1a. Aula set_2012_Terraços fluviais

Embed Size (px)

Text of 1a. Aula set_2012_Terraços fluviais

Geomorfologia Fluvial5a aula

Introduo - Definio A Geomorfologia Fluvial interessa-se pelo estudo dos processos e das formas relacionadas ao escoamento dos rios; Os rios constituem os agentes mais importantes no transporte dos materiais intemperizados das reas elevadas para as mais baixas e dos continentes para o mar. Importncia capital entre todos os processos morfogenticos.

1

Rio O rio uma corrente contnua de gua, mais ou menos caudalosa, que desgua noutra, no mar ou lago. Sabe-se que o volume de gua nomina um rio porm muito difcil estabelecer o quanto. Arroio, ribeira, ribeiro, riacho, ribeiro, igarap, reservando-se o termo rio para o principal e dos maior elementos componentes de determinada bacia de drenagem.

Exemplos

Igarap Riacho

Rio

2

1 O Trabalho dos Rios No que tange ao trabalho dos rios, preciso distinguir entre transporte, eroso e deposio do material detrtico; Este material so sedimentos ou fragmentos desagregados de uma rocha, geralmente susceptvel ao transporte, indo constituir os depsitos sedimentares. Assim, os sedimentos so transportados pelos rios atravs de trs maneiras diferentes: soluo, suspenso e saltao.

Os constituintes intemperizados das rochas que so transportados em soluo qumica compem a carga dissolvida dos cursos dgua. A quantidade de matria em soluo depende, em grande parte, da contribuio relativa da gua subterrnea e do escoamento superficial para o dbito do rio (qumica do rio = vrios fatores); A carga dissolvida transportada na mesma velocidade da gua e carregada at onde a gua caminhar; A deposio desse material s se processa quando houver saturao (por evaporao, como exemplo).

3

As partculas de granulometria reduzida (silte e argila) so to pequenas que se conservam em suspenso pelo fluxo turbulento, constituindo a carga de sedimentos em suspenso; Esses sedimentos so carregados na mesma velocidade em que a gua caminha, enquanto a turbulncia for suficiente para mant-los. Quando essa atingir o limite crtico, as partculas precipitam-se. Essa deposio pode ocorrer em trechos de guas muito calmas ou nos lagos. As partculas de granulometria maior, como areias e cascalho, so roladas, deslizadas ou saltam ao longo do leito dos rios, formando a carga do leito do rio, a qual corre muito mais lentamente do que o fluxo da gua.

Silte depositado Cascalho

Meandro = deposio

4

A granulometria dos sedimentos vai diminuindo em direo jusante!! Jusante ! denomina-se a uma rea mais baixa do que a outra, ao se considerar a corrente fluvial pela qual banhada. Relevo de jusante => prximo da foz Montante ! diz-se de um lugar situado acima de outro, tomando em considerao a corrente fluvial que passa na regio. Relevo de montante => prximo das cabeceiras

Montante A Jusante

A eroso fluvial realizada atravs dos processos de corroso, corraso e cavitao. CORROSO ! engloba todo e qualquer processo qumico que se realiza como reao entre a gua e as rochas superficiais que com ela esto em contato; CORRASO ! o desgaste pelo atrito mecnico, geralmente atravs do impacto de partculas carregadas pela gua; CAVITAO ! eroso fluvial que ocorre somente sob condies de grande velocidade da gua, quando as variaes de presso, que incidem nas paredes do canal fluvial, facilitam a fragmentao das rochas (rios acidentados).

5

Rio encachoeirado => cavitao Marmitas => desgaste provocado pela ao das guas dos rios

Assim, nas bacias onde predominam a meteorizao (intemperismo) mecnica, h fragmentos grosseiros a serem transportados pelos rios; naqueles onde predominam a meteorizao qumica, s elementos de granulometria fina so fornecidos pelos cursos dgua. CORRASO ! RELACIONADA CARGA DO LEITO DO RIO.

6

Conforme j comentado, a deposio da carga detrtica carregada pelos rios ocorre quando h diminuio da competncia ou capacidade fluvial. Esta diminuio pode ser causada pela reduo da declividade, pela reduo do volume ou aumento do calibre da carga detrtica. Entre as vrias formas originadas pela sedimentao fluvial destacam-se: as plancies de inundao e os deltas, assim como as playas (depresso, um lago, ou mesmo um pntano que aparece algumas vezes na bajadas = pedimentos) e bajadas (acumulao de sedimentos), as restingas fluviais (cordes arenosos) entre outras.

As plancies de inundao, conhecidas como vrzeas, constituem a forma mais comum de sedimentao fluvial. A designao apropriada porque nas enchentes toda essa rea inundada, tornando-se o leito do rio.

7

A plancie de inundao formada por aluvies e por materiais variados depositados no canal fluvial ou fora dele. A plancie a faixa do vale fluvial composta de sedimentos aluviais, bordejando o curso dgua e periodicamente inundada pelas guas de transbordamento provenientes do rio (definio razovel).

