of 160/160
Capítulos 1. As origens do Artesanato 2. Conceitos gerais 3. Estratégias de Intervenção Introdução ao Artesanato Introdu Introdu ç ç ão ao ão ao Artesanato Artesanato

Origens do artesanato

  • View
    225

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Origens do artesanato

Text of Origens do artesanato

  • Captulos

    1. As origens do Artesanato

    2. Conceitos gerais

    3. Estratgias de IntervenoIntroduo ao Artesanato

    IntroduIntroduo ao o ao ArtesanatoArtesanato

  • Origens do Artesanato

    +

    A necessidade do homem de compensar suas limitaes fsicas frente a um ambiente hostil fez com que surgissem os primeiros objetos (inteligncia + habilidade)

    Projetar e construir ferramentas o que diferencia os seres humanos de outros seres vivos.

    Homo habilisHomo faber

  • Origens do Artesanato

    A criao da linguagem oral permitiu a transmisso de conhecimentos de uma pessoa a outra.

    Antes da linguagem escrita o desenho e a escultura surgiram como meio de deixar uma mensagem para as geraes futuras.

    Necessidade de expresso e de comunicao

  • Origens do Artesanato

    Estas faculdades permitiram que os homens dominassem a natureza (selvagem) e construssem um mundo adaptado s suas necessidades e desejos.

    Estas mesmas habilidades hoje, colocam em risco a sobrevivncia da espcie humana.

    Homo sapiens

  • Origens do Artesanato

    O surgimento da atividade artesanal no ocidente est associada ao desenvolvimento das cidades e ao aparecimento das atividades urbanas necessrias vida em coletividade.

    As origens do artesanato

  • Origens do ArtesanatoA organizao do trabalho

    A partir XII surgiram as associaes denominadas Corporaes de Ofcios, criadas com o objetivo de regulamentar a atividade artesanal nas cidades.

    Eram responsveis por determinar preo, qualidade, quantidade de produo, margem de lucro, o aprendizado e a hierarquia de trabalho.

  • Origens do Artesanato

    A necessidade de expandir suas fronteiras, conquistando novos espaos territoriais para aumentar seu poder e a capacidade de suprimento de suas necessidades fez com que os homens sassem de seu territrio original.

    O desejo irresistvel de enfrentar o desconhecido encontra em Marco Polo seu melhor exemplo. Em 1295 volta da China trazendo na bagagem o bicho da seda e com ele as bases de uma nova industria.

    Homo mobilis

  • Origens do Artesanato

    Alguns sculos depois voltaram os europeus ao oriente, desta vem em grandes barcos que permitiram importar produtos acabados e dentre eles as porcelanas.

    Como estes produtos eram to desejados o esprito empreendedor dos europeus fizeram com que fbricas de porcelana chinesa fossem criadas primeiro na Holanda e depois em vrios outros pases lanando as bases daquilo que hoje se conhece por produtos multiculturais.

    Homo mobilis

  • Origens do ArtesanatoOs grandes descobrimentos

    A colonizao do continente americano comeou quando a Europa vivia uma economia indefinida, uma mistura de feudalismo, modernismo e mercantilismo, sem contudo o esprito capitalista. Situao esta que em alguns pases ou regies no mudou muito nos 500 anos seguintes...

    Com eles veio junto sua cultura, cujo entrelaamento com as culturas dominadas criaram as bases de uma cultura material sem fronteiras.

  • Origens do Artesanato

    s tradies artesanais autctones, de origem predominantemente indgenas, incorporam-se as tcnicas trazidas por outros povos de outras civilizaes (primeiro os europeus, depois os africanos e mais recentemente os orientais) criando a diversidade hoje existente.

    As origens do artesanato no Brasil

  • Origens do Artesanato

    A partir da metade do sculo XVIII, com o advento da revoluo industrial a produo de objetos tomou duas direes:

    Peas exclusivas (artesanais) para os consumidores de maior poder aquisitivo

    Produtos utilitrios (industriais) produzidos em srie destinados populao de menor poder aquisitivo.

    A Revoluo industrial

  • Origens do Artesanato

    A substituio de produtos fabricados pelos artesos por produtos industriais de baixo custo

    O distanciamento dos jovens das tradies locais e perda dos valores culturais

    O desaparecimento dos mercados cativos

    Incremento da imigrao campo/cidade

    Consequncias da industrializao

  • Origens do Artesanato

    Produtos artesanais que nasceram para serem utilitrios passaram a ser consumidos como bens simblicos, de alto valor cultural agregado.

    Um novo valor para o artesanato

  • Origens do Artesanato

    No futuro o papel do artesanato ser mais importante do que nunca

    Marshall McLuhan - 1966.

    O artesanato e a Aldeia Global

    Apesar da crescente importncia do artesanato na economia global, os artesos esto paradoxalmente mais desconectados das necessidades e desejos dos consumidores.

    Os artesos j no podem assumir, como no passado, o papel de criadores, produtores e vendedores.

  • Origens do Artesanato

    Na duas ltimas dcadas do sculo XX os produtos de referncia cultural passaram a ser mais demandados principalmente quando relacionados com experincias vivenciadas.

    Arte popular, artesanato, produtos tpicos e lembranas de viagens passaram a representar uma oferta seletiva de importncia significativa na economia dos destinos tursticos mais procurados.

    O artesanato e a Economia da Experincia

  • Origens do Artesanato

    O artesanato representa novas oportunidades de trabalho e de renda para populaes carentes ou marginalizadas do mercado de trabalho.

    Por esta razo ganharam a ateno do poder pblico (na esfera federal, estadual e municipal) e de organizaes no governamentais, com destaque a atuao do SEBRAE e do Programa do Artesanato Brasileiro / MDIC.

    O renascimento do artesanato

  • Origens do Artesanato

    Desde 1999 todos os estados brasileiros iniciaram Programas de Apoio ao Artesanato, cujos investimentos no encontram paralelo no mundo ocidental.

    Nenhum pas da Amrica latina realizou um conjunto de aes to expressivas quanto o Brasil na promoo do artesanato.

    Tambm foram criados programas de incentivo aos produtos com identidade brasileira.

    As polticas pblicas

  • Origens do Artesanato

    z A excluso social dos artesos e a necessidade de resgatar sua dignidade e cidadania

    z A necessidade de gerao de renda e valorizao do trabalho

    z O uso racional dos recursos naturais disponveis

    z O respeito cultura e s tradies, compreendendo-as entretanto como um processo vivo e dinmico.

    Justificativas para intervir no processo artesanal

  • Origens do Artesanato

    A questo que se coloca no mais se devemos ou no intervir, mas como intervir sem descaracterizar, valorizando e reforando as tradies regionais, a habilidade dos artesos e as relaes existentes no interior dos grupos enfocados.

