Verificação Unificada 2015.2 – Edição Especial - 2015 2... · Verificação Unificada 2015.2

  • View
    227

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Verificação Unificada 2015.2 – Edição Especial - 2015 2... · Verificação Unificada 2015.2

Verificao Unificada 2015.2 Edio Especial ENADE Informaes gerais

Voc receber do fiscal de sala o material descrito a seguir:a) Uma folha destinada s respostas das questes objetivas formuladas na prova.b) Este caderno de prova, com o enunciado das 86 (oitenta e seis) questes, sem repetio ou falha.c) Os alunos matriculados nas disciplinas Estgio Supervisionado IV e VI devero responder

apenas at a questo 80. As demais sero desconsideradas, ainda que marcadas. Os alunosmatriculados na disciplina Estgio Supervisionado VIII devero responder at a questo 86.

Ao receber a folha de respostas voc deve:a) conferir seu nome e nmero de matrcula;b) ler atentamente as instrues para a marcao das respostas das questes objetivas;c) assinar a folha de respostas, no espao reservado, com caneta esferogrfica transparente de

cor azul ou preta.

As questes so identificadas pelo nmero que se situa no enunciado.

Durante a aplicao da prova no ser permitido:a) qualquer tipo de comunicao entre os examinandos;b) levantar da cadeira sem a devida autorizao do fiscal de sala;c) portar aparelhos eletrnicos, tais como bipe, telefone celular, walkman, agenda eletrnica,

notebook, palmtop, receptor, gravador, mquina fotogrfica, controle de alarme de carro, etc.,bem como relgio de qualquer espcie, culos escuros ou qualquer acessrio de chapelaria, comochapu, bon, gorro, etc., e ainda lpis, lapiseira, borracha ou corretivo de qualquer espcie.

No ser permitida a troca da folha de respostas por erro do examinando.

O tempo disponvel para esta prova ser de 5 (cinco) horas, j includo o tempo para marcao dafolha de respostas.

Para fins de avaliao, sero levadas em considerao apenas as marcaes realizadas na folha derespostas.

Somente aps decorrida uma hora do incio da prova voc poder retirar-se da sala de prova semlevar o caderno de questes.

Somente no decorrer dos ltimos 60 (sessenta) minutos do perodo da prova voc poder retirar-se da sala levando o caderno de questes.

Quando terminar sua prova, voc dever, OBRIGATORIAMENTE, entregar a folha de respostasdevidamente preenchida e assinada ao fiscal da sala.

Quem descumprir esta regra RECEBER NOTA ZERO.

VERIFICAO UNIFICADA - CURSO DE DIREITO

01. Sobre a Teoria Tridimensional do Direitode Miguel Reale, considere as proposies aseguir:

(I) O direito s se constitui quandodeterminadas valoraes dos fatos sociaisculminam numa integrao de naturezanormativa, ou seja, as normas representam aintegrao de fatos sociais segundo mltiplosvalores.

PORQUE(II) A tridimensionalidade genrica entendeque fato, valor e norma devem serconsiderados como sendo componentesessenciais da experincia jurdica.Consequncia disso que eles estoindissoluvelmente unidos entre si, no sendopossvel apresent-los cada um abstrado dosdemais.

Marque a opo correta: a) As asseres I e II so verdadeiras, e a II

a justificativa de I.b) As asseres I e II so verdadeiras, e a I

a justificativa de II. c) A assero I verdadeira e a

assero II falsa.d) As asseres I e II so verdadeiras e

independentes entre si.

JUSTIFICATIVA Fato, valor e norma, segundo Reale, serelacionam por dialtica de implicao-polaridade, de modo que, mesmo interagindopara criar o direito, mantm-se independentesentre si.

02. Leia atentamente o artigo 36 da Lei deDiretrizes e Bases da Educao Nacional(LDB) e responda a questo abaixo.Art. 36. O currculo do ensino mdioobservar o disposto na Seo I desteCaptulo e as seguintes diretrizes:I - destacar a educao tecnolgica bsica,a compreenso do significado da cincia, dasletras e das artes; o processo histrico detransformao da sociedade e da cultura; alngua portuguesa como instrumento decomunicao, acesso ao conhecimento eexerccio da cidadania;II - adotar metodologias de ensino e deavaliao que estimulem a iniciativa dosestudantes;III - ser includa uma lngua estrangeiramoderna, como disciplina obrigatria,escolhida pela comunidade escolar, e umasegunda, em carter optativo, dentro dasdisponibilidades da instituio. 1 Os contedos, as metodologias e asformas de avaliao sero organizados de tal

forma que ao final do ensino mdio oeducando demonstre:I - domnio dos princpios cientficos etecnolgicos que presidem a produomoderna;II - conhecimento das formascontemporneas de linguagem;III - domnio dos conhecimentos de Filosofia ede Sociologia necessrios ao exerccio dacidadania.

Considerando o artigo da LDB citado acima,analise as proposies a seguir:

(I) A filosofia no tratada como diretrizpara a estruturao do currculo.

