of 56/56

Revista MPE BRASIL

  • View
    223

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Parceria da WCE Editora com a Critério Inteligência em Conteúdo. 2014.

Text of Revista MPE BRASIL

  • POR VENCERPAIXOVENCEDORAS ETAPA

    2013 NACIONAL

    REALIZAO

    APOIO

  • CASES DE SUCESSO

    VISO DAS LIDERANAS

    10

    11

    12

    13

    LUIZ BARRETTOSEBRAE

    ELCIO ANIBAL DE LUCCAMBC

    JORGE GERDAU JOHANNPETERGERDAU

    WILSON FERREIRA JR.FNQ

    16

    20

    22

    26

    30

    BIOTECNO INDSTRIA

    BIOTECNO

    DESTAQUE DE INOVAO

    BORKENHAGEN

    CONTABILIDADESERVIOS

    DON RAMN SPA RELAXANTESERVIOS DE TURISMO

    EFETIVA INFORMTICACOMRCIO

    34

    38

    42

    46

    50

    FAZENDA DAS ALMASAGRONEGCIO

    LABVITASERVIOS DE SADE

    OUROCAR AUTOCENTER

    DESTAQUE DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

    SYSTEM IDIOMASEDUCAO

    VISION SYSTEMSERVIOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAO

  • SUMRIOEXPEDIENTE

    SOBRE O PRMIO

    MissoPromover o aumento da qualidade, produtividade e competitividade das Micro e Pequenas Empresas MPE, disseminando os conceitos e prti-cas de gesto por meio de um pro-cesso de reconhecimento.

    VisoSer referncia nacional pela melho-ria da qualidade, competitividade e sustentabilidade das MPE.

    COMIT EXECUTIVO

    Francisco TeixeiraIsabel ReisJoana BonaLuiz Eduardo Teixeira MaltaPlinio Csar Marques

    REALIZADORES Servio Brasileiro de Apoio s Micro

    e Pequenas Empresas (Sebrae) Movimento Brasil Competitivo (MBC) Gerdau Fundao Nacional da Qualidade (FNQ)

    EXECUOCritrio - Inteligncia em Contedo

    PROJETO GRFICO E DIAGRAMAORenan Sampaio - WCE Editora

    COORDENAO GERALAlessandra Monteiro Porn

    MOVIMENTO BRASIL COMPETITIVOSBN - Quadra 1 - Bloco B - Sala 404Edifcio CNCBraslia/DF - 70041.902Fone/Fax: (61) [email protected]

    10

    11

    12

    13

    COMIT GESTOR

    Andrei MartinezAndria Ferreira NeresClaudia PereiraEtelvina CostaFrancisco TeixeiraIsabel ReisJoana BonaJulia e Gasperi ScaratiLucimeire DiasLuiz Eduardo Teixeira MaltaLuiz Fernando Bergamini de SMaria Isabella P. BezerraMarta Romilda Paula de LimaPlinio Csar MarquesRosli Martins da RosaNikelma Moura

    COMIT TCNICO

    Alessandra Cunha SouzaAndrei MartinezCarmem LciaEliane Lobato Peixoto BorgesFrancisco Teixeira NetoGnia Anglica PortoGiovana RibeiroHlio CarvalhoHugo Henrique Roth CardosoIsabel ReisJailson RibeiroJoana BonaMarcus Vinicius Lopes BezerraNathaniel PereiraRita PatussiRogrio AllegrettiSrgio Schaumloeffel

    proibida a reproduo total ou par-cial dos contedos desta publicao sem a prvia autorizao expressa do Movimento Brasil Competitivo. O MBC no se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos depoimen-tos/cases apresentados. As fotos e ilustraes utilizadas foram cedidas pelas respectivas organizaes en-volvidas para divulgao.

  • Para vencer o Prmio MPE Brasil, tivemos de apresentar uma estrutura coesa, um sistema de gesto de qualidade bem implantado e domnio tecnolgico de nossos produtos.

    O grande diferencial o fator anmico do gestor. importante que ele acredite no processo que adotou, acreditando em suas decises e ultrapassando a zona de conforto.

    Ganhar muito bom, mas conseguir implantar as premissas do questionrio do MPE Brasil vale ainda mais a pena.

    NERCI LINCK

    VICENTE ATZ

    Diretor da BiotecnoRefrigerao MdicaCATEGORIAS INDSTRIA E DESTAQUE DE INOVAO

    JEAN SANDRO PEDROSODiretor tcnico da Efetiva InformticaCATEGORIA COMRCIO

    O prmio mostra para o Brasil inteiro que existem empresas capacitadas a investir no capital humano e profissional.EDVINO

    BORKENHAGENDiretor institucional da Borkenhagen ContabilidadeCATEGORIA SERVIOS

    preciso continuar nesta estrada sem fim que a busca pela excelncia, sempre com os ps no cho, foco no cliente e ateno nossa responsabilidade social.FRANCIS

    MARCEL POSTDiretor da Vision SystemCATEGORIA SERVIOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAO

    Gestor do Hotel Pousada Spa Relaxante Don Ramn CATEGORIA SERVIOS DE TURISMO

    6

  • COM A PALAVRA

    Chegar ao final de um prmio como o MPE Brasil traz uma satisfao imensa para toda a equipe; significa que nossa gesto est trilhando o caminho certo.

    preciso adotar prticas de gesto. Assim, verificamos o que est dando certo e que segue e o que tem dado errado para mudarmos.

    Um bom planejamento mais um pilar fundamental da boa gesto e no pode ser negligenciado.

    VIRGOLINO ADRIANO MUNIZ

    JOO JACSON FREIRE SOARES

    VANESSA TENRIO

    Um empreendedor um indivduo que no espera as coisas acontecerem.RITA DE

    KSSYA MELODiretora da LabVitaCATEGORIA SERVIOS DE SADE

    Diretor da Fazenda das AlmasCATEGORIA AGRONEGCIO

    Scio proprietrio da Ourocar AutocenterCATEGORIA DESTAQUE DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

    Diretora da System IdiomasCATEGORIA EDUCAO

    7

  • 10

    11

    12

    13

    LUIZ BARRETTOSEBRAE

    ELCIO ANIBAL DE LUCCAMBC

    JORGE GERDAU JOHANNPETERGERDAU

    WILSON FERREIRA JR.FNQ

  • VISO DAS LIDERANAS

    O QUE ELES PENSAM SOBRE OS NEGCIOS?

  • 10

    VISO DAS LIDERANAS

    LUIZ BARRETTO

    Todos desejam que as empresas brasileiras sejam cada vez mais reconhecidas no mundo. E quem conhece a economia dos pases desenvolvidos sabe da importncia dos pequenos negcios.

    Presidente do Sebrae Nacional

    PEQUENAS E GRANDES EMPRESAS TRABALHANDO JUNTAS

    O BRASIL todo discute formas de aumentar a competitividade e a produ-tividade das empresas nacionais. Para o Sebrae, preciso dar oportunidade para que pequenas e grandes empresas pos-sam trabalhar juntas. Existe muito des-conhecimento sobre esse tema: a grande empresa acha que o pequeno no ca-paz de ser seu fornecedor ou distribui-dor; e o pequeno acha que a grande no o aceitar. Contudo, o que temos visto ao longo desses ltimos anos no Sebrae o sucesso dessas parcerias.

    H quase dez anos, desenvolvemos um programa nacional, chamado de Encadeamento Produtivo, no qual fa-zemos uma ponte entre as grandes empresas, que so ncoras dos proje-tos, e os pequenos negcios, que podem ser fornecedores ou distribuidores das companhias de grande porte.

    Primeiramente, identificamos nas

    grandes empresas quais so suas deman-das por exemplo, que tipo de produto ou servio elas podem adquirir dos peque-nas. A partir desse diagnstico, atuamos para melhorar a gesto dos pequenos negcios, com cursos, consultorias, orien-tao para certificaes de qualidade (essenciais para quem trabalha com grandes empresas), mapeamento e de-senvolvimento de processos de trabalho etc. Oferecemos subsdio na consultoria de inovao para as pequenas microem-presas e, dessa forma, ajudamos a melho-rar a cadeia produtiva como um todo.

    O programa Encadeamento Pro-dutivo gera mais recursos, aumenta o faturamento das pequenas empresas e reduz o custo das grandes companhias, ao mesmo tempo em que oferece uma gama de fornecedores e distribuidores mais qualificados. O mais importante que gera qualidade para todos os en-

    volvidos. Sabemos que as pequenas e grandes empresas so concorrentes em muitos casos, mas elas tambm podem ter papis complementares.

    Atualmente, o Sebrae atende quase 20 mil pequenas e microempresas, com 116 projetos nacionais e regionais de Enca-deamento Produtivo. Nosso investimento ultrapassa R$ 120 milhes. A estimativa de negcios entre as empresas de R$ 4,5 bilhes; portanto, de fato, trata-se de um grande mercado a ser desenvolvido.

    Todos desejam que as empresas brasileiras sejam cada vez mais reco-nhecidas no mundo. E quem conhece a economia dos pases desenvolvidos sabe da importncia dos pequenos negcios. No podemos pensar no desenvolvi-mento do Brasil sem envolv-los, muito menos pensar em desenvolvimento sem trabalho em conjunto, com as maiores empresas brasileiras.

    O Servio Brasileiro de Apoio s Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) uma entidade privada sem fins lucrativos, criada em 1972, com a misso de promover a competitividade e o desenvolvimento sustentvel dos empreendimentos de micro e pequeno porte. A instituio atua com foco no fortalecimento do empreendedorismo e na acelerao do processo de formalizao da economia por meio de parcerias com os setores pblico e privado, programas de capacitao, acesso ao crdito e inovao, estmulo ao associativismo e na realizao de feiras e de rodadas de negcios. O Brasil tem cerca de 9 milhes de micro e pequenas empresas, que representam

    99% das empresas brasileiras. Elas geram cerca de 70% das novas vagas formais de emprego, so responsveis por 40% da massa salarial e tm participao no PIB de cerca de 27%. Alm das micro e pequenas empresas, uma nova categoria de empresrios, em vigor desde 2009, j rene mais de 4 milhes de pessoas. So os Microempreendedores Individuais (MEI), que faturam at R$ 60 mil por ano. O papel do Sebrae mostrar aos empresrios de pequeno porte as vantagens de se ter um negcio formal e auxili-los na identificao de oportunidades e na preparao para enfrentar os desafios por meio da capacitao e da gesto empresarial.

    Sobre o Sebrae

  • 11

    VISO DAS LIDERANAS

    ELCIO ANIBAL DE LUCCA

    Pretendemos mostrar para a sociedade como a causa da competitividade um exerccio de cidadania, onde todos so beneficiados.

    PAIXO POR COMPETITIVIDADEO MOVIMENTO BRASIL

    COMPETITIVO (MBC) comparti-lha com o empreendedor brasileiro o sonho de criar solues inovado-ras e contribuir para o desenvolvi-mento socioeconmico do pas. Por essa natureza, intrnseca insti-tuio, seus programas, projetos e aes, acreditamos na fora motriz gerada pelo MPE Brasil, que a cada ano nos surpreende com histrias e exemplos de superao e de paixo pela competitividade.

    Temos orgulho em participar e fortalecer essa grande rede junto a

    to importantes organizaes, que contribui sistematicamente para a disseminao de conhecimento e ferramentas que auxiliam na defi-nio de diretrizes estratgicas de crescimento de empresrios de mi-cro e pequenas empresas em todo o territrio nacional. O nosso papel formar agentes multiplicadores e l-deres que daro capilaridade a esse esforo conjunto nos estados brasi-leiros, com base em uma cultura de gesto e inovao que impulsiona a melhoria da qualidade de vida da populao, nosso foco de atuao.

    Como articulador entre os diver-sos setores e segmentos da economia nacional, o MBC vislumbra ampliar a capilaridade do MPE Brasil a cada edio, por consider-lo um eficaz instrumento para a perenidade dos negcios de pequeno porte. A mxi-ma do Movimento criar e difundir cadeias produtivas sustentveis en-globando os atributos do empreen-dedor brasileiro. Em outras palavras, pretendemos mostrar para a socie-dade como a causa da competitivida-de um exerccio de cidadania, onde todos so beneficiados.

