VESTIBULAR UFSM 2012 PROVA II

  • Upload
    aiu-bio

  • View
    1.737

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Biologia Física Geografia História Língua Estrangeira Língua Portuguesa Literatura Brasileira Matemática Química Inscrição nº:Em 1816, sob os auspícios da Família Real Portuguesa, chegou ao Brasil um grupo de pintores que integrou a "Missão Artística Francesa". Um desses artistas foi Jean Baptiste Debret, que retratou em aquarelas cenas do cotidiano da sociedade brasileira na cidade do Rio de Janeiro. Observe uma de suas obras:?FONTE: http://www.marilia.unesp.br/home/revistaseletronicas/ba

Citation preview

Biologia Fsica Geografia Histria Lngua Estrangeira Lngua Portuguesa Literatura Brasileira Matemtica Qumica Inscrio n:

Em 1816, sob os auspcios da Famlia Real Portuguesa, chegou ao Brasil um grupo de pintores que integrou a "Misso Artstica Francesa". Um desses artistas foi Jean Baptiste Debret, que retratou em aquarelas cenas do cotidiano da sociedade brasileira na cidade do Rio de Janeiro. Observe uma de suas obras:

?FONTE: http://www.marilia.unesp.br/home/revistaseletronicas/baleianarede/edicao03/pintura.pdf (adaptado)

Famlia pobre em sua casa, litografia de Jean Baptiste Debret.

Agora leia o texto a seguir para responder s questes de nmeros 01 e 02.

Famlia pobre em sua casa apresenta uma cena ocorrida no interior de um ambiente domstico, onde os personagens esto todos no primeiro plano, com destaque suficiente para que suas aes sejam percebidas. Ao dividirmos a obra ao meio, dois personagens ficam esquerda da composio, para quem observa, e outro direita, o que poderia denotar, em princpio, certo desequilbrio. A luz distribuda de 5 maneira uniforme entre todos os elementos da obra, e as paredes, em tons escuros, no so vazias. Ao contrrio, so carregadas de texturas e objetos que, no final das contas, contribuem para que a composio obtenha um novo equilbrio. Em p, prxima entrada da casa, vemos uma mulher negra, que talvez tenha acabado de entrar no ambiente. Ela alta, ocupando quase a totalidade do espao vertical do lado esquerdo da composio, 10 e torna-se maior ainda em razo do recipiente que carrega, sem o apoio das mos, em sua cabea. Tal objeto grande e deve estar cheio, porque se nota uma penca de bananas em sua abertura [...]. Suas roupas so simples: um leno na cabea, que lhe d suporte para carregar o pesado objeto, uma saia azul, que cobre totalmente os membros inferiores, e uma blusa branca, que cai suavemente at o cotovelo, deixando mostra seu colo, no denotando, contudo, qualquer sensualidade, j que no se destacam as 15 formas do seio, mas sim de costelas sob a pele, o que lhe d uma fisionomia esqueltica. Com a mo direita ela parece oferecer algo para uma mulher branca sentada no cho, e com a mo esquerda parece pegar o restante da oferta que guarda na sua blusa, que, cada at o ombro, funciona como um recipiente cncavo. Contudo, no possvel ver se ela est pegando realmente algo, se est apenas se coando ou ainda se est sentindo alguma dor no local, haja vista o esforo de carregar um pesado recipiente sobre a 20 cabea [...].1Fonte: TREVISAN, A. R. A pintura da vida prosaica: pobreza e escravido nas aquarelas de Debret. Baleia na rede - Revista online do Grupo de Pesquisa e Estudos em Cinema e Literatura, Unesp, v. 1, n. 3, p. 199-200, 2006. ISSN: 1808-8473. Disponvel em http://www.marilia.unesp.br/home/revistaseletronicas/baleianarede/edicao03/pintura.pdf. 2011. (adaptado)

Pgina01

Questo01Com relao ao uso de elementos lingusticos no texto, considere estas afirmativas: I - A expresso "para que" (.2) introduz a finalidade da posio das personagens em primeiro plano na imagem. II - Os segmentos "que" (.8), "Ela" (.9) e "sua" (.10) retomam "uma mulher negra" (.8), a qual, na imagem, remete nica personagem que se encontra de p. III - As palavras "alta" (.9), "grande" (.11) e "simples" (.12) atribuem caractersticas para o mesmo sujeito. IV - O "se", em "se ela est pegando" (.18), tem a mesma classe gramatical do "se" em "apenas se coando" (.18). Est(o) correta(s)A B

apenas I. apenas II.

C D

apenas I e II. apenas I, II e III.

E

apenas III e IV.

