RADICULARES: REVISÃO DE LITERATURA. w3.ufsm.br/endodontiaonline/artigos/[REPEO] Numero 9 Artigo 2.pdf ·…

Embed Size (px)

Text of RADICULARES: REVISÃO DE LITERATURA. w3.ufsm.br/endodontiaonline/artigos/[REPEO] Numero 9 Artigo...

  • COMPARAO ENTRE TCNICAS DE INSTRUMENTAO NA

    OBTENO DE UMA EFICIENTE MODELAGEM DOS CANAIS RADICULARES: REVISO DE LITERATURA.

    COMPARISON AMONG INSTRUMENTATION TECHNIQUES TO OBTAIN EFFICIENT SHAPING ROOT CANALS: LITERATURE REVIEW.

    Josiane de Almeida

    Cirurgi Dentista

    Jos Laurindo Machado Marimon

    Cirurgio Dentista

    Professor substituto em Endodontia da Faculdade de Odontologia-UFPel

    Ezilmara Leonor Rolim de Sousa

    Especialista em Endodontia pelo Hospital de Reabilitao Crnio-facial

    USP Bauru

    Mestre e Doutora em Clnica Odontolgica rea de concentrao Endodontia

    UNICAMP

    Professora adjunta nvel 2 em Endodontia da Faculdade de Odontologia UFPel

    Resumo

    Tendo em vista que a ampliao dos canais radiculares deve-se ao

    fsica dos instrumentos endodnticos sobre suas paredes, e os efeitos dessa

    ao variam ao longo do canal em funo de suas caractersticas anatmicas,

    dos instrumentos utilizados e das tcnicas empregadas, cada vez mais se

    procura por uma tcnica de preparo dos canais radiculares que se aproxime do

    ideal, buscando facilitar e agilizar o alargamento destes, dando forma cnica e

    removendo todo o contedo do seu interior. Para tanto, este artigo tem como

  • objetivo discutir algumas consideraes sobre este assunto, baseado nas

    informaes obtidas numa reviso de literatura. Independentemente da gama

    de recursos existentes para a resoluo desta fase da teraputica endodntica,

    ainda permanecem arestas no resolutas, exigindo estudos continuados, uma

    vez que as dificuldades encontradas no preparo de canais radiculares no

    foram totalmente sanadas, mesmo com o uso de sistemas automatizados.

    PALAVRAS-CHAVES: Endodontia, Modelagem, Instrumentao.

    Abstract

    Based in the fact that the shaping of the root canals is done by the

    physical action of the endodontics instruments on their walls and the effect of

    that action vary throughout the canal in function of their anatomical

    characteristics, of the used instruments and of the used techniques, it is

    necessary to look for a root canals preparation technique that approaches the

    ideal, searching to facilitate and to speed the widening of these, giving conical

    form and removing the whole content of its interior. Therefore, this article has as

    objective to discuss some considerations on this subject, based on the

    information obtained in a literature review. Independently of the gamma of

    existent resources for the resolution of this phase of the therapeutic endodontic,

    still problems remain unresolved, demanding continuous studies, once the

    difficulties to root canals instrumentation were not cured totally, even with the

    use of automated systems.

    KEY WORDS: Endodontic, Shaping, Instrumentation.

    Introduo

    A limpeza e a modelagem do sistema de canais radiculares so

    fundamentais para o sucesso do tratamento endodntico, no entanto a

    presena de sulcos e reas cncavas podem ser responsveis pela presena

  • de dentina no-instrumentada ao longo de todo comprimento do canal radicular

    podendo resultar numa adaptao inadequada do material obturador (Bowman

    e Baumgartner3, 2002).

    A instrumentao manual, apesar de amplamente utilizada para esse

    fim, apresenta limitaes no que se refere limpeza dos canais radiculares,

    bem como possibilita a ocorrncia de iatrogenias durante o preparo qumico-

    mecnico tais como transporte do canal, formao de degraus, perfuraes,

    compactao de dentina e fratura de instrumentos (Gonalves e

    colaboradores15, 2001). Devido a isso, verificou-se a necessidade de

    aprimoramento dos instrumentos endodnticos, no sentido de aperfeioar suas

    propriedades fsicas e mecnicas, visando melhorar o seu desempenho.

    Devido suas propriedades de elasticidade e memria plstica, e sua alta

    resistncia fratura, Walia e colaboradores32 (1988) sugeriram o uso de Niquel-

    titnio (NiTi) na fabricao de instrumentos endodnticos. Surgiu, ento, a

    gerao de limas endodnticas fabricadas com liga de nquel-titnio (NiTi), liga

    caracterizada por possuir ultraflexibilidade, menor mdulo de elasticidade se

    comparada liga de ao inoxidvel, alta energia armazenada durante a sua

    curvatura, grande resistncia fratura torcional e flexional (Serene e

    colaboradores24, 1995), entre outras caractersticas.

    A comparao entre os diferentes instrumentos com relao ao desgaste

    de dentina tem como objetivo tentar diminuir o ndice de insucessos, que se

    devem no somente a presena de uma microbiota resistente, mas tambm s

    dificuldades mecnicas em modelar o canal.