    Presidente do Conselho Superior do

    Movimento Brasil Competitivo (MBC)

    Criado em 2001, o Movimento Brasil Competitivo (MBC) tem como essncia o desenvolvimento de aes, programas e projetos que contribuem para a promoo da competitividade no pas. Para cumprir o papel de construtor de capital social, sustenta a tica, o foco em resultado e a transparncia como

    valores fundamentais. Por meio da disseminao de ferramentas e de conhecimento, alm da mobilizao de lideranas, o MBC busca contribuir para o aumento da qualidade de vida da populao, gerando oportunidades para os cidados e consequente desenvolvimento sustentvel do pas.

    Sobre o MBC

  • 12

    EFICINCIA EM GESTO PARA UM BRASIL MAIS COMPETITIVO

    O AUMENTO de qualidade, produtividade e competitividade das empresas brasileiras essencial para que o pas possa enfrentar os desafios impostos pelo mercado glo-bal. Nesse contexto, as micro e pe-quenas empresas do pas tm parti-cipao fundamental na economia brasileira, j que atualmente corres-pondem a 27% do PIB e a 99% dos estabelecimentos formais, alm de empregarem cerca de 70% da fora de trabalho nacional. Nos ltimos anos, tm sido marcante o desenvol-vimento de um melhor ambiente de negcios para essas organizaes, como resultado de processos cada vez mais eficientes e inovadores.

    A modernizao da gesto de

    micro e pequenas empresas brasi-leiras, porm, exige um permanen-te esforo de mobilizao e capaci-tao. O crescimento contnuo do volume de participantes do MPE Brasil Prmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas demonstra que os empreendedo-res reconhecem a importncia da melhoria da competitividade para a obteno de bons resultados fi-nanceiros e para o aprimoramen-to do relacionamento de seus ne-gcios com clientes, fornecedores e colaboradores. Mais do que isso, percebemos, ao longo dos anos, que as empresas vencedoras de cada ciclo renovam sua motivao pela busca da excelncia e do aumen-

    to das vantagens competitivas de seus negcios, alm de tornarem-se agentes na multiplicao de seus conhecimentos em gesto.

    Consciente do impacto dessas companhias em toda a cadeia pro-dutiva, o MPE Brasil tem a impor-tante misso de seguir facilitando o acesso de milhares de organizaes de todo o pas a melhores prticas de gesto e produo, ano aps ano. Iniciativas como essa contribuem de forma muito importante para a formao de uma cultura de inves-timentos em produtividade e de-monstram, na prtica, que as micro e pequenas empresas podem ser eficientes, ter excelncia em gesto e ser altamente competitivas.

    VISO DAS LIDERANAS

    JORGE GERDAU JOHANNPETER

    Percebemos, ao longo dos anos, que as empresas vencedoras de cada ciclo renovam sua motivao pela busca da excelncia e do aumento das vantagens competitivas de seus negcios.

    Presidente do Conselho de Administrao da Gerdau e Presidente Fundador do MBC

    A Gerdau lder no segmento de aos longos nas Amricas e uma das principais fornecedoras de aos longos especiais do mundo. Recentemente, passou tambm a atuar em dois novos mercados no Brasil, com a produo prpria de aos planos e a expanso das atividades de minrio de ferro, iniciativas que esto ampliando o mix de produtos oferecidos ao mercado e a competitividade de suas operaes. Com mais de 45 mil colaboradores, a Gerdau possui operaes industriais em 14

    pases nas Amricas, na Europa e na sia , as quais somam uma capacidade instalada superior a 25 milhes de toneladas de ao por ano. Alm disso, a maior recicladora da Amrica Latina. No mundo, transforma todos os anos milhes de toneladas de sucata em ao, reforando seu compromisso com o desenvolvimento sustentvel das regies onde atua. Com mais de 120 mil acionistas, as aes das empresas Gerdau esto listadas nas bolsas de valores de So Paulo, Nova Iorque e Madri.

    Sobre a Gerdau

  • 13

    VISO DAS LIDERANAS

    WILSON FERREIRA JR

    Liderar influenciar, ser exemplo, ser tico, preocupar-se com a sustentabilidade da empresa, de seus relacionamentos, do pas e do planeta; e, acima de tudo, valorizar as pessoas.

    Presidente do Conselho Curador daFundao Nacional da Qualidade (FNQ)

    LIDERANA SUSTENTVELUM DOS GRANDES desafios

    no apenas do mundo corporativo, mas da sociedade contempornea o exerccio da liderana. Liderar influenciar, ser exemplo, ser tico, preocupar-se com a sustentabilida-de da empresa, de seus relaciona-mentos, do pas e do planeta; e, aci-ma de tudo, valorizar as pessoas.

    Os executivos que esto ali-nhados com esse novo estilo de liderana se destacam pela busca da perenidade nos negcios e nas relaes. Trata-se de estabelecer parcerias, negociao justa, mo-

    tivao dos colaboradores e, no raro, tomada de decises que, em uma viso de curto prazo, podem at mesmo contrariar interesses comerciais da organizao.

    Liderar transformar a realida-de da empresa, dos colaboradores e do ambiente ao seu redor. Nesse contexto de mudana, a escuta ati-va da liderana ps-moderna tem muito mais legitimidade e poder de influncia do que qualquer estrutu-ra hierrquica ou sistema de ordem. Que estejamos todos abertos a ouvir e nos deixar influenciar.

    Com 22 anos de atuao, a Fundao Nacional da Qualidade (FNQ) uma instituio sem fins lucrativos que tem como misso estimular e apoiar as organizaes para o desenvolvimento e a evoluo de sua gesto, para que se tornem sustentveis, cooperativas e gerem valor para a sociedade. reconhecida internacionalmente pelo processo de disseminao do Modelo de Excelncia da Gesto (MEG), concebido com base em 13 fundamentos e

    oito critrios de excelncia, considerados pilares que sustentam a gesto de uma organizao.

    O MEG utilizado como metodologia de avaliao da gesto das empresas que se inscrevem e preenchem o questionrio de autoavaliao do MPE Brasil Prmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas. Dessa forma, orienta as empresas, identificando pontos fortes e oportunidades, para que aperfeioem os processos gerenciais do negcio e alcancem melhores resultados.

    Sobre a FNQ

  • 16

    20

    22

    26

    30

    BIOTECNO INDSTRIA

    BIOTECNO

    DESTAQUE DE INOVAO

    BORKENHAGEN

    CONTABILIDADESERVIOS

    DON RAMN SPA RELAXANTESERVIOS DE TURISMO

    EFETIVA INFORMTICACOMRCIO

    34

    38

    42

    46

    50

    FAZENDA DAS ALMASAGRONEGCIO

    LABVITASERVIOS DE SADE

    OUROCAR AUTOCENTER

    DESTAQUE DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

    SYSTEM IDIOMASEDUCAO

    VISION SYSTEMSERVIOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAO

  • VENCEDORAS DA ETAPA NACIONAL

    2013

    CASES DE SUCESSO

  • INDSTRIA

    BIOTECNO REFRIGERAO MDICASanta Rosa, Rio Grande do Sul

    CONSERVANDO SADEA BIOTECNO Refrigerao Mdica oferece ao mercado solues em refrige-

    rao mdico-cientfica. Em seu comeo, a empresa atuava na distribuio de pro-dutos mdicos, mas logo passou a prestar assistncia tcnica hospitalar e a produ-zir equipamentos diversos como ca-mas, suportes de soro, cadeiras de roda, estufas e beros aquecidos.

    Fundada em 2001, a Biotecno teve um incio difcil, como praticamente toda pequena e microempresa brasilei-ra. Com estrutura reduzida, poucos co-laboradores e recursos escassos, teve de escolher um nicho de mercado e man-ter-se focada em um nico item. Mesmo assim, a qualidade de seus servios e produtos e a eficincia de seus colabo-radores logo lhe permitiram crescer e

    expandir seus negcios.Em 2008, a Biotecno passou a in-vestir na produo de cmaras refrige-

    radas. A inovao alavancou a empresa e deu forma aos principais itens de seu catlogo. Um ano depois, a Agncia Na-cional de Vigilncia Sanitria (Anvisa) passou a exigir registro do produto e certificao da empresa em Boas Pr-ticas de Fabricao. Essas obrigaes representaram um desafio para a com-panhia, que passou a estabelecer pro-cedimentos e a registrar todos os com-ponentes dos equipamentos.

    A partir da reestruturao dos proces-sos de seu negcio, no comeo de 2011 a Biotecno j contava com a certificao da agncia. Portanto, no ano em que com-pletava uma dcada de atividade, a em-

    Funcionrios da Biotecno: inovao e competncia reconhecidas

    16

    presa obtinha uma grande comprovao de sua excelncia. Era necessrio, ento, seguir trabalhando para manter outro re-conhecimento. A aceitao e a satisfao dos consumidores a principal honra que uma empresa pode ter.

    Durante essa trajetria de explora-o de novas possibilidades industriais e comerciais, a Biotecno tambm precisou desenvolver uma rede de assistncia tc-nica autorizada em todo o Pas, pois com a venda de Cmaras para Conservao se expandindo, os clientes tambm bus-cavam o suporte tcnico local. Assim, a empresa investiu em treinamento para os assistentes tcnicos locais, promoveu encontros e hoje orgulhosamente conta com uma rede de 33 assistentes tcnicos autorizados em todo o Pas.

  • Mesmo com estrutura reduzida, a qualidade de seus servios e produtos e a eficincia de seus colaboradores logo permitiram Biotecno crescer e expandir os negcios.

    No ano em que completava uma dcada de atividade, a Biotecno j contava com a certificao da Anvisa. Era uma grande comprovao de sua excelncia.

    AUTONOMIA PARA O PRODUTO, TRANQUILIDADE PARA O CLIENTE

    Para incrementar suas atividades, o caminho encontrado no poderia ser outro: ouvir os clientes, entender suas necessidades e produzir melhorias. Nesse processo, a Biotecno entendeu que o principal desafio ao bom funcio-namento dos dispositivos de refrigera-o mdica so as constantes quedas de energia, recorrentes em todo o terri-trio nacional. Com um sistema eltrico instvel, os sensveis materiais biom-dicos armazenados acabam sendo pre-judicados e muito acaba sendo per-dido. Ciente disso, a empresa buscou elaborar um sistema capaz de manter o equipamento funcionando durante blackouts e perodos mais longos sem energia eltrica.

    No foi simples, porm o esforo se provou amplamente bem-sucedido. De uma s vez, a Biotecno apresenta-va ao mercado uma grande novidade e a seus clientes a soluo de um grave problema. Quem quisesse armazenar medicamentos sem ser prejudicado por quedas ou interrupes no for-necimento de energia at poderia im-provisar a instalao de nobreaks de computadores, mas a autonomia ge-rada seria de, no mximo, 30 minutos. Os primeiros nobreaks desenvolvidos pela Biotecno e j acoplados s suas cmaras de conservao de medica-mentos, vacinas, imunobiolgicos, ter-molbeis e hemoderivados ofereciam autonomia eltrica de 12 horas. Hoje, no entanto, as solues oferecidas so ainda mais eficientes.O lanamento dos produtos com no-breaks impulsionaram os negcios da organizao. Isso permitiu que a compa-nhia investisse em melhorias em sua es-trutura e contratasse mais funcionrios, agregando capital humano, intelectual e material. A Biotecno passou a trabalhar em um produto totalmente inovador: um sistema de emergncia com autonomia de 48 horas. S no foi possvel patente--lo porque foi considerado componente de um produto j existente.

    17

    Nerci Linck e seu produto inovador

  • AINDA EM 2011, a Biotecno re-solveu dar um passo ousado e ampliar sua rea de atuao. At ento limitada iniciativa privada, a empresa buscou participar de licitaes pblicas. Num primeiro momento, essa iniciativa foi impedida pelo fato de no haver con-corrncia no mercado para os produtos inditos da organizao.

