Click here to load reader

Revista Identidade Cristã - Edição 13 - Maio/2016

  • View
    229

  • Download
    5

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição n° 13 da Revista Identidade Cristã, uma publicação mensal da Igreja Presbiteriana de Curitiba. Em maio, o destaque da Revista Identidade Cristã vai para as mães, com diversos relatos de mulheres da IP Curitiba que experimentaram desafios e escolhas durante a maternidade. A campanha de conscientização econômica da IPC e o uso de redes sociais também são assunto neste mês.

Text of Revista Identidade Cristã - Edição 13 - Maio/2016

  • Pastoral

    A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira (Provrbios 15.1).

    Quantas vezes a razo estava do nosso lado e, no entanto, deixou de nos assistir porque perdemos a pacincia; perdemos a razo quando perdemos a calma e a serenidade. Razo e emoo so frequentemente vistos em antagonismo; na verdade, uma precisa da outra, so complementares. A razo no dispensa o concurso da emoo, oferecendo quela um certo sabor. J, as emoes precisam ser bem dirigidas para que a razoabilidade de nosso pensamento e ao no se percam pelo destempero.

    A terceira bem-aventurana constante do Sermo do Monte declara: Bem-aventurados os mansos porque herdaro a terra (Mateus 5.5)

    Perguntamos: O que a herana da terra tem a ver com mansido? Ser manso e herdar a terra, qual a vinculao destas duas realidades? Na resposta a esta indagao encontramos o significado da prpria mansido.

    Herana da terra diz respeito a direitos que so assegurados dentro de uma sucesso familiar. Lemos na Parbola do Filho Prdigo que o Pai repartiu a herana entre seus dois filhos (Lucas 15.12). Houve uma ocasio em que Jesus foi instado a intervir numa questo de herana, porque aparentemente um dos irmos no estava cumprindo com sua parte (Lucas 12.13).

    O exemplo da repartio de terras, poderia tambm ser visto na partilha de mveis, utenslios e outras coisas mais, que compreendemos estar em nosso direito, tanto ter, como usufruir. O direito de ocupar um cargo, de exercer determinada funo, de ser respeitado, de ser atendido em suas necessidades, at mesmo de ser servido por outrem.

    Onde entra a mansido neste cenrio? Simples, os direitos muitas vezes deixam de ser usufrudos exatamente porque, ao invs de agir com serenidade, com pacincia, com mansido, nos exasperamos, e perdemos a razo e os direitos.

    Manso aquele que tem absoluta certeza do seu direito, da sua razo acerca de determinado tema, mas no se desespera para ver

    REV. JUAREZ MARCONDES FILHO

    AGINDO COM SERENIDADE

    PASTOR EFETIVO

    PASTORES AUXILIARES Rev. Davi Nogueira Guedes (Ministrio de Jovens), Rev. Lus Carlos Vieira (Ministrio Pessoa Idosa), Rev. Wesley Emmerich Werner (Ministrio de Visitao)

    MISSIONRIOS Abelardo Nogueira, Anita e Eli Ticuna, Arlene e Alceris Dias, Corina e Henrique Terena, Daniella e Jocelei Silva, Dbora e Clber Alves, Denise e Wellington Camargo, Denora e Clauber Quadros, Dilma e Ricardo Bruno, Elaine e Patrick Scherrer, Elizabeth e Heiler Maciel, Esther e Gladston Lucas, Famlia Rios Celeste, Graciete Mota, Josiane e Marcos Mayuruna, Leonzia e Markus Jutzi, Karina e Fernando Dantas, Masha e Tibrio Olmpio, Meire e Luiz Bittencourt, Natasha e Jonatas Portugal, Patrcia e Daniel Calze, Renata Santos, Ronaldo Marubo, Rose e Emerson Menegasse, Rossana e Ronaldo Lidrio, Rose e Francisco dos Santos, Sara e Ren Breuel, Sheila e Charles Sousa, Tatiana e Dering, Zaz Lima e Neto.

