O Correio - Ed 911

  • View
    35

  • Download
    17

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Um jornal de verdade

Text of O Correio - Ed 911

Diretor Tcnico Mauro Srgio Fernandes da Silva CRM 8789 - Pediatra RQE 4329

A sade de sua criana merece a ateno de um especialista

Dr. Mauro Srgio Fernandes da SilvaCRM 8789 - Pediatra

Prximo a Colnia de Pescadores

Temos sala de Vacinas

Fone: 3646-2488Rua. Voluntrio Fermiano. 60 Laguna SC

O Senhor meu pastor, nada me faltar

Laguna mudandoPosse do prefeito e vereadoresCom sete votos nominais o vereador Roberto Alves (PP) o presidente.

LAGUNA/SC - ANO XVIII - EDIO 911 - LAGUNA/SC 02/01/2013 (QUARTA-FEIRA) - R$ 2,00 - JORNAL BISSEMANAL

Eleio na Cmara:

A praia do Mar Grosso tomada pela multido que ultrapassou as mais otimistas previses (Pgima 06)

Rveillon foi s alegria

Everaldo assina o termo de posse na Cmara Municipal

Laguna: 3646-5123 / 9926-6333 Brao do Norte: 3658-2446 / 9627-3120

LAGUNA/SC 02/01/2013

O CORREIO P. 02

O PODER DA PALAVRAAtanazio Lameiralameira00@hotmail.com

artigo

Reinventando o Profissional

Quando o lder falhaSer lder no fcil, pois, quando consegue que a equipe cumpra o seu papel, principalmente a meta, no fez sozinho e no fez mais que a obrigao; porm, quando algo no funciona, incompetente, no sabe liderar, no tem o time na mo, etc. Na sua empresa, o lder realmente valorizado? Trago esta questo para debate por ver que certa situao est ocorrendo com maior freqncia, gerando muitas dvidas, ou seja, no temos oferta ou as pessoas no querem ser lderes? Afinal, todo profissional deseja crescer, tem a ambio de um dia liderar o seu setor, a sua empresa, uma equipe, e, quando essa hora chega, tem medo e, se assume a bronca e no funciona, literalmente detonado. Para se tornar lder, o profissional deve possuir algumas habilidades a mais, como lidar com a presso do dia-a-dia e com o poder da liderana. Alm disso, algumas atitudes empresariais ajudam ou prejudicam o processo, como, por exemplo: qual empresa nomeia o lder e d carta branca para que ele escolha a sua equipe? Imagine um tcnico de futebol ser contratado e a direo simplesmente dizer: O time esse e tens que ser campeo!. Por isso, entendo que muita gente boa para no quer correr o risco de ser fritada e prefere ser um liderado de luxo a ser efetivamente o responsvel por uma equipe. Outro dia, ouvi um comentrio: o treinador foi demitido e foi chamado o auxiliar, um excelente profissional, grande auxiliar, com carisma e tudo mais. Durante o desenvolvimento dos trabalhos, o time vai bem e, ao ser questionado sobre ser efetivado, a resposta imediata: No estou pronto!. Nas empresas, tambm funciona assim. Tem equipes que funcionam melhor com liderados de luxo. E, quando no se encontra um super heri (lder) no mercado, passa-se o pepino para os melhores liderados, porm, como a bronca no boa, ningum quer assumir de vez o comando. Se esta situao est ocorrendo na sua organizao, reveja alguns conceitos e busque ter equipes que se completem, dando autonomia para um grupo de lderes de luxo. A maioria das empresas quer pessoas prontas para liderar, no quer treinar, capacitar e buscar solues internas, porque no fez ou no entende a sua prpria empresa como uma escola de lderes. Isso mesmo, uma escola! O grande medo prepar-los e depois perd-los para o mercado, risco comum se no houver um planejamento de desenvolvimento e reteno de talentos. Ningum ser mais comprometido que aquele que veio da base atravs de programas de promoo, ascenso, maior remunerao... e mesmo um profissional externo errar tambm. importante que voc e a sua empresa preparem os seus liderados para a liderana, para a possibilidade de assumirem equipes de trabalhos e, se falharem em uma misso, estejam ao lado deles e

n O silncio de ouro n Palavras soltas ao vento. Amigos por perto. Ainda bem. Somos levados a um mundo imaginrio. Ou quem sabe a um mundo que estamos nele. Palavras so pronunciadas. Poucas so ouvidas. Amigos vocs j ouviram o ditado popular: falar prata e o silncio ouro. Tudo isto acontecendo e diante disto no podemos deixar passar a vida e simplesmente ficar assistindo sem ao menos experimentar o gostinho de viver intensamente. n Mentiras teis n H certas horas, quando sentimos que estamos para chorar, que desejamos uma presena amiga, a nos ouvir paciente, a brincar com a gente, a nos fazer sorrir. Algum que ria de nossas piadas sem graa. Que ache nossas tristezas as maiores do mundo. Que nos tea elogios sem fim. E que apesar de todas essas mentiras teis, nos seja de uma sinceridade inquestionvel. (William shakespeare) n Apenas uma pausa n Muitos oradores ficam prejudicados naquilo que querem transmitir, em razo do cansao do pblico. Ainda no descobriram que uma pausa, contando uma piada, ou algo semelhante, com uma ilustrao ou ainda qualquer envolvimento, com o auditrio, criam empatia e faz com que o ouvinte se interesse pelo tema proposto. n Cor e forma n A palavra tem cor e forma e essa forma uma escultura sonora. Quando falamos, articulamos no somente fonemas e frases, mas, sobretudo, emoes e idias. O tom dado s palavras pode construir ou destruir as pessoas que nos cercam.Visite o meu: Blog: athanaziolameira.blogspot.com