    Isso s foi possvel a partir do co-meo de 2012, quando um concor-rente entrou no mercado. No foi o suficiente para ameaar os negcios da empresa gacha, mas permitiu a realizao de licitaes que no podem ocorrer com apenas uma em-presa postulante.

    Com esse novo nicho estabeleci-do e aps anos desenvolvendo novi-dades, em 2013 a Biotecno criou o produto que lhe conferiu a primeira colocao na categoria Destaque de Inovao do Prmio MPE Brasil [ver mais no prximo captulo].

    Aps mais de uma dcada de ex-perincia no mercado de refrigera-o mdica, a Biotecno hoje ofere-ce produtos capazes de armazenar medicamentos com at 72 horas de autonomia eltrica. A empresa responsvel por equipamentos para conservao de imunobiolgicos, termolbeis e hemoderivados. Os itens oferecidos protegem vacinas no

    Brasil inteiro, aliando o conhecimen-to da equipe de desenvolvimento de projetos s necessidades de postos de sade, clnicas e hospitais. Todos seus produtos so registra-dos na Anvisa e a empresa mantm a rastreabilidade de todos os componen-tes, atendendo aos requisitos de boas prticas de fabricao.

    Com eficincia e inventividade, a Biotecno cresce e se destaca. A vence-dora da categoria Indstria do prmio MPE Brasil oferece produtos inovado-res ao mercado mdico-cientfico. E, com isso, ajuda a desenvolver solu-es que melhoram a sade e a vida de toda a populao.

    18

    INDSTRIA

    BIOTECNO REFRIGERAO MDICASanta Rosa, Rio Grande do Sul

    Equipe da Biotecno durante a premiao Destaque em Inovao no Rio Grande do Sul

    GIULIANO CECATTO | WCE EDITORA

  • 19

    NERCI LINCKDiretor

    Para vencer o MPE Brasil, tivemos de apresentar uma estrutura coesa, um sistema de gesto de quali-dade bem implantado e domnio tecnolgico de nossos produtos. Implantamos um sistema de qualidade ex-tremamente criterioso. A principal dificuldade foi fazer com que os colaboradores sentissem a importncia da gesto de qualidade no seu dia a dia. Tambm foi um desafio explicar os motivos de determinadas exigncias, como o uso de equipamentos de proteo individual, a organizao do ambiente de trabalho, as capacitaes internas, a determinao de prazos e as prticas de re-gistros. Mas o esforo foi recompensado.

    COM APALAVRA

    HORAS

    A EMPRESANOME DA EMPRESA: Biotecno Indstria e Comrcio Ltda.NOME FANTASIA: Biotecno Indstria e Comrcio LtdaENDEREO: Rua Pirap, 613 - Bairro Timbava.Santa Rosa/RS - CEP: 98.900-000TELEFONES: (55) 3513-0686/3511-4733SITE: www.biotecno.com.brE-MAIL: [email protected]: Pequena EmpresaDATA DE FUNDAO: 22/05/2001NMERO DE EMPREGADOS DIRETOS: 19NMERO DE EMPREGADOS INDIRETOS: 50DIRETOR: Nerci Linck

    A Biotecno investiu em treinamento para os assistentes tcnicos locais, promoveu encontros e hoje orgulhosamente conta com uma rede de 33 assistentes tcnicos autorizados em todo o Pas.

    Todos os produtos so registrados na Anvisa. A empresa tambm mantm a rastreabilidade de seus componentes, atendendo aos requisitos de boas prticas de fabricao.

    a autonomia eltrica dos produtos de armazenamento de medicamentos da Biotecno

  • MOBILIDADE E PIONEIRISMO

    A EXCELNCIA, a inventividade e a produtividade da Biotecno Refrigerao Mdica levaram a empresa a conquistar o mercado e o Prmio MPE Brasil na cate-goria Indstria. E ainda lhe rendeu o reco-nhecimento como Destaque de Inovao.

    A Biotecno tem inovado desde sua fundao, em 2001. Esse hbito de criar e solucionar problemas em sua rea de atuao levou o diretor da empresa Nerci Linck e sua equipe a desenvolverem a pri-meira cmara porttil para transporte e

    conservao de medicamentos e vacinas. O equipamento foi projetado para manter a temperatura ideal sob qual-

    quer circunstncia, estando conectado rede eltrica ou bateria de um ve-culo ou, ainda, fazendo uso da autono-mia de sua bateria interna. A tecnologia aplicada beneficia principalmente as campanhas de imunizao em reas ex-ternas, nas quais as vacinas devem per-manecer por longo tempo em condies de refrigerao, o que pode impactar na

    20

    Ldia e Nerci Linck no stand da Biotecno demostraram a linha de produtos durante a Feira Hospitalar 2013 realizada em So Paulo

    DESTAQUE DE INOVAO

    BIOTECNO REFRIGERAO MDICASanta Rosa, Rio Grande do Sul

    eficincia do processo.Nerci comenta que decorreram dois

    anos at que se chegasse forma final do produto desde sua concepo at o lanamento, passando por desenvol-vimento de prottipos, modelos, esque-mas eltricos e moldes. A Biotecno hoje a nica desenvolvedora da cmara porttil e conta com o registro da paten-te e a liberao da comercializao por parte da Agncia Nacional de Vigilncia Sanitria (Anvisa).

    A inovao da Biotecno teve exce-lente aceitao no mercado de todo o pas, pois substitui as caixas isotrmicas e o gel de refrigerao uma antiga de-manda de seus clientes. Essa iniciativa resultado de uma intensa atividade in-dustrial. Por mais de uma dcada, Nerci e sua equipe trabalharam em diversos produtos, em um processo que lhes foi capacitando para a criao do equipa-mento porttil.

  • 21

    Alm de produzir cmaras de con-servao com capacidade de armaze-namento de 30 a 1.500 litros, a Biotec-no tambm presta assistncia tcnica desses aparelhos. E as prprias c-maras de conservao ultrapassam as exigncias mnimas: so munidas de acessrios de srie, como painel LCD com indicadores. Outro adicional o software de gerenciamento, que per-mite a emisso de relatrios e grficos de performance e o gerenciamento da cmara via internet. Contam tambm com o Phaselog, um dispositivo que controla a tenso eltrica, acionando o sistema de emergncia em caso de ins-tabilidade da energia eltrica.

    Para vencer o MPE Brasil na cate-goria Destaque de Inovao, a Biotec-no mostrou organizao na execuo de projetos, inventividade no desen-volvimento do equipamento porttil e capacidade de realizar grandes proje-tos com agilidade e qualidade.

    Segundo Nerci, para que um neg-cio tenha sucesso, no basta empreen-der: Devemos sempre levar em consi-derao os seguintes fatores: anlises detalhadas das exigncias legais e de mercado; investimento inicial; prti-cas de gesto, que devem estar bem desenvolvidas e ser seguidas por to-dos os colaboradores; ousadia para introduzir a ideia e a confiana no pro-duto; capacidade de delegao de ati-vidades; e perseverana.

    CLIENTE: O PRINCPIO E O FIM

    A base do trabalho da Biotecno sua relao com os clientes. A partir das demandas, a empresa produz e se mantm. Chamados tcnicos, oramen-tos, dvidas, sugestes e solicitaes so atendidas em no mximo 24 horas. Esse carter familiar da empresa um diferencial, mas representa tambm um desafio.

    Ainda em 2014, a Biotecno preten-de deixar de ser uma pequena empresa, com aumento de faturamento, insero nas exportaes e lanamento de uma nova linha de produtos. O desafio con-tinuar crescendo e, ao mesmo tempo, seguir no dilogo aberto e direto com os clientes.

    Trata-se de uma tarefa que a Biotec-no j provou conseguir realizar. Afinal, desde 2001, inova, cresce e se mantm prxima de seu pblico.

    NERCI LINCKDiretor

    COM APALAVRA

    A EMPRESANOME DA EMPRESA: Biotecno Indstria e Comrcio Ltda.NOME FANTASIA: Biotecno Indstria e Comrcio LtdaENDEREO: Rua Pirap, 613 - Bairro Timbava.Santa Rosa/RS - CEP: 98.900-000TELEFONES: (55) 3513-0686/3511-4733SITE: www.biotecno.com.brE-MAIL: [email protected]: Pequena EmpresaDATA DE FUNDAO: 22/05/2001NMERO DE EMPREGADOS DIRETOS: 19NMERO DE EMPREGADOS INDIRETOS: 50DIRETOR: Nerci Linck

    O MPE Brasil foi um divisor de guas para a Biotec-no. Alm de vencer na categoria Destaque de Inovao, vencemos tambm na categoria Indstria, o que nos deu mais energia para seguir com nossa filosofia. Os co-laboradores se sentem mais confiantes no seu trabalho, sabem que tudo que desenvolvem em relao ao sistema de qualidade teve seu reconhecimento, entendem o por-qu de tudo. A Biotecno foi colocada na mdia, apareceu em jornais e revistas, teve seu nome conhecido em todo o Brasil e viu abrirem-se as portas para a exportao. Os resultados vm com o tempo, mas saber que aquela pequena empresa, que j passou por tantas dificulda-des, mantm-se unida at hoje realmente emociona.

  • 22

    SERVIOS

    BORKENHAGEN CONTABILIDADEFoz do Iguau, Paran

    FIDELIZAO E INOVAO COMO MARCA DO SUCESSO

    O SERVIO DE contabilidade com-parvel a um casamento. As confidn-cias trocadas criam um vnculo bastante forte entre o cliente e seu contador. E para manter sempre forte esse lao, preciso confiana, fidelidade e inovao constante. assim que Edvino Borke-nhagen define o servio contbil, com a experincia de 31 anos de atividades da Borkenhagen Contabilidade, de Foz do Iguau, Paran, vencedora do MPE Bra-sil na categoria Servios.

    Para vencer trs dcadas e inme-ros desafios, o caminho foi trilhado com

    persistncia e superao. Tudo comeou em 1983, quando, ainda cursando facul-dade de Contabilidade, Edvino deixou uma sociedade de trs profissionais para trabalhar de forma autnoma. Com essa diviso, restaram apenas cinco clientes, o que no era suficiente para a sobrevi-vncia financeira: Eu tinha de pagar pela graduao. Certa vez, fiquei com duas parcelas em atraso, pelo que fui conver-sar com o diretor. Ele, ento, me convidou para fazer a contabilidade da instituio. Depois, Edvino seguiu dividindo seu tem-po entre o trabalho e a faculdade onde

    tambm passara a lecionar. Em casa, se-guia suas atividades contabilistas.

    No demoraria at o atual diretor institucional da empresa abandonar aquele cantinho caseiro, com uma ca-deira revestida de palha, uma mquina de escrever emprestada da igreja e uma calculadora cientfica. Logo ele passou a ocupar um escritrio no centro da cida-de. Voc deve ter um objetivo. Deixei de atender convites de empresas para se-guir atuando como contador autnomo, afirma. E, no processo de consolidao do empreendimento, a Borkenhagen se

    Em um mercado to competitivo como o da contabilidade, a Borkenhagen projeta ampliar seu destaque

  • 23

    Edvino Borkenhagen comeou as atividades da empresa em sua casa, em 1983

    tornou uma empresa familiar.Hoje, quatro filhos de Edvino so di-

    retores da empresa. medida que eles iam crescendo, colocava-os para traba-lhar no perodo paralelo ao de aula. To-dos so formados e cada um dirige uma rea, conta. A direo contbil fica a car-go de Eunice, a primeira que ingressou na empresa; Adolf responsvel pela rea de legalizao; Melissa comanda a diretoria administrativa; e Martin toca a direo fiscal-tributria.

    CLIENTES FIIS: A MAIOR RECOMPENSA

    Assim, a Borkenhagen vem se solidi-ficando. Atualmente, a empresa atende a cerca de 120 clientes corporativos e a mais de 400 clientes pessoa fsica, pres-tando assessoria contbil, trabalhista e tributria. Edvino atribui a grande car-teira de clientes a uma postura profis-sional que favorece a questo relacional: Isso se deu porque temos linha de con-duta, bom relacionamento com todas as esferas. Primeiro, temos de dar respeito para depois merecer respeito. Precisa-mos assegurar que estamos na linha certa. E os clientes esto satisfeitos.