A plancie de inundao pode ser definida e delimitada por critrios diversos, conforme a perspectiva e os objetivos dos pesquisadores. Gelogo ! rea fluvial recoberta por materiais depositados pelas cheias; Hidrlogo ! rea fluvial periodicamente inundada por cheias de determinadas magnitudes e frequncias; Legislador ! delimitada e definida pelo estatuto da terra; Geomorflogo ! apresenta configurao topogrfica especfica, com formas de relevo e depsitos sedimentares relacionados com as guas fluviais, na fase do canal e na de transbordamento.

8

A

A B B

H formas de relevo na plancie relacionadas ao canal (meandro) e h aquelas desenvolvidas por processos de sedimentao que ocorrem fora do canal, na superfcie da plancie de inundao, constituindo, tambm, elementos caractersticos de sua composio: os diques marginais, os sulcos e os depsitos de recobrimento e as bacias de inundao.

9

Diques marginais so salincias alongadas compostas por sedimentos, bordejando os canais fluviais . A largura e a altura oscilam em grandezas. A deposio no dique ocorre quando o fluxo ultrapassa as margens do canal. A corrente fluvial, quando ultrapassa, freada e abandona parte de sua carga permitindo a edificao do dique marginal. Os detritos mais grosseiros so depositados na proximidade do canal e os mais finos so carregados para locais mais distantes. As bacias de inundao so as partes mais baixas da plancie. So reas pobremente drenadas, planas, sem movimentao topogrfica, localizadas nas adjacncias das faixas aluviais . Atuam como reas de decantao, nas quais os sedimentos finos em suspenso se depositam, depois dos mais grossos se depositarem nos diques.

Quando um rio escoa para um lago ou para o mar, depositando uma carga detrtica maior que a carreada pela eroso, ocorre a formao de deltas (leque aluvial). A maneira pela qual os sedimentos se distribuem depende do carter e quantidade da carga, da sondas e das correntes marinhas ou lacustres. Vrias so as formas espaciais assumidas pelos deltas (Rio Nilo, Paraba). A morfologia deposicional de uma plancie deltaica geralmente caracterizada pelo desenvolvimento de diques naturais nas bordas dos canais.

10

O principal fenmeno na evoluo deltaica o deslocamento dos cursos fluviais em distributrios sucessivos. Como um delta progride cada vez mais em direo ao mar. A declividade e a capacidade de carregar sedimentos vo diminuindo gradualmente, e caminhos mais curtos para o mar podem ser encontrados em reas adjacentes. Alguns exemplos no Brasil (Rio Paraba do Sul e Rio So Francisco).

11

Paraba

So Francisco

2. Os Tipos de Leitos Fluviais a) Os leitos fluviais correspondem aos espaos ocupados pelo escoamento das guas: Leito Vazante = que est includo no leito menor e utilizado para o escoamento das guas, acompanhando o talvegue; Leito Menor = bem delimitado, encaixa-se entre as margens; Leito Maior Peridico ou Sazonal = relarmente ocupado pelas cheias, pelo menos uma vez ao ano; Leito Maior Excepcional = por onde ocorrem as cheias mais elevadas, as enchentes (nem sempre).

b) c)

d)

12

Leito Maior

DiqueLeito Menor Leito Vazante

Dique

Exemplo dos Leitos do Rio Amazonas

13

3. Terrao Fluvial Os terraos representam antigas plancies de inundao que foram abandonadas. Morfologicamente, surgem como patamares aplainados, de largura variada, limitados por uma escarpa em direo ao curso dgua. Quando compostos por materiais relacionados antiga plancie de inundao, so designados terraos aluviais; Quando foram esculpidos sobre rochas componentes das encostas dos vales, so designados terraos rochosos. Diferentes de terraos estruturais!!!

H vrias explicaes para o abandono da plancie: variao climtica, aprofundamento devido movimentao tectnica etc.

Terrao em SJCampos

14

Terrao ou Plancie Abandonada

Rio

Plancie Nova

Plancie de Inundao Normal

Terrao Embutido

Plancie Nova Rio Rio Terrao de RecobrimentoTerrao Encaixado

4. Os Tipos de Canais Fluviais Os tipos de canais correspondem ao modo de se padronizar o arranjo espacial que o leito apresenta ao longo do rio. No h uma classificao minuciosa dos tipos de canais: a) meandrante; b) anastomosado; e c) retilneo. Alguns autores ainda consideram: deltaico, ramificado, reticulado e irregular. Essa geometria resulta do ajuste do canal a sua seo transversal e reflete o interrelacionamento entre as variveis descargas lquida, carga sedimentar, declive, largura e profundidade do canal, velocidade do fluxo e rugosidade do leito.

15

Ex: canais mendricos = altos teores de argila e silte; canais anastomosados = carga mais arenosa.Margem convexa (agradao) Barra de sedimentos

Local de agradao

Margem cncava (degradao)

Canais Retilneos Os exemplos de canais retos so pouco freqentes, representando trechos de canais curtos, exceo daqueles con