Mello Jr - www.gmtreinamentos.com.br - mello@gmtreinamentos.com.br

Hora do cafezinhoPaulo Srgio Silva

Advocacia & Assessoria

Dr. Victor Baio PereiraOAB/SC 15.896

Causas cveis: aes possessrias, indenizatrias e de famlia.Rua Raulino Horn - Centro - Fone 3644-6882 LAGUNA/SC

Fundado em 29.07.1995 Direo Geral: PAULO SRGIO SILVA JORNAL O CORREIO. LTDA. ME. C.G.C. 03.002.178/0001-60 Insc. Mun. 54.0375 Redao e Administrao: Rua Voluntrio Fermiano, 52 - Centro Fone: (48) 3644-3959 - Laguna/SC Nmero Avulso: R$ 2,00 Assinatura Semestral (Bissemanal) R$ 100,00 Tiragem: 1.000 exemplares Os artigos assinados so de responsabilidade de seus autores. Circulao quartas e aos sbados : Laguna, Capivari de Baixo, Tubaro, Garopaba, Imbituba, Paulo Lopes, Imaru e Jaguaruna. E-mail: ocorreio@ocorreio.net hp:http://www.ocorreio.net Este jornal filiado:

EXPEDIENTE

Laguna passou a viver uma nova era. A eleio da Cmara Municipal conduzindo vereador Roberto Alves (PP) a presidncia, deu provas de que o povo est atento. Os poderes so distintos e interdependentes. Como o poder emana do povo a deciso adotada, pelo j conhecido G7, deu mostras de o legislativo no ser composto por vaquinhas de prespio. Outro detalhe que constituio de uma mesa ecltica na Cmara Municipal ter o carter de independncia, mas no fugindo da responsabilidade apoiar as matrias que objetivem os interesses do povo e de seu municpio. Parabns aos nossos legisladores. Intenso movimento em Laguna marcou os ltimos dias do ano. Mesmo com a Br 101 com suas tradicionais filas, no impossibilitou a presena de turistas e veranistas e a cidade deu sua resposta positiva com uma grande acolhida. A Dra. Ivete Scopel aproveitou a solenidade de posse na Cmara de Vereadores, para conclamar aos servidores municipais efetivos, total apoio a administrao Everaldo dos Santos, abrindo aos novos secretrios as portas do conhecimento das aes at ento desenvolvidas em Laguna o que em muito contribuir para o desenvolvimento do municpio.

O relatrio final da comisso parlamentar mista de inqurito (CPMI) que investiga a violncia contra a mulher no Brasil deve ser apresentado em maro de 2013, ms em que comemorado o Dia Internacional da Mulher. A presidente da CPMI, deputada J Moraes, do PCdoB de Minas Gerais, afirma que o documento vai trazer o diagnstico da realidade da violncia contra a mulher no Brasil: o que foi constatado de ruim e as boas prticas na rede de atendimento mulher. O texto tambm deve indicar o que ideal diante do quadro encontrado e sugerir polticas pblicas para a reverso dessa realidade. Alm disso, devem constar do relatrio final recomendaes aos rgos competentes para que faam valer a legislao, principalmente a Lei Maria da Penha, que trata da violncia domstica. Desejamos felicidades ao prefeito Everaldo dos Santos frente da prefeitura de Laguna e j reivindicamos, fazendo coro aos muitos pedidos de moradores e veranista do Mar Grosso no sentido de que alm dos caminhes que fazem a coleta diria, garis seja utilizados no calado para evitar o acmulo de lixo como se constatou no final do ano. O relator do projeto que reduzia de 70 para 60 anos a idade mnima para sacar o PIS/Pasep lamentou o veto da presidente Dilma Rousseff, publicado no ltima dia 20 de dezembro. Segundo o deputado Cleber Verde (PRB-MA), que relatou a proposta durante votao no Plenrio da Cmara, o veto prejudicou idosos e aqueles que recebem benefcio de prestao continuada, o chamado BPC-Loas, por idade ou por serem pessoas com deficincia. A proposta transformava em lei essa hiptese de saque, que hoje permitida por resoluo do Conselho Diretor do Fundo de Participao PIS/Pasep.

LAGUNA/SC 02/01/2013

O CORREIO P. 03

VIUQREPRTERO NOSSO SHOW-MEN LAGUNENSE

DR. MRCIO SPILLERE:

wilke @ocorreio.net

BRONZE E MINGUIFA PROMETEM: O BLOCO DA PRACINHA IR BOMBAREsses irrequietos e grandes baluartes do tradicional e pioneiro BLOCO DA PRACINHA, do bairro do Magalhes, BRONZE e MINGUIFA (foto), em meio a essa agitao intensa, antecedendo a proximidade do Carnaval, vem dia-a-dia se dedicando exaustivamente, objetivando um perfeito desfile do mais antigo bloco de rua do nosso Carnaval. Verdadeiramente, esses notveis carnavalescos que todos ns admiramos, sem dvida, so merecedores dos aplausos dos eternos simpatizantes das folias momescas. Repito: daqui da coluna, transmito a vocs, MIGUIFA e BRONZE, votos sinceros de um timo Carnaval!

BEATRIZ MARTINS ALVES ANIVERSARIOU

No se quer dizer aqui que a admirvel profisso de Farmacutico/Bioqumico, desempenhada notavelmente atravs do ecltico Dr. MRCIO SPILLERE, no o isente dos promissores atributos de um impecvel e prestigiado piadista que a sociedade lagunense