Cocal Notícias 521

  • View
    469

  • Download
    1

Embed Size (px)

Transcript

  • ANO XII - NMERO 521COCAL D0 SUL, 12 DE DEZEMBRO DE 2014

    R$ 1,25e-mail: cocal.noticias@terra.com.br

    www.portalcocal.com.br

    9 Jogo da Solidariedade renemais de 300 participantes

    Bairros Braslia/Horizonteconquistam os Jogos Interbairros

    Pgina 14

    Pginas 9 e 13

    JUKA TAVARES/ESPECIAL/CN

  • 2 SEXTA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2014OpinioTNEL DO TEMPO Crculo ItalianodeCocal doSul porMarizaBrigoPagnan

    Edson Dutra

    CHARGEhttp://cocosecontos.blogspot.com/

    CRNICA

    Me, daqui onde estou,sinto uma saudade enormede ti. Gostaria de telefonarfelicitando-te pelo teu dia,mas no posso... Gostariade correr para os teusbraos, afagar teus cabelos,beijar a minha queridavelhinha, mas no posso...

    Gostaria de passearmosjuntos, de mos dadas pelaCalle Florida; depois, ver-tecom papai danandoaquele tango de Gardel,mas no posso... Gostariade oferecer-te um lindojantar com cristais daBomia, onde entonaramoscanes sobre este dia, masno posso...

    Mame, no consigoesquecer esses teusmaravilhosos olhos verdes,o teu andar de bailarinatcheca e aquele sorriso deGioconda. No esqueo

    Carta de um Filhotambm o quanto criticavateus sbios conselhos,exigindo coisasmesquinhas para satisfazerminha comodidade, porm,sempre recorria ao teucolinho nos momentosmais difceis.

    Admito, hoje, minhairresponsabilidade e tenhoconscincia dostranstornos que causei.Lembro-me do dia em quesoltei os cachorros nonamorado da mana, quandocoloquei pimenta no bolode chocolate e, na tardeensolarada em que urinei nocoquetel de ma.

    Mame, sei que quandodeparas com minhafotografia, lgrimas teembaam o olhar e rolampela tua face, no tetortures, no s culpada.

    Na noite que peguei a

    Magno KuceraProfessor de Sociologia

    Mercedes do tio Milan, sacorrendo, aborrecido epensativo, pelas ruas dacidade e estradas da vida.Realmente, nunca penseiquantos danos iria causara famlia. Perdoa-me...

    Mame, a culpa no foisomente minha, creio que omotorista do caminho -no lembro muito bem -depois o choque. Mame,gostaria de pedir-te perdopessoalmente e gritar aomundo que te amo, mas noposso... pois estou Noutra.

    Assinado: CarlosEduardo Kovak de Garcia

    (morto em acidenterodovirio no trecho noduplicado da BR-101, no anode 2007)

    JORNAL COCAL NOTCIAS LTDAFundado em 11 de Abril de 2003

    CNPJ: 08.239.598/0001-88 IM: 2.017R. Voluntrios da Ptria, 12 - 2 piso - Centro

    Cocal do Sul - SC - CEP: 88845-000

    Diretor Geral: Cassio PagnanColunistas: Sinara P. Harger, Edson Dutra, Mariza B.Pagnan, Igor Mouro, Davi Carrer e Rodrigo Szymanski

    Redao: (48) 3447-0431 / 8826-8996E-mail: cocal.noticias@terra.com.br

    Impresso: Grafica Soller - Morro da Fumaa/SCO Jornal no se responsabiliza

    por matrias ou colunas assinadas

    Jorge Nunes deSouza (Juca) eMarcos Zaccaron

    Grupo Teatral que participou da Encenao de Natal por volta de 1970 ao ladoda Igreja Matriz de Cocal. Da esquerda para direita: Marcos Zaccaron, Mateus

    Carrer Filho, Mrio Pizzollo, Jos Otvio de Fveri, Jorge Nunes de Souza(Juca) e Jorge Possamai

  • 3SEXTA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2014

    www.cocalcomunitario.com

    Cocal ComunitrioDavi Carrer e Rodrigo Szymanski

    Vereadores em diaPelo que o presidente do Legislativo disse estes dias, aCmara de Vereadores este ano no atrasar suasatividades e por isso no ter necessidade de sessesextraordinria, como ocorreu em 2013. Ano passado oprojeto de lei que aumentava o IPTU foi mandado nosltimos momentos. Este ano os reajustes e outros projetosmaiores parecem que j foram encaminhados.

    Se o acordo se manterRestando duas sesses para fechar o ano, se os acordosforem mantidos, a vereadora Angela, do PPS, ser apresidenta do Legislativo sul cocalense. A professoraAngela tem sido uma vereadora atuante e, talvez, maisdo que pelos acordos, merece por mrito ocupar a cadeirade presidencivel. O acordo se manter? Vamos esperar!

    Na sessoProjeto importante aprovado esta semana foi o Plano deResduos Slidos do Municpio, que segue o PlanoIntermunicipal de Gesto Integrada de Resduos Slidosdos Municpios Integrados do CIRSURES - ConsrcioIntermunicipal de Resduos Slidos Urbanos da RegioSul.

    R$ 18 milhesUma das falas na Tribuna que chamou a ateno estasemana foi do vereador Volnei. Ele foi at a prefeitura efez um levantamento de todas as suplementaesoramentrias de 2014, j que o Executivo passou a faz-las por decreto (49 ao todo), e se assustou com osnmeros: foram reajustados 18 milhes. No estoudizendo que tem algo irregular aqui, mas que queremosparticipar e saber onde est indo toda a movimentaode recursos, afirmou.

