Revista Painel Político - 4ª Edição

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Como reportagem principal, um material completo sobre a Operação Termópilas, que desarticulou um pesado esquema envolvendo parlamentares e secretários do governo Confúcio Moura.

Text of Revista Painel Político - 4ª Edição

  • PAINEL POLTICO 105 Novembro 2011

    TURISMO

    ANO I - N 4 - 05 Novembro de 2011 - Porto Velho - Rondnia Valor: R$ 6,50

    De Porto Velho a Cuzco, uma viagem do Peru!

    Dom Moacyr Grechi Arcebispo da Arquidiocese de Porto Velho

    enTReVISTa

    CHER

    Y

    CONQ

    UIST

    A PO

    RTO

    VELH

    O

    TeRMPILaS

  • PAINEL POLTICO2 05 Novembro 2011

  • PAINEL POLTICO 305 Novembro 2011

  • PAINEL POLTICO4 05 Novembro 2011

    SUMRIO

    PAINEL POLTICO4 05 Novembro 2011

    editorialEstamos de volta!Pg.03

    artigo Herbert LinsPg.40

    Coluna Alan Alex Pg.41

    estamos de OlhoPg.42

    CulturaUma sinopse sobre o livro Mulheres Pg.44

    OpinioPg.45

    Coluna Viver Bem Pg.46

    HIDROPOnIa Porto Verde atinge marca recorde de produo

    34eCOnOMIa

    18CaPaTeRMPILaSPF prende deputado, assessores do governo e empresrios

    12TURISMOVIaGeMDe Porto Velho a Cuzco, uma viagem do Peru!

    enTReVISTa

    DOM MOaCyR GReCHI Confira a entrevista com o Arcebispo de Porto Velho

    6

    24eSPeCIaL 31 OBRaS 38PORTO VeLHO

  • PAINEL POLTICO 505 Novembro 2011

    Estamos de volta!

    Alan Alex - Editor

    eDITORIaL

    Foi um ano turbulento com muitas promessas, dificuldades, coisas boas e ruins acontecendo s vezes ao mesmo tempo, mas estamos conseguindo organi-zar e voltar com a Revista Painel Poltico, uma publicao que vem sendo cobrada desde que editamos a terceira edio, ainda em maro, quando noticiamos as trgicas mortes de Manelo, Paulo Quei-roz (colaborador da revista) e Eduardo Valverde.Desde ento por problemas alheios a nossa vontade, a revista teve que dar uma pausa, mas agora estamos de volta e com flego para entrar 2012 com o p direito. O ano de 2011 vai ficar marcado na vida da maioria dos rondonienses, alm das perdas de grandes personalidades, tambm tivemos recentemente a Operao Termpilas da Polcia Federal com participao do Ministrio Pblico do Estado que desmontou uma suposta quadrilha que seria responsvel por atuar em duas frentes, a primeira de conseguir, atravs de lobistas, obter con-tratos e conseguir reajustes de valores entre empresas que prestam servios ao governo do Estado. Parte do dinheiro obtido por esses contratos era repassa-do ao ento presidente da Assembleia Legislativa, Valter Arajo que mantinha uma base de sustentao na Casa de Leis, mantendo com quantias diversas uma espcie de mesada a sete parlamentares. A reportagem completa sobre o caso voc acompanha nesta edio.Tambm trouxemos a nossos leitores um panorama sobre a segurana pblica em Rondnia. O ano de 2011 tambm vai entrar para a histria como o que mais

    teve crises na segurana. No incio do ano foram duas greves da Polcia Militar, sendo que a segunda paralisao quase termina em confronto armado. Situaes esdrxulas envolvendo policiais tambm foram registradas, como o flagrante da compra de cervejas em uma viatura, incidentes envolvendo delegado de po-lcia, troca de tiros entre policiais civis e militares e insatisfao generalizada dentro da Polcia Civil. Voc vai saber quais as perspectivas desse importante setor para 2012.Esta edio tambm apresenta mat-

    rias sobre empresas que deram certo em Rondnia e uma entrevista exclusiva com o arcebispo de Porto Velho Dom Moacir Grechi, figura que sempre combateu a corrupo em nossa regio.Tambm j podemos adiantar uma novidade. A partir de 2012 voc poder acompanhar em nosso site www.painel-politico.com os vdeos das entrevistas apresentadas na revista, alm de udios e fotos inditas das reportagens produ-zidas. O contedo multimdia de nossas edies estar totalmente disponvel, assim como edies anteriores em for-mato digital.PAINEL POLTICO volta com fora to-tal e dessa vez para ficar. Agradecemos o apoio dado a todos que ao longo desse ano ajudaram ao retorno desse projeto.

    PAINEL POLTICO volta com fora total e dessa vez para ficar

  • PAINEL POLTICO6 05 Novembro 2011

    enTReVISTa

    DOm mOACYR GRECHIEu fui eleito muito novo, hoje j no se faz mais isso, eu tinha apenas 36 anos

    PAINEL POLTICO6 05 Novembro 2011

  • PAINEL POLTICO 705 Novembro 2011

    D om Moacyr Grechi Arcebispo da Arquidiocese de Porto Velho, 75 anos, natural da cidade de Turvo em Santa Catarina, frade religioso perten-cente Ordem dos Servos de Maria, datada do ano de 1.200, tendo sido eleito bispo de Rio Branco no Acre a partir de 1972, sucedendo o em ento arcebispo Giocondo Grotti, falecido em um desastre areo, por 27 anos, at a sua transfe-rncia para Rondnia em 1998. Est h 11 anos a frente da Arquidiocese con-cedeu entrevista a PAINEL POLTICO, onde aborda a sua histria e os principais problemas sociais encontrados na Rondnia que hoje vivemos.Por Danny Bueno

    PAINEL POLTICO - O se-nhor conhecido com um grande defensor de causas sociais. Como foi seu envol-vimento com essa temtica?

