ACP Aviário

  • View
    1.572

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of ACP Aviário

  • 1. 2 PROMOTORIA DE JUSTIA DA COMARCA DE SOMBRIO _____________________________________________________________________________________________________ Pgina 1 de 24 2 Promotoria de Justia Rua Edlio Antnio Rosa, n. 974, Centro, CEP: 88.960-000, Sombrio-SC Frum Desembargador Slvio de S Gonzaga, SC (48) 3533 6721 sombrio02pj@mp.sc.gov.br EXCELENTSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA 1 VARA DA COMARCA DE SOMBRIO O MINISTRIO PBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA, atuando por meio sua Promotora de Justia subscritora, no uso das atribuies previstas nos artigos 127 e 129, inciso III, da Constituio da Repblica, no artigo 25, inciso IV, alneas "a" e "b" da Lei Orgnica Nacional do Ministrio Pblico; bem como na Lei n. 7.347/85 (Lei da Ao Civil Pblica); atuando como curadora do Meio Ambiente, com fulcro na Lei n. 12.651/12, e ainda, com o embasamento probatrio consubstanciado nos documentos que instruem o Inqurito Civil n. 06.2013.00002364-3, evoludo para o n. 08.2014.00187304-2, em anexo, vem respeitosamente perante Vossa Excelncia propor AO CIVIL PBLICA PARA A TUTELA DO MEIO AMBIENTE em face de ANILTON SANTOS, brasileiro, casado, agricultor, filho de Rodolfo Martiniano dos Santos e Deotildes Baltazar dos Santos, nascido em 24 de outubro de 1952, portador do RG n. 466.753 e do CPF n. 288.766.289-91, residente e domiciliado na BR 101, n. 432, bairro Guarita, na cidade de Sombrio/SC, telefones para contato n. 9948-5883 e 3533- 0994; FUNDAO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE FATMA, pessoa jurdica de direito pblico, com personalidade jurdica prpria, representada pelo seu Diretor-Geral, com sede na Rua Felipe Schmidt, 485, Centro, Florianpolis/SC; e