    Nesse sentido, a fidelizao se tornou uma marca do empreendimento, ates-tando a eficcia do alinhamento entre excelncia profissional e qualidade rela-cional. Um dos cinco primeiros clientes atendidos por Edvino no comeo do es-critrio utiliza at hoje seus servios de contabilidade. H outros com 10, 15, 20 e at 25 anos de relao. Os que alcana-ram 20 anos de fidelidade ultrapassam a marca de 50% da carteira de clientes corporativos. Vrias aes ajudam a explicar tanta fidelidade, por exemplo: Temos a prtica de que recompensar quem nos apresenta um cliente. Paga-mos o valor dos servios do primeiro ms para a empresa, revela Edvino.

    Alm do grande prmio que a satis-fao dos clientes, a empresa tem recebi-do prmios de fato, como o MPE Brasil. A Borkenhagen foi pioneira na informatiza-o dos servios, alm de investir na cons-tante atualizao do conhecimento, em li-vros e documentos fiscais. Atualmente, a nica representante do ramo que recebeu moo de aplauso na Cmara de Vereado-res de Foz do Iguau. J completa uma d-cada que a empresa foi certificada com o ISO 9001 e o ISO 10002. tambm a nica organizao contbil do Paran com acre-

    Atualmente, a empresa atende a cerca de 120 clientes corporativos e a mais de 400 clientes pessoa fsica.

    No processo de consolidao do empreendimento, a Borkenhagen se tornou uma empresa familiar.

    A fidelizao se tornou uma marca do empreendimento, atestando a eficcia do alinhamento entre excelncia profissional e qualidade relacional.

  • ditao na Alemanha pas de origem da famlia, que ainda cultiva o idioma alemo.

    Para Edvino, a coroao de todo o in-tenso trabalho foi o Prmio MPE Brasil. Para chegar at aqui, a empresa investiu intensamente em gesto: So dez anos acreditando, falando no prmio, incenti-vando os outros a participarem. E a cada vez que participvamos, nos reunamos para ver no que poderamos melhorar, conta. A Borkenhagen, ento, foi apri-morando seus processos de gesto, es-tabelecendo metas, aferindo a qualidade dos servios e o retorno dos clientes.

    Assim, os resultados foram aparecen-do: a empresa recebeu o prmio de Desta-que Empresa Cidad; em trs ciclos, ven-ceu na categoria estadual; e, finalmente, em 2014, alcanou a glria da premiao nacional, pertencente ao ciclo 2013. Foi a premiao maior que se poderia esperar. Somos a nica do ramo contbil no pas que recebeu o MPE Brasil. Estamos muito satisfeitos, relata Edvino.

    GRATIDO COMUNIDADEO vnculo com a cidade de Foz do Igua-

    u muito valorizado pela Borkenhagen, que procura investir em aes de respon-sabilidade social, como campanhas de combate dengue, ao cncer de mama e ao fumo, alm de iniciativas para arreca-dar donativos para vtimas de enchentes, entre outras, de cunho local, alm de ou-tras mais abrangentes. A cidade nos per-mite trabalhar, ganhar dinheiro, crescer. Temos de ser gratos, retribuir de alguma maneira. por isso que realizamos esse trabalho social, diz Edvino.Outra iniciativa que refora a ligao do escritrio com a cidade o BORKIN-FO, boletim institucional da empresa. Com circulao mensal, o boletim en-viado para mais de 3.400 destinatrios, de forma impressa ou virtual. Nele, so divulgadas notcias da empresa, aes

    SERVIOS

    24

    sociais, campanhas pelo municpio e dicas teis sobre contabilidade e legisla-o, alm de mensagens especiais.

    A empresa tambm busca o aprimo-ramento constante de seus empregados, atravs do conhecimento. Uma iniciativa nesse sentido ocorre todos os dias: a pri-meira meia hora antes do incio do traba-lho dedicada a uma reflexo espiritual, que dura cinco minutos, e ao estudo, que ocorre nos 25 minutos seguintes.

    Em um mercado to competitivo como o da contabilidade, a Borkenha-gen projeta ampliar seu destaque, in-clusive de forma nacional. A empresa planeja avanar na obteno do ISO 14001, alm de tornar realidade seu projeto de uma nova sede: A estrutura ter trs pisos, rea de negcios, audi-trio para cursos e reunies, alm de uma rea para contar a histria da em-presa, conclui seu fundador.

    A empresa atende a 120 clientes corporativos e 400 pessoas fsicas

    BORKENHAGEN CONTABILIDADEFoz do Iguau, Paran

  • EDVINO BORKENHAGENDiretor institucional

    COM APALAVRA

    A EMPRESANOME DA EMPRESA:Borkenhagen Solues Contbeis Ltda.NOME FANTASIA:Borkenhagen ContabilidadeENDEREO:Av. Doutor Damio, 80 Jd.Amrica - Foz do Iguau/PR - CEP: 85.864-400TELEFONE: (45) 3028-6464SITE: www.borkenhagen.netE-MAIL: [email protected]

    Quando tomamos conhecimento do MPE Brasil, em 2004, e percebemos quem participava da organizao, sentimos se-gurana e seriedade. Era uma iniciativa em que se respondia a um questionrio e se fazia uma autoanlise. As inscritas com as melhores respostas eram chamadas como finalistas. E a cada re-latrio, a cada devolutiva, podamos verificar no que estvamos fortes e o que poderamos melhorar. Assim, fomos aprimorando nossos processos e vencemos por trs vezes. Isso serviu para con-tagiar, incentivar outros a participarem.

    Consideramos que, se no o maior, o MPE Brasil um dos maiores prmios de empreendedorismo. Mostra para o Brasil inteiro que existem empresas capacitadas a investir no capital humano e profissional. E tivemos a felicidade de ser reconhecidos pelas nossas prticas de governana e de capacitao profissio-nal. Estamos confiantes de que essa distino possa repercutir na classe contbil, para que outros mais possam participar do pr-mio. O trofu para a foto. O grande prmio o retorno que se recebe, permitindo a qualificao constante.

    FACEBOOK: facebook.com/BorkenhagenContabilidadePORTE: Pequena EmpresaDATA DE FUNDAO: Autnomo: 02/04/1983Pessoa jurdica: 20/10/1989NMERO DE EMPREGADOS DIRETOS: 15NMERO DE EMPREGADOS INDIRETOS: 5 sciosDIRETOR INSTITUCIONAL: Edvino Borkenhagen

    MIL

    A Borkenhagen procura investir em aes de responsabilidade social, como campanhas de combate dengue, ao cncer de mama e ao fumo, alm da arrecadao de donativos para necessitados.

    Recentemente, a empresa foi certificada com o ISO 9001 e o ISO10002. tambm a nica organizao contbil do Paran com acreditao na Alemanha.

    o nmero de leitores mensais do boletim da empresa

    25

  • SERVIOS DE TURISMO

    DON RAMN SPA RELAXANTECanela, Rio Grande do Sul

    EXPERINCIA a melhor palavra para definir o Hotel Pousada Spa Re-laxante Don Ramn. Localizado em Canela, na Serra Gacha, o empreendi-mento se notabilizou por oferecer aos clientes uma gama de experincias e terapias de energizao e relaxamento. No entanto, a prpria empresa fruto de uma bem-sucedida experincia de

    gesto e de prticas sustentveis, que garantiram ao spa o primeiro lugar na categoria Servios de Turismo do Pr-mio MPE Brasil.

    Fundado em maro de 2000, inicial-mente o local oferecia apenas o servio de hotelaria. No vnhamos de nenhu-ma origem hoteleira, tudo comeou do zero, afirma o gestor do empreendi-

    mento, Vicente Atz, que destaca que os primeiros anos so sempre um pouco conturbados em relao ao mercado.

    Em 2004, a palavra experincia transformou-se no norte da Pousada Don Ramn. Foi iniciado um processo de ges-to interna, desenvolvido pela prpria empresa, definindo prticas a serem exe-cutadas e resultados que deveriam ser

    EXPERINCIAS QUE DO RESULTADO

    26

    A Pousada est localizada em meio natureza da Serra do Rio Grande do Sul

  • 27

    A partir de 2006, o local passou a atuar como pousada e spa relaxante

    Em um processo de gesto interna desenvolvido pela prpria empresa, foram definidas prticas a serem executadas e resultados que deveriam ser alcanados.

    Em 2010, a empresa recebeu o certificado de primeiro spa sustentvel do Brasil, reconhecido pelo Inmetro, com ISO 9001, ISO 14001 e ISO 16001.

    O foco da poltica de gesto da empresa a melhoria contnua dos servios, incluindo uma agenda de aes para o ano todo.

    alcanados, em um processo que durou dois anos. Desse exerccio nasceu a pro-posta de transformar o empreendimento em uma pousada e spa. Era um teste, para ver como o mercado consumiria a ideia. A aceitao foi satisfatria, relata Atz. Assim, em 2006, o local passou a atu-ar definitivamente como pousada e spa Relaxante, capitaneado desde ento pela gestora do spa, Sra. Sabrina Feli. Seus sistemas foram sendo aprimo-rados ao longo dos anos seguintes. Em 2007, a administrao passou a observar as normas brasileiras de gesto de hospe-dagens, com foco na sustentabilidade. Em 2010, a empresa recebeu o certificado de primeiro spa sustentvel do Brasil, reco-nhecido pelo Inmetro, com ISO 9001, ISO 14001 e ISO 16001. No mesmo ano, veio o reconhecimento internacional como hotel sustentvel pela Rainforest Alliance.

    Posteriormente, o local recebeu muitas outras premiaes e recomen-daes, como o Selo Sustentvel da revista Guia Quatro Rodas. Tudo isso culminou no reconhecimento nacional do Prmio MPE Brasil, na categoria Servios de Turismo, sendo a primeira empresa gacha do setor a receber essa distino. Para Vicente Atz, esse o re-conhecimento de que estamos em um caminho correto, profissional. a con-solidao de um trabalho que comeou em 2004. O gestor diz ainda que certi-ficaes como essa so s a ponta do iceberg. importante tambm a satis-fao dos clientes, o controle de custos, o aumento das receitas, afirma.

  • 28

    GESTO PROMOVE AGENDAS PERMANENTESO foco da poltica de gesto da em-presa a melhoria contnua dos ser-vios, incluindo uma agenda de aes para o ano todo. A gesto origina agen-das permanentes, consolida um conjun-to de objetivos e metas previstas para doze meses. No temos aes pontuais, tudo traado dentro da prpria ges-to, revela Atz. As aes so planejadas dentro de trs esferas: econmico-fi-nanceira, ambiental e sociocultural.

    Na primeira rea, os resultados po-dem ser vistos com um dado: o nvel de satisfao dos clientes nos ltimos anos de 95%. Comeamos a focar na busca da economia da experincia, diz o ges-tor. No oferecer aos clientes apenas hospedagem ou simples servios, como fazem os concorrentes, mas experin-cias completas.

    Nesse sentido, o Spa Don Ramn oferece terapias de relaxamento, ener-gizao, massagens, imerses e chs, entre muitas outras alternativas, sem-pre primando por tcnicas sustentveis e que envolvem todos os sentidos do corpo humano. H tambm opes de spa para casais e noivas. Tudo isso em um ambiente localizado em meio na-tureza da Serra do Rio Grande do Sul.

    ONDA ENCANTADA: RESPONSABILIDADE SOCIALDentro do processo de gesto ado-tado pela pousada, h uma preocupa-o com as questes socioculturais e ambientais. Atravs do programa Onda Encantada, a empresa atua diretamen-te com a comunidade, em diferentes aes. H, por exemplo, o atendimento a idosos no Osis Santa ngela, de Ca-nela, onde so ofertadas terapias alter-nativas. Recentemente, o spa organizou uma ao de retirada do lixo da Estra-

    SERVIOS DE TURISMO

    DON RAMN SPA RELAXANTECanela, Rio Grande do Sul

    SERVIOS DE TURISMO

    DON RAMN SPA RELAXANTECanela, Rio Grande do Sul

    da do Caracol, recolhendo um total de quatro toneladas de detritos.