    Nega e IvanorA vereadora Nega tambm usou do espao, para elogiar aFesta das Tendas e o Cocal Luz, mas aproveitou a presenado secretrio de Obras para cobrar algumas melhorias nacidade.J Ivanor foi falar sobre a mulher e o poder, mas acabouabordando mais sobre o Neoliberalismo e a respeito daseleies do presidente do Legislativo, que se aproximam.

    LamentvelNa ltima segunda-feira, fomos obrigados a nos defenderde acusaes inoportunas. Nossas declaraes j foramdadas no Editorial. Reafirmamos o compromisso com acomunidade, porm a comunidade e ns no somosobrigados a aceitar uma forma de ver o mundo apenas. Oque para alguns perseguio do movimento para ns ampliar o olhar sobre segurana pblica. No existenenhum erro em defender os diretos humanos e acreditarque somente policiamento resolver o problema desegurana. Infelizmente, o problema se torna poltico.

    Aquele abraoEsta semana deixo meu abrao ao amigo Guga Camacho,dono da Cnet Internet, jovem empreendedor, um dosprimeiros a investir em Cocal do Sul com internet a rdioe que promete trazer novas tecnologias de internet paracidade. Sem esquecer que o jovem empreendedor oresponsvel pela primeira cmera ao vivo do Centro dacidade de Cocal do Sul. Esta semana completa-se um anono ar, a primeira e inovadora cmera ao vivo do site CocalComunitrio e da empresa Cnet.

    Para refletirLutar pela igualdade sempre que as diferenas nosdiscriminem; lutar pelas diferenas sempre que aigualdade nos descaracterize, (Boaventura de SouzaSantos).

    O setor eltrico brasileiro administrado pelo governo federal quepossui o direito de explorao podendo conceder ou permitir a execuodo servio por terceiros mediante contrato.

    A grandeza de nosso pas que se apresenta como um continentecaracteriza a dificuldade de atender de forma universalizada a todos oscidados nas diferentes regies.

    H que se lembrar que nossa populao se apresenta em grandescidades e em extensas reas rurais com baixa densidade de ocupao.

    Historicamente podemos observar que o governo federal deuconcesso a diversas empresas distribuidoras as quais receberam ottulo de concessionrias, tendo como obrigao fornecer energiaeltrica a todos os brasileiros.

    Esta realidade no aconteceu visto que as concessionrias motivadaspelo fator econmico no cumpriram sua funo social de atender aosconsumidores mais afastados das cidades.

    A agricultura viu seu cidado excludo do benefcio da energia eltricaem suas residncias sem a mnima possibilidade de progresso e qualidade de vida.

    O homem do campo no se resignou com esta situao e organizou-se em sociedades cooperativas e com muitoesforo e dedicao conseguiu seu sonho de ver iluminada suas residncias.

    Vilas se constituram em cidades e as cooperativas de eletrificao foram se consolidando como agentes distribuidoresde energia eltrica apesar da forte resistncia das concessionrias que agora tinham interesse nos mercados ignoradosno passado.

    Podemos afirmar que as cooperativas cumpriram e cumprem um papel muito relevante no desenvolvimento doBrasil atravs de seu ato pioneiro sustentado em sua doutrina de no objetivar lucros.

    A forte presso das concessionrias sobre o governo e as cooperativas determinou a necessidade da regulamentaodas cooperativas de eletrificao e definio de suas reas de atuao resultando no surgimento das permissionrias.

    notrio que as reas atendidas pelas cooperativas possuem uma densidade muito baixa de consumidores porquilometro de redes de distribuio o que determina um ganho em escala muito pequeno havendo a necessidade de queas tarifas de compra de energia eltrica sejam reduzidas de forma a viabilizar o atendimento.

    H que se ressaltar que a legislao diferente no que tange ao suprimento de concessionrias e de permissionriasvisto que seus mercados tambm so diferentes e que o objetivo do governo federal que titular deste monoplio teminteresse de que o agricultor tambm seja beneficiado com a distribuio de energia eltrica.

    Ento podemos afirmar que as tarifas praticadas pelas concessionrias no tem impacto relacionado com o custodas cooperativas permissionrias, visto que a ANEEL (Agncia nacional de energia eltrica), quem estabelece os preospraticados aos consumidores de todas as distribuidoras do Brasil, quer cooperativas, Celesc, Eflul e demais empresas.

    Afinal somos todos brasileiros e contribumos quer trabalhador urbano quer homem do campo para construir juntoum pas grande e de oportunidades iguais.

    Textualmente afirmo que no obstante a manifestao contrria das concessionrias as Cooperativas permissionriascontinuaro a cumprir sua tarefa de servir aos associados distribuindo energia eltrica com qualidade a todosindistintamente.

    Neste contexto a Coopercocal afirma que em seus 50 anos de existncia sempre caminhou na meta de desenvolversua rea de atuao com evoluo social priorizando sempre o espirito humanitrio entendendo que a cooperao aessncia do bem viver.

    ALTAIR LORIVAL DE MELO - PRESIDENTE DA COOPERCOCAL

    COOPERCOCAL E O AMBIENTE REGULADO

    Cocal do Sul - Umencontro de trabalho reuniu osvereadores no Gabinete doPrefeito, Ademir Magagninpara apresentar o funciona-mento do Samae (ServioAutnomo Municipal degua e Esgoto) de Cocal doSul. A reunio foi mediada pelaDiretora