    COOPERADORES E EVANGELISTASRev. Antonio Jairo Porto Alegre (Ministrio de Casais) Bel. Cristina Ribeiro Mattos Bel. Elenice dos Santos Barros (Ministrio dos Adolescentes) Mis. Luciana Cipelli Barbosa (Ministrio Infantil)

    concretizado o seu intento, ao contrrio, sabe aguardar o momento certo de tudo vir lume e a posse de sua herana se materializar.

    Muitas vezes, aquilo que nosso, ainda no est em nossa posse, ainda no podemos usufruir integralmente de seus recursos. Fatores externos, situaes temporais, interferncia alheia, se interpem, impedindo-nos de receber aquilo que j nosso.

    Aquele que no cultiva a mansido tem a tendncia de reagir negativamente, ora se abatendo, ora combatendo excessivamente e, no raras vezes, gerando conflitos e inimizades.

    J, aquele que cultiva a mansido entrega seus direitos a Deus na confiana de que o Senhor, no seu tempo e do seu modo, levar a bom termo todos as coisas, desviando-se, assim, da exasperao.

    Somos apresentados a Moiss como o homem que cultivava a mansido. Qual o segredo de Moiss? Como ele fez para levar avante o seu ministrio? Quais as caractersticas de sua liderana? O seu carisma era to forte que mesmo no tendo uma estrutura organizacional muito definida, ele foi capaz de desempenhar com sucesso o seu trabalho? Este o parecer das Escrituras a respeito dele: Era o varo Moiss mui manso, mais do que todos os homens que havia sobre a terra (Nmeros 12.3).

    O conceito de mansido que se tem em geral muito precrio. Podemos encontrar no dicionrio a seguinte informao: manso um adjetivo que aponta para algum de ndole pacfica, pacato, sereno, quieto, e at mesmo, domesticado, amansado. Chega a ser pejorativo mencionar que algum manso, pois, transmite a ideia de que naquela pessoa praticamente inexiste uma vontade, um desejo. Talvez, por lhe faltarem argumentos ou capacitao, ela se deixa conduzir pela vontade da maioria.

    Este no era o caso de Moiss. Esta no a viso bblica sobre mansido. Cristo, ao afirmar que bem-aventurados so os mansos, estava se baseando em seu prprio exemplo. Como ovelha muda foi levado ao matadouro (Isaas 53.7), mas o seu direito ficou assegurado, recebeu a sua parte, repartiu o seu despojo (Isaas 53.12).

    Assim, de se esperar que mansido seja algo realmente positivo, algo a ser buscado e, principalmente, uma realidade espiritual que dever caracterizar o lder, cujo objetivo ser um servo de Deus, servindo aos homens. Ficando claro que uma pessoa mansa em nada se parece com um tolo, devemos buscar a conceituao bblica deste predicado.

    No verdade que no h reao por parte do manso. Ao contrrio, a sua reao sempre est presente e, do modo mais inusitado possvel. Quando h um conflito iminente, quando os nimos esto acirrados, ele se aplica mxima de que a palavra mansa desvia o furor. Geralmente, o que se v em situaes como esta colocar-se mais lenha na fogueira. Mas isto no passa do complemento do pensamento anterior: a palavra dura suscita a ira. Uma reao inesperada coloca gua na fogueira, abrandando os espritos, serenando os nimos.

    Diante de problemas e conflitos sempre podemos reagir de maneira absolutamente contrria. Com desespero ou com esperana. Com ansiedade ou com pacincia. Com estultcia ou com sabedoria. Com dio ou com amor. Com brutalidade ou com mansido.

    No tocante aos lderes cristos esta marca imprescindvel. Paulo recomenda a Timteo o seguinte: O servo do Senhor no deve andar brigando, mas deve tratar todos com educao (II Timteo 2.24). A falta de brandura do lder cristo pode estar ligada pretenso de querer ser mais do que , imaginando-se dispor de todas as solues para os problemas apresentados, mesmo que isto implique em maiores desavenas.

    Portanto, h reao, sim. No propriamente a esperada, mas aquela que causa surpresa e admirao, abrindo espao para a mudana do ambiente. Como temos reagido diante das adversidades, com pacincia e mansido, ou com exasperao e ira?