2. 2 PROMOTORIA DE JUSTIA DA COMARCA DE SOMBRIO _____________________________________________________________________________________________________ Pgina 2 de 24 2 Promotoria de Justia Rua Edlio Antnio Rosa, n. 974, Centro, CEP: 88.960-000, Sombrio-SC Frum Desembargador Slvio de S Gonzaga, SC (48) 3533 6721 sombrio02pj@mp.sc.gov.br MUNICPIO DE SOMBRIO/SC, pessoa jurdica de direito pblico interno, na pessoa do seu Chefe do Executivo Muncipal, com sede na Avenida Nereu Ramos, n. 861, Centro, Sombrio/SC, pelos fundamentos de fato e de direito a seguir elencados: 1. DOS FATOS: O requerido Anilton dos Santos proprietrio de um avirio, contando com empregados contratados, cujos animais ele vende Empresa JBS, de Praia Grande, que, por sua vez, revende para os destinatrios finais, inserindo o produto no mercado de consumo. Ocorre que referido empreendimento funciona de maneira irregular, acarretando danos ao meio ambiente e sade da coletividade, porquanto a atividade exercida em local completamente inadequado, j que est situado no permetro urbano; e, por isso, no poderia ser licenciado pelos rgos ambientais; tampouco conta com fiscalizao higinico-sanitria, inserindo produto no mercado sem qualquer cuidado para evitar contaminao. E tudo sob a patente omisso dos requeridos rgos pblicos, pois no exerceram minimamente a contento o poder de polcia, concedendo licenciamento ambiental irregular e negando-se a fiscalizar o empreendimento quando requisitado pelo Ministrio Pblico. Neste diapaso, a fim de melhor elucidar toda a problemtica envolvendo o estabelecimento do requerido Anilton dos Santos, passa-se a discorrer em itens prprios: 1.1. DO LOCAL INADEQUADO PARA O DESEMPENHO DA ATIVIDADE EM RELAO AO ZONEAMENTO DO MUNICPIO DE SOMBRIO: De promio, h de se destacar que a expanso urbana no municpio de Sombrio gerou a ocupao habitacional em uma faixa lindeira ao entorno da BR 101; dentro da qual se destaca o bairro Guarita. Referido bairro de caracterstica predominantemente residencial, com 3. 2 PROMOTORIA DE JUSTIA DA COMARCA DE SOMBRIO _____________________________________________________________________________________________________ Pgina 3 de 24 2 Promotoria de Justia Rua Edlio Antnio Rosa, n. 974, Centro, CEP: 88.960-000, Sombrio-SC Frum Desembargador Slvio de S Gonzaga, SC (48) 3533 6721 sombrio02pj@mp.sc.gov.br moradores no local, h, aproximadamente, 20 anos, os quais convivem, por sua vez, com outras atividades. Por sua vez, a Lei Municipal n 1.8964/2010, visando consolidar a ocupao existente e planejar a futura, classificou o local como Setor Especial de Comrcio e Servios da BR 101-1, o qual objetiva a atrao e concentrao de comrcio e servios de pequeno porte, tornando-se eixos de desenvolvimento destas atividades em direo aos bairros da sede urbana. Alm disso, referida lei previu essa rea como de uso predominantemente de servios e industriais1, sendo permissvel o uso residencial. Concomitantemente, pesquisa realizada pelo google earth no permite dvidas de que se trata de local com infra-estrutura urbana, pois apresenta calamento, meio-fio, postes de iluminao pblica: 1 Art. 42. Setor Especial de Comrcio e Servios da BR-101-1 correspondem s reas urbanas destinadas ao uso predominantemente de servios e industriais ao longo da rodovia federal BR-101, sendo permissvel o uso residencial. Pargrafo nico. A implantao deste setor visa definir rea para atrao e concentrao de comrcio e servios de pequeno porte, tornando-se eixos de desenvolvimento destas atividades em direo aos bairros da sede urbana. 4. 2 PROMOTORIA DE JUSTIA DA COMARCA DE SOMBRIO _____________________________________________________________________________________________________ Pgina 4 de 24 2 Promotoria de Justia Rua Edlio Antnio Rosa, n. 974, Centro, CEP: 88.960-000, Sombrio-SC Frum Desembargador Slvio de S Gonzaga, SC (48) 3533 6721 sombrio02pj@mp.sc.gov.br E com inmeras residncias aos arredores: 5. 2 PROMOTORIA DE JUSTIA DA COMARCA DE SOMBRIO _____________________________________________________________________________________________________ Pgina 5 de 24 2 Promotoria de Justia Rua Edlio Antnio Rosa, n. 974, Centro, CEP: 88.960-000, Sombrio-SC Frum Desembargador Slvio de S Gonzaga, SC (48) 3533 6721 sombrio02pj@mp.sc.gov.br Ademais, o prprio poder pblico cobra IPTU da propriedade vizinha ao empreendimento, conforme faz certo os documentos das fls. 42 e 43 dos autos. Logo, mesmo que sobre a propriedade do requerido incida o imposto territorial rural, no se pode ignorar a lei de zoneamento, pois apenas atesta a omisso do Poder Executivo Municipal em proceder conforme a legislao criada legitimamente pelo Poder Legislativo. Outrossim, tambm no se trata de direito de pr-ocupao, j que os moradores dos arredores que chegaram antes. Neste vrtice, verifica-se das informaes prestadas pela municipalidade e da a reclamao de um dos vizinhos: Ofcio n. 78/2014/PJS Ademais, cabe destacar que o Sr. Anilton exerce referida atividade no local desde 07/12/2005, conforme consta em sua ficha cadastral (fl. 221) Reclamao de Andrelino Fernandes Bittencourt: Que, o reclamante morador no presente domiclio h mais de 20 (vinte) anos e, que, h alguns anos o ora reclamado construiu um avirio para aves de corte prximo a sua residncia (fotos anexas) e prxima a muitas outras, sendo que desde sua construo a vida do reclamante e de toda comunidade circunvizinha ficou complicada, pois referido avirio emana um cheiro horrvel [...] (fl. 35). 1.2 DA LICENA AMBIENTAL: Embasado na representao de mais de 50 moradores do bairro Guarita, de Sombrio/SC, noticiando o mau cheiro e a proliferao de insetos em razo de avirio situado na comunidade, prximo a BR-101 (fls. 4/5), a Curadoria do Meio Ambiente requisitou a realizao de vistoria pela polcia militar ambiental. Por sua vez, referido rgo, in locu, constatou que o requerido, Anilton dos Santos, criava animais confinados de pequeno porte (avicultura). Na ocasio, o requerido Anilton Santos no apresentava licena ambiental de operao vlida, pois a anterior autorizao para o funcionamento do empreendimento havia aspirado em 6 de maio de 2013. Entretanto, apresentou protocolo de renovao da licena, datado de 30 de janeiro de 2013 (fls. 12/16). Assim, como poder-se-ia estar diante apenas de demora do rgo pblico em apreciar o pleito, uma vez que a atividade j havia sido licenciada, requisitou-se ao proprietrio a comprovao da regularidade do empreendimento. 6. 2 PROMOTORIA DE JUSTIA DA COMARCA DE SOMBRIO _____________________________________________________________________________________________________ Pgina 6 de 24 2 Promotoria de Justia Rua Edlio Antnio Rosa, n. 974, Centro, CEP: 88.960-000, Sombrio-SC Frum Desembargador Slvio de S Gonzaga, SC (48) 3533 6721 sombrio02pj@mp.sc.gov.br Em resposta, o Sr. Anilton dos Santos, por intermdio de advogado constitudo, teceu comentrios sobre o exerccio da atividade da avicultura, argumentando que se trata de "um ramo de atividade que se dedica criao de aves (galinhas, patos, perus, faises, pombos, cisnes, gansos, paves, etc)", cujo desempenho "no leva em conta somente o aspecto higinico, mas tambm o manejo da criao". Entretanto, no trouxe nenhum elemento concreto da regularidade da sua atividade. Apresentou fotocpia do requerimento de renovao da licena ambiental, com referncia a estudo de conformidade ambiental e monitoramento do sistema de tratamento, mas sem apresentar referidos estudos ao Ministrio Pblico. Posteriormente, apresentou a nova licena concedida (fl. 211). E aqui, ao compulsar tal documento, chama a ateno o fato de que fora expedida pela Fundao do Meio Ambiente de Santa Catarina FATMA - sem qualquer vistoria no local ou constatao de que o projeto referido no requerimento do licenciamento estava sendo implementado de acordo com o noticiado pelo proprietrio. Declarou a Fundao Estadual do Meio Ambiente que "a presente licena est sendo concedida com base nas informaes apresentada pelo interessado". A irregularidade da liberao da atividade facilmente constatada quando se coteja o documento com a legislao disciplinadora da atividade, pois a resoluo 003/2008 do Consema exige relatrio ambiental prvio (RAP) na indicao da atividade 01.70.00 (avirio), cuja liberao da licena ambiental de operao deve ser feita aps vistoria no local, e