Revista CRescer edição 49

  • View
    224

  • Download
    5

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Revista corporativa da CR Almeida S/A Engenharia de Obras

Transcript

  • CONHEA MAIS SOBRE SEGURANA DA INFORMAO CONSUMO CONSCIENTE DA GUA

    E MAIS

    CRJAN-ABR 2015

    49

    DA OBRA

    ESTALEIRO JURONGARACRUZ: CONHEA OS DESAFIOS ENFRENTADOSNA CONSTRUO

  • NESTA EDIO

    04 08SEGURANA, MEIO AMBIENTE E SADE

    IMPORTNCIA DO USO CONSCIENTE DA GUA

    NOVOS NEGCIOS

    CARVALHO PINTODA RODOVIACONHEA A OBRA

    09GESTO DE PESSOAS

    CAPA

    113

    16GENTE CR ALMEIDA

    19TECNOLOGIA DA INFORMAO

    24

    26INSTITUTO CR ALMEIDA

    EVENTOS

    CRESCER uma publicao da CR Almeida S/A Engenharia de Obras, produzida pela Assessoria de Comunicao

    Corporativa. Av. Vicente Machado, 1789 - Batel, Curitiba - PR, 80440-020. Tel.: 41 3312-9457.

    CONSELHO EDITORIAL: Ariel Reway, Arnaldo Manuel Antunes, Cid Jos Andreucci, Hlio Carrijo da Cunha, Luciana Slvaro,

    Rodrigo Titon, Rogrio Silva Carvalho e Wilson Seiti Okada. Alice Silveira, Ariel Silva, Bruno Leonardo, CONTRIBUINTES:

    Denise Erthal, Domage Ribas, Valria Brasileiro Maldaner, Valdir Aparecido Coelho, Roberto Ubirajara Santana, Osmar de

    Carvalho Martins. Luciana Slvaro (MTB 7730/PR). Versal Editores. JORNALISTA RESPONSVEL: PROJETO GRFICO:

    DIAGRAMAO: GRFICA: TIRAGEM: Ariane Gonalves Mangueira. Serzegraf. 2000.

    22GESTO

    A Revista Crescer sua. Participe!

    Mande seus comentrios e sugestes de matrias para

    imprensa@cralmeida.com.br

  • Finalizar uma obra sinal de dever cumprido. Aps anos de trabalho envolvendo

    centenas de pessoas, agora a vez do Estaleiro Jurong Aracruz encerrar uma etapa,

    que a sua construo, e passar para outra: sua operao. Localizado no Esprito

    Santo, espera-se que o Estaleiro gere centenas de empregos, contribuindo para o

    desenvolvimento local e para a explorao de petrleo da camada pr-sal.

    O incio da operao do Estaleiro deve entrar para a histria brasileira, mas a sua

    construo entrou para a nossa. Participar de uma obra grandiosa que deve gerar bons

    frutos vem ao encontro da misso da CR Almeida, que Construir, gerando valor com

    sustentabilidade. Ao vericarmos que fazemos parte do desenvolvimento do pas no

    traz outra sensao a no ser orgulho, este que nos alimenta para enfrentarmos quais-

    quer desaos.

    Agora, chegou a hora de iniciarmos outro trabalho: a CR Almeida, em consrcio com a Salini

    Impregilo, iniciou a mobilizao para um novo empreendimento. A construo do prolonga-

    mento da Rodovia Carvalho Pinto, em So Paulo, deve melhorar o uxo de carros na regio de

    Taubat, liberando mais tempo para aqueles que desejam ir para o litoral do Estado. Essa

    melhoria mantm ainda a via como uma rodovia de classe zero, ou seja, do tipo em que os seus

    acessos acontecem por meio de viadutos, pontes ou dispositivos de retorno, aumentando a

    segurana e a organizao do trfego. A previso de entrega da parte sob nossa responsabilidade

    dezembro deste ano.

    Conra essas novidades e outras mais nas pginas desta edio, primeira de 2015, que foi especial-

    mente desenvolvida para voc.

    Boa leitura!

  • matamento das regies da Cantareira (a oresta

    favorece a captao de guas de chuvas), a poluio

    dos rios, a perda estimada de 25% das guas

    tratadas nas tubulaes da distribuidora para as

    torneiras e o uso excessivo pelos consumidores.

    O problema que So Paulo enfrenta no

    exclusivo: outras localidades mundiais, como a

    Califrnia, tambm passam por algo parecido.

    Entretanto, a necessidade de gerenciamento desse

    importante recurso no novidade. Apesar de

    morarmos no planeta azul (a Terra possui 70% mais

    gua do que terra rme), apenas 2,7% da gua

    existente potvel. Essa proporo permanece

    praticamente inalterada desde que se tem

    conhecimento. Em compensao, a populao

    mundial passou de 2,5 bilhes para 7 bilhes (ou

    seja, mais pessoas para consumir e desperdiar

    gua potvel).

    Se tem algo que podemos levar de lio com

    essa crise que, cada vez mais, importante que

    mudanas sejam incorporadas no dia a dia das

    pessoas, que a gua esteja em pauta (como est

    agora) e seja realmente valorizada. Atitudes

    simples podem contribuir signicativamente para

    a reduo da utilizao em excesso dos recursos

    nat u ra i s , c ol a b o ra n d o p a ra u m c o n s u m o

    consciente e mais prolongado.

