LIVRO_COMPLETO (Câmaras Setoriais)

  • View
    208

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • CONTRIBUIES DAS

    CMARASSETORIAIS ETEMTICAS FORMULAO DE

    POLTICASPBLICASE PRIVADAS PARA O

    AGRONEGCIO

    Ministrio da Agricultura,Pecuria e Abastecimento

    Ministrio daAgricultura,Pecuria e

    Abastecimento

    Contr

    ibui

    es

    das

    Cm

    ara

    sS

    eto

    riais

    eTem

    ticas

    F

    orm

    ula

    o

    de

    Polticas

    Pblic

    as

    eP

    rivadas

    para

    oA

    gro

    negcio

    CONTRIBUIES DAS

    CMARASSETORIAIS ETEMTICAS FORMULAO DE

    POLTICASPBLICASE PRIVADAS PARA O

    AGRONEGCIO

    CONTRIBUIES DAS

    CMARASSETORIAIS ETEMTICAS FORMULAO DE

    POLTICASPBLICASE PRIVADAS PARA O

    AGRONEGCIO

    Data:29-00-2001

    Cliente:MinisteriodaAgricultura

    Servio:Capa

    O.S.:1955

  • Contribuies das CmarasSetoriais e Temticas

    Formulao de Polticas Pblicase Privadas para o Agronegcio

    Dezembro de 2006

    Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento

  • Contribuies das Cmaras Setoriais e Temticas Formulao de Polticas Pblicas e Privadaspara o Agronegcio / Duarte Vilela, Paulo Mrcio M. Araujo (Org.). Braslia : MAPA/SE/CGAC,2006.

    496 p.

    ISBN 85-99851-05-5

    ISBN 978-85-99851-05-5

    1. Cmaras Setoriais e Temticas. 2. Polticas Pblicas. 3. Agronegcio diretrizes. I. CoordenaoGeral de Apoio s Cmaras Setoriais e Temticas. II. Vilela, Duarte. III. Araujo, Paulo Mrcio M. IV.Ttulo.

    AGRIS E14

    CDU 63:338

    Exemplares dessa publicao podem ser adquiridos na:Central de Relacionamento do Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento e na

    Coordenao-Geral de Apoio s Cmaras Setoriais e Temticas CGACEnd.: Esplanada dos Ministrios, Bloco DEd. Sede, 9 Andar, Sala 953.CEP: 70043-900Braslia-DFFone: 0800 61 1995binagri@agricultura.gov.brOrganizadores:Duarte VilelaEngenheiro Agrnomo, mestre em 1978 e doutor em 1988 pela Universidade Federal de Viosa,

    pesquisador da Embrapa Gado de Leite, Coordenador-Geral de Apoio s Cmaras Setoriais e Temticase Secretrio Executivo do Conselho do Agronegcio do Ministrio da Agricultura, Pecuria eAbastecimento.

    End: Esplanada dos Ministrios, Bloco DCEP: 70043-900 Braslia, DFFone: (61) 3226-3354E-mail: duartevilela@agricultura.gov.brPaulo Marcio M. AraujoEspecialista em Polticas Pblicas e Gesto Governamental, Assessor Tcnico da Coordenao-

    Geral de Apoio s Cmaras Setoriais e Temticas.Permitida a reproduo desde que citada a fonte.Catalogao na FonteBiblioteca Nacional de Agricultura BINAGRIBrasil. Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento.

  • ApresentaoO recente desempenho surpreendente do agronegcio brasileiro resultado

    da disponibilidade de terras agricultveis, mecanizveis e de baixo custo, de genteempreendedora, (pequenos, mdios e grandes produtores rurais) e da disponibilidadede tecnologia tropical. Alm da tecnologia biolgica que multiplica o potencial daterra e da tecnologia mecnica que potencializa a capacidade da mo-de-obra, atecnologia organizacional disponibiliza informaes de mercado para a tomada dedecises dos agricultores e incentiva uma interao harmoniosa entre os diferenteselos das cadeias produtivas.

    A harmonizao dos interesses entre os agentes de uma determinada cadeiaprodutiva engloba o estabelecimento de prioridades de ao, questes relativas asuprimento de produtos ou insumos em quantidade e qualidade estabelecidos eacordo de preos que remunerem todos os agentes, incentivando-os a permaneceremna atividade. No se configuram somente interesses privados de lucro das empresas,mas tambm interesse pblico de garantia de suprimento dos bens e servios ecrescimento sustentado da cadeia, no mdio-longo prazos, com aumento da rendae do emprego e seus efeitos colaterais no resto da economia.

    Para alcanar tais resultados, o setor pblico conta com a forte atuao dascadeias produtivas do agronegcio, organizadas em Cmaras Setoriais e Temticas.Essa parceria resulta no apoio formulao de polticas pblicas setoriais e nodebate de temas, orientados para o aumento da eficincia econmica nos processosprodutivos.

    A interlocuo com a sociedade, uma das prioridades estratgicas do Ministrioda Agricultura, Pecuria e Abastecimento - MAPA, procura estabelecer dilogo eorganizar suas demandas, dando maior visibilidade e efetividade s polticas pblicas,valorizando o agronegcio e seus componentes perante a sociedade. Esse dilogose d por meio da atuao de 30 Cmaras Setoriais e Temticas, atualmenteinstaladas, reunidas sob a coordenao do Conselho do Agronegcio e do ConselhoNacional de Poltica Agrcola, e apoiadas por uma unidade na estruturaorganizacional especfica do MAPA.