    Modos de interveno

  • Origens do ArtesanatoEstratgias competitivas

    Pre0

    Diferenciao qualitativa

    No artesanato residem os traos culturais de suaregio de origem, atributos bastante valorizados.

    Valor culturalValor socialValor econmico

  • Origens do Artesanato

    A baixa auto-estima e a idolatria ao estrangeiro, fruto de um longo processo de colonizao cultural que impe modelos e padres exgenos, impedindo de se enxergar as virtudes.

    A compulso pela cpia ao invs de criar novos produtos sempre foi vista como uma estratgia competitiva vlida e justificvel.

    Desafios a serem enfrentados

  • Origens do Artesanato

    Quais so os atributos positivos, as qualidades percebidas, os pontos favorveis que poderiam ser utilizados como valor agregado aos nossos produtos e servios?

    Contribumos para vender uma imagem negativa quando desconhecemos, ou no damos valor, ao nosso nico patrimnio inalienvel, que nossa cultura.

    A imagem do Brasil no exterior

  • Origens do Artesanato

    Em funo disto, sempre buscamos legitimar nossas escolhas atravs do olhar e do consentimento estrangeiro.

    Dos pintores holandeses do sculo XV ao Z Carioca somos um pas moldado por esteretipos que no correspondem realidade.

    O Olhar estrangeiro

  • Origens do Artesanato

    Ao invs da cpia, a produo original e criativa

    Ao invs da quantidade, a qualidade

    Ao invs da massificao, os produtos singulares

    Ao invs do individualismo, o trabalho solidrio

    Ao invs da vergonha, o orgulho e auto-estima

    Desafios a serem enfrentados

  • Captulo 2 -

    Conceitos gerais

    O que

    artesanato Formas de organizao do trabalhoArte popularArtesanato indgenaArtesanato tradicional ou de raizArtesanato conceitualArtesanato de referncia culturalTrabalhos manuaisIndustrianatoProdutos tpicosCategoriasTipologiasProcesso de criaoE o que

    design.

    Introduo ao Artesanato

    IntroduIntroduo ao o ao ArtesanatoArtesanato

  • Origens do Artesanato

    Entender as diferenas entre cada tipo de artesanato.

    A eterna confuso semntica entre saberes e fazeres diferentes faz com que as polticas de valorizao e promoo do artesanato no surtam o efeito desejado.

    Mesmo os organismos internacionais ainda no conseguiram definir claramente o que entendem por artesanato valorizando apenas a dimenso visvel dos produtos (aspectos estticos, formais e culturais).

    A

    r

    t

    e

    s

    a

    n

    a

    t

    o

    i

    n

    d

    g

    e

    n

    a

    Art

    esan

    ato

    con

    ceit

    ual

    Art

    esan

    ato

    de r

    efer

    nci

    a

    Pro

    duto

    s t

    pico

    s

    Trab

    alho

    s m

    anua

    is

    Indu

    stria

    nato

    Art

    e po

    pula

    r

    Art

    esan

    ato

    trad

    icio

    nal

    ARTESANATO

    Pr-condies para intervir no artesanato

  • Volume de produo

    Arte popular

    Artesanato Indgena

    Artesanato tradicional

    Artesanato conceitual

    Artesanato de referncia cultural

    Produtos tpicos

    Trabalhos Manuais

    Industrianato

    V

    a

    l

    o

    r

    c

    u

    l

    t

    u

    r

    a

    l

  • Origens do Artesanato

    Banco do Nordeste

    Artesanato a atividade predominantemente manual de produo de bens, exercida em ambiente domstico ou em pequenas oficinas, postos de trabalho ou centros associativos, no qual se admite a utilizao de mquinas ou ferramentas, desde que no dispensem a criatividade ou a habilidade individual e de que o agente produtor participe, diretamente, de todas ou quase todas as etapas da elaborao do produto.

    BrasilConceitos

  • Origens do Artesanato

    PAB (2003)Para o PBA o conceito de artesanato so todos e quaisquer tipos de trabalhos utilitrios ou decorativos feitos manualmente (+ de 80%), com materiais brutos, que refletem a cultura local e a relao do arteso com o seu meio, uma vez que utiliza materiais que esto seu alcance.

    SEBRAEDefine-se como artesanato toda atividade produtiva que resulte em objetos e artefatos acabados, feitos manualmente ou com a utilizao de meios tradicionais, com habilidade, destreza, qualidade e criatividade.

    Brasil

  • Origens do ArtesanatoBrasil

    Projeto de Lei 3926/04

    Atividade econmica de reconhecido valor cultural e social, assentada na produo, restaurao ou reparao de bens de valor artstico ou utilitrio, de raiz tradicional ou contempornea, e na prestao de servios de igual natureza, bem como na produo e confeco tradicionais de bens alimentares".

  • Origens do Artesanato

    Ley 2.448 de 20/08/2004

    Toda aquella actividad econmica de creacin, produccin, restauracin o reparacin de bienes de valor artstico o popular, as como la artesania indigena, siempre que tales actividades se realicen mediante procesos en los que la actividad desarrollada sea predominantemente manual y que el producto final sea individualizado y distinto de la propiamente industrial. Para obtener tal consideracin deber estar incluida en el listado de oficios artesanos.

    Paraguay

  • Origens do Artesanato

    Ley 17.554 de 30/08/2002

    Se considera artesana, a los efectos de la presente ley, la actividad economica productiva desarrollada mediante un proceso de produccin, ejecutado fundamentalmente de modo manual. Dicho proceso, necesariamente deber incorporar a la produccin un valor diferencial, de signo positivo respecto a sus homologos industriales, imprimiendo al objecto artesanal un sello esttico, creativo y artstico que tienda a presevar y desarrollar nuestra identidad cultural.

    Uruguay

  • Origens do ArtesanatoCubaLos productos artesanales son los producidos por artesanos, ya sea totalmente a mano, o con ayuda de herramientas manuales, o incluso, de medios mecanicos, siempre que la contribucin manual directa del artesano siga siendo el componente fundamental del articulo acabado. Se elaboran sin limitacin, por lo que se refiere a la cantidad, utilizando materias primas procedentes de recursos sostenibles...La artesania es una actividad con la que se obtiene un resultado individualizado (producto especifico), que cumple una funcin utilitaria al tiempo que tiende a adquirir categoria de obra de arte.

  • Origens do Artesanato

    Colombia

    Ley 36 de 19/11/1984

    Para efectos legales, se entiende por Artesana a una actividad creativa y permanente de produccin de objetos, realizada con predominio manual y auxiliada en algunos casos con maquinarias simples obteniendo un resultado final individualizado, determinado por los patrones culturales, el medio ambiente y su desarrollo histrico.

