Trechos da poesia Canção de Mim Mesmo (Song of Myself) - Walt Whitman

  • View
    4.863

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Trechos da poesia Canção de Mim Mesmo (Song of Myself) - Walt Whitman

  • Seleo e adaptao de versos da poesia

    CANO DE MIM MESMO

    Folhas de Relva,

    www.nicholasgimenes.com.br

  • Eu celebro a mim mesmo, e canto a mim,

    E o que assumo, tu assumes,

    Pois todo tomo pertencente a mim tambm pertence a ti.

  • A atmosfera no tem o gosto da essncia, no tem odor,

    estou apaixonado por ela, Estou louco que entre em contato comigo.

    A fumaa da minha prpria respirao,

  • Minha expirao e inspirao, meu corao batendo,

    sangue e ar passando por meus pulmes,

  • Alguns beijos leves, alguns abraos, um buscar de braos,

    A sensao de sade, o gorjeio ao meio-dia, a cano de mim

    erguendo-me da cama e encontrando o sol.

  • Achaste que mil acres so demais? Achaste a terra grande demais?

    Praticaste tanto para aprender a ler?

    Sentiste orgulho por entenderes o sentido dos poemas?

  • Fica este dia e esta noite comigo

    e possuirs a origem de todos os poemas,

    No mais possuirs coisa alguma de segunda ou terceira mo,

    nem te nutrirs dos fantasmas que h nos livros,

  • Tambm no olhars pelos meus olhos,

    Ouvirs todos os lados e sabers filtrar tudo por ti mesmo.

  • Nunca houve tanta iniciativa como agora,

    Nem tanta juventude ou experincia como agora,

    E nunca haver tanta perfeio quanto agora,

    Nem tanto cu ou inferno como agora.

  • mpeto e mpeto e mpeto,

    Sempre o fecundante mpeto do mundo.

  • A indiferena real ou fantasiada de um homem ou mulher que amo,

    A doena de um parente ou de mim mesmo, ou a falha,

    ou perda ou falta de dinheiro, ou depresses ou exaltaes,

    Estas coisas vm a mim dias e noites e se vo de mim de novo,

  • Mas elas no so o meu Eu verdadeiro.

    Entre o puxar e arrastar fica o que sou.

    Fica divertido, complacente, compassivo,

    Olhando de lado, curioso, o que vir a seguir,

  • Creio em ti minha alma, o outro que sou no deve se rebaixar a ti,

    E no deves ser rebaixada ao outro.

  • Vagueia comigo na relva, solta a trava da garganta,

    Nem palavras, nem msica ou rima quero, nem hbito ou palestra,

    nem mesmo os melhores,

    Somente o sossego me agrada, o rumor de tua voz.

  • Lembro-me como uma vez deitamos certa manh de vero, como

    assentaste tua cabea em meus quadris e gentilmente viraste para mim,

    E abriste a camisa em meu peito e lanaste tua lngua em meu corao,

    Espalhaste a paz e conhecimento que superam todos os argumentos

  • Um menino disse 'O que a relva?' trazendo-a para mim

    Como podia responder ao menino? No sei o que , assim como ele.

    Suponho que seja a bandeira do meu nimo,

    tecida em um tecido verde esperanoso

  • O que achas que foi feito dos jovens e velhos?

    Esto vivos e bem em algum lugar,

    O brotinho a prova de que de fato no h morte, tudo avana

    e se expande, nada entra em colapso,

  • Debruado sobre os nichos ao lado e novos,

    sem perder uma pessoa ou objeto,

    Absorvendo tudo para mim mesmo e para esta cano.

  • A presso de meu p sobre a terra faz jorrar mil afeies,

    Elas escarnecem do mximo que fao para descrev-las.

  • Estou encantado com a experincia de crescer ao ar livre,

    O que mais comum, mais barato, mais prximo, mais fcil, sou Eu,

    Sem pedir ao cu que baixe minha boa vontade

  • Sou dos velhos e jovens, dos tolos tanto quanto dos sbios,

    Desatento com os demais, sempre atento aos demais,

    Maternal no menos que paternal, uma criana assim como homem,

  • Sinto-me em casa nas montanhas ou no mato,

    Sinto-me em casa nas colinas de Vermount ou nos bosques do Maine,

    Camarada de jangadeiros e carvoeiros, camarada de todos que

    apertam mos e oferecem bebida e comida,

  • Um aprendiz com os mais simples,

    um professor dos mais pensativos,

    De toda cor e casta sou, de toda classe e religio,

  • Ouviste que era bom ganhar o dia? Tambm digo que bom cair,

    Batalhas so perdidas com o mesmo esprito com que so ganhas.

    Vivas queles que falharam!

  • Minha festa para todos,

    no terei uma s pessoa desprezada ou relegada,

    Em todos enxergo a mim mesmo, em nenhuma vejo mais

    do que eu sou, e nem um gro a menos,

  • Sou o poeta do Corpo e sou o poeta da Alma,

    Os prazeres do cu esto comigo e as dores do inferno esto comigo,

    O primeiro acrescento a mim mesmo e distribuo,

    o segundo traduzo em uma nova lngua.

