Português aula3

  • View
    13

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Português aula3

  • CURSO ON-LINE PACOTE DE EXERCCIOS

    ANALISTA ADMINISTRATIVO DO MPU

    PROFESSOR ALBERT IGLSIA LNGUA PORTUGUESA

    AULA 3

    www.pontodosconcursos.com.br 1

    Saudaes, prezado aluno!

    Em nossa terceira aula, estudaremos a regncia de alguns

    nomes e verbos, os casos de ocorrncia (ou no) da crase e a redao de

    correspondncias oficiais. Em relao regncia, digo de alguns nomes

    e verbos porque a grande quantidade deles no lxico da nossa Lngua no

    nos permite estudar o assunto em sua inteireza. Ficaremos, ento, no

    estudo da regncia de um grupo de nomes e verbos cujo conhecimento no

    pode faltar a voc.

    REGNCIA NOMINAL

    Regncia nominal a relao entre um substantivo, adjetivo

    ou advrbio transitivo e seu respectivo complemento nominal. Essa relao

    intermediada por uma preposio. Vejamos trs exemplos do que acabei

    de falar:

    (1) Os cursos do Ponto tm sido teis a muitos candidatos.

    (2) Por causa dos cursos do Ponto, muitos candidatos esto

    mais perto da aprovao.

    (3) Todos vocs tm capacidade para passar no concurso!

    (...) noite, o cu se abre limpo e estrelado.

    8 um convite contemplao da natureza. (...)

    poca, 9/5/2005 (com adaptaes).

    ADJ. COMP. NOMINAL

    PREP.

    ADV. COMP. NOMINAL

    PREP. (de + a)

    SUBST. COMP. NOMINAL

    PREP.

  • CURSO ON-LINE PACOTE DE EXERCCIOS

    ANALISTA ADMINISTRATIVO DO MPU

    PROFESSOR ALBERT IGLSIA LNGUA PORTUGUESA

    AULA 3

    www.pontodosconcursos.com.br 2

    1. (Cespe/Ibama/Analista Ambiental/2005) Na linha 8, o emprego do sinal

    indicativo de crase em contemplao indica que esse termo regido

    pelo substantivo convite; mas se a opo fosse por uma orao com o

    verbo convidar o uso do sinal de crase seria opcional.

    Comentrio A primeira parte da declarao est correta. Realmente, o

    substantivo convite tem seu significado semntico completado pelo termo

    contemplao. Note a fuso que ocorreu entre a preposio a exigida

    pela regncia transitiva do substantivo convite e o artigo feminino a que

    acompanha o substantivo contemplao. Esse fenmeno justifica o

    emprego do acento grave indicativo de crase ().

    E o que dizer da parte final da declarao? Antes de

    responder pergunta, experimente reescrever a passagem empregando o

    verbo convidar. Tenha em mente que o verbo convidar tambm

    transitivo (direto e indireto) e pede complemento. Na questo da prova,

    esse verbo estaria tambm complementado explicitamente por termo regido

    pela preposio a, justificando a presena obrigatria do acento grave

    indicativo de crase.

    Resposta Item errado.

    Abaixo est uma relao de nomes e suas regncias que

    merecem sua ateno, j que o emprego deles frequente em concursos

    das mais diversas bancas examinadoras:

    Acessvel a

    Acostumado a ou

    com

    Alheio a

    Aluso a

    Ansioso por

    Ateno a ou para

    Atento a ou em

    Benfico a

    Compatvel com

  • CURSO ON-LINE PACOTE DE EXERCCIOS

    ANALISTA ADMINISTRATIVO DO MPU

    PROFESSOR ALBERT IGLSIA LNGUA PORTUGUESA

    AULA 3

    www.pontodosconcursos.com.br 3

    Cuidadoso com

    Desacostumado a ou

    com

    Desatento a

    Desfavorvel a

    Desrespeito a

    Estranho a

    Favorvel a

    Fiel a

    Grato a

    Hbil em

    Habituado a

    Inacessvel a

    Indeciso em

    Invaso de

    Junto a ou de

    Leal a

    Maior de

    Morador em

    Natural de

    Necessrio a

    Necessidade de

    Nocivo a

    dio a ou contra

    Odioso a ou para

    Posterior a

    Preferncia a ou por

    Prefervel a

    Prejudicial a

    Prprio de ou para

    Prximo a ou de

    Querido de ou por

    Residente em

    Respeito a ou por

    Sensvel a

    Simpatia por

    Simptico a

    til a ou para

    Versado em

    Ateno especial deve ser dada aos nomes que regem

    preposio A, por possibilitarem a ocorrncia de crase. Foi explorando esse

  • CURSO ON-LINE PACOTE DE EXERCCIOS

    ANALISTA ADMINISTRATIVO DO MPU

    PROFESSOR ALBERT IGLSIA LNGUA PORTUGUESA

    AULA 3

    4

    conhecimento que uma questo apareceu na prova elabora pelo Cespe, para

    o cargo de tcnico judicirio do Supremo Tribunal Federal, em 2008.

    1 O consumo das famlias dever crescer 7,5% neste

    ano, tornando-se um dos principais responsveis pelo

    crescimento do produto interno bruto, previsto em 5%. A

    4 nova estimativa do consumo das famlias uma das

    principais mudanas nas perspectivas para a economia

    brasileira em 2008 traadas pela Confederao Nacional da

    7 Indstria em relao s previses apresentadas em dezembro

    do ano passado, quando o aumento do consumo foi estimado

    em 6,2%.