  • Origens do Artesanato

    Los productos artesanales son producidos por artesanos, ya sea totalmente a mano o con ayuda de herramientas manuales o incluso de medios mecnicos, siempre que la contribucon manual directa de lo artesano siga siendo el componente ms importante del producto acabado. Se producen sin limitacin por lo que se refiere a la cantidad y utilizando materias primas procedentes de recursos sostenibles. La naturaleza especial de los productos artesanales se basa en sus caractersticas distintas, que pueden ser utilitrias, estticas, artsticas, creativas, vinculadas a la cultura, decorativas, tradicionales, simblicas y significativas religiosa y socialmente

  • Origens do Artesanato

    Considera-se como artesanato a atividade de produo de bens, realizada mediante um processo no qual o trabalho manual constitui um fator predominante e que tem como resultado a obteno de um produto final individualizado, no suscetvel de ser produzido industrialmente.

    Se considera artesana la actividad de produccin de bienes mediante un proceso en el cual el trabajo manual constituye un factor predominante y que da como resultado la obtencin de un producto final individualizado, que no es susceptible de una produccin industrial.

    GT 7 - Mercosul

  • Origens do ArtesanatoOrganizao do trabalho artesanal

    Mestre arteso - indivduo que se notabilizou em seu ofcio conquistando admirao e respeito. Sua maior contribuio repassar para as novas geraes os conhecimentos fundamentais de sua atividade.

    Arteso - Detentor de conhecimento tcnico sobre os materiais, ferramentas e processos de sua especialidade.

    Aprendiz - Auxiliar das oficinas de produo artesanal, encarregado de elaborar partes do trabalho e em processo de capacitao.

  • Origens do ArtesanatoArtistaEm princpio todo artista deve ser antes de tudo um arteso, no sentido de conseguir dominar o saber fazer, de sua rea de atuao para realizar a contento seus projetos e sua pretenso criativa. Tem em seu trabalho uma coerncia temtica e filosfica, e o compromisso consigo mesmo, procurando buscar sempre ir mais alm do conhecido. Tem um compromisso com o seu tempo, de exteriorizar sua viso especfica do mundo que o cerca.

  • Origens do ArtesanatoNcleo de produo individual ou familiar

    A fora de trabalho constituda por membros de uma mesma famlia, alguns com dedicao integral e outros com dedicao parcial ou espordica. A direo dos trabalhos exercida pelo pai ou pela me que organizam o trabalhos de filhos, sobrinhos e outros parentes. Em geral no existe um sistema de pagamentos pr-fixados, sendo as pessoas remuneradas de acordo com suas necessidades e disponibilidade de um caixa nico.

  • Origens do ArtesanatoGrupos de produo artesanal

    Agrupamentos de artesos atuando no mesmo segmento artesanal ou em segmentos diversos, e que se valem de acordos informais, tais como: aquisio de matria prima e/ou de estratgias promocionais conjuntas.

  • Origens do ArtesanatoEmpresa artesanal

    um ncleo de produo que evoluiu para a forma de micro ou pequena empresa, com personalidade jurdica, regida por um contrato social. Como qualquer empresa privada busca vantagens comerciais para continuar a existir. Emprega artesos e aprendizes encarregados da produo e remunerados, em geral, com um salrio fixo ou uma pequena comisso sobre as unidades vendidas.

  • Origens do ArtesanatoAssociao

    Uma associao uma instituio de direito privado sem fins lucrativos, constituda com o objetivo de defender e zelar pelos interesses de seus associados. So regidas tambm por estatutos sociais, com uma diretoria eleita em assemblia para perodos regulares.

  • Origens do ArtesanatoCooperativaAs cooperativas so associaes de pessoas de nmero varivel (no inferior a 20 participantes) que se unem para alcanar benefcios comuns, em geral, para organizar e normalizar atividades de interesse comum. O objetivo essencial de uma cooperativa na rea do artesanato a busca de uma maior eficincia na produo com ganho de qualidade e de competitividade em virtude do ganho de escala, pela otimizao e reduo de custos na aquisio de matria prima, no beneficiamento, no transporte, na distribuio e venda dos produtos.

  • Origens do ArtesanatoArte Popular

    A arte popular diferencia-se do artesanato a partir do propsito de ambas atividades. Enquanto o artista tem profundo compromisso com a originalidade, para o arteso esta uma situao meramente eventual.

    o conjunto de atividades poticas, musicais, plsticas e expressivas, que configuram o modo de ser e de viver de uma parcela da populao de menor grau de instruo formal e distanciada do acesso dos bens e servios ofertados pela sociedade industrial e urbana

  • Origens do Artesanato

    A arte popular a matriz cultural onde se forja o artesanato tradicional. a fonte de inspirao e de referncia para o artesanato contemporneo e para o design.

    Arte Popular

  • Origens do Artesanato

    Identificar, premiar e promover os artistas mais destacados

    Comercializar os produtos em espaos comerciais nobres e galerias de arte

    Promover exposies itinerantes

    Publicar a biografia e obra dos principais artistas

    No interferir no trabalho dos artistas e nem pressionar pelo aumento de produo

    Arte popular

    Intervenes

  • Origens do Artesanato

    Conjunto de objetos produzidos em uma comunidade indgena por seus prprios membros. So, em sua maioria, resultantes de uma produo coletiva, incorporada ao cotidiano da vida tribal, que prescinde da figura do artista ou do autor.

    Artesanato Indgena

  • Origens do ArtesanatoArtesanato indgena

    Intervenes

    Identificar e selecionar os produtos com maior potencial de venda

    Comercializar os produtos em espaos comerciais especficos relacionando os produtos com sua cultura de origem

    Propor usos alternativos dos produtos

  • Origens do Artesanato

    Conjunto de artefatos mais expressivos da cultura de um determinado grupo, representativo de suas tradies porm incorporados a sua vida cotidiana. Sua produo em geral de origem familiar ou de pequenos grupos vizinhos, o que possibilita e favorece a transferncia de conhecimentos sobre tcnicas, processos e desenhos originais.

    Sua importncia e seu valor cultural decorrem do fato de ser depositria de um passado, de acompanhar histrias transmitidas de gerao em gerao, de fazer parte integrante e indissocivel dos usos e costumes de um determinado grupo social.

    Artesanato tradicional(artesanato de raiz)

  • Origens do Artesanato

    Um produto pode ser considerado como fruto do design quando o resultado reflete uma inteno consciente e planejada, conceitualmente compreensvel e definida, singular e inovadora, que considere as implicaes sociais, culturais, ambientais, econmicas, estticas e mercadolgicas.

    O artesanato de razou design vernacular

  • Origens do Artesanato

    O termo vernacular sugere a existncia de linguagens formais e visuais que remetem a uma determinada cultura, transmitida de gerao em gerao.

