Monografia Vilma Pedagogia 2012

  • View
    910

  • Download
    7

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Pedagogia 2012

Transcript

  • 1

    UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA DEPARTAMENTO DE EDUCAO

    CAMPUS VII SENHOR DO BONFIM BA

    VILMA MARIA ARAUJO DE SOUZA

    EDUCAO DO CAMPO: PROCESSO DE ALFABETIZAO E LETRAMENTO

    COMO PRTICA SOCIAL.

    SENHOR DO BONFIM-BA

    2012

  • 2

    Vilma Maria Araujo de Souza

    EDUCAO DO CAMPO: PROCESSO DE ALFABETIZAO LETRAMENTO

    COMO PRTICA SOCIAL.

    Trabalho monogrfico apresentado como pr-requisito para concluso do curso de Licenciatura. Habilitao nas Sries Iniciais do Ensino Fundamental, pelo Departamento de Educao do Campus VII. Senhor do Bonfim.

    Orientadora:

    Prof. Especialista Sandra Fabiana Almeida Franco

    SENHOR DO BONFIM 2012

  • 3

    VILMA MARIA ARAUJO DE SOUZA

    EDUCAO DO CAMPO: PROCESSO DE ALFABETIZAO LETRAMENTO

    COMO PRTICA SOCIAL.

    Aprovada em: __/__/____

    _________________________________ Orientadora

    __________________________________ Avaliador (a)

    _________________________________ Avaliador (a)

  • 4

    A Deus, que onipresente proporcionou em minha vida momentos de sabedoria, e tranquilidade e a certeza de que tudo vale a pena, quando temos um Pai que nos protege e ama. Aos meus pais queridos, Terezinha e Valdomiro que caminharam lado a lado comigo, que nos momentos de cansao, falta de dinheiro, desnimo sempre me incentivaram, a minha famlia amada pela compreenso de muitos momentos que passei longe durante o curso. A Dona Dina, minha sogra, minha segunda me, que sempre me ajudou na educao de minha filha, e que nos momentos que estava ausente, cuidou, deu amor, educou... Compartilhando comigo esses momentos importantes na vida de uma criana. A Biblioteca Comunitria Pe. Miguel Gamarra, meu segundo lar, a qual passei horas a fio lendo e estudando, adquirindo saberes para uma prtica educativa mais prxima da realidade. A meu Irmo Merisvaldo Arujo, que me ensinou verdadeiramente o valor da vida, o quanto somos pequenos e grandes diante do mistrio da vida e da morte. A voc meu irmo que com sua ida casa do Pai nos ensinou que devemos amar, amar sem medida.

  • 5

    AGRADECIMENTOS

    Universidade do Estado da Bahia (UNEB) Campus VII representada pela

    direo da Professora Maria Celeste de Castro.

    Aos meus professores e professoras do curso, pelas contribuies na socializao

    dos conhecimentos durante todos estes semestres.

    Aos/s colegas do curso, pelo companheirismo e humanismo nos momentos difceis.

    Acreditamos que poderamos e que juntos somos fortaleza e que vencemos A todos

    que com gestos, palavras, confrontos de idias, fez desse curso, um curso de lio

    de vida. Ao nascimento de uma amizade verdadeira e recproca, a vocs Eurides

    Carneiro, Jane Ferreira, Mayara Jatob, Mnica Simes e Robson Soares, um

    cheiro na testa e outro no corao pelos momentos de dedicao durante o curso,

    nos seminrios, nos estgios, nos projetos e artigo interdisciplinar.

    A voc Sandra Fabiana que nos momentos de aflio, angstia e desencanto,

    sempre teve uma palavra de nimo e estmulo, e isso foram muito importante na

    produo desse trabalho. Obrigada!