    Apesar da grande So Paulo ocupar 0,1% do espao

    territorial do Brasil, ela abriga 10% da populao nacional. Essa

    dinmica j imps algumas limitaes para os moradores,

    principalmente para aqueles da capital do Estado, como o rodzio

    de carros que foi implantado em 1997 para tentar fazer com que

    houvesse maior uidez no trnsito. Agora, fala-se da

    possibilidade de ser implantado um novo rodzio, mas para um

    recurso vital e do qual, ao menos em grande parte do territrio

    brasileiro, estamos to acostumados a ter: a gua.

    A crise que So Paulo passa no se formou em apenas um

    ano: o principal sistema de abastecimento de gua, que o da

    Cantareira, foi criado em 1970 para suprir as crescentes demandas

    que a regio j apresentava. O sistema funcionou relativamente

    bem mas chegou a passar por momentos de baixo volume, como

    em 2004. O caos, entretanto, comeou a dar sinais em 2013, quando

    a quantidade de chuvas j estava abaixo da mdia. Em 2014, a

    tendncia se reforou e a Sabesp, empresa de abastecimento de

    So Paulo, teve que usar uma reserva chamada de volume morto

    para no deixar a populao sem gua. Ainda assim, outras

    medidas tambm tiveram que ser adotadas, como a reduo da

    presso da gua e a aplicao de multas para aqueles que

    aumentassem o seu consumo. E, se o perodo chuvoso deste ano

    no contribuir para o reabastecimento do Sistema da Cantareira,

    a implantao do rodzio uma possibilidade muito prxima.

    Quando pensamos nas razes que levaram So Paulo a esse

    nvel, sabemos que a enorme populao um forte agravante. S

    que no podemos esquecer os vrios outros motivos como o des-

    A IMPORTNCIA DOUSO CONSCIENTE DA GUA

    S E G U R A N A , M E I O A M B I E N T E E S A D E

    Crise hdrica em So Paulo coloca em discusso a urgncia de medidas corretivas na

    utilizao desse recurso

  • 5CRESCER | N49

    E o melhor que essa mudana de conscincia no implica em

    perda nenhuma para aquele que a adotar - bem ao contrrio: ajuda

    para que todos possamos chegar a velhice bebendo gua quando

    tivermos sede.

    Conhea aqui algumas atitudes que voc pode adotar que ajudaro

    nessa misso:

    Tome banhos curtos: segundo a Sabesp, um banho de 5 minutos

    suciente. Voc ainda pode colocar um balde e reutilizar a gua em

    outras atividades.

    Escova na boca, torneira fechada: sempre que estiver escovando os

    dentes, desligue a torneira. Essa uma gua que vai embora fcil e

    ainda sem ser usada.

    Ensaboe as mos com a torneira fechada: outra maneira fcil de

    contribuir simplesmente fechar a torneira nesse momento e

    economizar alguns litros.

    Elimine os vazamentos: alm de irritarem pelo barulho contnuo das

    gotas caindo na pia, os vazamentos podem mandar mensalmente de

    1.400 a 13 mil litros de gua, literalmente, pelo ralo.

    Encha bem a mquina de lavar: junte o quanto puder de roupas para usar

    o mesmo ciclo da mquina de lavar, economizando gua e energia. Voc

    ainda pode reutilizar a gua para lavar o carro ou a calada.

    D preferncia s garranhas reutilizveis de gua: a necessidade de

    higienizao das garrafas de gua menor do que a dos copos, que cam

    abertos e recebem poeira.

    Faa uma pr-limpeza da loua: retire todo o resto de comida e outros

    resduos antes de comear a lavar a loua, diminuindo o consumo de gua.

    D frias sua mangueira: sempre que possvel, utilize balde com gua em

    suas atividades ao invs da mangueira. Se voc adotar essa ideia para lavar

    seu carro, por exemplo, conseguir reduzir o consumo de 216 litros

    (mangueira meio aberta) para 40 litros.

  • A preservao da gua tambm nosso compromisso

    A CR Almeida tambm adota medidas para otimizar a utilizao da gua na sua Sede e obras. A gua to

    importante que os indicadores de consumo so acompanhados mensalmente.

    Uma das aes mais importantes que foi implantada pela empresa a promoo de campanhas educativas

    visando atingir seus colaboradores, o que tem como objetivo estender essa mudana de conscincia e atitude tambm

    para a sociedade. Alm disso, sempre que possvel, a CR Almeida reutiliza a gua em suas obras, evitando retirar do

    ambiente gua bruta.

    Indicadores estratgicos: conhecer permite agir

    A utilizao de gua acompanhada por meio de dois indicadores: o consumo de gua per capita (implantado

    na Sede e nas obras) e o consumo de gua ao nal da obra (implantado em obras de edicaes).

    O acompanhamento permitiu identicar oportunidades de melhoria, sendo que a promoo de campanhas

    educativas nos Ciclos de Educao Ambiental e nos Dilogos de Segurana e Meio Ambiente DSMA j

    gerou resultado na Sede, em Curitiba: a mdia de consumo de gua em 2012 foi de 1,66 m mensais por

    colaborador, enquanto em 2013 e 2014, a mdia diminuiu em torno de 24%, atingindo 1,25 m.

    Consrcio Serra do Mar: educao para sempre

    Cubato, cidade onde est a sede do Consrcio Serra do Mar, no est sendo impactada da mesma

    maneira que a capital de So Paulo com a falta de gua. Entretanto, a preocupao com a escassez

    desse recurso j est sendo multiplicada. Vejo toda a populao engajada na redu