Click here to load reader

Revista Educatrix - Cartilha musical - Ed02

  • View
    1.734

  • Download
    7

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Educatrix - a revista que pensa a educação. Conteúdo da cartilha especial sobre música na sala de aula publicada juntamente com a segunda edição da revista Educatrix. A publicação é de responsabilidade da Editora Moderna

Text of Revista Educatrix - Cartilha musical - Ed02

  • 1. em sintonia com a msica na escola. Atividades para introduzir a Educao Musical no Ensino Fundamental I. Leve para a sala de aula dicas e msicas como: BANHO BOM, A SOpa, todo mundo tem algum talento, lenga la lenga e mais. A revista que pensa a educao Especial ANO 2 - maio / 2012

2. 2 especial | Educao Musical CARTA ao leitor A Msica sempre esteve presente no dia a dia das pessoas. Por meio dela, possvel conhecer muito da cultura e das tradies de uma regio ou de um pas. Entretanto, nos ltimos tempos as crianas tinham contato com o universo musical apenas nos conservatrios ou com professores particulares. No passado recente, era praticamente um dever das famlias de classe mdia-alta matri- cular seus filhos em atividades extraescolares, para aprenderem um esporte e um instrumento musical, primordialmente. Mas esses conhecimentos geral- mente eram abandonados na adolescncia, devido ao tom de obrigao que lhes eram atribudos. Ns da Editora Moderna, recebemos com muito otimismo a notcia de que, em 18 de agosto de 2008, foi sancionada a lei que torna obrigatria a insero da Msica na grade curricular brasileira. Ela no pre- cisar ser necessariamente uma disciplina exclusi- va, mas estar a servio da formao dos estudantes, para desenvolver a criatividade, a sensibilidade e a cooperao em sala de aula. Em nossas visitas e palestras por todas as regi- es do pas, muitos educadores tm falado sobre essa questo e solicitado ideias e formao conti- nuada em Msica, o que nos incentivou a criar essa cartilha com atividades especiais, ao lado da educa- dora Roseli Lepique, para introduzir essa nova reali- dade nas escolas. Muitas questes ainda esto pendentes sobre a Educao Musical, mas esperamos, com essa pu- blicao especial, promover debates e reflexes em torno do tema e favorecer um ensino cada vez mais focado na formao integral do aluno, para que ele desenvolva valores culturais, o senso esttico, a sociabilidade, a coordenao motora e a expressivi- dade. Temos a convico que, vivenciando a Msica por meio de trabalhos corporais e jogos cooperati- vos, a criana transmite emoes que, muitas vezes, no consegue expressar com palavras. Por isso, o debate em torno desse tema torna-se to importan- te nos dias de hoje. Ao seu lado, esperamos construir uma educao que realmente seja significativa para todos, dando orgulho de educar! Miguel Angelo Thompson Rios Diretor de Marketing e Servios Educacionais 3. 3especial | Educao Musical SUMRIO A revista que pensa a educao 1o ano a sopap. 8 2o ano banho bomp. 14 5o ano todo mundo tem algum talentop. 28 TODO MUNDO TEM ALGUM TALENTO 5 ANO TODO MUNDO TEM ALGUM TALENTO Sergio Valente e PC Bernardes Todo mundo tem algum talento em algum tempo Mas s vezes falta um pouco de movimento Sai do lugar, levanta da O que voc sabe fazer Faz falta por a Se voc sabe ler, leia Se voc sabe cantar, cante Se voc sabe ensinar, vender, pintar, curar, pedir, se levante Voc pode simplesmente conversar com algum Voc pode orientar, alimentar tambm Tem algum pertinho precisando do que voc conhece to bem! Ento vem, faa parte! Ento vem, faa sua parte! Bote a mo na massa No espere, v e faa tambm No te custa nada, ajudar de graa 4o ano lenga la lengap. 24 3o ano a cartap. 18 4. 4 especial | Educao Musical metodologia Apresentamos uma proposta fundamentada nas leis de maturao nervosa do desenvolvimento neuropsicomotor, ou seja, que parte do global para o especfico, do simples para o complexo, do todo para as partes, porque sabemos que com o corpo sentimos, com o corpo vivenciamos e com o corpo aprendemos. Sabemos tambm que a ao produz o pensamento e, posteriormente, esse mesmo pen- samento regula a ao, por exemplo, controlando, inibindo ou preparando os movimentos para todas as aes. Sendo assim, nas atividades apresentadas sem- pre partiremos de vivncias corporais com jogos cooperativos, comeando por etapas globais, nas quais utiliza-se o corpo todo para realizar os mo- vimentos requeridos, at as especficas, em que utilizam-se apenas algumas partes corporais para realizar o movimento, enquanto outras realizam o suporte tnico. Os jogos utilizados nas atividades so cooperativos porque tm como objetivo viven- ciar os conceitos musicais previamente; dessa for- ma, a criana no eliminada durante o jogo. Os elementos musicais apresentados obedecem a uma mesma premissa hierrquica: comeamos com comandos simples para despertar nas crianas o sentido do som e suas qualidades, do ritmo, do movimento, da interpretao musical, potenciali- zando a criatividade, a livre explorao sonora, a improvisao, a vivncia musical de obras, a educa- o auditiva, ou audio ativa, em que se entendem os contextos e formas musicais escutadas. Apren- de-se Msica fazendo Msica. Os procedimentos precedem assimilao