Teoria das mltiplas inteligncias

  • View
    1.701

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Teoria das mltiplas inteligncias

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUB

Carla Paiva Mattos

INTELIGNCIAS MLTIPLAS: POSSIBILIDADES PARA O MUNDO DO TRABALHO

Trabalho de Concluso de Curso submetido ao Programa de PsGraduao em Engenharia de Produo como requisito parcial obteno do ttulo de MBA

Orientadora: Profa. Rita de Cssia Magalhes Trindade Stano, Dra.

Itajub, julho de 2005

MATTOS, Carla Paiva. Um Estudo da importncia das Inteligncias Mltiplas para o desenvolvimento do Ser Humano e das Organizaes. Itajub: UNIFEI, 2005. (Trabalho de Concluso de Curso apresentado ao Programa de Ps-Graduao em Engenharia de Produo da Universidade Federal de Itajub). Palavras-Chaves: Inteligncias Mltiplas IM, Ser Humano, Organizao, Gardner.

ii

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUB

Carla Paiva Mattos

INTELIGNCIAS MLTIPLAS: POSSIBILIDADES PARA O MUNDO DO TRABALHO

Trabalho de Concluso de Curso aprovado por banca examinadora em 11 de agosto de 2005, conferido ao autor o ttulo de MBA

Banca Examinadora: Profa. Rita de Cssia Magalhes Trindade Stano, Dra. Prof. Giovanni Horcio Guimares, Dr. Prof. Carlos Eduardo Sanches da Silva, Dr.

Itajub, julho de 2005iii

Dedicatria Dedico o presente trabalho minha famlia e ao Cludio, que me deram toda fora no decorrer do curso, sempre me mostrando que eu era capaz de vencer.

iv

Agradecimento Agradeo minha Orientadora pela motivao que me deu desde a escolha do tema e pela dedicao at o ltimo minuto de estudo. Agradeo tambm a Deus que sempre est ao nosso lado nos protegendo e nos mostrando qual o melhor caminho.

v

SUMRIODedicatria Agradecimento Sumrio Resumo Abstract 1. INTRODUO 1.1 Objetivo 1.2 Justificativa 2. O QUE A INTELIGNCIA 2.1 Auto Conhecimento e Relaes Interpessoais 2.2 O que Inteligncia Emocional 2.3 Educao Emocional 2.4 Importncia das Emoes 3. HOWARD GARDNER 3.1 A Teoria das Inteligncias Mltiplas 3.2 Projeto Zero 3.3 A Teoria das Inteligncias Mltiplas e suas Implicaes 4. INTELIGNCIAS MLTIPLAS 4.1 Como esta Teoria difere das definies tradicionais de Inteligncia 4.2 Como se desenvolveu a Teoria das Inteligncias Mltiplas desde 1983 5. INTELIGNCIAS MLTIPLAS E NEUROPSICOLOGIA 6. O QUE DIZEM OS CRTICOS DA TEORIA DAS INTELIGNCIAS MLTIPLAS 7. AS NOVAS INTELIGNCIAS 8. PEDAGOGIA E ANDRAGOGIA 9. INTELIGNCIAS MLTIPLAS NAS ORGANIZAES 10. INTELIGNCIAS MLTIPLAS E INOVAO 11. CONCLUSO REFERENCIAS BIBLIOGRFICAS BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR iv v vi vii vii 1 1 1 2 3 4 5 6 7 7 11 11 14 18 20 22 24 26 27 28 32 33 34 36

vi

RESUMOA Teoria das Inteligncias Mltiplas (I. M.) vem expandindo a forma de avaliar e desenvolver o potencial de cada pessoa. , sem sombra de dvida, uma das melhores maneiras de desenvolver o ser humano, alm de tambm ser de grande interesse para as organizaes nessa poca de mudanas cada vez mais rpidas. Por esse motivo, o estudo do tema, pode realmente mostrar como importante estudar as inteligncias existentes, a fim de desenvolver a vida de cada pessoa e a vida da organizao a que pertence. De fato, apesar de inicialmente o interesse pelas I.M. ter sido despertado principalmente no nvel de ensino de crianas e jovens, sua importncia para o ciclo de aprendizado permanente exigido pelas carreiras de hoje est sendo cada vez mais apreciado. O uso de tcnicas ligadas s I. M. vem crescendo cada dia e sendo aplicada cada vez mais dentro das organizaes, particularmente pelas Universidades Corporativas, o que assegurar a seqncia de solues criativas que garantiro a perenizao das organizaes. A realizao pessoal do indivduo, atravs do estudo das inteligncias de cada um, poder trazer benefcios para todos. Pessoas se conhecendo melhor e trabalhando mais motivadas, gerando organizaes mais produtivas.

Palavras-chave: Inteligncias Mltiplas - I. M., Ser Humano, Organizao, Gardner.

ABSTRACTThe Multiple Intelligences Theory (MI) is enlarging the way we evaluate and develop each persons potential. It is, without doubt, one of the best ways to develop the human being, besides being also of great interest to all organizations in these times of ever-faster changes. Therefore, the study of this subject will show effectively how important is to study all kinds of existing intelligences so that we can develop each persons life and also the life of his organization. Actually, besides having been in the beginning of interest mainly at the level of education for children and the youth, its pertinence to the lifelong learning is over more appreciated. The use of MI techniques grows permanently inside organizations, mainly in the Corporate Universities, allowing the creative solution sequence that will warrant the continuity of organizations. The personal realization of individuals through the study of the particular intelligence of each one will be beneficial for all. People will know themselves better, work better and generate more productive organizations.

