Saco Comunitrio

  • View
    218

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Projeto Vive as tuas Escolhas

Text of Saco Comunitrio

  • 1

    RECURSO

    Saco Comunitrio

    Junho de 2012

  • 2

    ndice:

    1. Introduo.......3

    2. Enquadramento.5

    Prticas parentais, Psicologia Positiva...6

    Interveno comunitria, Treino de aprendizagem social...7

    A Educao Parental.8

    3. Narrativa da Prtica.11

    Critrios de validao para o produto...11

    rea de interveno, Caracterizao tcnica,Tipologia,

    Utilizadores, Destinatrios, Objectivos do recurso, Problemas a

    responder, Objectivos, Utilidade, Resumo, Contedos .12

    Inovao, validao, Autonomia e responsabilizao,

    Metodologia, Contexto, Requisitos, Acessibilidade, Divulgao..13

    Plano de trabalho. 14

    Plano de Terreno (Passo a passo)....15

    4. Instrumentos e ferramentas

    Ficha de inscrio de utentes....17

    Regulamento....18

    Ficha de avaliao do utente.19

    5. Avaliao de Recurso

    Avaliao da Equipa (constrangimentos e validao)...20

    Avaliao da Equipa de monitorizao do Recurso...21

    6. Consideraes Finais.....24

    7. Bibliografia....25

  • 3

    1-Introduo:

    O recurso previsto por este projecto intitula-se Saco Comunitrio, tem por

    objectivo difundir prticas de inter-ajuda, de partilha, reforo e coeso de

    grupos, bem como valores no mbito de uma filosofia de carcter comunitrio.

    Esta formulao emergiu do projecto Vive as tuas Escolhas que est

    integrado na freguesia da Trafaria, sediado no Agrupamento de Escolas da

    Trafaria, somos constitudos por uma entidade gestora, Santa Casa da

    Misericrdia de Almada e por uma promotora Agrupamento de Escolas da

    Trafaria, juntamente com alguns parceiros da comunidade, a Junta de

    Freguesia da Trafaria, o centro de Sade da Trafaria e a Comisso de

    Proteco de Crianas e Jovens de Almada.

    Todos estes elementos participam activamente quer na concepo, execuo,

    e avaliao, numa interveno preventiva e remediativa atravs de abordagens

    multidimensionais dos problemas. Promovendo a articulao e potenciao de

    recursos locais, quer na organizao e dinamizao de aces na rea da

    educao e formao, na valorizao pessoal, no reforo da relao escola,

    famlia e comunidade.

    Inserimo-nos na Freguesia da Trafaria com uma rea de 5,83 Km2,

    pertencente ao concelho de Almada com cerca de 5913 habitantes. Existem

    alguns bairros clandestinos, com uma populao estimada em cerca de 800

    indivduos, de diferentes etnias, que apresentam regra geral baixo nveis de

    rendimentos e baixa insero social, os quais so a nossa populao alvo.

    Pretende-se um reforo de competncias a diferentes nveis, para o exerccio

    de uma cidadania activa e responsvel, bem como uma participao

    comunitria direccionada para uma interiorizao de prticas saudveis.

    Com base nestes pressupostos, e tendo conhecimento de determinadas

    fragilidades na nossa comunidade, partimos para o objectivo de criar um

    reforo social, ao nvel do vesturio, procurando fomentar prticas de inter-

    ajuda, partilha, coeso de grupo, sentimentos de pertena.

    Procuramos criar um Saco comunitrio no qual pudessem estar disponveis

    peas de vesturio, acessveis para troca num grupo de famlias inscritas e

    com essa necessidade, para fazerem face a determinadas dificuldades, por

    exemplo, adquirirem vesturio adequado estao do ano, aos

    acontecimentos mundanos, prticas desportivas, entrevistas de emprego, entre

    outras.

    Bem como no planeamento e gesto das peas usadas e acondicionamento na

    prpria habitao, o que muitas vezes o factor principal pela perda de

  • 4

    interesse e motivao da higienizao das mesmas, provocando o caos e

    destruturao de toda uma panplia de tarefas e arrumos.

    Consequentemente esta dificuldade parental transparecer em outras

    dificuldades, a famlia submetida a fragilidades bsicas que interviro com um

    bom desenvolvimento e desempenho parental.

    Estas dificuldades muitas vezes tomam propores elevadas que afectam

    tambm outras reas do dia a dia, e da performance enquanto cuidador

    parental para o bom desenvolvimento de crianas de jovens.

    Este projecto apareceu paralelamente com um projecto no mbito da filosofia

    do Banco do tempo, e por um outro, conhecido por um elemento desta equipa,

    com contornos idnticos ao pretendido.

    Foi efectuada uma auscultao de algumas famlias interessadas neste

    produto, nos atendimentos a famlias efectuadas por esta equipa, e iniciou-se a

    fase de planeamento e preparao, com consequente interveno ao nvel do

    terreno.