    Reviso de Literatura

    A limpeza e a modelagem do canal radicular so fatores de destaque no

    prognstico da terapia endodntica, contudo a plenitude desses objetivos sofre

    limitaes devido complexidade anatmica do canal radicular. Alm disso, o

    sistema de canais torna-se um santurio privilegiado para bactrias e seus

    produtos (Baumgartner e Falkler1, 1991), fundamentalmente no tero apical,

    onde predominam as bactrias anaerbias. Sendo este considerado uma zona

  • crtica (De Deus11, 1992), pertinente a preocupao em obter-se a

    desinfeco e a seqente selagem hermtica dessa rea.

    De acordo com Schilder23, 1974; os instrumentos endodnticos, alm de

    limparem, atuam mecanicamente com o objetivo de: estabelecer uma forma

    cnica, uniforme e contnua do canal radicular, com a parte mais estreita do

    cone voltada para o pice; manter o forame apical na sua posio espacial

    original to constrito quanto possvel, viabilizando, dessa forma, uma obturao

    hermtica de todo o sistema de canais radiculares.

    Segundo Nair e colaboradores19, 1999; na maioria dos casos em que o

    tratamento endodntico fracassa, o insucesso ocorre devido a procedimentos

    insatisfatrios de controle e eliminao da infeco. Cheung8, 1996; afirma

    mais especificamente, que problemas comuns como dificuldades anatmicas,

    falta de controle assptico durante o tratamento, acesso incorreto cavidade

    pulpar, canais no detectados, falhas na instrumentao, obturaes

    inadequadas, e restauraes coronrias insatisfatrias ou ausentes aps o

    tratamento endodntico podem levar ao fracasso da terapia endodntica.

    De acordo com Heuer16 (1963), do ponto de vista estritamente tcnico, a

    teraputica endodntica pode ser dividida em trs fases: a) preparo

    biomecnico, b) controle microbiolgico e c) obturao. Comentando esta

    trade, afirma-se que a importncia do preparo biomecnico no pode ser

    subestimada, pois a limpeza e a forma dos canais radiculares reduzem o

    nmero e o substrato essencial para os microrganismos, favorece a ao da

    medicao intracanal e torna a obturao um procedimento possvel, criando

    condies favorveis de resistncia e reteno do material obturador no interior

    do canal radicular. Desta maneira, torna-se conveniente salientar que as vrias

    fases da teraputica endodntica so interdependentes, somando-se e

    equivalendo-se em importncia e responsabilidade, na medida em que

    comprometam ou auxiliem o sucesso do tratamento na sua totalidade (Bonini2,

    1999).

    Equipamentos automatizados, para auxiliar ou at mesmo substituir os

    instrumentos manuais, foram desenvolvidos, para tentar facilitar o preparo do

    canal e diminuir o tempo de execuo, sendo a primeira pea de mo

    endodntica produzida por Rollins (citado por Walia e colaboradores32, 1988).

  • Tcnicas que se valeram destes instrumentos acionados a motor foram ento

    desenvolvidas possibilitando a ao do instrumento seno em todas, pelo

    menos na maior parte das paredes do canal radicular, e proporcionando uma

    forma adequada de limpeza e modelagem (Pedro20, 2000).

    Recentemente vrias limas de NiTi foram industrializadas e lanadas no

    mercado por causa da sua maior flexibilidade e resistncia a fratura, maior

    deformao, melhor memria elstica, fora balanceada, alto coeficiente de

    dureza e sua maior resistncia ao sofrer toro. As limas de NiTi apresentam

    flexibilidade 50% maior do que as de ao inoxidvel. Quanto eficincia na

    instrumentao dos canais, Espsito e Cunninghan13 (1995); Ganbill e

    colaboradores14 (1996), relataram que as limas de NiTi so mais eficientes na

    manuteno do formato original do canal do que s limas de ao inoxidvel,

    assim como os achados de Zmener e Balbachn30 (1995), instrumentando

    canais de dentes unirradiculares, onde encontraram canais mais centrados em

    dentes submetidos instrumentao com as limas de nquel-titnio.

    Com as alteraes ocorridas nas ltimas dcadas, as tcnicas atuais,

    que utilizam limas de NiTi, possibilitam um preparo mais racional dos canais

    radiculares, melhorando a qualidade do tratamento, facilitando a limpeza e

    desinfeco, diminuindo a incidncia de erros, propiciando maior ndice de

    sucesso, no entanto a sensibilidade manual foi considerada inferior aquela

    obtida com instrumentos manuais convencionais (Duarte Lima e

    colaboradores12, 2002).

    Diante dos fatores anteriormente citados, a busca dessas novas opes

    tem se concentrado na reduo do tempo de trabalho, com menor desgaste do

    operador, e na forma final do preparo, com manuteno da trajetria anatmica

    original do canal radicular.

    O uso de instrumentao completamente automatizada facilitou

    grandemente os procedimentos endodnticos. No entan