Questo02Assinale a afirmativa correta sobre o texto.A

O texto verbal descreve elementos que compem a obra intitulada "Famlia pobre em sua casa", tais como: disposio e vestimentas das personagens, animais domsticos, luminosidade e objetos nas paredes. No primeiro pargrafo, so descritos aspectos que compem o cenrio e as aes executadas por cada uma das personagens retratadas. No segundo pargrafo, so apresentados detalhes sobre a aparncia fsica, roupas e possveis aes realizadas por uma das personagens. Nos excertos "em sua cabea" (.10), "sob a pele" (.15) e "para uma mulher branca" (.16), as preposies introduzem circunstncias de lugar, posio inferior e finalidade, respectivamente, e contribuem para a descrio da mulher negra. O autor do texto manifesta convico ao mencionar o momento da entrada da mulher negra no ambiente e as aes que essa personagem realiza com a mo esquerda.

B

C

D

E

Questo03A anlise psicolgica das personagens frente precariedade da condio humana se constitui em importante foco da obra machadiana. Observe o trecho a seguir, extrado do conto Um homem clebre.

Comeou a obra; empregou tudo, arrojo, pacincia, meditao, e at os caprichos do acaso, como fizera outrora, imitando Mozart. Releu e estudou o Requiem desse autor. Passaram-se semanas e meses. A obra, clere a princpio, afrouxou o andar. Pestana tinha altos e baixos. Ora achava-a incompleta, no lhe se sentia a alma sacra, nem ideia, nem inspirao, nem mtodo; ora elevava-se-lhe o corao e trabalhava com vigor. Oito meses, nove, dez, onze, e o Requiem no estava concludo. Redobrou de esforos; esqueceu lies e amizades. Tinha refeito muitas vezes a obra; mas agora queria conclu-la, fosse como fosse. Quinze dias, oito, cinco... A aurora do aniversrio veio ach-lo trabalhando. Contentou-se da missa rezada e simples, para ele s. No se pode dizer se todas as lgrimas que lhe vieram sorrateiramente aos olhos foram do marido, ou se algumas eram do compositor. Certo que nunca mais tornou ao Requiem.

pertinente afirmar que I - a fama de Pestana, em seu ntimo, ilcita, pois ele ansiava pela composio de uma obra de arte musical, no de simples polcas que, mesmo tornando-se sucessos, no eram criaes complexas como as dos compositores a que ele adorava.

Pgina02

II - uma das temticas recorrentes na obra machadiana a base desse conto: o ideal de perfeio, articulado ao impasse ntimo decorrente da oposio entre essncia e aparncia, que tambm est presente no conto O espelho. III - a busca da perfeio, nesse conto, explicita-se tanto no intento e afinco com que Pestana se dedica ao Requiem, como nas lgrimas derramadas na missa da falecida esposa. Est(o) correta(s)A B

apenas I. apenas II.

C D

apenas III. apenas I e III.

E

I, II e III.

Questo04Analise os fragmentos a seguir. A sociologia, a antropologia e outras cincias humanas lanaram mo [dessa] categoria para demonstrar e sistematizar as desigualdades socioculturais existentes entre mulheres e homens, que repercutem na esfera da vida pblica e privada de ambos os sexos, impondo a eles papis sociais diferenciados que foram construdos historicamente e criaram polos de dominao e submisso. Impe-se o poder masculino em detrimento dos direitos das mulheres, subordinando-as s necessidades pessoais e polticas dos homens, tornando-as dependentes. Portanto, [esse] termo pode ser entendido como um instrumento, como uma lente de aumento que facilita a percepo das desigualdades sociais e econmicas entre mulheres e homens, que se deve discriminao histrica contra as mulheres. Esse instrumento oferece possibilidades mais amplas de estudo sobre a mulher, percebendoa em sua dimenso relacional com os homens e o poder. Com o uso desse instrumento, podese analisar o fenmeno da discriminao sexual e suas imbricaes relativas classe social, s questes tnico-raciais, intergeracionais e de orientao sexual.

TELES, Maria Amlia de Almeida & MELLO, Mnica. O que violncia contra a mulher. So Paulo: Brasiliense, 2003. p. 16-17. (adaptado)

Fundamental para os estudos histricos na atualidade, o texto se refere ao conceito deA B

gnero. patriarcado.

C D

empoderamento. matriarcado.

E

feminismo.

Questo05Observe a imagem das runas de Cartago, no territrio da atual Tunsia.