    So em sua maioria produtos de uso corriqueiro, que de to vistos no so mais percebidos, de to tocados no so mais sentidos em sua singularidade.

    Contudo, esto profundamente enraizados e referenciados culturalmente no tempo e no espao.

    Design vernacular Brasileiro

  • Origens do Artesanato

    Propor e instituir um sistema de identificao de origem ou selo de procedncia

    Identificar e valorizar os mestres-artesos

    Agregar valor atravs da proposio de embalagens, displays e demais elementos promocionais especficos

    Identificar volumes de produo e selecionar produtos mais destacados

    Artesanato tradicional

    Intervenes

  • Origens do Artesanato

    Objetos produzidos por pessoas com alguma educao artstica, geralmente de origem urbana, resultante de um projeto deliberado ou de afirmao de um estilo de vida. A inovao o elemento principal de diferenciao das demais categorias de artesanato

    Artesanato Conceitual

    Artesanato Contemporneo

  • Origens do ArtesanatoArtesanato conceitual

    estratgias

    Realizar concursos e feiras para identificar e promover os trabalhos

    Comercializar os produtos em espaos comerciais nobres e galerias de arte

    Promover exposies Publicar a obra dos

    principais artistas No interferir no trabalho

    dos artistas e nem pressionar pelo aumento de produo

  • Origens do Artesanato

    So produtos cuja caracterstica a incorporao de elementos culturais da regio onde so produzidos. So, em geral, resultantes da interveno planejada de designers em parceria com artesos, cujo objetivo diversificar a oferta artesanal porm sem perda de suas caractersticas essenciais.

    Artesanato de referncia cultural

  • Origens do ArtesanatoArtesanato de referncia cultural

    IntervenesConcentrar neste segmento o principal esforo de renovao, com uso intensivo do design

    Substituir processos e mtodos de produo muito rudimentares de modo a garantir qualidade e padronizao de tamanhos adequados demanda

    Desenvolver o conceito de colees de produtos

  • Origens do Artesanato

    So, em geral, produtos alimentcios e/ou bebidas, processados segundo mtodos tradicionais, em pequena escala, por famlias ou pequenos grupos.Embalados artesanalmente esto intimamente relacionados com usos, costumes e tradies locais..

    Produtos Tpicos

  • Origens do ArtesanatoProdutos tpicos

    Intervenes

    Identificar e selecionar os produtos com maior potencial de venda

    Desenvolver sistemas de embalagens

    Promover os produtos alimentcios em espaos tursticos, restaurantes tpicos, espaos gourmets, e em alguns supermercados

    Dar apoio e assistncia tcnica em gesto e comercializao

  • Origens do Artesanato

    Produtos que utilizam moldes e padres pr-definidos.

    Os trabalhos manuais exigem destreza e habilidade, porm no so resultantes de um processo artstico e criativo efetivo.

    Em geral, no possuem vnculos com a cultura local e no constituem a atividade principal daqueles que os realizam, sendo uma ocupao secundria que utiliza o tempo disponvel das tarefas domsticas para a complementao da renda familiar ou mesmo como passatempo.

    Trabalhos manuais

  • Origens do Artesanato

    Trabalhos manuais

    Intervenes

    Identificar e selecionar os artesos mais dedicados e os produtos com maior potencial de venda e avaliar a produo

    Capacitar artesos para atenderem a demandas mais elevadas

    Ensinar tcnicas mais eficazes

    Estimular o uso dos referentes culturais regionais.

  • Origens do Artesanato

    So os objetos produzidos em grandes sries, em processos semi- industriais, porm utilizando mo de obra artesanal, notadamente nas fases de acabamento, permitindo assim que cada produto tenha suas caractersticas prprias diferenciadas

    Industrianato(produtos semi industriais)

  • Origens do ArtesanatoIndustrianato

    Intervenes

    Introduzir processos mais adequados e supervisionar a qualidade

    Propor novos produtos Capacitar os produtores

    sobre as questes culturais e estticas

    Adequar a comercializao ao seu pblico-alvo (baixa renda)

  • CATEGORIA ARTE POPULAR

    ARTESANATOTRABALHOS

    MANUAISINDGENA TRADICIONAL REFERNCIA CULTURAL CONCEITUAL

    O R I G E M

    QUEM FAZ? ARTISTA POPULAR

    NDIO ARTESO ARTESO ARTESO ARTESO

    DE ONDE VEIO?

    DA CRIAO INDIVIDUAL

    ATEMPORAL

    DAS TRADIES DA NAO INDGENA

    TRANSMITIDA DE GERAO A GERAO,

    GERALMENTE NUMA

    MESMA FAMLIA

    RELEITURA DE ELEMENTOS DA CULTURA

    TRADICIONAL,

    DE ORIGEM URBANA, ONDE A

    INOVAO O ELEMENTO PRINCIPAL

    CPIA DE TCNICAS E

    PRODUTOS DE DOMNIO PBLICO

    COMO FEITO?

    PEA NICA, FEITA POR

    UMA PESSOA, PREDOMINAN

    DO PROCESSOS

    MANUAIS

    PRODUO COLETIVA DE SRIES

    DE OBJETOS

    PRODUO EM PEQUENA ESCALA DE SRIES DE OBJETOS,

    INDIVUAL OU EM GRUPO

    PRODUO DE COLEES

    TEMTICAS EM NCLEOS DE PRODUO

    ENFOQUE CULTURAL

    E/OU ECOLGICO, TRABALHO INDIVIDUAL

    PRODUO A PARTIR DE MOLDES E PADRES

    PR- DEFINIDOS, NO

    TEMPO OCIOSO

    Categorias

  • NATURAL PROCESSADA RECICLVEL REAPROVEITVEL

    MINERAL ArgilaPedraGessoMetal

    ResinaVidro

    MetalPlstico

    Vidro

    VEGETALCascas de

    rvoresFibra vegetal

    MadeiraSementes

    FioTecido

    Borracha

    Madeira PapelTecido

    ANIMAL

    ChifreConcha

    L OssoPena

    Pluma

    CouroFio de seda

    L

    CouroL

    MINERAL+ VEGETAL +

    ANIMAL

    Cera Couro sinttico

    MassaParafina

    Couro sinttico

    Tipologias

  • Origens do Artesanato

    Peas torneadas Peas moldadas Peas esculpidas Placas (mosaicos)

    Resultados diferentes de acordo com a matria prima, o processo e a temperatura da queima.