    Alm disso, ocorrem palestras so-bre melhoria na qualidade de vida e sobre sade pblica. A empresa tam-bm d apoio a eventos como o Natal Luz e a Chocofest, entre outros que ocorrem na regio. Os hspedes da pousada so convidados a participar das aes, sendo inseridos em atitu-des de sustentabilidade e de respon-sabilidade social.

    GARANTIA DE QUALIDADECom crescimento mdio de 20% ao

    ano, o Spa Don Ramn pretende seguir

    no caminho que tanto tem gerado xi-to. Mesmo com valor mdio acima do mercado, temos uma fidelizao muito grande por parte dos clientes, afirma o gestor. O foco manter esse sistema de melhoria contnua, sempre propondo novas operaes.

    Nosso projeto de expanso den-tro da rea de experincia, para esse ano ou 2015, consolidando e aumen-tando nosso mercado, diz. Vicente Atz projeta ainda mais programas sociais, voltados principalmente rea da sa-de. E, para o cliente, o mais importante o servio oferecido. No trabalhamos com margem de preo, mas com garan-tia de qualidade, completa.

    O spa oferece terapias de relaxamento, massagens e muitas outras experincias

  • 29

    VICENTE ATZGestor da Pousada & Spa Relaxante Don Ramn

    O prmio MPE Brasil foi o reconhecimento de um trabalho que se iniciou l em 2004 e mostra que estamos percorrendo o caminho certo. Como pequena empresa, para conseguir manter um trabalho como esse, preciso persistncia. Claro, necessrio ter tambm as ferramentas profissionais, suporte de entidades que podem auxiliar a pequena e a microempresa, como faz o Sebrae. Com isso, o importante para o empresrio ser persistente e acreditar no que faz. Em um pro-cesso de implementao de gesto, muitas empresas param no meio do caminho por no acreditarem que esto no rumo certo.

    O grande diferencial o fator anmico do gestor. importante que ele acredite no processo que adotou, acreditando em suas decises e ultrapassando a zona de conforto. fundamental sair da zona de con-forto, para que as coisas aconteam, para que haja uma cultura em-presarial, para o trabalho dos funcionrios, pois tudo baseado nessa fora de vontade do empreendedor. Esse o grande legado de um re-conhecimento como o MPE Brasil. Em vrios momentos, na nossa ca-minhada, consideramos que talvez tivssemos dado um passo atrs. Mas, na verdade, demos passos frente. Persistir, esse o caminho.

    COM APALAVRA

    A EMPRESANOME DA EMPRESA: Don Ramn Hotel e Pousada LtdaNOME FANTASIA: Pousada e Spa de Relaxamento Don RamnENDEREO: Rua Jos Pedro Piva, 745 Canela/RS - CEP: 95.680-000TELEFONE: (54) 3282-3306SITE: www.donramon.com.br e www.spaholgardalma.com.brE-MAIL: [email protected];[email protected] e [email protected];FACEBOOK: facebook.com/donramon.com.brBLOG: pousadadonramon.blogspot.comPORTE: Micro EmpresaDATA DE FUNDAO: 01/03/2000NMERO DE EMPREGADOS DIRETOS: 9GESTOR: Vicente Atz

    95%

    O spa oferece terapias primando por tcnicas sustentveis e que envolvem todos os sentidos do corpo humano.

    Dentro do processo de gesto adotado pela pousada, h uma preocupao com as questes socioculturais e ambientais.

    o nvel de satisfao dos clientes nos ltimos anos

  • 30

    COMRCIO

    EFETIVA INFORMTICARio do Sul, Santa Catarina

    GESTO QUE PRODUZ RESULTADOS

    EFETIVA. No dicionrio, significa algo capaz de produzir um efeito real; que realmente atinge seu objetivo; que realmente se cumpriu ou produziu; positivo ou bem-sucedido; em que se deposita confiana; correto. As di-versas acepes da palavra tambm resumem o que a Efetiva Informtica persegue para levar aos seus clientes as melhores solues em tecnologia da informao, aliando gesto e exceln-

    Equipe da Efetiva comemora o Prmio MPE Brasil. Todo aquele esforo que fizemos deu resultado

  • 31

    cia. So prticas que deram empresa de Rio do Sul, Santa Catarina, o Prmio MPE Brasil na categoria Comrcio.

    A histria da Efetiva comea em 1994, como uma pequena empresa no ramo de cursos de informtica, com foco no mercado corporativo. Naque-la poca, a Web dava seus primeiros passos no Brasil. Isso representou um desafio, de acordo com o diretor tc-nico, Jean Sandro Pedroso: No havia Internet como hoje. Tudo era muito restrito, os computadores eram caros, custava muito para comprar e agregar equipamentos para dar aulas. O co-meo foi bastante complicado. Alm disso, segundo relato do executivo, havia poucos profissionais capacita-dos para atuar no setor.

    Apesar dessas dificuldades, a Efe-tiva se manteve firme no seu foco. At que, no comeo dos anos 2000, teve incio uma mudana nos rumos da empresa. Nossos alunos pediam equipamentos para comprar. Assim, comeamos a entrar no mercado de comrcio, conta Pedroso. A nova em-preitada deu to certo que, em 2004, a empresa parou de oferecer cursos e passou a atuar exclusivamente com o comrcio de equipamentos de in-formtica e eletrnicos, como com-putadores, notebooks, impressoras e suprimentos. Alm desses produtos, comeou a oferecer assistncia e su-porte tcnico.

    A transio no comeo foi interes-sante, afirma o diretor. No se tinha tanto concorrente como agora. Con-seguimos agregar bastante coisa para a empresa, mesmo com a concorrn-cia do Paraguai, que causava perda de oramento. Em 2006, a Efetiva come-ou a integrar o Ncleo Setorial de In-formtica de Rio do Sul, onde conso-lidou parcerias com outras empresas do setor.

    A Efetiva comeou sua histria enquanto a Web dava seus primeiros passos no Brasil, oferecendo cursos de informtica com foco no mercado corporativo.

    Em 2006, a Efetiva passou a integrar o Ncleo Setorial de Informtica de Rio do Sul, onde consolidou parcerias com outras empresas do setor.

    Satisfao do cliente objetivo permanente da empresa

  • COMPROMISSO COM A QUALIDADE

    Em 2008, ocorreu o primeiro con-tato com o Prmio MPE Brasil: Co-meamos a trabalhar o questionrio do MPE e verificamos que no aten-damos alguns critrios. Comeamos a aplic-los e fomos consolidando re-sultados, diz Pedroso. Uma das inicia-tivas foi implementar prticas de ges-to na empresa. Tambm foi formado um conselho gestor, que se rene uma vez por semana. Criamos indicadores para nossos trabalhos, para saber se estamos no caminho certo. Tudo re-gistrado, afirma Pedroso.

    Com esse sistema, a Efetiva criou pesquisas de satisfao, conseguindo mapear quando o cliente estava insa-tisfeito com algo e avaliando a qualida-

    de dos servios oferecidos. Alm disso, tudo passa por planejamento estratgi-co e h uma preocupao na qualifica-o contnua dos profissionais.O resultado se traduziu no somen-te no Prmio MPE Brasil, mas tambm no crescimento da empresa que tem avanado muito acima do mercado, em ndices de 20 a 30% ao ano. Consegui-mos diminuir custos, melhorar a pro-dutividade sendo mais eficientes para os clientes. Todo trabalho foi feito com base no questionrio do MPE. E para ns, o prmio o fechamento de um ci-clo extremamente positivo. Mostra que todo aquele esforo que fizemos deu resultado. fantstico, avalia o diretor.

    Hoje, alm do comrcio de equipa-mentos, a companhia atua no meio cor-porativo, oferecendo solues em tec-

    nologia da informao, como instalao de servidores, cabeamento e controle de internet. Tambm h terceirizao de funcionrios para atendimento em TI. Uma de suas inovaes o Efetiva Express. Trata-se de uma garantia de que o eletrnico ser reparado em um tempo determinado. Por exemplo: se o cliente precisa que um notebook seja consertado em quatro horas, a Efetiva garante isso.

    A perspectiva da companhia man-ter o crescimento atual. Estamos re-fazendo nosso planejamento, criando novos servios, buscando prticas de inovao, produtos e servios que agre-guem valor para a empresa, para que consigamos entregar melhores solu-es aos clientes. Podemos at incorpo-rar outras empresas, conclui Pedroso.

    COMRCIO

    EFETIVA INFORMTICARio do Sul, Santa Catarina

    A companhia atua no meio corporativo, oferecendo solues em tecnologia da informao

    32

  • JEAN SANDRO PEDROSODiretor tcnico

    COM APALAVRA

    A EMPRESANOME DA EMPRESA: Efetiva Informtica Ltda.NOME FANTASIA: Efetiva InformticaENDEREO: Rua Georg Lucas, 47Rio do Sul/SC - CEP: 89.160-000TELEFONE: (47) 3521-1179SITE: www.efetiva.com.brE-MAIL: [email protected] PrivadaPORTE: Pequena empresaDATA DE FUNDAO: 01/06/1994NMERO DE EMPREGADOS DIRETOS: 10DIRETOR TCNICO: Jean Sandro Pedroso

    Gosto de dizer que quando a pessoa olha o questionrio do MPE Brasil, ela comea a ler e acha que muitas das questes ali so apenas para grandes empresas. E isso no verdade. Implantar o questionrio pode ser trabalhoso, mas os resulta-dos so extremamente positivos. Todo mundo busca respirar qualidade. Mas o caminho da qualidade a gesto, como diria o Jorge Gerdau. preciso ter pacincia, nada vem com mgi-ca. Voc precisa visitar empresas, ver o que elas fazem de bom e levar isso para seu empreendimento. Deve ter funcionrios e colaboradores que respiram qualidade, que estejam juntos, que queiram fazer acontecer. Quando voc busca qualidade, o ques-tionrio do MPE traz muito resultado. Tenha pacincia, que o resultado vir. O prmio no o grande negcio, mas ser uma maravilhosa consequncia. Ganhar muito bom, mas conseguir implantar as premissas do questionrio vale ainda mais a pena. isso que colhemos na Efetiva. Vimos que todo aquele esforo que fizemos deu resultado e foi coroado com esse trofu. Foi fan-tstico. o fechamento de um ciclo extremamente positivo.

    Ao adotar prticas de gesto, a Efetiva criou pesquisas de satisfao, conseguindo mapear quando o cliente estava insatisfeito com algo e avaliando a qualidade dos servios oferecidos.

    Hoje, alm do comrcio de equipamentos, a companhia atua no meio corporativo, oferecendo solues em tecnologia da informao.

    20%

    a taxa de crescimento anual da empresa

    30%

    33

    A

  • AGRONEGCIO

    FAZENDA DAS ALMASCabo Verde, Minas Gerais

    PARA QUE UM empreendimento familiar se mantenha por muitos anos, necessrio investir permanentemente em qualificao e produtividade, adap-tando-se aos desafios de cada poca e ao mercado. assim que tm procedido os administradores e colaboradores da Fa-zenda das Almas, em Cabo Verde, no Sul de Minas Gerais. E sua excelncia lhe ga-rantiu o Prmio MPE Brasil na categoria Agronegcio.

    A histria da Fazenda das Almas co-mea em 1942, com Jos da Costa Muniz. Localizada na chamada cidade do caf, a empresa no poderia atuar em outra rea. Em suas primeiras dcadas, os de-safios enfrentados eram bem diferentes dos atuais. At 1965, no existia energia eltrica na propriedade e o caf era be-neficiado com a energia gerada por uma mquina a vapor. Tambm no existia adubo mineral. Com isso, a produo era muito simples e a produtividade era pe-quena; mas o negcio era mais rentvel, em funo do baixo custo de produo.

    Isso comeou a mudar a partir de 1982, quando Virgolino Adriano Mu-niz, filho de Jos, assumiu parte da fa-zenda. Engenheiro agrnomo, Muniz j acompanhava desde cedo a produo e decidiu investir em produtividade. Contudo, logo perceberia que somente isso no seria o suficiente para garantir a sobrevivncia da empresa. Ento, na dcada de 1990, passou a investir em qualidade. Em funo dessa nova viso de gesto do negcio, foram adquiri-

    ALTA QUALIDADE NA PRODUO E NA GESTO

    A fazenda investe fortemente na motivao e capacitao dos funcionrios34

  • Alm do setor cafeeiro, a empresa atua com cereais e plantao de eucalipto

    das mquinas para auxiliar no proces-samento do caf e o know-how para o preparo do gro foi aprimorado.

