Termo de Referência para o Projeto Básico Ambiental da UHE ... - Rio Parnaiba... · ser escrito em

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Termo de Referência para o Projeto Básico Ambiental da UHE ... - Rio Parnaiba... · ser escrito...

Termo de Referncia para o

Projeto Bsico Ambiental da

UHE Estreito

INTRODUO

Este documento apresenta o Termo de Referncia para o desenvolvimento dos estudos mnimos necessrios para elaborao do Projeto Bsico Ambiental PBA da UHE Estreito, em complementao proposta apresentada no EIA. Ser apresentada a Introduo, Justificativa, Objetivos e Legislao aplicvel ao estudo, bem como, as Atividades a serem desenvolvidas (Estrutura metodolgica, Caracterizao, Avaliao ambiental distribuda, Avaliao integrada e a Avaliao ambiental integrada com a bacia), onde devero ser estabelecidos os Produtos e Padres como resultado.

O PBA dever detalhar, tambm, os demais programas propostos no EIA, sem prejuzo de outros programas que se fizerem necessrios a partir da identificao de impactos no previstos no EIA/RIMA.

JUSTIFICATIVA

Segundo a Resoluo CONAMA n 006, de 16/09/87, a aprovao do PBA requisito bsico para a concesso da Licena de Instalao.

Fundamentado nos princpios abaixo, e devendo contar com profissionais capacitados para a sua implementao, o PBA deve buscar a implantao de aes que se antecipem aos impactos previstos.

Princpios que devem fundamentar o PBA:

abordagens integradoras acerca dos impactos ambientais - na bacia - considerando os demais usos;

desenvolvimento de procedimentos que garantam a efetiva participao pblica;

desenvolvimento de conhecimento para a melhor gesto integrada dos recursos hdricos e ambientais.

OBJETIVO

O PBA dever apresentar um detalhamento de todos os programas e projetos ambientais previstos na etapa de Licena Prvia, ou seja, aqueles provenientes do EIA/RIMA, bem como, os considerados pertinentes pelo rgo licenciador e constantes no corpo da Licena Prvia.

Todos os projetos devero ser detalhados, utilizando os recursos grficos necessrios perfeita compreenso de suas aes, objetivos e resultados e, quando pertinente, apresentados em plantas com escala apropriada, obedecendo s normas da ABNT.

Dever, ainda, ser realizado utilizando-se mtodos e tcnicas reconhecidas e que permitam identificar todos os possveis cenrios, bem como, avaliar as conseqncias dos mesmos para o meio ambiente e a scio-economia.

LEGISLAO APLICVEL

Na elaborao do PBA devero ser considerados todos os dispositivos legais em vigor (federal, estadual e municipal), referentes utilizao, proteo e conservao dos recursos ambientais, ao uso e ocupao do solo, patrimnio histrico, cultural e artstico, recursos hdricos e energia, entre outros.

FORMA DE APRESENTAO DOS PROGRAMAS AMBIENTAIS

Objetivos; Justificativas; Metodologias a serem utilizadas; Metas; Estratgia de execuo; Cronograma fsico-financeiro; Responsabilidade de execuo; Recursos requeridos (humanos, materiais); Resultados esperados; Produtos; Anexos; Referncias bibliogrficas.

O PBA dever ser elaborado e subscrito por profissionais devidamente registrados no Cadastro Tcnico Federal, possuir competncia especfica e Anotao de Responsabilidade Tcnica no respectivo Conselho de Classe. Pelo menos um volume dever ter suas pginas (folhas) devidamente rubricadas.

Em atendimento legislao vigente, todo documento entregue em rgo pblico, dever

ser escrito em lngua portuguesa. Os textos e mapas devero ser apresentados, ao IBAMA, nas verses impressa e digitalizada, em arquivo PDF, com 10 (dez) cpias de cada verso.

Devero ser indicadas, por captulo do PBA, toda a referncia bibliogrfica, normas tcnicas e legislao vigente utilizadas como base execuo do trabalho.

PROGRAMAS AMBIENTAIS PROPOSTOS NO EIA

Os Programas de Prospeces Arqueolgicas Intensivas, Resgate Arqueolgico e Valorizao do Patrimnio Cultural devero ser submetidos apreciao do IPHAN.

Devero ser incorporadas ao PBA, em complementao s medidas propostas no EIA, as seguintes orientaes:

CONTROLE DE VETORES

Identificar possveis focos de endemias existentes na rea de inundao do reservatrio e propor aes para erradicao; Incluir aes de monitoramento de insetos com potencial vetorial na ADA e na rea de Entorno e reas susceptveis proliferao de vetores aps a formao do reservatrio; Tomar por base a anlise de laboratrio do material coletado em campo e o mapeamento da ocorrncia de vetores na regio; As parcerias propostas no EIA devero, entre outras que se fizerem necessrias, primeiramente interagir com os responsveis pelo controle de zoonoses nos municpios e Secretarias Municipais de Sade.

EDUCAO AMBIENTAL

Incorporar os princpios do Termo de Referncia para Elaborao e Implementao de Programas de Educao Ambiental no Licenciamento, elaborado pela CGEAM/IBAMA (II), e preceitos da Lei n 9.795/1999, Educao Ambiental.

