Lei Orgânica do Município de Nova Canaã Pauli ?nica.pdf · Lei Orgânica do Município de Nova Canaã

Embed Size (px)

Text of Lei Orgânica do Município de Nova Canaã Pauli ?nica.pdf · Lei Orgânica do Município de Nova...

  • Lei Orgnica do Municpio de Nova Cana Paulista

    Ns, representantes do Povo do Municpio de Nova Cana Paulista, reunidos em Assembleia Constituinte, para instituir e manter uma comunidade inspirada na justia, na democracia, na solidariedade e no desenvolvimento, promulgamos, sob a proteo de Deus e sob a luz dos princpios constitucionais da Repblica Federativa do Brasil de So Paulo, a seguinte:

    LEI ORGNICA DO MUNCIPIO DE NOVA CANA PAULISTA ESTADO DE SO PAULO

    TTULO I DISPOSIES PRELIMINARES

    CAPTULO I

    DO MUNCIPIO

    Artigo 1- O municpio de Nova Cana Paulista uma unidade do territrio do Estado, com personalidade jurdica e

    direito pblico interno e autonomia, nos termos assegurados pelas constituies da Repblica, do Estado e por esta Lei

    Orgnica.

    Artigo 2 - O governo municipal e constitudo pelos Poderes Legislativo e Executivo, independentes e harmnicos

    entre si.

    Artigo 3 - Constituem bens do Municpio as coisas mveis e imveis, direitos e aes que a qualquer ttulo Ihe pertenam.

    Paragrafo nico - O Municpio tem direito a participar no resultado da explorao de petrleo ou gs natural de

    recursos hdricos para fins de gerao de energia eltrica e de outros recursos minerais de seu territrio.

    Artigo 4 - O Municpio de Nova Cana Paulista ter como smbolos a Bandeira, o Braso de Armas e o Hino, estabelecidos em lei municipal.

    Artigo 5 - Compete ao Municpio, no exerccio de sua autonomia legislar sobre tudo quanto respeite ao interesse

    local, tendo como objetivo o pleno desenvolvimento de suas funes sociais e garantir o bem-estar de seus habitantes,

    cabendo-lhe privativamente entre outras, as seguintes atribuies: I - elaborar o plano plurianual, as diretrizes oramentrias e os oramentos anuais; II - instituir e arrecadar os tributos de sua competncia, fixar e cobrar preos, bem como aplicar suas rendas,

    sem prejuzo da obrigatoriedade de prestar contas e publicar balancetes nos prazos fixados em lei; III - criar, organizar e suprimir distritos, observada a legislao estadual; IV - organizar e prestar, diretamente ou sob-regime de concesso ou permisso, entre outros, os seguintes

    servios pblicos: a) transporte coletivo urbano e intermunicipal, que ter carter essencial; b) abastecimento de gua e esgoto sanitrios; mercados, feiras e matadouros locais; c) cemitrios e servios funerrios; d) iluminao pblica; e) limpeza pblica, coleta domiciliar e destinao final do lixo; V - disciplinar utilizao dos logradouros pblicos e em especial quanto ao trnsito e trfego, provendo

    sobre: a) O transporte coletivo urbano, seu itinerrio, os pontos de parada e as tarifas; b) os servios de txis, seus pontos de estacionamento e as tarifas; c) a sinalizao, os limites das "zonas de silncio", os servios de carga e descarga, a tonelagem

    mxima permitida aos veculos assim como os locais de estacionamento; VI - quanto aos bens: a) que Ihe pertena: dispor sobre sua administrao, utilizao e alienao; b) de terceiros: adquirir, inclusive atravs de desapropriao, instituir servido administrativa ou efetuar

    ocupao temporria; VII - manter com a cooperao tcnica e financeira da Unio e do Estado, programas de educao pr-

    escolar e de ensino fundamental; VIII - prestar, com a cooperao tcnica e financeira da Unio e do Estado, servios de atendimento sade da populao;. IX - promover, no que couber adequado ordenamente territorial, mediante planejamento e controle do

    uso, do parcelamento e da ocupao do solo urbano, estabelecendo normas de edificaes de loteamento e arruamento; X - promover a proteo do patrimnio histrico-cultural local, observada a legislao e a ao

    fiscalizadora federal e estadual; XI - cuidar da limpeza das vias e logradouros pblicos, remoo e destinao ao lixo residencial,

  • f

    Lei Orgnica do Municpio de Nova Cana Paulista

    hospitalar, industrial e comercial, e outros resduos de qualquer natureza; XII conceder aos estabelecimentos industriais e comerciais, licena para sua instalao e horrio e

    condies de funcionamento, observadas as normas federais pertinentes, e revog-la quando suas atividades se tornarem

    prejudiciais sade, higiene, sossego pblico, bons costumes e outros mais no interesse da comunidade; XIII - dispor sobre o exerccio de comrcio eventual ou ambulante; XIV - dispor sobre o servio funerrio e administrativo dos cemitrios; XV