    Conseguia produzir qualidade, mas no conseguia encontrar o comprador que pagasse um prmio por ela, conta Muniz. Posteriormente, foi desenvolvida uma pgina da fazenda na Internet e cria-da uma marca de caf torrado. Contudo, o caminho que existe alm da produo e do beneficiamento complexo, envolven-do, inclusive, comercializao do caf di-reto ao consumidor final. Dessa forma, a Fazenda das Almas deixou de lado a atu-ao na cadeia de ponta a ponta e voltou seus esforos para a produo de gros com alto valor agregado.

    Para alcanar os objetivos de crescer e qualificar seus processos e produtos, Muniz valorizou e investiu na quali-dade da gesto dos negcios: Sempre procurei atualizar-me ou reciclar-me nessa rea. Fiz diversos cursos, treina-mentos, estudei vrios livros de gesto. Desde 1990 j seguia Vicente Falconi. Fiz um treinamento no Instituto Mineiro de Qualidade, onde consegui entender perfeitamente o MEG (modelo de ex-celncia de gesto). O empresrio cita predicados que considera fundamentais consolidao desse modelo:

    habilidade em liderar a equipe e moti-v-la a alcanar as metas estabelecidas; estudar sempre, aprimorando o conhecimento e compartilhando-o com a equipe; atitude para implementar, no momen-

    to certo, as estratgias e os planos estabe-lecidos; comprometimento e disciplina contnua de todos para cumprir os pro-cedimentos; contar com dados, informaes e anlises que orientam os negcios no ca-

    minho da eficincia (no caso da Fazenda das Almas, os dados advm do Educam-po, projeto do Sebrae).Os resultados dos investimentos e aprimoramentos chegaram a partir dos anos 2000. Em 2004, a empresa con-quistou as certificaes UTZ Certified e da BSCA (Associao Brasileira de Cafs Especiais). Em 2009, veio a certificao da Rainforest Alliance. Com esses reco-nhecimentos, a Fazenda obteve novos clientes e passou a vender um produto certificado, posicionando-se de vez como fornecedor de cafs com alta qualidade.

    Investindo em qualidade, foram adquiridas mquinas para auxiliar no processamento do caf e o know-how para o preparo do gro foi aprimorado.

    A fazenda deixou de lado a atuao na cadeia de ponta a ponta e voltou seus esforos para a produo de gros com alto valor agregado.

    35

  • Questo socioambiental prioridade. 20 mil rvores nativas foram plantadas desde 2000, reconstituindo reas sem mata nativa

    Foi possvel, portanto, diversificar as atividades, incrementar o fluxo de caixa e reduzir riscos. Hoje, alm do setor cafeeiro, a empresa atua com cereais, produzindo milho e soja para suinocultura que por sua vez, produz gs metano e compostos orgnicos utilizados na cafeicultura. H tambm plantao de eucalipto e serraria. Todos esses segmentos trabalham com equipes treinadas e comprometidas, com tecnologia de ponta e qualidade.

    COMPROMISSO SOCIOAMBIENTAL

    Alm disso, h tambm uma preocu-pao com a questo socioambiental. J plantei 20 mil rvores nativas desde o ano 2000, reconstituindo reas que esta-vam sem mata nativa. Plantei 65 espcies para ter diversidade, afirma Muniz. No

    total, 36% da propriedade possui rea de mata. H um cuidado tambm para o tra-tamento adequado dos detritos gerados pela produo. Todo o lixo recolhido, bem como as guas residuais.

    A Fazenda ainda apoia aes sociais na comunidade de sua regio, receben-do alunos de escolas para lies de meio ambiente e oferecendo incentivos Casa da Criana Carente, que atende a 150 crianas. Ainda, a empresa investe forte-mente na motivao e na capacitao de seus funcionrios, com metas, palestras, cursos e gratificaes por criatividade e produtividade.

    Tudo isso possibilitou Fazenda das Almas a conquista do Prmio MPE Brasil na categoria Agronegcio. Conquistar um prmio como esse significa que nossa gesto est no caminho certo, diz Muniz. Estamos contentes, mas inquietos, pois

    sabemos que ainda estamos no comeo do caminho da excelncia. Vamos imple-mentar com mais energia este modelo de gesto, aproveitando nossos pontos for-tes e aprimorando e corrigindo os pontos fracos observados na devolutiva.

    O negcio agora j ruma para a tercei-ra gerao. Meu filho, Thiago Henrique Maringoli Muniz, tambm engenheiro agrnomo, est no caminho da sucesso, diz Muniz. A Fazenda atende a clientes do Brasil, da Inglaterra, da Itlia e da Coreia do Sul e atua para buscar novos parcei-ros, que reconheam o trabalho realizado na propriedade e permitam incrementos receita. Nosso objetivo de aprimorar todos os processos e a qualidade de nos-sos produtos. No pensamos em ampliar a produo de nenhum setor, mas am-pliar as atividades, ou seja, diversificar mais, completa o gestor.

    36

    AGRONEGCIO

    FAZENDA DAS ALMASCabo Verde, Minas Gerais

  • 37

    VIRGOLINO ADRIANO MUNIZDiretor da Fazenda das Almas

    COM APALAVRA

    A EMPRESANOME DA EMPRESA: Virgolino Adriano MunizNOME FANTASIA: Fazenda das AlmasENDEREO DA FAZENDA: Bairro So Joo, zona rural s/n.ENDEREO DO ESCRITRIO: Rua Luiz Ornelas de Podest, 23, Centro - Cabo Verde/MG CEP: 37880-000TELEFONES: (35) 3736-1150 e (35) 9704-4329SITE: www.dasalmas.comE-MAIL: [email protected]: Pequena EmpresaDATA DE FUNDAO: 21/10/1980NMERO DE EMPREGADOS DIRETOS: 30NMERO DE EMPREGADOS INDIRETOS: 70DIRETOR: Virgolino Adriano Muniz

    Com a globalizao, a competio entre as empresas no ge-ral ficou muito acirrada. No agronegcio no diferente; acre-dito que seja at pior. Os preos dos produtos do agronegcio so influenciados pelo clima, pela produo e pela poltica econmi-ca, no s do Brasil, mas de uma conjuntura global. Estamos su-jeitos oscilao do preo devido ao destino da aplicao dos fundos norte-americanos. Ento, fica difcil acertar o momento ideal para a venda de nossos produtos. Em resumo, os desafios de todos ns so produzir com menor custo e vender bem nossos produtos. O gestor tem de estar permanentemente em busca de estratgias para aumentar a competitividade de sua empresa e garantir sua sobrevivncia. Sempre existem prticas que podem ser implementadas para reduzir custos e ampliar a receita. Te-mos de ser empreendedores, descobrir essas prticas e manter o negcio sempre forte, estvel e slido.

    Por fim, digo que chegar ao final de um prmio como o MPE Brasil traz uma satisfao imensa para toda a equipe; significa que nossa gesto est trilhando o caminho certo. Estamos con-tentes, mas inquietos. Temos de aprimorar nossos pontos fortes e corrigir os pontos fracos observados na devolutiva. Agora, a responsabilidade e o comprometimento meu e de toda a equipe aumentam muito.

    Para alcanar os objetivos de crescer e qualificar seus processos e produtos, a fazenda valorizou e investiu na qualidade da gesto dos negcios.

    A empresa investe fortemente na motivao e na capacitao de seus funcionrios, com metas, palestras, cursos e gratificaes por criatividade e produtividade.

    20 a quantidade de rvores nativas plantadas desde 2000, reconstituindo reas que estavam sem mata nativa

    MIL

  • SERVIOS DE SADE

    LABVITAPatos, Paraba

    38

    RESPEITO AO SER HUMANO GARANTE SUCESSO

    O LabVita possui uma equipe tcnica especializada para oferecer servios de qualidade

  • 39

    O OBJETIVO de toda empresa con-quistar um grande nmero de clientes, para crescer e destacar-se no mercado. Uma das chaves para obter sucesso nes-sa empreitada a busca incessante pela satisfao e excelncia no atendimento ao pblico. Para o LabVita, laboratrio de anlises clnicas localizado no serto da Paraba, esse o diferencial que conso-lidou o empreendimento na regio que, aliado s prticas de gesto, foi essencial para a conquista do Prmio MPE Brasil na categoria de Servios de Sade.

    As atividades do LabVita iniciaram em setembro de 2006, na cidade de Pa-tos, no interior paraibano. O comeo foi um grande desafio, salienta a diretora Rita de Kssya Melo: Como toda micro e pequena empresa, sempre enfrentan-do dificuldades, a trajetria do LabVita no foi diferente. Melo destaca que a falta de mo de obra qualificada e a for-te competio no ramo foram os maio-res obstculos enfrentados. Contudo, ressalva que gradativamente, fomos mostrando nossos diferenciais, qualifi-cando a equipe e formando parcerias, o que nos consolidou no mercado.

    Por oferecer um servio que lida diretamente com o ser humano, a em-presa investiu fortemente na qualidade e no conforto de seus clientes, o que fez a diferena na conquista de seu espao. Entre as iniciativas nesse sentido, des-tacam-se a adoo de coleta domiciliar gratuita, a coleta especializada para crianas e o carto fidelidade.

    Alm disso, o empreendimento se expandiu na regio, descentralizando o atendimento e gerando mais comodida-de ao cliente. Tudo isso oferecido em um ambiente confortvel, com alta tecnolo-gia e tcnicos especializados, que reali-zam uma ampla variedade de exames. Hoje, a empresa possui o laboratrio matriz em Patos e doze postos de coleta em cidades prximas.

    A empresa busca investir na capacitao continuada e na valorizao de seus funcionrios, bem como em aes de sustentabilidade.

    A empresa investiu fortemente na qualidade e no conforto de seus clientes, o que fez a diferena para se consolidar no mercado.

    Entre 2013 e 2014, a empresa abriu oito novas unidades de coleta

  • 40

    SERVIOS DE SADE

    LABVITAPatos, Paraba

    Outro fator essencial para o suces-so do empreendimento foi a adoo de prticas de gesto, estabelecendo os objetivos de crescimento e qualidade. Nossas prticas so fundamentadas no modelo MEG (Modelo de Excelncia em Gesto), proposto pela FNQ (Fundao Nacional da Qualidade). Sua implanta-o foi gradativa e setorial, e os conhe-cimentos adquiridos so reafirmados atravs de reunies e capacitaes mensais com a equipe de trabalho, diz a diretora. Toda a empresa e suas filiais so gerenciadas atravs de indicadores e aes corretivas, alm de projetos voltados aos colaboradores.

    Os funcionrios do LabVita recebem capacitaes mensais em parceria com o Sebrae e outras instituies. H ainda valorizao por meio de bonificaes por meta, bem como aes em datas co-memorativas e aniversrios. A empresa tambm investe em iniciativas de sus-tentabilidade, promovendo a separao do lixo para a coleta seletiva e o uso ra-cional de energia e papel.Todas essas prticas proporciona-ram no somente o reconhecimento dos clientes, mas tambm o Prmio MPE Brasil, na categoria de Servios de Sade. O MPE Brasil vem coroar nosso trabalho, dando-nos a certeza de que es-

    tamos no caminho certo. Ele nos mostra nossas imperfeies, nos reafirma no mercado e nos faz mais competitivos. O reconhecimento fortalece nosso traba-lho e nos encoraja a alcanar novos hori-zontes, afirma Melo.

    Atualmente, o LabVita est em fase de expanso. A empresa teve um incre-mento de 40% no faturamento no ltimo ano. Entre 2013 e 2014, foram abertas oito novas unidades de coleta. Segundo a diretora, As perspectivas so de cres-cimento e expanso, oferecendo os mes-mos servios e com a mesma qualidade, fundamentados na filosofia de valoriza-o e respeito ao ser humano.