    Argila

  • Origens do Artesanato

    Pele de mamferos (roupas, acessrios, mveis)

    Pele de ofdios (sapatos, bolsas, cintos, acessrios)

    Pele de peixes

    Peles e couro

  • Origens do Artesanato

    Cestaria Chapus Tapetes e esteiras Mveis e objetos de decorao

    Fibras

  • Origens do Artesanato

    Tecelagem (redes, mantas, colchas, toalhas, cobertores e tapetes)

    Rendas e bordados Confeces (roupas, bonecas

    e brinquedos)

    Fios e tecidos

  • Origens do Artesanato

    Esculturas Movelaria e objetos de

    decorao, Luteria (instrumentos

    musicais), Construes e carpintaria

    naval

    Madeira

  • Origens do Artesanato

    Cuteleiro Espingardeiro Ferramenteiro Ferreiro Funileiro Serralheiro Joalheiros e ourves

    Metais

  • Origens do Artesanato

    Pedras preciosas e semi preciosas Mrmores e granitos Pedra de cantaria Pedra-sabo Seixo rolado Cascalho

    Pedras

  • Origens do Artesanato

    Vidro soprado (vasos, copos, jarros)

    Vidro moldado (figuras, esculturas)

    Vidro fundido (placas, travessas, cinzeiros)

    Vidro cortado (vitrais, luminrias)

    Vidro

  • Origens do Artesanato

    Borrachas (naturais ou sintticas)

    Cras e parafinas Ccos, sementes e cascas de

    rvores Ossos e chifres de animais Papel Artesanal Penas e plumas de aves Peixes, aves e insetos

    embalsamados ou empalhados Materiais reciclados Areia colorida

    Outros materiais

  • Origens do ArtesanatoEm cada ofcio um processo de criao distinto

    Artistas (o predomnio da experimentao / porm todo artista foi antes um arteso)Estilistas (a preocupao com a esttica, a efemeridade e as tendncias da moda)Artesos (a preocupao com a melhoria contnua no fazer)Designers e Arquitetos (o domnio de mtodos e processos de criao e a abordagem sistmica dos problemas)

  • Origens do ArtesanatoE um compromisso diferente

    Artistas (o compromisso consigo mesmo e com o seu tempo)

    Os Artesos (o compromisso com sua famlia)

    Os Designers e os Arquitetos (o compromisso com seus clientes e usurios)

  • Origens do Artesanato

    Alguns consideram a interveno do design no artesanato como uma necessidade ou uma oportunidade. Outros consideram uma ameaa.

    O arteso passa a ser um simples produtor subordinado a influncia do designer?

    Como criar novos produtos sem destruir as tradies?

    O design no artesanato

  • Origens do Artesanato

    Design no desenho.

    Design significa projeto emsua concepo mais ampla

    O que Design ?

  • Origens do ArtesanatoO Design no reside nos produtos acabados e sim no ato de realiza-los.

    No o resultado e sim o processo de criao.

    Andrea Branzi

    Design o processo de transformao das idias das pessoasem forma... transformar o invisvel no visvel... o processo de criao humana de novas realidades...

    Kenji Ekuan

  • Origens do Artesanato

    Design como arte de repensar o futuro

    Processo holstico de soluo de

    problemas

    Capacidade do esprito humano de

    transcender seus limites

    Construo de novas realidades

    Buscar novas alternativas

    projetando um novo modo de vida

    Design uma atividade consciente e criativa que combina tecnologia e materiais com o contexto social, com o propsito de ajudar a satisfazer ou modificar o comportamento humano.

    Alexander Manu

  • Origens do ArtesanatoO design agrega valor ao produto

    Aumentandoa qualidade e os

    atributos valorizadospelos clientes

    Otimizando funesAprimorando desempenhoAdequando a aparncia s expectativas dos consumidoresAumentando a segurana no uso.

    Economizando insumosReduzindo matria primaRacionalizando mo de obraOtimizando processos de produo

    Reduzindo os fatoresrelacionados com a formao do preo

  • Captulo 4 -

    Estratgias

    O crculo da Inovao e do Design

    Identificar demandaIdentificar ofertaMelhorar produtosMelhorar processosAgregar ValorDivulgar e promoverComercializar

    Introduo ao Artesanato

    IntroduIntroduo ao o ao ArtesanatoArtesanato

  • IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Estratgias de interveno nos territrios

  • IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Estratgias de interveno nos territrios

    Planejamento estratgico

  • IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Estratgias de interveno nos territrios

    Planejamento estratgico

    Mapear territrioPesquisa identitria

    Pesquisa IconogrficaPesquisa de demanda

  • IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Estratgias de interveno nos territrios

    Planejamento estratgico

    Mapear territrioPesquisa identitria

    Pesquisa IconogrficaPesquisa de demanda

    ArtesosConcorrentesFornecedores

    Agentes

  • IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Estratgias de interveno nos territrios

    Planejamento estratgico

    Mapear territrioPesquisa identitria

    Pesquisa IconogrficaPesquisa de demanda

    ArtesosConcorrentesFornecedores

    Agentes

    Anlise dos produtosGerao de conceitos

    Construo de prottiposTestes de aceitao

  • IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Estratgias de interveno nos territrios

    Planejamento estratgico

    Mapear territrioPesquisa identitria

    Pesquisa IconogrficaPesquisa de demanda

    ArtesosConcorrentesFornecedores

    Agentes

    Anlise dos produtosGerao de conceitos

    Construo de prottiposTestes de aceitao

    Matria primaAnlise dos processos

    EquipamentosLay-out

  • IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Estratgias de interveno nos territrios

    Planejamento estratgico

    Mapear territrioPesquisa identitria

    Pesquisa IconogrficaPesquisa de demanda

    ArtesosConcorrentesFornecedores

    Agentes

    Anlise dos produtosGerao de conceitos

    Construo de prottiposTestes de aceitao

    Matria primaAnlise dos processos

    EquipamentosLay-out

    Novos processosNovas exigncias

    Prticas comerciaisAssociativismo

  • IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Estratgias de interveno nos territrios

    Planejamento estratgico

    Mapear territrioPesquisa identitria

    Pesquisa IconogrficaPesquisa de demanda

    ArtesosConcorrentesFornecedores

    Agentes

    Anlise dos produtosGerao de conceitos

    Construo de prottiposTestes de aceitao

    Matria primaAnlise dos processos

    EquipamentosLay-out

    Novos processosNovas exigncias

    Prticas comerciaisAssociativismo

    Identidade visualEmbalagensCatlogos

    Site

  • IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Estratgias de interveno nos territrios

    Planejamento estratgico

    Mapear territrioPesquisa identitria

    Pesquisa IconogrficaPesquisa de demanda

    ArtesosConcorrentesFornecedores

    Agentes

    Anlise dos produtosGerao de conceitos

    Construo de prottiposTestes de aceitao

    Matria primaAnlise dos processos

    EquipamentosLay-out

    Novos processosNovas exigncias

    Prticas comerciaisAssociativismo

    Identidade visualEmbalagensCatlogos

    Site

    Preparar lanamentoEscolha de veculos

    Feiras e eventos

  • IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Estratgias de interveno nos territrios

