Click here to load reader

Teoria da comunicação Unidade V

  • View
    325

  • Download
    10

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Teoria da comunicação.

Text of Teoria da comunicação Unidade V

  • 1. 0 Unidade: Estudos Culturais

2. 1 Unidade:EstudosCulturais Unidade: Estudos Culturais INTRODUO Tem sido tarefa herclea conceituar os Estudos Culturais. Por qu? Como diria Milton Santos, eles so como um grande chapu no qual cabem vrias cabeas. Isso porque essa disciplina se ocupa do estudo da cultura sob diferentes aspectos que envolvem vrias outras disciplinas como a comunicao, a histria, a geografia, filosofia, a sociologia, a teoria literria etc. Como voc pode ver, ela vem sendo mudada de forma generalizada por correntes de pensamentos que se dizem ps-modernas. No entanto, ela mais do que um modernismo acadmico, apesar de ver os aspectos da cultura por prismas diferentes e de acordo com a temtica e disciplina que aborda. Ela , pois, interdisciplinar. E sob esse ngulo, a apropriao do contedo cultural pelas diferentes disciplinas muito adequada. Johnson (1999) levanta questes-chave para os Estudos Culturais, algumas perguntas de cunho metodolgico: qual o objeto caracterstico dos Estudos Culturais e sobre o que eles dizem? Segundo Johnson (1999, p.25), [...] os Estudos Culturais dizem respeito ao lado subjetivo das relaes sociais. Essas definies adotam algumas das abstraes simples de Marx, mas tambm as utilizam de acordo com sua ressonncia contempornea. Nesse conceito de subjetividade, duas coisas so focalizadas: o eu individual e o eu coletivo, ou ns, ou quem somos culturalmente; dessa maneira, podemos entender que subjetividade produzida. Ento o objeto de anlise a subjetividade produzida. Vamos diferenciar? Estudos Culturais de Teoria da Cultura. Os tericos da cultura se ocupam de vrios temas que podem ser sobre estudos ps-coloniais, assim como podem abarcar estudos sobre as questes de gnero, feminismo, homossexualidade, estudos crticos sobre o marxismo social e de poltica, antropologia, cultura e culturas populares etc. Enfim, existe uma gama de temas que so abordados pela Teoria da Cultura, mas que tambm so campos dos Estudos Culturais. 3. 2 Unidade:EstudosCulturais O campo da Teoria da Cultura compreende vrios estudos interdisciplinares nesse campo de trabalho. O aprendizado dos Estudos Culturais realizado por meio das vrias disciplinas que ele estuda enquanto que, na Teoria da Cultura, o aprendizado realizado por meio da leitura crtica de textos significativos dessa rea. HISTRICO DOS ESTUDOS CULTURAIS e SEUS PRINCIPAIS REPRESENTANTES consenso entre os pesquisadores que os Estudos Culturais tiveram seu nascedouro na Universidade de Birmigham na Inglaterra com o Centro de Estudos Culturais Contemporneos (Centre for Contemporary Cultural Studies), e que introduziu em seu currculo os Estudos Culturais. Esses estudos rapidamente foram disseminados pelo mundo. Schulman (1999) historiciza sobre o Center for Contemporany Cultural Studies da Universidade de Birmigham e relata que na Inglaterra surgiram outros centros interdisciplinares como : The Centre for Televison Research da Universidade de Leicester, o programa da Open University sobre cultura popular, o extinto Glasgow Media Group da Universidade de Glasgow e o Media Studies Program da Politcnica de Londres Central. Segundo as palavras de Schulman (1999, p. 169), Os Estudos Culturais foram concebidos, desde o incio, como um empreendimento interdisciplinar. Os primeiros estudiosos dos Estudos Culturais eram pesquisadores da Lngua Inglesa como Hoggart que foi o primeiro diretor da Escola em Birmingham. Vamos aos principais representantes? 4. 3 Unidade:EstudosCulturais 1. RAYMOND WILLIAMS Fonte: http://3.bp.blogspot.com/_mNV4VSz1JdY/St9LPxAeanI/AAAAAAAACEs/7zJzpzxzrSY/s400/williams.jpg Raymond Williams (1921-1988), nascido no pas de Gales, considerado um dos mais influentes pensadores e crticos da Nova Esquerda inglesa. Foi especialista em histria da cultura do ps- guerra e inspirador, juntamente com E.P. Thompson e R. Hoggart, dos chamados "estudos culturais". A partir de 1961, lecionou Arte e Literatura Dramticas, na Universidade de Cambridge. Publicou inmeras obras, entre elas, Drama from Ibsen to Eliot (1952), The English Novel from Dickens to Lawrence (1970), Television: Technology and Cultural Form (1974) e Problems in Materialism and Culture (1980). No Brasil, j foram traduzidos Cultura e Sociedade, 1780-1950, Marxismo e Literatura, O campo e a Cidade: na histria e na literatura e Cultura. http://editora.cosacnaify.com.br/Autor/463/Raymond-Williams.aspx Sobre os Estudos Culturais, pensamento recorrente entre os pesquisadores entenderem que a designao de Estudos Culturais anterior Universidade de Birmigham e surgiu dos estudos do professor ingls Raymond Wiliams depois do lanamento de seu livro Culture and Society: 1780-1950 (1958), no qual ele pesquisa os diferentes usos histricos do termo cultura. Nesse estudo, Williams diz que h necessidade de se debater sobre o termo cultura e entender o que ele significou para as sociedades. Para Williams, ... impossvel abstrair a cultura das relaes de poder e das estratgias de mudanas sociais. (MATTELART,A & NEVEU, 2004, p.45) 5. 