    A empresa oferece ambiente confortvel, com alta tecnologia e tcnicos que realizam uma ampla variedade de exames

  • 41

    RITA DE KSSYA MELODiretora

    Um empreendedor um indivduo que no espera as coisas acontece-rem, mas uma pessoa pr-ativa, ou seja, faz as coisas acontecerem. Um empreendedor est altamente motivado, tem boas ideias e sabe como implement-las, a fim de alcanar os seus objetivos. Um empreendedor algum que no tem medo de iniciar projetos de uma forma arrojada, algum que empreende, acredita no seu potencial, apresenta capacida-de de liderana e consegue facilmente trabalhar em equipe. Alm disso, o empreendedor sabe que um fracasso apenas uma oportunidade de aprender e ser melhor, e no se deixa abalar com isso. Fao minhas as palavras de Augusto Cury, quando ele disse: Ser um empreendedor exe-cutar os sonhos, mesmo que haja riscos. enfrentar os problemas, mes-mo no tendo foras. caminhar por lugares desconhecidos, mesmo sem bssola. tomar atitudes que ningum tomou. ter conscincia de que quem vence sem obstculos triunfa sem glria. no esperar uma heran-a, mas construir uma histria... Quantos projetos voc deixou para trs? Quantas vezes seus temores bloquearam seus sonhos? Ser um empre-endedor no esperar a felicidade acontecer, mas conquist-la. O MPE Brasil vem coroar nosso trabalho, fortalecer nossas prticas dirias, reve-lando nossas imperfeies e mostrando que estamos na trajetria correta e que devemos acreditar sempre nos nossos sonhos. Nossas prticas de gesto foram primordiais para conquistarmos o prmio.

    COM APALAVRA

    A EMPRESANOME DA EMPRESA: LAB VITA Laboratrio Clnico Ltda.NOME FANTASIA: LabVitaENDEREO: R. Bousset Wanderley, 361, Centro Patos/PB CEP: 58700-085TELEFONE: (83) 3421-1288 | (83) 3421-2824SITE: www.labvita.com.brE-MAIL: [email protected]: facebook.com/labvita.patosPORTE: MicroempresaDATA DE FUNDAO: 12/07/2006NMERO DE EMPREGADOS DIRETOS: 31NMERO DE EMPREGADOS INDIRETOS: 03DIRETORA: Dra. Rita de Kssya Arajo Freitas Melo

    13

    40%

    Atualmente, o LabVita est presente em

    A empresa teve um crescimento de

    cidades do serto paraibano

    no ltimo ano

  • DESTAQUE DE RESPONSABILIDADE

    SOCIAL

    OUROCAR AUTOCENTEROurolndia, Bahia

    42

    RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL COMO PRIORIDADE

    TO IMPORTANTE quanto cui-dar de seu empreendimento cuidar do meio ambiente. E ao fazer isso, os ganhos so enormes, para a prpria empresa e para o mundo todo tam-bm. assim que tem sido na Ourocar Autocenter, de Ourolndia, no serto da Bahia. Lder no mercado de produ-tos automotivos, a empresa tem uma grande preocupao com o ambiente, o que garantiu o Prmio MPE Brasil na categoria Destaque em Responsabili-dade Social.

    A histria da Ourocar comeou em 2010, em um perodo em que o inte-rior baiano carecia de opes no setor automotivo. Com o nmero de ve-culos em circulao em crescimento, tambm aumentava a demanda por servios de manuteno, troca de leo, pneus, acessrios etc. A Ourocar sur-giu para preencher essa lacuna.

    A empresa faz parte do Grupo JL, que rene ainda um magazine, uma loja de moda e calados e uma revenda de mo-tos. Tambm composto por uma loja de mveis e eletrodomsticos, cujo nome Rede Quero Bahia. A Ourocar coman-dada por Joo Jacson Freire Soares e seu irmo, Osvaldo de Azevedo Soares, que fundaram o autocentro contando com o apoio financeiro de seus pais, Osvaldo e Tide, ambos do JL. O estabelecimento atua na venda de peas automotivas e acessrios e presta servios de alinha-mento, balanceamento e mecnica, entre outros. Tambm oferece opes para o setor agropecurio, com produtos volta-dos para a irrigao, e ferramentas para minerao setores fortes na regio.

    Com dois anos de atividade, a Ou-rocar buscou aperfeioar suas prticas de gesto dos negcios. Por isso, sua equipe participou do curso D-OLHO 2012, oferecido pelo Sebrae e pela Cmara de Dirigentes Lojistas de Jaco-bina, cidade prxima a Ourolndia. A Joo Jacson Freire Soares fundou a Ourocar em 2010

  • 43

    partir de ento, a atuao se deu em duas frentes, com foco na gesto inter-na e em aes ambientais.

    A empresa adotou aes de ges-to que geraram melhorias nos pro-cessos. A informatizao do sistema e o estabelecimento de um cdigo de tica e de um regimento interno, alm da definio de organograma e macrofluxo, foram iniciativas que colocaram a Ourocar no caminho do sucesso. Quando voc tem uma boa gesto, ter bons colaboradores e bons resultados; tudo consequn-cia, afirma Soares. E continua: O em-presrio hoje em dia tem o hbito de dizer que o erro est no outro, mas, s vezes, o erro est nele mesmo. pre-ciso reconhecer e melhorar.

    Para otimizar seus processos e qua-lificar sua gesto, a empresa tambm

    investiu em treinamento constante. Por estar em uma regio distante de grandes centros, a opo foi por cur-sos online do Senai e Sebrae. Ao todo, foram realizadas 400 horas de curso.Outra frente de ao se deu no aspec-to ambiental, que se tornou uma prio-ridade da empresa. Aps o D-OLHO, a Ourocar adotou diversas medidas para dar o destino correto a seus resduos e tambm evitar desperdcio. Os pneus inutilizados so entregues para uma em-presa, que os reaproveita na agropecu-ria; o leo queimado enviado para uma terceirizada da Petrobras; os depsitos possuem muitas janelas, para aumentar a iluminao natural e consumir menos energia; as torneiras so automticas e a gua usada para lavar o ptio reutili-zada; at mesmo o papel economizado, sendo reaproveitado como rascunho.

    Com eventos em escolas do municpio, Ourocar decidiu levar a conscientizao ambiental para toda comunidade da regio

    A Ourocar no se limitou a agir apenas internamente na conscientizao ambiental: decidiu levar a toda a comunidade da regio a importncia disso, realizando eventos com escolas do municpio.

  • CONSCIENTIZAO PARA TODA A COMUNIDADE

    A Ourocar no se limitou a agir apenas internamente na conscientizao ambien-tal: decidiu levar a toda a comunidade da regio a importncia disso, realizando eventos com as escolas do municpio. Em 2013, 66 crianas participaram do con-curso Aprendendo a Reciclar, Reciclando. As crianas fabricaram carrinhos reuti-lizando embalagens de leo automotivo descartados pela empresa. Os trs melho-res foram premiados. O concurso ocorreu novamente em 2014, como parte de um evento maior da Semana do Meio Am-biente, que contou tambm com gincana, na qual todas as provas eram ligadas ao assunto. A banda Reciclar Som, que utili-za instrumentos como flauta e tambores feitos com material reciclado, tambm participou da iniciativa. A empresa tem reaproveitado as embalagens de leo para produzir lixeiras, que so colocadas nas escolas e cumprem tambm o papel de conscientizar quanto limpeza.

    Tais aes fizeram com que a Ouro-car, j em sua primeira participao no Prmio MPE Brasil, conquistasse o ttulo estadual e nacional como Destaque em Responsabilidade Social. Ns decidimos participar para receber a devolutiva e saber os nossos pontos fracos. Foi uma surpresa grande quando ganhamos. Ti-vemos empenho e acreditamos muito, por isso, a resposta com a premiao veio muito rpido, avalia Soares.

    O efeito foi imediato. A empresa con-quistou reconhecimento na cidade e a questo socioambiental j est sendo vista com outros olhos. Muita gente no se preocupa muito com o meio ambiente. Depois do prmio, a questo comeou a despertar o interesse de outros empre-srios na cidade. Aumentou tambm o interesse do poder pblico, diz Soares,

    DESTAQUE DE RESPONSABILIDADE

    SOCIAL

    OUROCAR AUTOCENTEROurolndia, Bahia

    que acrescenta que agora temos uma obrigao muito maior com os temas ambientais.

    Aps somente quatro anos de atua-o, a Ourocar hoje responde por 70% do mercado de peas e servios auto-motivos de Ourolndia, alm de ocupar expressiva fatia em outras cidades da regio. A empresa cresceu 35% no ano passado e, somente no ltimo semes-tre, avanou 20%. motivo de mui-ta alegria saber que uma empresa to nova esteja numa crescente to grande, afirma Soares. O empresrio projeta seguir crescendo e, no futuro, expandir o empreendimento com a abertura de novas lojas. E completa: Se no fosse o D-OLHO e o MPE, a empresa no estaria nessa forma. Nosso compromisso com o aperfeioamento resultou no prmio e no nosso crescimento.

    Equipe Ourocar comprometimento com o social

    Com dois anos de atividade, a Ourocar buscou aperfeioar suas prticas de gesto dos negcios.

    44

  • JOO JACSON FREIRE SOARESScio proprietrio da Ourocar Autocenter

    COM APALAVRA

    A EMPRESA

    Quando falo de gesto, de administrao, digo que no po-demos administrar o que no medimos. S se pode administrar uma empresa se a medimos. Sem nmeros, no podemos saber o que est bom ou ruim. E, para isso, preciso adotar prticas de gesto. Assim, verificamos o que est dando certo e que segue e o que tem dado errado para mudarmos. O diferencial hoje para uma empresa a gesto. Como disse Herclito: Voc no pode atravessar duas vezes o mesmo rio. Quando passar pelo rio na segunda vez, j no ser mais o mesmo.

    A Ourocar jamais ser a mesma depois do Prmio MPE e do D-OLHO. Graas ao Sebrae e CDL, nossa postura, a toda a nos-sa equipe, aos nossos clientes e a todos que nos apoiaram, que se dedicaram todos nos levaram at esse prmio. Sozinhos no chegaramos a lugar algum. Juntos chegamos mais longe. Algo que comeou pequeno, hoje est se reproduzindo e dando muitos frutos. Em vez de reclamar, de dizer que o pas no est dando certo, o importante fazer e acontecer. assim na empresa, as-sim nas prticas ambientais. Precisamos fazer a nossa parte.

    NOME DA EMPRESA: Azevedo Auto CenterNOME FANTASIA: Ourocar AutocenterENDEREO: Rua Av 7 de Setembro ,06 Ourolndia/BA - CEP: 44.718-000TELEFONE: (74) 3681-2119E-MAIL: [email protected]: PequenoDATA DE FUNDAO: 22/03/2010NMERO DE EMPREGADOS DIRETOS: 6NMERO DE EMPREGADOS INDIRETOS: 8SCIO PROPRIETRIO: Joo Jacson Freire Soares

    Para otimizar seus processos e qualificar sua gesto, a empresa tambm investiu em treinamento constante atravs de cursos online do Senai e Sebrae.

    35%foi o crescimento da Ourocar em 2013

    A informatizao do sistema e o estabelecimento de um cdigo de tica e de um regimento interno, alm da definio de organograma e macrofluxo, foram iniciativas que colocaram a Ourocar no caminho do sucesso.

    45

  • EDUCAO

    SYSTEM IDIOMASMacei, Alagoas

    46

    EM UM SETOR muito competitivo, dominado por grandes empresas de atuao nacional, como uma institui-o local pode destacar-se e tornar-se lder? A resposta est em inovao e gesto de qualidade. Foi assim que a System Idiomas de Macei, conquistou seu espao no mercado de idiomas e hoje a lder em Alagoas e tambm a vencedora na categoria Educao do Prmio MPE Brasil.