    Planejamento estratgico

    Mapear territrioPesquisa identitria

    Pesquisa IconogrficaPesquisa de demanda

    ArtesosConcorrentesFornecedores

    Agentes

    Anlise dos produtosGerao de conceitos

    Construo de prottiposTestes de aceitao

    Matria primaAnlise dos processos

    EquipamentosLay-out

    Novos processosNovas exigncias

    Prticas comerciaisAssociativismo

    Identidade visualEmbalagensCatlogos

    Site

    Preparar lanamentoEscolha de veculos

    Feiras e eventos

    Definir PDVLogstica

    Definir preosRodadas de negcios

    Fidelizar clientes

  • IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Estratgias de interveno nos territrios

    Planejamento estratgico

    Mapear territrioPesquisa identitria

    Pesquisa IconogrficaPesquisa de demanda

    ArtesosConcorrentesFornecedores

    Agentes

    Anlise dos produtosGerao de conceitos

    Construo de prottiposTestes de aceitao

    Matria primaAnlise dos processos

    EquipamentosLay-out

    Novos processosNovas exigncias

    Prticas comerciaisAssociativismo

    Identidade visualEmbalagensCatlogos

    Site

    Preparar lanamentoEscolha de veculos

    Feiras e eventos

    Definir PDVLogstica

    Definir preosRodadas de negcios

    Fidelizar clientes

    Ps vendaMonitorar mercadoMelhoria contnuaMisses tcnicas

    Bechmarking

  • Origens do Artesanato

    Mercado Global Mercado Nacional Mercado Regional Mercado local

    IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Necessidades Expectativas Condicionantes Tendncias

    Identificar demanda

  • Origens do Artesanato

    IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Definir os objetivos da pesquisa

    Definir a metodologia de trabalho

    Definir a amostragem

    Definir o mtodo de obteno dos dados

    Definir o processo de anlise dos dados

    Definir o processo de deciso

  • Origens do ArtesanatoBase de dados

    Dados(Precises quantitativas)

    Inteligncia competitiva(aplicada ao universo dos negcios)

    Conhecimento(compreenso de fenmenos)

    Informaes(anlise comparativa de dados)

    Inteligncia(capacidade de soluo de problemas)

    Estruturar uma base de dados fator chave para a implantao de um Programa de Artesanato

    Necessrio dispor de dados atuais e confiveis. Como so precises efmeras devem ser atualizados constantemente.

  • Origens do ArtesanatoAs grandes mudanas no mercado

    $

    $A inverso da lgica predominante baseada na oferta

    A polarizao competitiva (fazer a escolha certa)

  • Origens do Artesanato

    Caracterizado por uma constante presso dos pases asiticos para conquistar e expandir mercados com preos altamente competitivos.

    Ciclo de vida dos produtos cada vez menor e determinado por fenmenos de moda

    Mercado Global

  • Origens do ArtesanatoDificuldades competitivas parao artesanato brasileiro

    Baixo volume de produo Qualidade oscilante dos

    produtos Custo mal formulado Excesso de intermedirios Falta de informao sobre

    mercados Baixa articulao entre

    produo e comercializao Estratgias de promoo

    pouco eficazes

  • Origens do Artesanato

    Pequena diversidade e falta de renovao dos produtos

    Uso de matrias-primas sem manejo

    Dificuldade de garantir suprimento

    Baixo nvel educacional dos artesos

    Dificuldades competitivas parao artesanato brasileiro

  • Origens do Artesanato

    A renda anual nos pases industrializados supera os vinte mil dlares per capita, com um gasto anual mdio de 100 dlares por ano em artesanato.

    Esta disposio est orientada a produtos de qualidade, diferenciados e com alto valor agregado e ecologicamente corretos

    Principais oportunidades

  • Origens do Artesanato

    De acordo com a Fundao Espanhola para Artesanato, estima-se que na Espanha a compra mdia de artesanato de 50 dlares per capita/ano. O consumidor tpico mulher, urbana, de classe mdia-alta, idade entre 30 e 45 anos, dirigindo a compra para a segunda residncia.

    Mercado Europeu

  • Origens do Artesanato

    O conhecimento do mercado permite conhecer e escolher um pblico-alvo, definindo a melhor estratgia de comercializao.

    Estratgia indiferenciadaEstratgia diferenciadaEstratgia de concentrao

    Determinao de pblico alvo

  • Origens do ArtesanatoAnlise da Oferta

    Concorrentes atuais Concorrentes potenciais Oferta local / mo de obra Matria prima e insumos Identidade cultural

    IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Pontos fortes Pontos fracos Ameaas Oportunidades

  • Origens do Artesanato

    IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Definir perfil do cliente

    Definir parmetros de comparao

    (preo, aparncia, eficincia...)

    Identificar produtos concorrentes

    (atuais e potenciais)

    Identificar aspectos positivos e negativos nos

    produtos

    Identificao das novas oportunidades

  • Origens do Artesanato

    Os produtos configuram uma oferta Integrada?

    A oferta est coerente com o mercado visado?

    Existem produtos que complementam a oferta?

    Os produtos so identificados com sua origem?

    Existe uma marca comercial que define a oferta?

    O valor simblico e cultural percebido?

    Est associada oferta algum outro valor intangvel?

    Anlise da oferta existente

  • Origens do ArtesanatoAnlise da concorrncia

    Identificar os concorrentes atuais e futuros, analisando suas vantagens e desvantagens competitivas

    Produtos similares da mesma regio

    Artesanato Latino Artesanato procedente dos tigres asiticos

    Produtos industriais substitutivos

    Artesanato tnico da frica e sia

    O falso artesanato

  • Origens do ArtesanatoTendncias de mercado

    Analisar as tipologias e famlias de produtos de maior demanda

    Identificar os estilos e contextos predominantes

    Pesquisar as cores e padres sugeridos pela industria da decorao e da moda.

  • Origens do Artesanato

    Arte

    Arquitetura

    Artefatos

    Folclore

    Ambiente

    Literatura, Cinema, Teatro, Literatura, Cinema, Teatro, Artes plArtes plsticas, msticas, msicasica

    Monumentos, Monumentos, arquitetura arquitetura vernacularvernacular

    UtensUtenslios, lios, apetrechos,objetos diversosapetrechos,objetos diversos

    Jogos, lendas, danJogos, lendas, danas,as,culinculinria, vestimentas ria, vestimentas

    Fauna, flora, paisagem, Fauna, flora, paisagem, tipos humanostipos humanos

    Pesquisa de referentes culturais

  • Origens do Artesanato

    A identidade de um grupo social determinada pelo conjunto de smbolos, signos, cdigos, normas, objetos, costumes, ritos e mitos aceitos e praticados coletivamente.

