadas.

  • Entidade de Representao Empresarial da Indstria Moveleira no Paran - SIMOV

    Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel Curitiba PR CEP 80240-000

    Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I [email protected]

    DESTAQUE_________________ 4. Quais setores devero obedecer a este edital?

    Todo setor, cujos produtos, aps o consumo, gerem resduos de significativo impacto ambiental e de produtos

    cujas embalagens plsticas, metlicas ou de vidro, so resduos de significativo impacto ambiental, como segue:

    I. Setor automotivo;

    II. leo Comestvel;

    III. Baterias automotivas;

    IV. Pilhas e Baterias;

    V. Produtos eletroeletrnicos e seus componentes;

    VI. Lmpadas Fluorescente, de vapor de sdio e mercrio e de luz mista;