Keywords: Multiple Intelligences, MI, Human Being, Organization, Gardner. vii

Captulo 1 - IntroduoAs inteligncias dormem. Inteis so todas as tentativas de acord-las por meio da fora e das ameaas. As inteligncias s entendem os argumentos do desejo: elas so ferramentas e brinquedos do desejo. (Rubens Alves, em Cenas da Vida).

Inteligncia! Algo aparentemente fcil de definir. A princpio poderamos dizer que sim. Pessoas que tem facilidade de aprender: pessoas inteligentes. Porm, como veremos neste estudo, qualquer pessoa pode desenvolver inteligncias. Crianas, por exemplo, consideradas com baixo rendimento escolar, podem desenvolver atividades que antes pareciam ser impossveis para elas. Veremos a importncia do estudo das inteligncias para o bom desenvolvimento do ser humano e conseqentemente de sua vida profissional.

1.1 Objetivo:Mostrar a importncia do estudo e desenvolvimento das Inteligncias Mltiplas, analisando as contribuies que elas podem oferecer na vida pessoal e na qualidade das Relaes do Trabalho.

1.2 Justificativa:O grande diferencial para o sucesso em qualquer rea sempre esteve nas pessoas. Atravs do desenvolvimento do ser humano, pode-se conseguir resultados surpreendentes. Sabemos que cada indivduo se identifica e se sobrepe em uma ou algumas reas em especial. Da a importncia de estudar e mostrar s pessoas em que espao ela pode dar mais de si e se desenvolver, a fim de atingir seus objetivos e se sobressair bem em sua organizao e para sua carreira profissional. Atravs de testes e aprofundamento no estudo da inteligncia de cada um, podemos melhorar e acordar inteligncias adormecidas, buscando o mximo do potencial das pessoas.

1

Captulo 2 - O que a IntelignciaInteligncia a capacidade de aprender, compreender e at mesmo adaptar-se facilmente a uma situao ou a algo novo. Buscando uma definio clara e aprofundada dessa Faculdade, acompanhamos o texto de Ednio Valle (1997): Como seres inteligentes, no poderamos deixar de nos perguntar sobre a natureza dessa capacidade aparentemente exclusiva de entender, raciocinar, ordenar e inventar. Capacidade que implica no s a compreenso das coisas e do mundo, mas de ns prprios. Na antigidade, os gregos, os egpcios, os hebreus, os hindus e tambm os povos chamados primitivos tinham alguma interpretao da inteligncia humana. O senso comum define a inteligncia como a capacidade para aprender, resolver problemas, entender situaes inditas, inventar e fazer relaes em nvel sempre mais abstrato. No incio do sculo XX, sob o impacto da recm-inaugurada cincia psicolgica, tais interpretaes perderam o tom mtico-religioso ou filosfico. Passaram a ser uma investigao analtica e emprica do comportamento e da capacidade inteligente em seu desdobramento e globalidade. Os ingleses e norte-americanos realizaram um ingente esforo. Desenvolveram maneiras criativas de avaliar as capacidades mentais de crianas a adultos atravs de testes padronizados, de dificuldade gradativa, com quesitos aptos a explorar as diversas facetas do pensamento humano. Voltava-se para problemas de aritmtica, raciocnio verbal, conhecimentos gerais, relaes espaciais, provas de vocabulrio, etc. Tais quesitos, aplicados a milhares e milhares de crianas, em condies controladas, receberam cuidadoso tratamento estatstico, do qual emergiram facetas convergentes, mas distintas, da atividade inteligente. Devido ao procedimento estatstico utilizado, estas facetas passaram a ser designados como fatores. A inteligncia humana seria, nesta viso, composta de vrios fatores que interagem. Alguns testes captam melhor os amplos, como o fator geral, mais ligado ao raciocnio lgicoabstrato e importante para qualquer tipo de soluo de problemas. Outros testes so mais especficos. Medem aspectos parciais, como o verbal, importante na comunicao e expresso verbal, ou o fator espacial, importante na percepo das relaes espaciais entre objetos e conjuntos. Segundo estudos feitos por Howard Gardner (1994) sobre inteligncia e cognio ficou claro a existncia de alguns pontos fortes ou competncias intelectuais diferentes, cada um dos quais pode ter sua prpria histria desenvolvimental. A reviso de uma pesquisa recente em 2

neurobiologia novamente sugeriu a presena de reas no crebro, que correspondem, pelo menos aproximadamente, a determinadas formas de cognio. E estes mesmos estudos implicam numa organizao neural que prova ser hospitaleira noo de diferentes modos de processo de informao. Pelo menos nos campos da psicologia e da neurobiologia, o Esprito do Tempo parece estar aparelhado para a identificao das diversas competncias intelectuais humanas. Mas a cincia jamais pode proceder de forma completa indutiva. Poderamos realizar os testes e experincias psicolgicas concebveis ou esquadrinhar toda instalao e neuroanatmica que desejssemos e ainda assim no teramos identificado as procuradas inteligncias humanas. Aqui, nos confrontamos com uma pergunta no sobre a exatido do conhecimento, mas, antes, sobre como o conhecimento obti