    (...)

    O Estado de S. Paulo, 7/4/2008 (com adaptaes).

    2. (Cespe/STF/Tcnico Judicirio/2008) Na linha 7, o emprego do sinal

    indicativo de crase em s previses justifica-se pela presena de

    preposio, exigida pela locuo em relao, e pelo emprego de artigo

    definido feminino plural antes de previses.

    Comentrio Note que a locuo em relao a possui em sua parte final

    a preposio a. Essa expresso exige sim um complemento, que no caso em

    estudo est pluralizada e acompanhada de artigo definido: as previses

    apresentadas em dezembro do ano passado. O encontro de a (preposio)

    com as (artigo) desencadeia a fuso desses dois vocbulos, que na escrita

    evidenciada pelo emprego do acento grave indicativo de crase.

    Resposta Item certo.

    Verifique a partir de agora outras questes de provas anteriores.

  • CURSO ON-LINE PACOTE DE EXERCCIOS

    ANALISTA ADMINISTRATIVO DO MPU

    PROFESSOR ALBERT IGLSIA LNGUA PORTUGUESA

    AULA 3

    5

    1 Uma antiga preocupao dos legisladores do

    passado era a de assegurar o direito dos povos de manter

    os costumes da terra. (...)

    Mauro Santayana. Jornal do Brasil, 24/11/2006.

    3. (Cespe/TSE/Analista Administrativo/2007) No que diz respeito aos

    sentidos e a aspectos gramaticais do texto acima, julgue a assertiva

    abaixo.

    Na expresso era a de assegurar (l. 2), a presena da preposio de

    decorre da regncia de preocupao (l. 1).

    Comentrio Possivelmente, a dificuldade de alguns candidatos em julgar

    este item ocorreu por causa da ausncia do vocbulo preocupao na

    expresso em destaque. Analise novamente o enunciado e perceba que

    ocorre a elipse do substantivo preocupao. Note: Uma antiga

    preocupao dos legisladores do passado era a [preocupao] de assegurar

    o direito dos povos de manter os costumes da terra. Ficou melhor agora?

    Tanto diante de os legisladores, quanto de assegurar, a preposio de se

    faz presente em virtude da regncia do substantivo preocupao. Res-

    posta Item certo.

    1 Folha O sr. concorda que muitas das restries

    impostas pelo Estado so impostas por pensamen-

    tos puritanos de parte da sociedade?

    (...)

    Folha de S. Paulo, 23/10/2005. Trecho da entrevista concedida

    pelo economista Eduardo Giannetti (com adaptaes).

    4. (Cespe/Anatel/Analista Administrativo/2006) Atenderia s regras

    prescritas pela gramtica a seguinte formulao da pergunta feita ao

    entrevistado: O senhor concorda com a idia de que, entre as restries

  • CURSO ON-LINE PACOTE DE EXERCCIOS

    ANALISTA ADMINISTRATIVO DO MPU

    PROFESSOR ALBERT IGLSIA LNGUA PORTUGUESA

    AULA 3

    6

    estabelecidas pelo Estado, muitas so impostas por pensamentos

    puritanos de parte da sociedade?

    Comentrio Deve chamar a sua ateno o surgimento da orao

    subordinada substantiva completiva nominal regida corretamente pela

    preposio de, que surgiu agora por imposio do substantivo idia.

    Resposta. Item certo.

    (...) Mas foi a partir do sculo

    XIX que a expanso mundial do capitalismo deu origem

    13 conscincia de que uma cultura mundial estava

    verdadeiramente em via de surgir.

    Srgio Paulo Rouanet. Do fim da cultura ao fim do livro. In:

    Eduardo Portella (Org.). Reflexes sobre os caminhos do livro.

    SoPaulo: UNESCO/Moderna, 2003, p. 63 (com adaptaes).

    5. (Cespe/Minist. da Integ. Nacion./Bibliotecrio/2006) Em conscincia de

    que (l. 13), o emprego da preposio de decorrente da regncia de

    conscincia.

    Comentrio O substantivo conscincia pertence orao Mas a partir

    do sculo XIX a expanso mundial do capitalismo deu origem

    conscincia. Voc deve estar curioso, querendo saber onde foram parar

    as palavras foi e que, no mesmo? Repare que elas so meras palavras

    de realce. Podem ser retiradas da orao sem qualquer prejuzo para o

    enunciado. Tanto verdade que eu as retirei sem que qualquer problema

    acontecesse, percebeu? Pois bem, semanticamente o vocbulo conscincia

    no se esgota. Ele precisa de um termo que lhe complete o sentido. com

    essa finalidade que surge a orao de que uma cultura mundial estava

    verdadeiramente em via de surgir. Junte os dois segmentos e observe

  • CURSO ON-LINE PACOTE DE EXERCCIOS

    ANALISTA ADMINISTRATIVO DO MPU

    PROFESSOR ALBERT IGLSIA LNGUA PORTUGUESA

    AULA 3

    7

    que a articulao entre eles possibilitada pela presena da preposio de,

    que decorre da regncia do prprio substantivo conscincia.

    Resposta Item certo.

    1 A Cmara dos Deputados brasileira aprovou, por

    265 votos favorveis e 61 contrrios, a adeso da Venezuela