  • 6

    Todo conhecimento (...) deve conter um mnimo de contra-senso, como os antigos padres de tapete ou de frisos ornamentais, onde sempre se pode descobrir, nalgum ponto, um desvio insignificante de seu curso normal. Em outras palavras: o decisivo no o prosseguimento de conhecimento em conhecimento, mas o salto que se d em cada um deles. (Walter Benjamin)

  • 7

    SUMRIO

    Resumo....................................................................................................................................08

    Introduo................................................................................................................................09

    CAPTULO I

    1. Registrando Saberes: Uma compreenso de letramento e alfabetizao..........................10

    CAPTULO II

    2. A Alfabetizao e o letramento na escola. QUADRO TERICO............................................17

    2.1. Educao do campo..........................................................................................................17

    2.2. A compreenso: Um conceito...........................................................................................19

    2.3. Alfabetizao: Entre concepes e aes.........................................................................21

    2.4. Letramento: Implicaes para a prtica do professor......................................................24

    2.5. A Prtica educativa: possibilidades em sala de aula.........................................................26

    CAPTULO III

    3.METODOLOGIA....................................................................................................................32

    3.1. Tipo de pesquisa...............................................................................................................32

    3.2. Lcus.................................................................................................................................33

    3.3. Sujeitos da pesquisa..........................................................................................................33

    3.4. Instrumentos de coleta de dados.....................................................................................34

    3.5. Etapas................................................................................................................................35

    CAPTULO IV

    4. APRESENTAO, ANLISE E INTERPRETAO DOS RESULTADOS.......................................37

    4.1. Resultado do questionrio fechado: o perfil dos sujeitos.................................................37

    4.1.2. Faixa etria.....................................................................................................................37

    4.1.3. Formao profissional....................................................................................................38

    4.1.4. Tempo de trabalho na prtica docente..........................................................................39

  • 8

    4.2. Resultados da Entrevista Semi-Estruturada e da Observao Participante......................40

    4.2.1. Prtica que no se faz no individual...............................................................................40

    4.2.2. Letramento e alfabetizao: Os desafios do entendimento..........................................42

    4.2.3 (...) E as relaes na sala de aula?...................................................................................43

    4.2.4. Ser professora aprender sempre (...). A ser professora..............................................44

    CONSIDERAES FINAIS..........................................................................................................46

    REFERNCIA.............................................................................................................................47

    ANEXOS....................................................................................................................................49

  • 9

    RESUMO

    Essa pesquisa visou identificar e analisar a compreenso que os/as professores/as da Escola Francisco Brs de Santana, tm sobre compreenso do processo de letramento e alfabetizao da referida escola. Este estudo teve como suporte terico: Nagle (1976): Celani ( 1999): Ferreiro(2001) Freire(1990);Zabala (1998) dentre muitos outros, com o intuito de fundamentar a pesquisa, colaborando desta maneira para uma reflexo crtica nesse estudo, discutindo sobre a compreenso que os professores tm sobre letramento, analisando os seguintes elementos; prtica na sala de aula e definies de conceitos. Os procedimentos metodolgicos seguiram um enfoque qualitativo, com os seguintes instrumentos de trabalho: Um questionrio fechado para traar o perfil dos sujeitos, uma entrevista semi-estruturada para identificar as compreenses dos sujeitos a respeito da investigao e uma observao participante para um contato direto com o contexto observado. A partir da anlise do questionrio, da entrevista e da observao, foi possvel identificar como os/as professores/as da escola Francisco Brs de Santana compreendem o processo de letramento e alfabetizao. Em alguns momentos entendida como um processo lento e gradual, em outros como um desafio, vista tambm como uma proposta fora da realidade do aluno, e ainda que o processo de letramento acontea nas atividades dirias, fazendo parte sempre do processo ensino-aprendizagem.

    Nas consideraes finais, destacamos a importncia da compreenso de letramento e alfabetizao como prtica social, bem como, que os/as professores/as, repensem na execuo da prtica educativa, visando um melhor entendimento de letramento.

    Palavras-chave: Educao do Campo, Compreenso, Alfabetizao, Letramento e Prtica Educativa.

  • 10

    INTRODUO

    Entende-se ser bastante significativa a sistematizao e reflexo e do conjunto de

    anlise que perpassam as experincias na Educao no campo como processo de

    letramento e alfabetizao.

    Sendo de fundamental importncia reflexes e debates a acerca da problemtica na

    educao do campo, dos fundamentos de um projeto-pedaggico voltado para uma

    realidade campesina, valorizando a escola do campo, pensando nos alunos como

    seres sociais.

    Dessa maneira torna-se relevante ressaltar o papel da alfabetizao e letramento,

    por entender que a aprendizagem da linguagem oral e escrita um dos elementos

    essenciais por contribuir na ampliao de possibilidades de participao