O Sub-Programa de Educao Ambiental Populao Rural e Urbana dever oferecer proposta de Educao Formal e Educao No-Formal, incluindo a capacitao de professores das redes pblica e privada dos municpios da rea de Influncia do empreendimento, valorizando as inter-relaes das variveis/fatores ambientais presentes numa micro-bacia.

Entre os temas a serem trabalhados, incluir orientaes que enfoquem a irregularidade da posse e trfico de animais silvestres, especialmente filhotes, coibio caa, cuidados associados a encontros com animais afugentados, principalmente durante o enchimento do lago e desmatamento, e orientaes quanto legislao ambiental. E, ainda, as consequncias da utilizao de agrotxicos e adoo de prticas inadequadas relativas ao solo.

CONTROLE DAS CONDIES DE SADE

Para as reas dos municpios com interferncia do eixo da barragem e que recebero o canteiro de obras ou o escritrio da empresa, oferecer aes preventivas de controle de DST e apoio para adequao das instalaes que prestam assistncia ambulatorial, visando minimizar a demanda que surgir com o incio das obras, tanto com a mo-de-obra contratada, quanto com os trabalhadores atrados pelo empreendimento que no sero contratados e ficaro ociosos na regio, inclusive na fase de desmatamento.

No Sub-Programa de Atendimento Mdico Sanitrio para a Populao Residente na AID, considerar o aumento da populao flutuante no perodo de construo da usina, admitidos ou no pelo empreendimento, inclusive na fase de desmatamento, e contemplar aes efetivas de adequao dos servios e equipamentos, inclusive a capacitao de pessoal da rea de sade e contratao de profissionais mdicos que se mostrarem carentes na regio.

Incluir no Escopo do Programa um Sub-Programa especfico para Preveno de Acidentes com Animais Peonhentos e contemplar aes para reforar os servios prestados nos postos de sade e suprimentos necessrios para atender s demandas geradas nas fases de desmatamento e enchimento do reservatrio.

RELOCAO E APOIO S ATIVIDADES COMERCIAIS E DE SERVIOS AFETADAS

Na elaborao do cadastro das atividades afetadas, e seus respectivos imveis, devero ser identificadas duas categorias de atingidos: atingidos direta e atingidos indiretamente pelo empreendimento. Este programa dever direcionar suas aes para atendimento dos atingidos diretamente e os atingidos indiretamente devero ser includos no Sub-Programa de Oportunidades de Investimentos e Fomento s Atividades Locais. No escopo do programa devero ser estabelecidos critrios para identificao dessas interferncias e sua abrangncia.

Incluir no desenvolvimento das aes que definiro o processo de remanejamento das atividades comerciais e de servios o subsdio atividade por um perodo de transio a ser definido aps avaliao de cada caso e discusso com a populao alvo.

FOMENTO S ATIVIDADES PRODUTIVAS LOCAIS

Sub-Programa de Reorganizao das Atividades Minerrias

Aps a identificao, cadastramento e caracterizao das unidades de extrao, avaliar e propor, alm das modalidades sugeridas no EIA, a adequao das estruturas quando necessrio.

Apresentar atualizao da listagem de detentores de ttulos minerrios na AID do empreendimento.

Sub-Programa de Apoio Manuteno de Cermicas e Olarias

Alm das aes propostas no EIA, elaborar estudo para identificao de novas jazidas, inclusive na AII, e avaliar possveis perdas em funo das distncias e a necessidade de formao de estoques.

Sub-Programa de Fomento s Atividades Tursticas

Apresentar propostas de aes de manuteno e incremento das atividades economicamente dependentes das praias, cachoeiras, balnerios e outras atraes, para evitar interferncias na renda das famlias de barraqueiros, barqueiros e guias tursticos, permanentes ou temporrios, bem como, receitas municipais, uma vez que so atividades agregadoras de outros servios.

Sub-Programa de Oportunidades de Investimentos e Fomento s Atividades Locais

Este programa dever ser estendido para mitigao dos impactos identificados nas atividades comerciais e de servios afetadas indiretamente pelo empreendimento, em todos os municpios da AID.

APOIO PRODUO FAMILIAR DE SUBSISTNCIA

Este programa prope apoio e adequao s atividades econmicas nas propriedades atingidas que se mostrarem viveis, mas a metodologia de avaliao dever considerar a capacidade de produo, fora de trabalho familiar e potencialidades futuras.

Dever conter, ainda, proposta de assistncia tcnica e social e cronograma de execuo.

RECOMPOSIO DOS SISTEMAS DE INFRA-ESTRUTURA REGIONAL

Devero ser avaliadas as interferncias sobre a infra-estrutura de servios pblicos (educao, sade e segurana) e detalhadas as aes para sua reestruturao.

Viabilizar a manuteno das estruturas existentes para travessia do lago, prevendo a demanda futura, viabilidade econmica e todas as condies necessrias adequao dos mecanismos de segurana e sinalizao.

Incluir um Sub-Programa especfico para manter o acesso dos usurios do transporte fluvial, passageiro e comercial, de montante at o ponto de embarque