    Em sua escola, Jesus nos convidou a aprender com ele e dele, reiterando porque sou manso e humilde de corao (Mateus 11.29). Muito simples, simples como Jesus.

    SEMINARISTASAlexandre E. Zanetti, Carlos Filipe Soares Ferreira, Cristofer Covacevich, Lucas de Holanda Maracci, Marcelo Ferreira

  • Boletim De 2 a 8 de MaioADORANDO AO SENHOR

    MINISTRIOS

    SOCIEDADES INTERNAS

    CONJUNTOS VOCAIS

    CULTO 9H

    PreldioConvite Adorao

    Leitura Bblica: Isaas 49.13-16 Hino 38 | Louvores sem fim

    Orao de AdoraoCoral da Fraternidade

    Atos Pastorais

    PreldioConvite Adorao

    Leitura Bblica: Gnesis 1.26-31Hino 10 | A Criao e o Criador

    Orao de AdoraoInterldio

    Atos PastoraisCnticos Espirituais

    Leitura Bblica: Romanos 4.18-22 Ofertrio

    Hino 32 | O Deus Fiel Orao de Gratido

    Coral da Fraternidade

    Ao Social: Roberto Costa de OliveiraAcolhimento e Integrao: Sandra M. O. Jorge IsumiIntercesso: Jos Luiz Pires

    SAF: Dia Lcia Silva Ferreira UMP: Giovanna Bigarelli UPA: Sabrina Banks Pinheiro

    Coral da Fraternidade: Cristina Ribeiro Mattos Coral Arco-ris: Daniella Banks Leite Pinheiro Conjunto Vida em Voz: Luiz Augusto P. Lima Jr.

    Lar Hermnia Scheleder: 3562-7498Escola Joo Lupion Filho: 3562-7498Lar do Idoso - Vivencial das Oliveiras: 3666-3029Rua Coimbra 492 - Guaraituba / Colombo

    Associao Comunitria Presbiteriana: 3224-2294 Centro de Msica Laudate: 3222-3470 Rua Comendador Arajo 343 / Centro

    Creche Miriam: 3338-4566 Rua Amauri Lange Silvrio 511 / Pilarzinho

    Misses: Luiz Filipe JordoMsica: Cornelis KoolNcleos Familiares: Toshiaki Isumi

    Oxignio: Srgio Wesley de Barros Stauffer Som: Igor Csar Pereira Neves Amor que Comove: Rebecca Almeida

    FAMLIA, IDEIA DE DEUS

    CULTO 11H

    ESCOLA DOMINICALSuperintendente: Paulo Henrique Andrade Infantil: Luciana Cipelli, Daniela Costa, Elda Ferreira

    NOVAS IGREJAS

    ENTIDADES DIVERSAS

    Campo Magro: Rua Umbelas 253 / Jardim Boa Vista - ED 9h30 e Culto 19h. Dirigente: Sem. Luciano Azambuja Betim (9794-4182) Piraquara: Rua Juzes 2188. Sexta-Feira s 20h. Dirigente: Rev. Luiz Henrique Correia Sampaio

    CULTO 19HNO AMOR INSIGNE

    NA ESPERANA DA GRAA

    NA MISERICRDIA RENOVADORALeitura Bblica: Lamentaes 3.21-23

    Tempo de ContrioOrao Silenciosa

    Orao PastoralLeitura Bblica: Josu 24.14-15

    Orao SilenciosaOrao Pastoral

    FAMLIA QUE SERVE AO SENHOR

    Leitura Bblica: Gnesis 12.1-3 Ofertrio

    Hino 62 | Hino de GratidoOrao de Gratido

    FAMLIA QUE ABENOA VIDAS

    PreldioConvite Adorao

    Leitura Bblica: Salmo 128Hino 21 | Deus de Abrao

    Orao de AdoraoCoral da Fraternidade

    Atos Pastorais Cnticos Espirituais

    A TI DAMOS GRAAS

    Leitura Bblica: Romanos 12.1-2 Momento de Contrio

    Coral da FraternidadeOrao Silenciosa

    Orao Pastoral

    A TI BUSCAMOS

    Leitura BblicaProclamao da Palavra

Search related