    Iconografia regional

  • Origens do ArtesanatoAlguns exemplos de pesquisas iconogrficas

  • Origens do ArtesanatoAlguns exemplos de pesquisas iconogrficas

  • Origens do Artesanato

  • Origens do Artesanato

  • Origens do Artesanato

  • Origens do Artesanato

  • Origens do Artesanato

  • Origens do Artesanato

  • Origens do Artesanato

  • Origens do Artesanato

  • Origens do Artesanato

  • Origens do Artesanato

  • Origens do Artesanato

  • Origens do Artesanato

  • Origens do Artesanato

  • Origens do Artesanato

  • Origens do ArtesanatoMelhorar produtos

    A partir das informaes levantadas nas etapas anteriores possvel ento definir o que fazer com os produtos:

    Novo design (desenvolver um produto totalmente novo)

    Redesign (melhorar um produto existente)

    IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

  • Origens do ArtesanatoAdequar as linguagens

    O discurso grfico traduzido pelo desenho com cotas de difcil compreenso pela maioria dos artesos, cujo repertrio no inclui representaes bidimensionais.

    A linguagem dos artesos basicamente espacial e tridimensional.

  • Origens do Artesanato

    Forma / Aparncia Funo / Uso Matria-prima / insumos Tcnicas / Processos Famlias ou colees

    Melhorar produtossignifica intervir em suas caractersticas diferenciadoras

  • Origens do Artesanato

    Explorar as possibilidades produtivas de uma mesma regio

    Buscar uma maior integrao entre diversos ofcios

    Propor novos produtos e novos usos

    Combinar matrias primas

  • Origens do Artesanato

    Combinaes monocromticas

    Combinaes semelhantes (cores vizinhas)

    Combinaes complementares (cores opostas do circulo cromtico)

    Cores, texturas etratamentos de superfcie

  • Origens do Artesanato

    Os fatores de equilbrio, clareza e harmonia, constituem para todos os seres humanos uma necessidade.

    Ao projetar devemos considerar estas regras respeitando os padres culturais, estilos e demais elementos que relacionem os objeto ao seu contexto de produo e de uso.

    Aspectos estticos e semnticos

  • Origens do Artesanato

    Transparente

    Fosco

    Brilhante

    Opaco

    Tratamento de superfcie

  • Origens do Artesanato

    O equilbrio de uma forma pode ser conseguida atravs de composies simtricas ou mesmo assimtricas, e estas quando obtidas valorizam o objeto ou composio do ponto de vista esttico

    Equilbrio

  • Origens do Artesanato

    Harmonia a ordem, a regularidade.

    A desarmonia existe quando esto presentes as incongruncias, as ambigidades e os conflitos entre forma, uso, contedo, linguagens, imagens e significados.

    Harmonia

  • Origens do ArtesanatoAnlise de produtos(atributos)

    Ambientais

    Funcionais Tcnicos

    EconmicosCulturais

  • Origens do ArtesanatoMelhorar processos de produo

    Matrias primas Insumos Tcnicas Metodologias

    IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

  • Origens do Artesanato1. Os equipamentos utilizados na

    produo so adequados?2. As pessoas envolvidas na

    produo so experientes e bem treinadas?

    3. As instrues, normas e procedimentos so conhecidos por todos?

    4. Os critrios de segurana so respeitados?

    5. Os ambientes de trabalho so limpos, bem iluminados e adequados?

    6. As rotinas de produo so obedecidas?

    7. Os prazos de produo so mantidos?

    8. Os custos so controlados?9. As metas so cumpridas?10. As reas e funes so bem

    definidas?11. Os procedimentos so racionais e

    eficientes?12. As matrias primas so

    integralmente aproveitadas?13. As sobras so reaproveitadas?14. Os melhores desempenhos so

    recompensados?15. Os processos de produo esto

    documentados?

  • Origens do ArtesanatoFerramentas e tcnicas

    A melhoria do artesanato passa, necessariamente, pela melhoria das condies de trabalho e do uso de ferramentas mais adequadas.

    No possvel aceitar que o arteso possa expressar-se plenamente se os seus meios de produo so rudimentares, pobres, toscos e improvisados

  • Origens do Artesanato

    Artesos

    Multiplicadores

    Agentes

    Tcnicos

    Designers

    IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARRH

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Capacitar recursos humanos

  • Origens do Artesanato

    Contextualizar culturalmente os produtos

    Melhorar a apresentao (embalagens adequadas)

    Melhorar a qualidade percebida (atributos)

    Ajustar o preo ao mercado (valor simblico)

    IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Agregar valor

  • Origens do Artesanato

    Explicitar o o valor cultural (etiquetas de contextualizao cultural)

    Propor selos de origem e procedncia

    Desenvolver um projeto de identidade visual

    Identificao com a origem Integrar produtos em

    colees e famlia Criar oferta associada com

    outros produtos Desenvolver embalagens

    para proteger e agregar valor

    Agregar valor aos produtos

  • Origens do Artesanato

    O uso de elementos da iconografia regional como forma de agregao de valor ao produto artesanal devem ser estimuladas e apoiadas porm com o cuidado de no serem tratadas de modo superficial e simplista, reafirmando esteretipos e preconceitos

    Agregar valor aos produtos

  • Origens do Artesanato

    IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Divulgar e promover

  • Origens do Artesanato

    Ajustar o contedo das mensagens ao pblico visado

    Identificar os melhores veculos de comunicao com o pblico alvo

    Ajustar as mensagens aos veculos disponveis

    Divulgar e promover

  • Origens do Artesanato

    IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Poltica de preos Ponto de Venda Rodadas de negcios Formas de fidelizao

    Estratgias comerciais

  • Origens do Artesanato

    Nenhuma estratgia comercial de xito para o setor artesanal pode se basear em produtos uniformes, com um mesmo canal de distribuio e dirigido indistintamente a todos os consumidores.