4 Unidade:EstudosCulturais Raymond Williams tem como modelo terico Antonio Gramsci, que defendeu a ideia da existncia de uma cultura popular. Para Gramsci, a cultura popular fragmentada, no tem prestgio e ainda subordinada a uma cultura da elite. Gramsci reconhecia, no entanto, que essa cultura popular capaz de reao e de resistncia. Em palavras mais simples, a cultura popular adere, a sua maneira, as mudanas histricas e adapta-se s condies materiais impostas pela sociedade.(POLISTCHUCK,I &TRINTA, A, 2003). Raymond Williams entendia que a cultura no apenas uma caixinha na qual se guardam as tradies, mas , antes, um processo pelo qual se constroem as significaes e seus significados a partir das prticas sociais cotidianas partilhadas entre seus iguais. Nesse sentido, a mdia atua como articuladora na sociedade e age simbolicamente entre os receptores das mensagens. 2. RICHARD HOGGART Fonte: http://homepages.luc.edu/~cwachal/hoggart.jpg Richard Hoggart nasceu em 1918, passando sua infncia em seu meio de origem, o meio operrio, o fundador do Centro Contemporneo de Estudos Culturais (CCCS - Centre for Contemporary Cultural Studies), centro de pesquisas da Universidade de Birmingham Da inquietao e do debate, proposto por Raymond Williams, Hoggart escreve o livro Uses of Literacy (1958). Esse livro estuda a influncia da cultura das classes trabalhadoras pelos meios de comunicao e, posteriormente, analisa as publicaes que se destinam a este tema. 6. 5 Unidade:EstudosCulturais Para Richard Hoggart, a existncia de uma cultura dominante que se d por meio de atitudes, usos e tradies no passiva. A cultura subordinada ou a cultura popular, ou a das minorias resiste porque a cultura do outro, do diferente, do desviante que no assimila completamente a cultura da elite, ou superior. A cultura popular descobre entre seus iguais aquilo que faa sentido para ela e no qual ela pode se sentir pertencendo, o sentimento da pertena. 3. EDWARD P. THOMPSON http://www.history.ac.uk/makinghistory/historians/thompson_edward.html Edward Palmer Thompson nasceu em Oxford em 3 de fevereiro de 1924 e faleceu em Worcester, em 28 de agosto de 1993. Foi historiador de linha terica marxista e considerado por muitos como o melhor historiador ingls do sculo XX. Em 1946, formou um grupo de estudos histricos marxistas junto com outros historiadores de importncia inquestionvel como Christopher Hill, Eric Hobsbawm, Rodney Hilton, Dona Torr. Boa parte de sua obra foi vinculada a questes e discursos dos prprios trabalhadores. Thompson mostrou que essa classe no construda somente em termos econmicos, pois se baseia na construo histrica de experincia. Quando se faz uma releitura do passado, busca-se a multiplicidade de experincia, tenta-se revalorizar as perdas e os ganhos desses subordinados, que tiveram uma grande importncia histrica, pois s assim se compreendem os conflitos e os processos de transformao. 7. 6 Unidade:EstudosCulturais Thompson descreve a conscincia de classe e as experincias manipuladas dentro dos termos culturais, vendo que grande parte dessa experincia da classe determinou as relaes produtivas dentro das quais os homens nascem e so inseridos a ela de modo involuntrio. Seus estudos atenderam s diversas partes da histria, principalmente da histria social. Da histria do trabalho histria da cultura inspirou pesquisas originais sobre sindicalismo, partidos, movimentos sociais, escravido, campesinato, crimes, motins, entre outros. Thompson interroga o neoliberalismo, os estudos feministas e o marxismo ortodoxo. Esteve empenhado em recuperar a experincia emprica, fazendo uma experimentao ligada anlise do contexto. Procurou substituir a base superestrutural pela anlise da conscincia da classe operria. Acaba usando do culturalismo relacionado com as estruturas, no qual discordou dos estruturalistas, como Lvi-Strauss, Louis Althusser e com os funcionalistas, fincando suas razes no que podemos chamar de marxismo culturalista. http://pt.wikipedia.org/wiki/Edward_Palmer_Thompson consulta em 01/03/2010 s 10:52h Thompson foi um dos fundadores da New Left Review revista de matriz marxista. Com Williams, ele desenvolve o desejo de ultrapassar as fronteiras das anlises culturais submetidas economia. Seu trabalho vai alm e pode ser entendido como uma escolha situada nas prticas cotidianas e de resistncia dos trabalhadores ingleses. (MATTELART,A&NEVEU,E, 2004.p.47) Segundo Mattelart&Neveu, 2004, os trabalhos Thompson assim como o trabalho de Raymond Williams a histria construda a partir das lutas sociais e da interao entre cultura e economia. 8. 7 Unidade:EstudosCulturais 4. STUART HALL www.sagarana.net/.../images/stuart_hall.jpg Sobre Stuart Hall tambm h muito que se referir. Ele jamaicano de origem e filho de classe mdia. Estudou em Oxford e graduou-se em Letras. Em 1964 Hoggart o chamou para trabalhar no Centro de Estudos Culturais de Birmigh