conceitual e o processo to importante quanto o resultado. em sala de aula Sabemos que a criana, em sua prpria ativi- dade, constri seu conhecimento progressivamen- te atravs do estabelecimento das relaes de elementos novos com suas experincias prvias. O papel do educador mediar essa construo, favorecendo-a atravs do fornecimento de estmu- los e experincias ricas e variadas. Sendo assim, em todas as atividades a criana sabe os objetivos que se pretende alcanar. Explicamos exatamente o que queremos ensinar e como ela utilizar essa aprendi- zagem em outras reas. Um dos objetivos das aulas de Msica proporcio- nar estmulos para o desenvolvimento global da crian- a, portanto, as atividades devem: 1. Ser atrativas, curtas e adaptadas ao desenvolvimento psquico, social, motor e cognitivo. 2. Partir sempre das possibilidades da criana. Valoriza-se o xito, o que a estimula superao e realizao de novas atividades 3. Ser programadas em funo de objetivos compar tilhados (processuais, finais e individuais); conse quentemente, no se promove a competio. Com param-se os rendimentos anteriores de uma mesma criana para ver se ela alcanou os objetivos pro postos. 4. Atender aos desejos e interesses das crianas, dando-lhes oportunidade de serem criativas e res ponsveis na atividade. importante ressaltar que a Msica um meio par- ticular e natural de expresso e de linguagem. No se pretende que a escola forme msicos, e sim que ela contribua com o desenvolvimento global de todos os alunos e, sendo a Msica um meio natural de comu- nicao e expresso, quase um compromisso tico garanti-la como experincia a todos. Musicalizando a partir do corpo A importncia da Msica como parte da formao e da cultura que a escola precisa fornecer aos alunos foi reconhecida recentemente. O desafio proposto s escolas a maneira de utilizar a Msica como ferramenta pedaggica a favor das demais competncias, atravs de experincias plenas, prazerosas e ldicas, que garantam o desenvolvimento da sensibilidade natural. 5. 5especial | Educao Musical ANO 2 No 1 maio / 2012 Especial Conselho Editorial: Miguel Angelo Thompson Rios Ivan Aguirra Izar Gisele Cruz Jornalista responsvel: Gisele Cruz Mtb 46219 Produo de textos: Roseli Lepique Reviso: Estevam Vieira Diagramao: Marketing Moderna Pesquisa iconogrfica: Ivan Aguirra Izar Capa: Anderson Nascimento Ilustradores: Alexandre Matos Fernanda Simionato Fernando Laruccia Editora Moderna Ltda. Rua Padre Adelino, 758 So Paulo/SP. CEP 03303-904 0800 17 2002 Educatrix uma publicao especial da Editora Moderna com a proposta de pensar a educao. Contato: [email protected] Direitos reservados. proibida a reproduo total ou parcial de textos e imagens sem prvia autorizao. A AUTORA Roseli Lepique professora de Msica no Colgio Miguel de Cervantes, em So Paulo, h 22 anos, Psicopedagoga (Instituto Sedes Sapientiae) e Psicomotricista Clnica Institucional com especializao em Grafomotricidade (ISPE GAE e OIPR Paris). Autora dos livros Canciones Infantiles Versin Iberoamericana (MEC Espanha) e Msicas Folclricas Brasileiras volumes I e II (Editora Tons). Criadora da Flauta Pedaggica Lepique, instrumento de sopro que proporciona estmulos sensoriais e proprioceptivos que favorecem o desenvolvimento grafomotor e uma aquisio da letra cursiva mais eficiente. Prezadoprofessor,paraquevoccompreendaametodologia apresentada, conhea nas prximas pginas algumas sugestes de atividades do 1o ao 5o anos do Ensino Fundamental. O enfoque e aprofundamento dos contedos dependem da faixa etria. Colocamos os modelos separados por anos, porm, leia todos os modelos de atividades. As ideias podem servir de exemplo para que voc faa adaptaes aos contedos que est trabalhando com seu grupo. O mais importante, no entanto, a ateno que voc precisar ter para sempre comear com atividades globais, nas quais os alunos utilizam o corpo todo em movimentos amplos, para depois, aos poucos, sintetizar a aprendizagem com atividades especficas como, por exemplo, as grficas. Lembre-se: da ao ao pensamento e do pensamento ao. Sempre far mais sentido e a aprendizagem ser mais efetiva se os conceitos forem vivenciados corporalmente. A cano pode servir como apresentao dos contedos conceituais e/ou para despertar o interesse pelo estudo e aprofundamento do tema, ou ainda como complemento do tema estudado (observar a inter-relao entre as reas nas atividades). Os temas escolhidos foram baseados nos contedos e/ ou objetivos estabelecidos nos Parmetros Curriculares Nacionais. Professor, conte-nos suas experincias em sala de aula: [email protected] Professor, as msicas selecionadas para essas atividades e muitas outras esto disponveis em nosso site. Acesse: www.modernadigital.com.br Acesse aqui os contedos digitais 6. 6 especial | Educao Musical Desenvolver as capacidades de concentrao e ateno, marcando a diferena entre ouvir (perceber atravs do sentido) e escutar (direcionar a ateno, entender,compreenderefocar),ouseja,desenvolver a percepo auditiva. Desenvolver a capacidade de classificar estmulos sonoros de acordo com a sua intensidade e altura. Desenvolver a capacidade de realizar adaptao e integrao rtmica corporal aos estmulos sonoros apresentados. Ajustar o movi

Search related