    : regulamentar, autorizar e fiscalizar fixao de cartazes e anncios, bem como a utilizao de

    quaisquer outros meios de publicidade e propaganda, nos locais sujeitos ao poder de policia municipal; XVI - dispor sobre o registro, captura, guarda e destino dos animais apreendidos, assim como sua

    vacinao, com a finalidade de erradicar molstias; XVII - constituir guardas municipais destinadas proteo de seus bens, servios e instalaes; XIX - instituir regime jurdico nico para os servidores da administrao publica direta, das autarquias e

    das fundaes publicas que constituir, bem como pianos de carreira;- estabelecer e impor penalidades por infrao de suas leis e regula-

    mentos; XX - interditar edificaes em ruinas ou em condies de insalubridade e fazer demolir construes que

    ameaam ruir; XXI - regulamentar e fiscalizar os jogos esportivos, os espetculos e os divertimentos pblicos; XXII - dispor sobre preveno e extino de incndios; XXIII - integrar consorcio com outros municpios para a soluo de problemas comuns; XXIV - participar de entidades que congreguem outros municpios integra- dos mesma regio na forma

    estabelecida em lei; XXV - executar obras de: a) abertura, pavimentao e conservao de vias; b) drenagem pluvial; c) construo e conservao de estradas, parques , jardins e hortos florestais; d) construo e conservao de estradas vicinais; e) edificao e conservao de prdios pblicos municipais; XXVI - defender politica de desenvolvimento urbano atravs da elaborao do Plano Diretor de Desenvolvimento

    Integrado. Paragrafo nico - o Municpio poder, no que couber, suplementar a legislao federal estadual.

    Artigo 6 - Compete ao Municpio, concorrentemente com a Unio, o Estado e o Distrito Federal, entre outras, as

    seguintes atribuies: I - zelar pela guarda da Constituio, das leis e das atribuies democrticas e conservar o patrimnio publico; II - cuidar da sade, higiene e assistncia pblica, da proteo e garantia das pessoas portadoras de deficincia

    fsica; III - criar condio para proteo dos documentos, as obras e outros bens de valores histrico, artstico e cultural,

    os monumentos, as paisagens naturais notveis e os stios arqueolgicos; IV - impedir a evaso, a destruio e a descaracterizao de obras de artes e de outros bens de valores

    histrico, artstico e cultural; v - proporcionar os meios de acesso cultura, a educao e a cincia; VI - criar condio a proteo ao meio ambiente urbano e rural local e combatera poluio em qualquer de suas

    formas, observadas a legislao e a ao fiscalizadora federal e estadual; VII - preservar as florestas, a fauna e a flora; VIII - fomentar as atividades econmicas e a produo agropecuria e organizar o abastecimento alimentar e

    estimular o melhor aproveitamento da terra; IX - promover, executar programas de construo de moradias populares e garantir, em nvel compatvel com a

    dignidade da pessoa humana, a melhoria das condies habitacionais, de saneamento bsico e acesso ao transporte; X - combater as causas da pobreza e os fatores de marginalizao, promovendo a integrao

    social dos setores desfavorecidos; XI - estabelecer e implantar politica de educao para segurana do

    trnsito;

    XII dispensar as microempresas e as empresas de pequeno porte, tratamento jurdico diferenciado;

    XII - promover e incentivar o turismo como fator de desenvolvimento social e econmico;

    XIV - fiscalizar, nos locais de vendas direta ao consumidor, as condies sanitrias dos gneros

    alimentcios;

    XV - estimular a educao fsica e a pratica do desporto;

    XVI - colaborar no amparo a maternidade, a infncia, aos idosos, aos desvalidos, bem como a

  • f

    Lei Orgnica do Municpio de Nova Cana Paulista

    proteo dos menores abandonados;

    XVII - tornar as medidas necessrias para restringir a mortalidade e morbidez infantis, bem como de

    higiene social que impea a propagao de doenas transmissveis.

    TITULO II

    DA ORGANIZAO MUNICIPAL

    CAPITULO I

    DA FUNO LEGISLATIVA

    SEO I

    DA CMARA MUNICIPAL

    Artigo 7 - A funo legislativa e exercida pela Cmara Municipal, composta de vereadores,

    eleitos atravs de sistema proporcional, dentre cidados maiores de dezesseis anos, no exerccio dos

    direitos polticos, pelo voto direto e secreto.

    1 - Cada legislatura ter a durao de quatro anos.

    2 - A Cmara Municipal ter numero de vereadores, proporcional a populao na

    conformidade dos seguintes limites:

    I - ate 5.000 habitantes: 09 Vereadores;

    II - de 5.001 a 50.000 habitantes: 11 Vereadores;

    III - de 50.0001 a 100.000 habitantes: 13 Vereadores;

    IV - de 100.001 a 200.000 habitantes: 15 Vereadores;

    V - de 200.001 a 500.000 habitantes: 17 Vereadores;

    VI - acima de 500.001 habitantes: 21 Vereadores;

    3 - A populao, para fins do calculo de Vereadores, ser a certificada

    pelo IBGE, como a efetiva ou a projetada na poca considerada.

    4 - O numero de Vereadores ser fixado nos termos deste artigo, por ato da Mesa da

    Cmara e comunicado as autoridades competentes.

    SEQAO II DAS ATRIBUIES DA CMARA MUNICIPAL

    Artigo 8 - Cabe a Cmara, com sano do Prefeito, legislar assuntos de interesse local, observadas as

    determinaes e a hierarquia constitucional, suplementar a legislao Federal e Estadual e fiscalizar, mediante controle

    externo, a determinao direta ou indiret