    A formulao de polticas, a sua negociao e implementao, exigem doMAPA uma gesto efetiva. A recente reforma administrativa foi o primeiro passona modernizao e aparelhamento, embora todas as atividades sejam importantes,algumas merecem prioridade por sua importncia e por apresentarem necessidadeconstante de aprimoramento. neste contesto que o Ministrio ganha papel dedestaque ao deter informaes e estudos estratgicos sobre o agronegcio. Numaviso de longo prazo, o MAPA se transforma no grande instrumento de apoio aosetor produtivo.

  • Ao construir o documento com as Contribuies das Cmaras Setoriais eTemticas Formulao de Polticas Pblicas e Privadas para o Agronegcio,o MAPA se projeta para o futuro quanto s principais tendncias de setores e temasdo agronegcio, com o objetivo de fornecer subsdios aos formuladores de polticaspblicas, para a tomada de deciso e para o delineamento de linhas de atuao,embasando e fortalecendo os instrumentos de poltica agrcola, visando odesenvolvimento sustentvel do agronegcio brasileiro.

    Luis Carlos Guedes PintoMinistro de Estado da Agricultura, Pecuria e Abastecimento

  • Sumrio

    Introduo 5Documento Bsico 7Cmara Setorial da Cadeia Produtiva de Carne Bovina 12Cmara Setorial da Cadeia Produtiva do Acar e do lcool 24Cmara Setorial da Cadeia Produtiva de Aves e Sunos 34Cmara Setorial da Cadeia Produtiva de Culturas de Inverno 44Cmara Setorial da Cadeia Produtiva de Viticultura, Vinhos e Derivados 56Cmara Setorial da Cadeia Produtiva de Hortalias 70Cmara Setorial de Equideocultura 86Cmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados 94Cmara Setorial da Cadeia Produtiva da Fruticultura 108Cmara Setorial da Cadeia Produtiva do Fumo 182Cmara Setorial da Cadeia Produtiva de Flores e Plantas Ornamentais 194Cmara Setorial da Cadeia Produtiva da Mandioca e Derivados 210Cmara Setorial da Cadeia Produtiva da Agricultura Orgnica 224Cmara Setorial da Cadeia Produtiva do Agronegcio do Cacau e Sistemas Florestais Renovveis 234Cmara Setorial da Cadeia Produtiva de Caprinos e Ovinos 248Cmara Setorial da Cadeia Produtiva de Citricultura 264Cmara Setorial da Cadeia Produtiva da Cachaa 294Cmara Setorial da Cadeia Produtiva do Arroz 306Cmara Setorial da Cadeia Produtiva de Borracha Natural 330Cmara Setorial da Cadeia Produtiva do Algodo e Derivados 354Cmara Setorial da Cadeia Produtiva de Oleaginosas e Biodiesel 364Cmara Setorial da Cadeia Produtiva do Mel e Produtos Apcolas 376Cmara Setorial da Cadeia Produtiva de Milho e Sorgo 398Cmara Setorial da Cadeia Produtiva do Feijo 408Cmara Temtica de Cincias Agrrias 418Cmara Temtica de Insumos Agropecurios 436Cmara Temtica de Financiamento e Seguro do Agronegcio 462Cmara Temtica de Infra-Estrutura e Logstica do Agronegcio 482

  • Introduo

    O presente livro apresenta inicialmente um sumrio do conceito, fundamentose caractersticas das Cmaras Setoriais e Temticas, que representam foros dediscusso voltados ao agronegcio e integram a estrutura funcional dos rgoscolegiados vinculados ao Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento MAPA. Em seguida, h uma breve apresentao da Coordenao-Geral de Apoios Cmaras Setoriais e Temticas CGAC, rgo subordinado Secretaria Executivado MAPA, responsvel pelo apoio s Cmaras, bem como de sua estrutura eprincpios. A parte substancial do trabalho consiste, contudo, na apresentao deuma sntese das Polticas Pblicas e Privadas para o Agronegcio, umaContribuio das Cmaras Setoriais e Temticas, em uma dimenso preferencialde mdio e longo prazos.

    A base da construo deste livro est no documento preliminar, apresentadona reunio do Conselho do Agronegcio e do Conselho Nacional de PolticaAgrcola, em 20 de dezembro de 2005, sendo complementado e aprimorado em2006. Das 30 Cmaras Setoriais e Temticas atualmente instaladas no MAPA, 28destas tiveram reservados captulos contendo um breve histrico, preparado pelosupervisor da Cmara, figura contemplada no organograma da CGAC, seqenciadopor uma apresentao, preparada pelo Presidente da Cmara, introduo, cenriosexterno e interno do setor ou tema, culminando pelo ponto alto do livro, que so ascontribuies das Cmaras Setoriais e Temticas formulao de polticas pblicase privadas para o agronegcio, sendo ento finalizado pelas entidades e rgos queoficialmente compem a Cmara.

    Por ltimo, cabe ressaltar que os documentos originais elaborados pelos GruposTemticos responsveis por eles, encontram-se disponveis na ntegra, para consulta,na CGAC e todas as informaes aqui apresentadas so de inteira responsabilidadedos representantes oficiais das respectivas Cmaras.

    A CGAC

  • Documento Bsico das CmarasSetoriais e Temticas

    As CmarasAs Cmaras Setoriais e Temticas so foros de interlocuo criados pelo

    Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento MAPA para a identificaode oportunidades ao desenvolvimento das cadeias produtivas, definindo aesprioritrias de interesse para o agronegcio brasileiro e seu relacionamento com osmercados interno e externo. Este elo entre governo e setor privado resulta em ummecanismo democrtico e transparente de participao da sociedade na formulaode polticas pblicas.

    As Cmaras Setoriais relacionadas idia de agrupamento de segmentos dacadeia p