Manual de Adestramento Canino-Manual

  • View
    40

  • Download
    4

Embed Size (px)

Text of Manual de Adestramento Canino-Manual

  • Manual do Adestramento Canino 1 - Entendendo seu co

    1.1 - A Matilha 1.2 - A Ateno 1.3 - A Troca 1.4 - A Punio

    2 - Outras consideraes importantes 3 - A socializao do co 4 - O Adestramento

    4.1 - Os comandos 4.2 - Senta 4.3 - Deita 4.4 - D a pata 4.5 - Fica 4.6 - Busca 4.7 - Busca objetos teis

    5 - Comandos avanados

    5.1 - Adestramento anti-veneno 5.2 - Andar solto na rua 5.3 - Ataque/Defesa 5.4 - Controle da agressividade 5.5 - Fazer as necessidades no lugar certo 5.6 - No cavar o jardim 5.7 - No chorar noite 5.8 - No comer fezes 5.9 - No latir em demasia 5.10 - No morder as pessoas como forma de brincar 5.11 - No pular nas pessoas 5.12 - No roer as coisas 5.13 - No ter cimes

    1 - Entendendo seu co

  • 1.1 - A matilha

    Os ces existem h muito tempo. E, antes de serem domesticados, viviam em matilhas, atuando como predadores. Dentro delas, havia uma grande organizao. E, aprendendo isso, voc saber como seu co pensa, e como voc dever agir com ele.

    Sua famlia uma matilha- Para o co, as pessoas que vivem com ele so a matilha dele, e ele sabe exatamente em que posio hierrquica ele est. Assim, para ter um bom relacionamento com ele, voc deve ser o lder.

    O lder - O lder deve ser voc. o chefe, quem manda. Ele conduz os demais e impe as regras. Por incrvel que parea, ele o mais querido dentro do grupo, e o co fica muito feliz quando ele o agrada. impressionante a confiana que o co tem no seu lder. Mas para isso, a pessoa no pode ser qualquer lder - deve ser um bom lder.

    Como ser um bom lder

    - Dentro de uma matilha, o lder ganha respeito por suas aes, e nunca o impe com violncia, pois afinal, se ele brigar com algum outro co de sua matilha, eles iro se machucar, causando prejuzo para o grupo. E um lder que s consegue respeito gritando ou batendo ruim. Um co que ensinado assim pode ficar medroso, agressivo, inseguro. E pode at mesmo querer descontar as agresses no seu dono nos seus filhos, que so mais frgeis. Alm disso, a violncia no uma punio ideal em nenhum caso.

    - Quando seu co lhe pedir algo, como abrir a porta ou dar-lhe comida, antes de fazer o que ele est pedindo, fale para ele executar alguma funo simples, como sentar. Assim, ele ganhar o que quer, mas ver que ele precisa de voc, e que voc quem escolhe quando vai dar. Se por um acaso o co no quiser executar a funo, no faa o que ele quer, espere at que ele execute-a. Se

  • ele no executar, no preciso puni-lo: s ignor-lo e no fazer o que ele quer, at que ele mude de idia e te obedea.

    - O lder deve ser, acima de tudo, agradvel e carinhoso com seu co. Assim, ele ter o maior prazer em estar obedecendo a algum "gente boa". Da mesma forma que um professor pode fazer voc adorar ou odiar uma matria, voc pode fazer seu co adorar ou detestar o adestramento.

    - No aconselhvel fazer brincadeiras de disputa com os ces, como cabo-de-guerra ou "lutinha", que as crianas adoram fazer. Esse tipo de brincadeira, querendo ou no, uma disputa, e o co aprende a "lutar" contra seu lder.

    - Seu co deve confiar em voc, pois assim, o adestramento muito mais fcil.

    - Quando o co demonstrar submisso a voc ou a qualquer pessoa da matilha, elogie-o e recompense-o.

    1.2 - A ateno

    muito importante que o co preste ateno a voc, para que o processo do adestramento seja mais eficiente. Quanto mais ateno ele presta a voc, mais ele te entender e te obedecer.

    Aumente a ateno - Voc pode fazer algumas coisas para aumentar a ateno que seu co presta a voc:

    - Seja legal: Se voc for franco com seu co e trat-lo com carinho, ele ter todos os motivos para prestar mais ateno a voc.

    - Fale baixo: A audio dos ces bem superior nossa, ou seja, ele escuta melhor que ns. Ento, se voc fala baixo, o co vai ter que ficar mais atento para escut-lo, o que refora a ateno dele por voc.

    - Engane seu co: Esse um bom truque. Quando voc estiver passeando com seu co, mude a direo completamente de uma hora para outra, ou ento, com o co preso coleira, passe pelo lado de um poste que o co no est, para que a coleira d um

  • pequeno tranco nele, e ele passe a prestar mais ateno em onde voc est andando.

    A ateno negativa - Os ces gostam de chamar a ateno dos donos. Mesmo quando essa ateno for negativa. Por exemplo: ele pega algo ou faz algo que no agradvel ao dono, e sabe que levar bronca. Mas essa bronca no deixa de ser ateno, porm negativa. Mas alguns ces apreciam essa ateno, que acaba virando uma recompensa. Um grande problema enfrentado pelos donos de cachorros quando recebem visitas. Como os ces sabem que ficaro sem ateno, no deixam a visita entrar, ou at mesmo fazem xixi na sala para chamar ateno. Nesses casos, a melhor punio ignor-lo, pois se o co for preso ou retirado do local, ele se sentir mais excludo ainda. Outra boa soluo fazer com que a presena da visita seja agradvel ao co, dando biscoitos a ele sempre que a visita chegar, por exemplo.