    A escola de idiomas foi fundada pelas irms Vanessa e Ftima Tenrio em julho de 1985. O comeo, com apenas 45 alu-nos, foi difcil. No entanto, novas prticas

    de gesto e negociao fizeram com que a System se fosse firmando e crescendo. Aps dez anos de atividades, a empresa passou a investir em planejamento estra-tgico e em qualidade. Buscamos inova-o no s na rea tcnica, mas em tecno-logia de informao e na gesto, afirma Vanessa Tenrio, diretora da System.

    Em 2002, a escola deu um salto de qualidade em termos de inovao. A em-presa desenvolveu um mtodo prprio de aprendizado da lngua inglesa, o Syste-mic. Trata-se de um mtodo que prope o ensino de ingls utilizando as diversas matrias comuns aos estudantes como

    matemtica, histria e geografia, com nfase nas crianas. O sucesso foi tanto que o mtodo passou a ser comerciali-zado para colgios regulares e escolas de lnguas de todo o Brasil. Atualmente, 44 estabelecimentos de doze estados (como So Paulo, Minas Gerais, Paran e Per-nambuco) aplicam a ideia.

    Alm do Systemic, a empresa desen-volveu tambm o Wink, em 2005. Volta-do para o pblico adulto, permite ter o domnio social do ingls em pouco tem-po. Pode ser utilizado, por exemplo, por quem deseja viajar para o exterior mas no fluente no idioma.

    INOVAO TIPO EXPORTAO

    Investindo em inovao, a System tornou-se lder do mercado de idiomas em Alagoas

  • 47

    A empresa criou um mtodo prprio para ensinar a lngua inglesa a crianas

    MTODOS DIFERENCIADOSA System tambm oferece outros

    mtodos, como o Kindergarten um Systemic feito para crianas ainda no alfabetizadas, utilizando conceitos que os pequenos esto desenvolvendo nes-sa fase. Tambm dispe do Sys4Teens, voltado para o pblico adolescente, ex-plorando o que j existe no mercado, e o Wink College, desenvolvido para o pblico universitrio.

    Para cada faixa etria, h um foco diferente, considerando a psicologia de aprendizado de cada fase, afirma Va-nessa. Esse o X da questo. Criana, adolescente, adulto, cada um tem sua maneira de aprender. Se usar o mto-do errado, a pessoa no aprende, diz. A nfase maior da empresa, no entanto, no Systemic, uma vez que o pblico in-fantil mais amplo. O pblico adulto mais efmero, avalia.

    Para colher esses resultados e esta-belecer-se como lder no mercado de idiomas em Alagoas, a System aprimo-rou sua gesto, que, segundo Vanessa, no tradio em educao. Mas ela nos colocou frente. Em 2005, a em-presa participou de um programa da Fundao Dom Cabral. Segundo a di-

    Em 2002, a escola deu um salto de qualidade em termos de inovao desenvolvendo um mtodo prprio de aprendizado da lngua inglesa, o Systemic.

    A System Idiomas buscou inovao no s na rea tcnica, mas em tecnologia de informao e na gesto.

  • 48

    EDUCAO

    SYSTEM IDIOMASMacei, Alagoas

    retora, foi um divisor de guas. Fez uma grande diferena na nossa vida empresarial. Passamos a ter foco total na gesto. Inclusive estamos agora vol-tando ao programa para darmos mais um salto.

    Com as prticas de gesto aplicadas empresa, a System se consolidou defi-nitivamente e, hoje, uma das vencedo-ras do Prmio MPE Brasil. Vanessa faz uma analogia com a escola: O proces-so de aprendizagem, a formatao da empresa para o prmio, como se voc estivesse na escola. O prmio como ti-rar nota 10 na prova. Para a diretora, o

    modelo de gesto do MPE excelente para que os empresrios se organizem e utilizem como referncia: Mesmo que no ganhe o prmio, quem passa pelo processo tem resultado.

    Com forte presena em Alagoas, mesmo com a concorrncia das fran-quias de grandes escolas, a System se-gue na liderana. Atualmente, dois mil alunos estudam nas duas unidades da empresa em Macei. A perspectiva de seguir crescendo. Apesar da crise aparente, estamos com excelentes re-sultados. Nosso trabalho para avan-ar nos prximos anos, com outro salto

    de crescimento, afirma Vanessa. Abrir novas unidades no est nos planos; a ideia expandir o mtodo, difundindo-o entre cada vez mais escolas. Nosso plano de expanso baseado no mto-do. Sempre tivemos claro que a manei-ra mais rentvel de crescermos com a venda do mtodo para outros estabele-cimentos de ensino. E o que est sur-tindo resultado. J so oito mil alunos estudando sob nossas diretrizes, diz. E a diretora da System indica que busca-r mais um Prmio MPE Brasil. Agora vamos trabalhar para entrar como em-presa mdia, conclui.

    Prticas de gesto consolidaram a empresa no mercado. Atualmente, a System atende a dois mil alunos

  • 49

    VANESSA TENRIODiretora

    COM APALAVRA

    A EMPRESA

    Para nossa empresa, a maior importncia do prmio foi colocar a gesto em ordem seguindo o modelo eficaz proposto pela Fundao Nacional de Qualidade e demais organizadores do MPE Brasil. Uma boa gesto condio fundamental para a perenidade da empresa. Por melhor que seja o produto ou o servio oferecido, se no houver gesto, h um srio risco de sucumbir concorrncia. Gesto sinnimo de or-ganizao interna e liderana forte para manter o foco em resultados, mantendo tambm a motivao da equipe. Na minha viso, empreen-dedores, especialmente os brasileiros, so em geral, pessoas cheias de ideias e ansiosas para criar, inovar e fazer acontecer, mas nem sempre so disciplinadas o suficiente para tal. O empreendedor normalmen-te solto e quer colocar suas ideias em prtica o mais rpido possvel, muitas vezes sem planejar adequadamente. Um bom planejamento mais um pilar fundamental da boa gesto e no pode ser negligenciado.

    Para resumir minha viso do MPE Brasil, e fazendo uma analogia com a sala de aula, a preparao para o prmio equivale aos deveres de casa, que fazemos para consolidar o que aprendemos. Se os fizermos direito, a probabilidade de nos sairmos bem na prova alta. Ganhar o prmio como tirar 10 na prova final e receber o diploma com louvor!

    NOME DA EMPRESA:System 2000 Centro de Idiomas Ltda.NOME FANTASIA: System IdiomasENDEREO: Rua Deputado Jos Lages, 478, Ponta Verde Macei/AL - CEP: 57035-330TELEFONE: (82) 3214-3060SITE: systemidiomas.com.brE-MAIL: [email protected]: PequenaDATA DE FUNDAO: 15/07/1985NMERO DE EMPREGADOS DIRETOS: 49DIRETORAS: Vanessa Tenrio e Ftima Tenrio

    H um foco diferente de ensino para cada faixa etria, considerando a psicologia de aprendizado.

    A participao em um programa da Fundao Dom Cabral considerado um divisor de guas para a empresa, que passou a ter foco total na gesto

    2 alunos estudam nas duas unidades da empresa em Macei

    MIL

  • Equipe da Vision comemora o Prmio MPE Brasil. Engajamento dos colaboradores foi fundamental para as conquistas da empresa

    50

    VISION SYSTEMChapec, Santa CatarinaSERVIOS DE

    TECNOLOGIA DA INFORMAO

    EXCELNCIA EM GESTO PARA A EMPRESA E PARA O CLIENTE

    VENDER FERRAMENTAS de gesto para outras empresas e tambm adotar prticas de gesto que faam o prprio empreendimento crescer e se destacar no mercado. Essas so as marcas da Vision System, de Chapec, Santa Ca-tarina, que completa doze anos aliando essas duas atitudes a muito trabalho. Caractersticas que levaram a empresa a ser a vencedora da categoria Servios de Tecnologia da Informao no Prmio MPE Brasil.

    A histria da Vision comea em 2002, j comercializando softwares de

    gesto empresarial. Inicialmente, eram atendidas pequenas empresas, clnicas e consultrios mdicos, com os produ-tos Vision System Controller e Vision System Doctor. Dois anos depois, os rumos comearam a mudar e caminhar para um crescimento considervel. Em 2004, portanto, a Vision fechou contra-to com uma grande rede de autocen-tros, o que motivou o lanamento de uma nova verso de seu programa.

    Por essa poca tambm ocorreram mudanas administrativas: as princi-pais atividades comearam a sair das

    mos dos scios-fundadores, com o aumento do quadro de colaboradores e criao de novos departamentos. Pre-cisvamos fazer com que a empresa fosse cada vez mais organizada e agres-siva no mercado. Para isso, era neces-srio profissionalizar, investir em mais qualificao, em todas as reas. Foi isso que aconteceu, conta Francis Marcel Post, diretor da Vision System.

    Para isso, a empresa investiu forte-mente em sua prpria gesto, profissio-nalizando totalmente suas atividades. Comeou a controlar melhor todos os

  • O diretor, Francis Marcel Post: O prmio demonstra que estamos no caminho certo

    51

    seus aspectos, criando planejamento es-tratgico, apontando metas e indicado-res, dividindo tarefas e desenvolvendo uma hierarquia interna. Esses foram fa-tores decisivos para a consolidao um alicerce forte, que nos possibilitou um crescimento constante, diz Post. Alm disso, foi implantado um cdigo de tica, estabelecendo diretrizes a todos os en-volvidos com a empresa, deixando claro o que se espera de cada um.

    CRESCENDO COM PARCERIAS

    Com tantas aes de gesto e ne-gcios, a Vision acabou expandindo-se para diversas reas e adquirindo ou-tras empresas, formando um grupo. A primeira organizao a ser incorpora-da foi a ONSIS Sistemas, em 2007, que agregou ao portflio um software que atende a pequenos e microempreendi-mentos. Em 2010, foi adicionada a Be-anWeb, que desenvolve softwares de gerenciamento de gesto da produtivi-dade em ambientes computacionais e Internet. Por fim, em 2012, a empresa VEJA e seu software de gesto imobili-ria foram adquiridos.

    A Vision possui ainda participao societria em outras empresas par-ceiras, como a Infoger Sistemas, no segmento de gesto para pequenas mecnicas e autocentros. A poltica de reinvestimento mantm a empresa com olhos no futuro, acompanhando e atendendo principalmente s expec-tativas de nossos clientes, com foco na inovao, destaca Post.

    Esse crescimento resultou em diver-sos reconhecimentos. Em 2008, a Vision foi finalista do Prmio Talentos Empre-endedores no segmento de TI. Em 2009, conquistou a etapa estadual do MPE Brasil em Santa Catarina, no qual vol-tou a destacar-se em outros dois ciclos. J em 2014 a empresa chegou ao pice dessa premiao, conquistando o pr-mio da etapa nacional na categoria de Servios de Tecnologia da Informao, pertencente ao ciclo 2013. A premia-o demonstra que estamos no caminho certo. Reconhece o esforo realizado

    A empresa investiu fortemente em sua prpria gesto, criando planejamento estratgico, apontando metas e indicadores e dividindo tarefas.

  • 52

    SERVIOS DE TECNOLOGIA DA

    INFORMAO

    VISION SYSTEMChapec, Santa Catarina

    permanentemente, afirma Post, que as-sinala que j em 2008 o MPE foi impor-tante para a consolidao dos processos internos de gesto: Isso nos deu uma viso melhor de organizao, pois vali-damos algumas prticas internas e, de certa forma, percebemos que estvamos no rumo certo.

    BEM-ESTAR E RESPONSABILIDADE

    Chegar to longe no seria poss-vel se no houvesse o engajamento de seus colaboradores, envolvidos por um ambiente produtivo e com bem-es-tar. por isso que a Vision investe de maneira forte em responsabilidade so-cial, com prticas voltadas motivao e sade fsica e mental de seus funcio-nrios, alm de aes para a sociedade e a comunidade.

    A empresa possui diversos progra-mas internos nesse sentido: o Colabora-dor Destaque, que premia o destaque de cada ms a partir de avaliao interna; Boas Vindas, que busca facilitar a inte-grao do novo funcionrio; Boa Ideia, para incentivar a todos da empresa a ge-rarem ideias para melhorar o ambiente de trabalho, produtos, servios e proce-dimentos; Bem Viver, para melhorar a qualidade de vida dos colaboradores; TI Verde, b