Legibilidade e Visibilidade

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Tipografia em textos e títulos.

Text of Legibilidade e Visibilidade

  • E E

  • E E

  • Helvtica 12 (Entrelinhamento 1,5)

    Com o ganho de causa aos poupadores em dois recursos de

    bancos julgados pelo Superior Tribunal de Justia, agora as

    atenes se voltam retomada do julgamento da ao sobre

    a constitucionalidade dos planos econmicos das dcadas de

    1980 e 1990, prevista para o dia 28, no Supremo Tribunal

    Federal. uma luta rdua e longa, e por ora, no tem como

    saber se vai valer a deciso de que os juros se aplicam a

    partir da citao dos bancos nas aes civis pblicas. At

    porque a Febraban j disse que vai recorrer, pois alega que o

    rombo seria astronmico. No tenho dvida de que os

    bancos esto superestimando os valores a serem

    reembolsados aos poupadores prejudicados pelas perdas da

    poupana. J teriam at proposta de limitar o pagamento das

    perdas dos planos econmicos apenas a quem sacou os

    recursos depositados nos primeiros quatro meses de vigncia

    desses planos. Seriam, de acordo com os bancos, os nicos

    que tiveram prejuzo. A alegao de que quem manteve o

    dinheiro aplicado no sentiu o impacto. A esperana dos

    poupadores que haja um julgamento isento pelo STF.

    Helvtica 12 (Entrelinhamento 1,5)

    Com o ganho de causa aos poupadores em dois recursos de

    bancos julgados pelo Superior Tribunal de Justia, agora as

    atenes se voltam retomada do julgamento da ao sobre

    a constitucionalidade dos planos econmicos das dcadas de

    1980 e 1990, prevista para o dia 28, no Supremo Tribunal

    Federal. uma luta rdua e longa, e por ora, no tem como

    saber se vai valer a deciso de que os juros se aplicam a

    partir da citao dos bancos nas aes civis pblicas. At

    porque a Febraban j disse que vai recorrer, pois alega que o

    rombo seria astronmico. No tenho dvida de que os

    bancos esto superestimando os valores a serem

    reembolsados aos poupadores prejudicados pelas perdas da

    poupana. J teriam at proposta de limitar o pagamento das

    perdas dos planos econmicos apenas a quem sacou os

    recursos depositados nos primeiros quatro meses de vigncia

    desses planos. Seriam, de acordo com os bancos, os nicos

    que tiveram prejuzo. A alegao de que quem manteve o

    dinheiro aplicado no sentiu o impacto. A esperana dos

    poupadores que haja um julgamento isento pelo STF.

  • Helvtica 12 (Entrelinhamento 1,5)

    Com o ganho de causa aos poupadores em dois recursos de

    bancos julgados pelo Superior Tribunal de Justia, agora as

    atenes se voltam retomada do julgamento da ao sobre

    a constitucionalidade dos planos econmicos das dcadas de

    1980 e 1990, prevista para o dia 28, no Supremo Tribunal

    Federal. uma luta rdua e longa, e por ora, no tem como

    saber se vai valer a deciso de que os juros se aplicam a

    partir da citao dos bancos nas aes civis pblicas. At

    porque a Febraban j disse que vai recorrer, pois alega que o

    rombo seria astronmico. No tenho dvida de que os

    bancos esto superestimando os valores a serem

    reembolsados aos poupadores prejudicados pelas perdas da

    poupana. J teriam at proposta de limitar o pagamento das

    perdas dos planos econmicos apenas a quem sacou os

    recursos depositados nos primeiros quatro meses de vigncia

    desses planos. Seriam, de acordo com os bancos, os nicos

    que tiveram prejuzo. A alegao de que quem manteve o

    dinheiro aplicado no sentiu o impacto. A esperana dos

    poupadores que haja um julgamento isento pelo STF.

    Helvtica 12 (Entrelinhamento 1,5)

    Com o ganho de causa aos poupadores em dois recursos de

    bancos julgados pelo Superior Tribunal de Justia, agora as

    atenes se voltam retomada do julgamento da ao sobre

    a constitucionalidade dos planos econmicos das dcadas de

    1980 e 1990, prevista para o dia 28, no Supremo Tribunal

    Federal. uma luta rdua e longa, e por ora, no tem como

    saber se vai valer a deciso de que os juros se aplicam a

    partir da citao dos bancos nas aes civis pblicas. At

    porque a Febraban j disse que vai recorrer, pois alega que o

    rombo seria astronmico. No tenho dvida de que os

    bancos esto superestimando os valores a serem

    reembolsados aos poupadores prejudicados pelas perdas da

    poupana. J teriam at proposta de limitar o pagamento das

    perdas dos planos econmicos apenas a quem sacou os

    recursos depositados nos primeiros quatro meses de vigncia

    desses planos. Seriam, de acordo com os bancos, os nicos

    que tiveram prejuzo. A alegao de que quem manteve o

    dinheiro aplicado no sentiu o impacto. A esperana dos

    poupadores que haja um julgamento isento pelo STF.