    1.3 - A troca

    A troca a base do adestramento. Mostra ao co o que certo e o que errado. Ela trabalha em conjunto com a punio. Trata-se de um prmio, uma recompensa que o co recebe depois de executar alguma funo corretamente. No incio, as trocas devem ser usadas para facilitar o processo de aprendizado. Depois que o co j estiver condicionado, a frequncia das recompensas poder ser abaixada.

    Estmulo - Para que o co se sinta estimulado a aprender, necessrio uma troca favorvel a ele: ele executa uma funo e ganha uma recompensa que ele julga legal.

    As recompensas - H vrios tipos de recompensa. Pode-se usar qualquer tipo. O que importa que ela seja o mais interessante possvel para o co:

  • - Petiscos (biscoitos): so as recompensas mais comuns. Eles so bem eficientes, e estimulam muito o co. aconselhvel no caso de ces que no se apegam muito a nenhum brinquedo especfico, ou para aqueles que so esfomeados. Algumas pessoas no gostam de usar petiscos, pois dizem que eles atrapalham a dieta do co, e que ele s obedece com os biscoitos. - Brinquedos: H vrios ces que adoram certos brinquedos, como bolinhas ou ossinhos. No caso deles, o brinquedo predileto a melhor recompensa.

    - Carinho ou palavras amigveis: Para quem no gosta de utilizar biscoitos ou brinquedos, uma boa soluo.

    - Passeio ou comida: uma boa recompensa tambm: voc manda seu cachorro fazer algum comando, e como recompensa, leva-o a passear, ou serve seu jantar.

    A recompensa pela desobedincia - s vezes, sem saber, algum recompensa seu co pela desobedincia. Por exemplo: o co pega alguma coisa proibida e o dono sai correndo atrs dele. O que o co quer exatamente isso: que corram atrs dele; que lhe dem ateno. E ele est sendo recompensado pela desobedincia de pegar algo que no permitido.

    Valorizando a recompensa - Quanto mais interessante a recompensa for para seu cozinho, mais ele vai querer acertar para ganh-la. Uma boa forma de valorizar o objeto de troca pegar uma bolinha e dar ao co, fazendo a maior festa com ele enquanto ele estiver com ela, e depois que ele solt-la, brincar voc mesmo com a bolinha, dando toda sua ateno a ela, falando com ela, at que o co se interesse por ela. Depois disso, guarde a bola, para que ela no perca o encanto. Assim, o co vai valorizar muito essa bolinha, e far de tudo para t-la!

    A progresso - medida em que o co for aprendendo, voc pode ir espaando a recompensa (biscoito e brinquedo), e mantendo os elogios (palavras amigveis, "muito bem!"). E o co

  • vai executando as funes ciente de que vai receber sua recompensa.

    1.4 - A punio

    Funo - A punio fundamental para o adestramento, pois com ela, o co aprende o que certo e o que errado. fundamental entender que a punio deve ser aplicada ao do co, e no ao co. Enquanto se est punindo o co, deve-se curvar seu corpo na direo dele e falar fazendo cara de mau. Assim, logo que ele fizer a coisa errada, puna-o, mas rapidamente esquea, e finja que nada aconteceu. Ficar com raiva dele devido a algum ato apenas atrapalha (e muito) o adestramento. Se voc no conseguir segurar e ficar com raiva do cozinho, d meia volta imediatamente e volte para casa, pois passear nervoso com o co no d certo.

    Modo de punio ideal - Sempre que possvel (e nem sempre possvel aplicar esse tipo de punio), a punio deve ser feita de forma que o co no veja que voc foi o responsvel. a chamada punio despersonalizada. Por exemplo: ele est comendo algo na rua, a voc joga algo (chaves, coleira) perto dele (no para acertar nele, s para assust-lo). Ele levar o maior susto, que ser a punio. E no perceber que foi voc. Mas qual a vantagem disso? Que se a punio vier de voc, ele perceber que quando voc no estiver por perto, ele vai estar liberado para fazer a coisa errada, mas se ele no vir que ela veio de voc, ele saber que no pode fazer, voc estando ou no l. Outro timo exemplo o de ces que roubam comida. A melhor punio nesse caso colocar pimenta ou alguma substncia no-txica amarga ou desagradvel na comida que ser roubada (ser uma espcie de armadilha). Assim, o co aprender que no pode roubar comida, estando voc perto ou no. Um exemplo que aconteceu com um Labrador muito bom: passeando com o dono, ele achou uma linguia apetitosa, mas quando foi comear a comer, as formigas que estavam nela

  • comearam a picar sua boca. Ele parou de comer a linguia na hora, e ainda se sentiu muito incomodado. Existe punio melhor?

    Apesar desse tipo de punio ser o melhor, em alguns casos, ele no tem necessidade, como quando voc quer que o co tenha um comportamento na sua presena e outro na sua ausncia. Por exemplo, voc no quer que ele fique latindo na sua presena, mas quer que lata na sua ausncia, para proteger a casa.

    Eficincia - As punies devem funcionar de primeira. H pessoas que falam uma vez com o co, carinhosamente; e comeam