PORQUE(II) A lei no d aos conhecimentos defilosofia e sociologia tratamento disciplinar e,por isso mesmo, no as torna disciplinasobrigatrias.

Marque a opo correta: a) As asseres I e II so verdadeiras, e

a II a justificativa de I.b) As asseres I e II so verdadeiras, e a I

a justificativa de II.c) A assero II verdadeira e repele a

proposio contida na assero I, que falsa.

d) As asseres I e II so verdadeiras eindependentes entre si.

JUSTIFICATIVA As disciplinas de filosofia e sociologia nocompem a grade disciplinar em razo de noconstarem como diretriz de estruturao docurrculo, mas como critrio de aferio doaprendizado.

03. (ENADE [Adaptado]) A globalizao oestgio supremo da internacionalizao. Oprocesso de intercmbio entre pases, quemarcou o desenvolvimento do capitalismodesde o perodo mercantil dos sculos 17 e18, expande-se com a industrializao,ganha novas bases com a grande indstrianos fins do sculo 19 e, agora, adquire maisintensidade, mais amplitude e novas feies.O mundo inteiro torna-se envolvido em todotipo de troca: tcnica, comercial, financeira ecultural. A produo e a informaoglobalizadas permitem a emergncia de lucroem escala mundial, buscado pelas firmasglobais, que constituem o verdadeiro motorda atividade econmica.

SANTOS, M. O pas distorcido. So Paulo: Publifolha, 2002(adaptado).

No estgio atual do processo deglobalizao, pautado na integrao dos

Pgina | 2

VERIFICAO UNIFICADA - CURSO DE DIREITO

mercados e na competitividade em escalamundial, as crises econmicas deixaram deser problemas locais e passaram a afligirpraticamente todo o mundo. A crise recente,iniciada em 2008, um dos exemplos maissignificativos da conexo e interligao entreos pases, suas economias, polticas ecidados. Considerando esse contexto, avalieas seguintes asseres e a relao propostaentre elas.

(I) O processo de desregulao dosmercados financeiros norte-americano eeuropeu levou formao de uma bolha deemprstimos especulativos e imobilirios, aqual, ao estourar em 2008, acarretou umefeito domin de quebras nos mercados.

PORQUE(II) Os perodos de crise econmica somarcados, de um modo geral, por inflao,no mbito econmico, e elevao dos nveisde desemprego, no mbito scio-jurdico.

Marque a opo correta: a) As asseres I e II so verdadeiras, e a II

a justificativa de I.b) As asseres I e II so falsas, e a ideia

contida em II contradiz a ideia contidaem I.

c) A assero II e verdadeira e repele aproposio contida na assero I, que falsa.

d) As asseres I e II so verdadeiras eindependentes entre si.

JUSTIFICATIVA A crise econmica atual iniciou-se no ano de2008, depois de estouradas bolhas imobiliriasnos EUA e na Europa, tendo como efeito imediatoa elevao de preos e a reduo dos nveis deemprego formal.

04. A herana de Kelsen. Neste priplo pelateoria pura do direito apontei mais para asbarreiras que para as sadas. Quando Kelsenseparava direito e natureza, recordei ostrechos em que ele afirma ser necessriacerta eficcia concreta para que o direitoexista, isto , seja vlido. Quando Kelsenseparava direito de valores, recordei que suanorma fundamental no faz parte daordenao positiva, mas deve serpressuposta exatamente com base emvalores. Quando Kelsen limitava a funo dojurista verificao da mera validade formaldas normas, recordei quo ciente ele estavada Grgona do poder que se esconde portrs da ordenao jurdica.

LOSANO, M. G. In: KELSEN, H. O problema da justia.Introduo edio italiana. 4. ed. So Paulo: Martins

Fontes, 2003, p. XXXII.

Analise as proposies abaixo:

(i) Pode-se localizar, nesse debate sobre aconstituio de uma cincia do direito, aseparao entre direito e natureza, ser edever ser, direito e moral, causalidade eimputao, alm do fundamento da justiadas normas do direito na forma e no nocontedo.

PORQUE(II) Para Kelsen, a cincia do direito deveriater, por objeto de estudo, apenas ofenmeno normativo, tal como manifestadono ordenamento.

a) As asseres I e II so verdadeiras, e a II a justificativa de I.

b) As asseres I e II so falsas, e a ideiacontida em II contradiz a ideia contidaem I.

c) A assero II e verdadeira e repele aproposio contida na assero I, que falsa.

d) As asseres I e II so verdadeiras eindependentes entre si.

JUSTIFICATIVA Tal como explicitado em KELSEN, Hans. TeoriaPura do Direito.(trad. Joo Baptista Machado).So Paulo: Martins Fontes, 1998. 6.ed. p. 175

05. Sobre as fontes do direito, considere asproposies a seguir:

(I) So fontes formais escritas: lei nosentido estrito, Constituio e os princpiosgerais do direito.

PORQUE(II) Fontes formais indica os lugares