    Estratgias comerciais

  • Origens do Artesanato

    IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    Gesto integrada

    Grupo Gestor (atribuies e responsabilidades)

    Parcerias estratgicas Frum do Artesanato

  • Origens do Artesanato

    Para prospectar o mercado

    Para compra de matria-prima

    Para absoro de tecnologia

    Para realizar cursos e treinamentos

    Para melhorar o processo de comercializao

    Para reivindicar seus direitos

    Alianas estratgicas

  • Origens do Artesanato

    Estratgiase diretrizes

    Estudos e pesquisas

    Inovao Capacitao

    Acesso aomercado

    Fomento

    Eixos norteadores dos programas

  • Origens do ArtesanatoInfra estrutura

    para o artesanato

    IDENTIFICAR OFERTA

    MELHORARPRODUTOS

    MELHORARPROCESSOS

    CAPACITARPRODUTORES

    AGREGARVALOR

    DIVULGAR EPROMOVER

    COMERCIALIZAR

    MERCADO

    IDENTIFICAR DEMANDA

    PRODUO

    NNCLEO DE CLEO DE INOVAINOVAO E O E

    DESIGNDESIGN

    CENTRAL DECENTRAL DECOMERCIALIZACOMERCIALIZAOO

    OFICINA OFICINA EXPERIMENTALEXPERIMENTALDE PRODUDE PRODUAOAO

  • Origens do ArtesanatoComo intervir na produo artesanal

    Primeiro passo

    Conhecer a matria prima com a qual se pretende trabalhar: formas de obteno ou de coleta, processamento, armazenamento, utilizao, conservao, manejo)

    Conhecer as tcnicas e processos de produo (limites da matria, resistncia fsica, tolerncias, possibilidades)

  • Origens do ArtesanatoComo intervir na produo artesanal

    Segundo passo - Imerso na realidade do arteso

    Conhecer os artesos envolvidos no processo, suas expectativas e necessidades e seu potencial de trabalho

    Desvendar o universo cultural e o repertrio simblico da comunidade presente no inconsciente coletivo (hbitos e costumes, crenas e mitos fundadores, folclore e tradies, iconografia circundante)

  • Origens do ArtesanatoComo intervir na produo artesanal

    Terceiro passo - Viso de futuro

    Analisar as expectativas e possibilidade para o desenvolvimento integral e sustentvel da comunidade

    Provocar a reflexo e o debate sobre as possibilidades individuais e coletivas para a construo de uma viso de futuro desejvel, possvel e provvel (melhoria da auto estima)

  • Origens do ArtesanatoComo intervir na produo artesanal

    Quarto passo - Definir o pblico alvo

    Debater sobre quais so os provveis pblicos alvo e os nichos de mercado ainda pouco explorados

    Analisar as possibilidade e demandas destes tipos de consumidores (padres estticos e culturais, expectativas e demandas no satisfeitas, hbitos de compra, sazonalidade, tamanho do mercado, destino dos produtos, margem de tolerncia com preos...)

  • Origens do ArtesanatoComo intervir na produo artesanal

    Quinto passo Conceituar os produto (briefing)

    Debater e definir os requerimentos do produto que se pretende projetar e produzir (caractersticas intrnsecas, funes e usos, formas e particularidades, tamanho e preo)

    Realizar um brainstormparticipativo para gerar alternativas conceituais

  • Origens do ArtesanatoComo intervir na produo artesanal

    Sexto passo Selecionar os conceitos

    Debater e selecionar as alternativas conceituais mais indicadas e mais eficazes (O designer deve trabalhar com o arteso e no para o arteso)

    Tudo que for produzido nasce primeiro no corao

  • Origens do ArtesanatoComo intervir na produo artesanal

    Stimo passo Realizar experimentaes formais

    Produzir prottipos ou modelos tridimensionais para verificao formal (equilbrio, proporo, manuseio, produo, tratamento de superfcie, acabamento)

    Verificar ao atendimento das exigncias tcnicas, mercadolgicas, funcionais, estticas, humanos, sociais, culturais e ambientais.

  • Origens do ArtesanatoComo intervir na produo artesanal

    Oitavo passo Agregar valor

    Definir possibilidades de variao de formas e acabamento (produtos que se complementam mutuamente em sua finalidade e uso, possuindo signos comuns de identidade)

    Estudar a possibilidade de criar famlia ou coleo de produtos.

    Criar embalagens e elementos de promoo.

  • Origens do ArtesanatoComo intervir na produo artesanal

    Nono passo Produo piloto

    Revisar os detalhes do produto para otimizao da produo e simplificao de procedimentos.

    Produzir um determinado nmero de peas para confronto com a demanda

  • Origens do ArtesanatoComo intervir na produo artesanal

    Dcimo passo Melhoria contnua

    Projetar apresentao comercial dos produtos (catlogo, site, ponto de venda, displays, stands)

    Analisar resposta do mercado (melhorias, modificaes, ajustes)

    Slide Number 1Slide Number 2Slide Number 3Slide Number 4Slide Number 5Slide Number 6Slide Number 7Slide Number 8Slide Number 9Slide Number 10Slide Number 11Slide Number 12Slide Number 13Slide Number 14Slide Number 15Slide Number 16Slide Number 17Slide Number 18Slide Number 19Slide Number 20Slide Number 21Slide Number 22Slide Number 23Slide Number 24Slide Number 25Slide Number 26Slide Number 27Slide Number 28Slide Number 29Slide Number 30Slide Number 31Slide Number 32Slide Number 33Slide Number 34Slide Number 35Slide Number 36Slide Number 37Slide Number 38Slide Number 39Slide Number 40Slide Number 41Slide Number 42Slide Number 43Slide Number 44Slide Number 45Slide Number 46Slide Number 47Slide Number 48Slide Number 49Slide Number 50Slide Number 51Slide Number 52Slide Number 53Slide Number 54Slide Number 55Slide Number 56Slide Number 57Slide Number 58Slide Number 59Slide Number 60Slide Number 61Slide Number 62Slide Number 63Slide Number 64Slide Number 65Slide Number 66Slide Number 67Slide Number 68Slide Number 69Slide Number 70Slide Number 71Slide Number 72Slide Number 73Slide Number 74Slide Number 75Slide Number 76Slide Number 77Slide Number 78Slide Number 79Slide Number 80Slide Number 81Slide Number 82Slide Number 83Slide Number 84Slide Number 85Slide Number 86Slide Number 87Slide Number 88Slide Number 89Slide Number 90Slide Number 91Slide Number 92Slide Number 93Slide Number 94Slide Number 95Slide Number 96Slide Number 97Slide Number 98Slide Number 99Slide Number 100Slide Number 101Slide Number 102Slide Number 103Slide Number 104Slide Number 105Slide Number 106Slide Number 107Slide Number 108Slide Number 109Slide Number 110Slide Number 111Slide Number 112Slide Number 113Slide Number 114Slide Number 115Slide Number 116Slide Number 117Slide Number 118Slide Number 119Slide Number 120Slide Number 121Slide Number 122Slide Number 123Slide Number 124Slide Number 125Slide Number 126Slide Number 127Slide Number 128Slide Number 129Slide Number 130Slide Number 131Slide Number 132Slide Number 133Slide Number 134Slide Number 135Slide Number 136Slide Number 137Slide Number 138Slide Number 139Slide Number 140Slide Number 141Slide Number 142Slide Number 143Slide Number 144Slide Number 145Slide Number 146Slide Number 147Slide Number 148Slide Number 149Slide Number 150Slide Number 151Slide Number 152Slide Number 153Slide Number 154Slide Number 155Slide Number 156Slide Number 157Slide Number 158Slide Number 159Slide Number 160