  • Helvtica 12 (Entrelinhamento 1,5)

    Com o ganho de causa aos poupadores em dois recursos de

    bancos julgados pelo Superior Tribunal de Justia, agora as

    atenes se voltam retomada do julgamento da ao sobre

    a constitucionalidade dos planos econmicos das dcadas de

    1980 e 1990, prevista para o dia 28, no Supremo Tribunal

    Federal. uma luta rdua e longa, e por ora, no tem como

    saber se vai valer a deciso de que os juros se aplicam a

    partir da citao dos bancos nas aes civis pblicas. At

    porque a Febraban j disse que vai recorrer, pois alega que o

    rombo seria astronmico. No tenho dvida de que os

    bancos esto superestimando os valores a serem

    reembolsados aos poupadores prejudicados pelas perdas da

    poupana. J teriam at proposta de limitar o pagamento das

    perdas dos planos econmicos apenas a quem sacou os

    recursos depositados nos primeiros quatro meses de vigncia

    desses planos. Seriam, de acordo com os bancos, os nicos

    que tiveram prejuzo. A alegao de que quem manteve o

    dinheiro aplicado no sentiu o impacto. A esperana dos

    poupadores que haja um julgamento isento pelo STF.

    Helvtica 12 (Entrelinhamento 1,5)

    Com o ganho de causa aos poupadores em dois recursos de

    bancos julgados pelo Superior Tribunal de Justia, agora as

    atenes se voltam retomada do julgamento da ao sobre

    a constitucionalidade dos planos econmicos das dcadas de

    1980 e 1990, prevista para o dia 28, no Supremo Tribunal

    Federal. uma luta rdua e longa, e por ora, no tem como

    saber se vai valer a deciso de que os juros se aplicam a

    partir da citao dos bancos nas aes civis pblicas. At

    porque a Febraban j disse que vai recorrer, pois alega que o

    rombo seria astronmico. No tenho dvida de que os

    bancos esto superestimando os valores a serem

    reembolsados aos poupadores prejudicados pelas perdas da

    poupana. J teriam at proposta de limitar o pagamento das

    perdas dos planos econmicos apenas a quem sacou os

    recursos depositados nos primeiros quatro meses de vigncia

    desses planos. Seriam, de acordo com os bancos, os nicos

    que tiveram prejuzo. A alegao de que quem manteve o

    dinheiro aplicado no sentiu o impacto. A esperana dos

    poupadores que haja um julgamento isento pelo STF.

  • Helvtica 12 (Entrelinhamento 1,5)

    Com o ganho de causa aos poupadores em dois recursos de

    bancos julgados pelo Superior Tribunal de Justia, agora as

    atenes se voltam retomada do julgamento da ao sobre

    a constitucionalidade dos planos econmicos das dcadas de

    1980 e 1990, prevista para o dia 28, no Supremo Tribunal

    Federal. uma luta rdua e longa, e por ora, no tem como

    saber se vai valer a deciso de que os juros se aplicam a

    partir da citao dos bancos nas aes civis pblicas. At

    porque a Febraban j disse que vai recorrer, pois alega que o

    rombo seria astronmico. No tenho dvida de que os

    bancos esto superestimando os valores a serem

    reembolsados aos poupadores prejudicados pelas perdas da

    poupana. J teriam at proposta de limitar o pagamento das

    perdas dos planos econmicos apenas a quem sacou os

    recursos depositados nos primeiros quatro meses de vigncia

    desses planos. Seriam, de acordo com os bancos, os nicos

    que tiveram prejuzo. A alegao de que quem manteve o

    dinheiro aplicado no sentiu o impacto. A esperana dos

    poupadores que haja um julgamento isento pelo STF.

    Helvtica 12 (Entrelinhamento 1,5)

    Com o ganho de causa aos poupadores em dois recursos de

    bancos julgados pelo Superior Tribunal de Justia, agora as

    atenes se voltam retomada do julgamento da ao sobre

    a constitucionalidade dos planos econmicos das dcadas de

    1980 e 1990, prevista para o dia 28, no Supremo Tribunal

    Federal. uma luta rdua e longa, e por ora, no tem como

    saber se vai valer a deciso de que os juros se aplicam a

    partir da citao dos bancos nas aes civis pblicas. At

    porque a Febraban j disse que vai recorrer, pois alega que o

    rombo seria astronmico. No tenho dvida de que os

    bancos esto superestimando os valores a serem

    reembolsados aos poupadores prejudicados pelas perdas da

    poupana. J teriam at proposta de limitar o pagamento das

    perdas dos planos econmicos apenas a quem sacou os

    recursos depositados nos primeiros quatro meses de vigncia

    desses planos. Seriam, de acordo com os bancos, os nicos

    que tiveram prejuzo. A alegao de que quem manteve o

    dinheiro aplicado no sentiu o impacto. A esperana dos

    poupadores que haja um julgamento isento pelo STF.

  • HELLER, Eva Psicologa del color

    Trad. Joaqun C. Mielke Barcelona: Gustavo Gili,

    2004. 310 pg.

  • LICHESKI, Las Cristina. Design Grfico: con