  • 5

    2-Enquadramento:

    No princpio do sculo XXI, Portugal, tal como outros pases da Europa,

    transformou-se num espao onde convivem pessoas e comunidades de muitas

    origens e de muitas culturas. Sendo assim() premente proporcionar( ..)uma

    educao marcada pela abertura diversidade.() Muitas escolas tm

    desenvolvido projectos com este objectivo. De uma maneira geral, esses

    projectos envolvem recolha de informaes sobre hbitos e costumes dos

    vrios grupos a que pertencem os alunos, entrevistas s famlias, realizao de

    exposies, semanas gastronmicas, espectculos musicais, festas etc. Este

    tipo de abordagens, que tm forte carga afectiva, so importantes, teis e

    traduzem-se em alteraes de comportamento positivas que se reflectem no

    clima geral da escola e s vezes at do bairro (Magalhes, A.M., Alada,

    I.2003)

    Partimos do pressuposto que a criana ou jovem tambm um reflexo da

    dinmica familiar instalada, no terreno, ao depararmo-nos com algumas

    famlias, encontramos no s o factor disfuncional como o factor de inibio de

    algumas competncias. Neste caso referimo-nos especificidade de higiene e

    vesturio.

    Este factor aps algumas abordagens de proximidade s famlias tm

    diferentes factores, quer monetrios, nos quais as famlias so incapazes de

    responder s exigncias do meio, isto , no gerir peas de roupa adequadas s

    circunstncias, sejam elas devido ao tempo climatrico sejam s tarefas

    especfica (ex. prtica de desporto, balnear) sejam festivas. Por outro lado

    encontramos famlias com dificuldades no gerir acomodaes prprias para as

    mesmas, quer por falta de espao, ou objectos especficos, ex. armrios,

    gavetas, caixas, quer por desmotivao e desinteresse.

    Encontramos famlias ditas carenciadas que ao nvel do vesturio, conseguem

    ddivas descomunais, da comunidade envolvente, das quais no conseguem,

    por falta de competncias gerir, o que aproveitar, necessitam de um Guio de

    rotinas de higiene, alimentao e vesturio, saber quais as roupas essenciais

    de vesturio dos filhos de cordo com a estao do ano, refleco sobre a

    importncia dessas mesmas peas, reflexo sobre a importncia da limpeza e

    acondicionamento das mesmas.

    Necessitando de metodologias diversas, como apresentao de casos para

    reflectir, casos reais para discusso, preenchimento de fichas de rotinas, ou

    exerccios ldicos, com objectivos especficos de identificar as rotinas de

  • 6

    higiene, alimentao e vesturio, compreender a importncia da higiene e

    alimentao para o bem estar, estratgias de superviso e apoio s rotinas

    (Carita, A; Peceguina I.; Pascoal S. 2003)

    Estas dificuldades podem numa perspectiva psicolgica interferir os espelhar

    outras dificuldades parentais. Existe a necessidade de conhecer algumas

    abordagens que podero procurar explicar o desenvolvimento humano e ajudar

    a reflectir, nas rupturas e aprendizagens que so infligidas famlia por

    exemplo num acompanhamento mais prximo e dirigido ao nvel da aquisio

    de competncias.

    Prticas Parentais:

    Diversas reas cientficas tm debruado sobre este tema, procurando

    solues e interpretaes de interveno neste domnio, em virtude dos

    desafios pretrios no desempenho das funes parentais nos dias de hoje.

    Actualmente os pais tm acesso a uma vasta quantidade de informao e

    aconselhamento, que provm de profissionais, dos meios de comunicao e de

    elementos da rede social de apoio, quer sejam amigos, ou famlia. Existe

    diversificada nmero de artigos, seja na imprensa popular, ou literatura

    cientfica, sobre numerosos aspectos do comportamento e desenvolvimento da

    criana, bem como nas reas relacionadas com a sade, nutrio e educao

    infantis, citando MedWay (Ribeiro, M. 2003)

    Os contributos tericos da Psicologia, em especial nas reas de estudo dos

    estilos parentais, tm vindo a acrescentar novas formulaes tericas, muitos

    programas de Educao Parental, tm vindo a ser constitudos, integrando

    diversas abordagens que se enquadram no mbito da Psicologia Positiva, ou

    outras de acordo com os modelos tericos adjacentes.

    A Educao Parental, conceptualizada na interveno a mes e pais de

    diversos nveis socioculturais e econmicos, tem sido alvo de interesse a nvel

    mundial, procurando sempre uma resposta educativa e preventiva, ou resposta

    a uma situao de crise, na perspectiva de Fine, segundo (Ribeiro, M.2003)

    Psicologia Positiva:

    Seligman, segundo (Ribeiro, M. 2003) fala-nos de uma perspectiva positiva

    sobre a experincia subjectiva, os traos individuais e as instituies, sero

    uma via para facilitar a melhoria da qualidade de vida e a preveno patolgica.

    O objectivo ser o de catalisar a mudana de foco da Psicologia: de uma

  • 7

    perspectiva de remediao dos aspectos negativo da vida para uma

    perspectiva preventiva e promocional, centrada na construo de q