  • Sou o poeta da mulher assim como do homem,

    E digo que to bom ser uma mulher como ser um homem,

    Tivemos fuga e censura o bastante

  • Ultrapassaste os demais? s o Presidente?

    Isso ninharia, eles iro alm desse teu feito.

  • Sorri, terra voluptuosa de hlito fresco!

    Sorria, teu amante vem vindo.

    Tu mar! tambm me entrego a ti entendo teu sentido,

  • Contemplo da praia teus curvos dedos convidativos,

    Creio que te recusas a recuar sem me sentir,

    Devamos sair juntos, corro pra longe dos olhos da terra,

  • Recebe-me suavemente, me embala em ondulante adormecimento,

    Este minuto que vem a mim depois de decilhes passados,

    No h nada melhor que ele agora.

  • Quem quer que degrade outro, degrada a mim,

    Por Deus! No aceitarei nada de que todos no possam ter sua

    compensao nos mesmos termos.

  • Viso, audio, sensao, so milagres,

    e cada parte e pedao de mim um milagre.

    Divino sou por dentro e por fora, e torno sagrado o que quer que

    toque ou que me toque,

  • Contemplar a aurora! A frgil luz desfaz as imensas sombras,

    Tambm nos erguemos fascinantes e tremendos como o sol,

    Encontramos o que nosso, minha alma,

    na calmaria e no frescor da alvorada.

  • FELICIDADE, (que quem me oua ponha-se procura dela hoje.)

    Ouo o som que amo, o som da voz humana,

    Ouo todos os sons correndo juntos, combinados, prosseguindo,

  • Sons da cidade e de fora da cidade, sons do dia e da noite,

    Jovens falantes queles que gostam deles, o riso ruidoso

    Ah, isso sim msica! - isso condiz comigo.

  • Por fim solto-me novo para sentir o enigma dos enigmas,

    E a isso chamamos Ser.

  • O insignificante to grande quanto tudo mais,

    (O que menos ou mais que um toque?)

    Lgica e sermes nunca convencem,

    O sereno da noite penetra mais fundo em minha alma.

  • Acho que eu podia ir viver com os animais,

    eles so to plcidos e reservados,

    Eles no se queixam de sua condio,

  • No ficam acordados nas trevas nem lamentam seus pecados,

    Nenhum est insatisfeito, nem ensandecido para possuir coisas,

    Nenhum se ajoelha ao outro,

    Nenhum respeitvel ou infeliz sobre toda a terra.

  • Solitrio meia-noite,

    meus pensamentos longe de mim por um bom tempo,

    Acelerando pelo espao, acelerando pelo cu e pelas estrelas,

    Sirvo-me do que material e imaterial,

  • Tudo isso eu engulo, se torna meu,

    Agonias so uma de minhas mudas de roupa,

    No indago da pessoa ferida como se sente,

    eu mesmo me torno a pessoa ferida,

  • Nem um garoto preso por furto sem que eu seja levado tambm

    com ele, e com ele sou julgado e sentenciado.

    Nem um paciente de clera d o seu ltimo suspiro

    sem que eu d o meu ltimo suspiro,

  • Basta! basta! basta! Por alguma razo estou atormentado.

    Afastai-vos!

    ...

    Descubro que estou beira de cometer um erro comum.

  • Que eu pudesse esquecer os que zombam e os insultam!

    Que eu pudesse esquecer as lgrimas que escorrem

    e os golpes das clavas e martelos!

  • Homem ou mulher, queria dizer quanto gosto de ti, mas no posso,

    E contaria o que est em mim e o que est em vs, mas no posso

  • Tu que ests a, impotente, de pernas bambas,

    Abre o leno que cobre a tua boca at que eu sopre coragem

    para dentro de ti,

  • No pergunto quem tu s, isso no importante para mim,

    E em minha alma juro que nunca o negarei.

    Lano todos os homens e mulheres para frente comigo,

    em meio ao Desconhecido.

  • Pe tua mochila nas costas, filho amado,

    e eu farei o mesmo, e vamos logo,

    Ests me perguntando algo tambm e posso ouvir voc,

    Respondo que no posso responder, deves encontrar respostas por ti

  • Deves habituar-te ao fulgor da luz e

    de todos os momentos de tua vida.

    Por muito tempo, tu te agarraste timidamente

    a uma prancha na praia,

  • Agora quero que sejas um nadador ousado,

    Para pular no meio do mar, te ergas novamente,

    acenes para mim, grites e, sorrindo, agites teus cabelos.

  • Se puderes me entender, sobe para o cume das montanhas

    ou segue para a praia,

    O mosquito mais prximo uma explicao,

    e uma gota ou movimento das ondas uma dica,

  • Nenhuma lugar fechado ou escola pode afinar-se comigo,

    As criancinhas so nisso melhores do que eles.

  • Tenho dito que a alma no mais que o corpo,

    E tenho dito que o corpo no mais que a alma,

    E digo a qualquer homem ou mulher, deixe que sua alma fique

    tranquila e ntegra perante um milho de universos.

  • E digo humanidade, no sejas curiosa sobre Deus,

    Ouo e vejo Deus em todos os objetos e ainda assim

    no compreendo Deus minimament