    Dom Moacyr - Sempre fui ligado s questes de amparo e incentivo as comunidades, quando fui enviado ao Acre assumi o cargo de chefe pro-vincial da Ordem dos Servos de Maria no Brasil, e como tal, temos esse compromisso de viver em comunidade, conse-qentemente a obrigao de me envolver com os membros da igreja e da sociedade para alar as construes das igre-jas desta regio norte do pas, entregue a Ordem dos Servos de Maria por determinao de Roma.

    PAINEL POLTICO Com quantos anos o senhor as-sumiu a cadeira de bispo da Igreja Catlica, considerada uma posio importante diante da expressividade e liderana que a funo exige?

    Dom Moacyr Eu fui eleito muito novo, hoje j no se faz mais isso, eu tinha apenas 36 anos, houve um processo de

    escolha, o que muito compli-cado, foi muito doloroso pela maneira trgica como foi o fa-lecimento antecessor, a regio era extremamente conturbada e precisei absolver todas as cri-ses que o meu clero vivia, entre elas, a da grilagem de terras. Tinha a migrao desordenada para a Amaznia, onde desma-tar era beneficiar, o movimento dos seringueiros com Chico Mendes, o crime organizado a servio dos fazendeiros, onde servimos de abrigo na Casa Pa-roquial por seis meses ao lder seringueiro, pois era constan-temente ameaado de morte, e acabamos ficando muito chegados, pois apesar de no ser um membro fervoroso, mas, fazia parte da nossa igreja.

    PAINEL POLTICO Ou-tro captulo histrico que trouxe o lado violento e poltico daquele Estado foi priso do ex-deputado e ex--coronel da PM Hildebran-do Pascoal, como era esse perodo?

    Dom Moacyr Infeliz-mente, naquela poca quem mandava no Acre era o terror, e eu tive que passar por aquele momento de terror com aquele

    povo. A fama daquele homem realmente era de serrador de gente, mas quando tudo isso terminou, graas a Deus, nos sentimos aliviados pela ma-neira como foi conduzido pela justia quela condenao. Aps essas passagens, tanto o governador do Acre como o presidente do Tribunal de Justia, que tinham trabalha-do comigo quando jovens, me lisonjearam com a seguinte de-clarao: Bom, Dom Moacyr... agora quem manda no Acre o senhor, quando o senhor quiser alguma coisa nos chame que ns vamos obedecer.

    PAINEL POLTICO Ao final de 1998 o senhor foi transferido para Porto Ve-lho, como foi essa nossa misso aps 27 anos de convivncia com o povo do Acre?

    Dom Moacyr Eu sincera-mente achava que terminaria meu sacerdcio por l, assim como os que me precederam passaram por l, e aqui che-gando fomos acolhidos com toda ternura e carinho que a marca registrada de toda a populao que foi trazida pelas circunstncias mais ad-

    PAINEL POLTICO 705 Novembro 2011

  • PAINEL POLTICO8 05 Novembro 2011

    versas para essa regio do pas, aos quais procuro retribuir com cada clula do meu ser a cada novo dia que Deus me d.

    PAINEL POLTICO - Nos dias atuais Rondnia vive uma exploso de crescimen-to, e esse crescimento acar-retaro futuros problemas sociais, que refletiro em todas as camadas da socie-dade, como o senhor v esse quadro que se forma e quais as suas perspectivas para esse futuro?

    Dom Moacyr J se vo quase 13 anos desde a minha chegada Rondnia, e j nos primeiros anos procurei me ater aos fatos e relatrios histricos desta terra, tendo j participado de grande parte desta histria. O que posso dizer desse cres-cimento repentino que mais uma vez Rondnia palco de um progresso desgovernado e as conseqncias desta ressacas que viro sempre recaem sobre os mais pobres. No houve um preparo para esse crescimento, hospitais que deveriam ter sido construdos no foram, assim como escolas, creches e mora-dias, fazendo com que os novos habitantes promovam mais uma ocupao desfigurada, reafir-mando a imagem de Amaznia Colnia do Brasil. Eles querema energia produzida aqui levar sem compensao alguma e todo mundo concorda, ficam s os rios contaminados, buracos da cassiterita, florestas devas-tadas para a criao de gado de forma ambgua e insustentvel que s favorece a alguns e decre-ta a destruio do Estado. Fica-mos sem esperana de reverso,

    a no ser que ns abramos o olhos e reconheamos que no podemos cavar a nossa prpria sepultura.

    PAINEL POLTICO O se-nhor tem uma maneira es-pecial de olhar os problemas estaduais com os reflexos que estes provocaro sobre a Amaznia, existe alguma forma de controlar essas ameaas ambientais ou po-demos dizer que j no h mais esperanas?

    Dom Moacyr No pode-mos jamais perder as esperan-as, e no deixar de insistir. A Amaznia tem que ter o seu lugar no Brasil e no mundo, por que ela especial, portanto, tem que ser tratada de forma espe-cial. Se ela diferente das outras partes do mundo, ento que ela tenha compensaes diferentes, justamente para resolver pro-blemas como estes de migrao excessiva, a Amaznia sempre relegada a desigualdade. Imagi-nem quanto ouro, madeira e dia-mantes foram extrados daqui ilegalmente, e em alguns casos protegidos por autoridades, que muitas vezes so os prprios donos das serrarias, usinas e