As runas de Cartago revelam a influncia dos fencios e de outros povos na cultura e na composio tnica dos povos do Magreb. Sobre essa influncia, correto afirmar: I - Desenvolveu o contato entre diferentes povos e, atualmente, a Tunsia o mais liberal dos pases rabes, principalmente em relao s mulheres, que possuem direitos civis. II - Contribuiu para a formao da frica Branca, pois a populao de origem berbere, nmade ou no, constitui o principal grupo tnico dos habitantes do Magreb. III - Colaborou no desenvolvimento do comrcio em toda a costa africana do Mediterrneo, e Cartago representa importante atrativo do turismo cultural.E

Fonte: RIGOLIN, Trcio Barbosa; ALMEIDA, Lcia Marina de. Fronteiras da globalizao. Geografia geral e do Brasil. So Paulo: tica, 2004. p. 314. (adaptado)

Est(o) correta(s)A B

apenas I. apenas III.

C D

apenas I e II. apenas II e III.

I, II e III.

Pgina03

Questo06Considere as seguintes manifestaes da arte e da literatura romnticas:

Imagem de Frances Danby, Amor decepcionado. Especialista em paisagens poticas, o irlands Frances Danby (1793-1861) considerado como um dos mais distintos pintores do Romantismo.ABAURRE, M.L.M.; PONTARA M. Literatura Brasileira. So Paulo: Moderna. S.d. p. 228. Volume nico. (adaptado)

Todas as alternativas a seguir esto corretas, EXCETO: Enfim te vejo! - enfim posso, Curvado a teus ps, dizer-te, Que no cessei de querer-te, Pesar de quanto sofri. Muito penei! Cruas nsias, Dos teus olhos afastado, Houveram-me acabrunhado, a no lembrar-me de ti! [...] Lers porm algum dia Meus versos, d'alma arrancados, D'amargo pranto banhados, Com sangue escritos; - e ento Confio que te comovas, Que a minha dor te apiade, Que chores, no de saudade, Nem de amor, - de compaixo(primeira e ltima estrofes do poema "Ainda uma vez - adeus! -", de Gonalves Dias)A

O estado de esprito da mulher representada na pintura de Danby pode ser comparado ao estado de sofrimento e pesar do eu lrico do poema de Gonalves Dias. Em "Ainda uma vez - adeus! -", o eu lrico se dirige mulher amada, como comprova o uso da segunda pessoa do singular. Nos versos citados, o eu lrico idealiza a mulher amada e pretende convenc-la a aceitar seu amor. O contexto soturno da pintura ressalta a ideia de melancolia e sofrimento sugerida na imagem da mulher, como se o sentimento dela tivesse ressonncia na paisagem, assemelhando-se aos sentimentos do eu lrico. A maneira metafrica com que o eu lrico define seus "versos" comprova a tendncia dos romnticos ao arrebatamento e ao exagero.

B

C

D

E

Pgina04

STAPLETON COLLECTION/CORBIS - STOCKPHOTOS

Questo07A respeito de O Cortio, de Alusio Azevedo, classifique as afirmaes seguintes como verdadeiras (V) ou falsas (F). ( ) O texto aponta a anlise minuciosa da sociedade, como se as situaes envolvendo as personagens do romance fossem observadas atravs de uma lupa, o que implica o detalhamento e a objetividade evidentes na obra. ( ) A profunda anlise do coletivo focada em figuras marginalizadas, as quais se orientam pelo instinto, no racionalmente, o que atesta o pendor cientificista de Azevedo nesse romance naturalista, embora no ocorra a animalizao das personagens. ( ) O meio e o contexto histrico, para os naturalistas, tm total influncia sobre os homens, o que explica a postura de Joo Romo, Rita Baiana e Jernimo, personagens apresentadas pelo narrador como produto da raa e do meio. A sequncia correta A B

V F V. F V F.

C D

V V V. V F F.

E

F V V.

Para responder questo de nmero 08, leia o texto a seguir.

Debret e a construo do imaginrio histrico brasileiro1

Para entendermos a influncia de Debret sobre o nosso imaginrio, vamos observar e comparar a imagem do ndio e a do negro a seguir.

FONTE:http://educacao.uol.com.br/artes/missao-artistica-debret.jhtm (adaptado)

Como o ndio est representado? E os negros? A representao do ndio totalmente idealizada. Para Debret e outros pintores neoclssicos, os 5 ndios so sempre fortes, tm traos bem-definidos e esto sempre em cenas heroicas. Quanto aos escravos, ainda que em situao de punio, as cores da pintura minimizam o drama do castigo, e a senzala, local onde provavelmente esto, encontra-se inclusive limpa, iluminada. Ser que vem da o fato de esquecermos, muitas vezes, que houve escravido indgena no Brasil? Ou, ainda, viriam dessas imagens a ideia de que os ndios eram fortes e no se deixavam escravizar? Embora 10 a escravido africana tenha sido muito maior, em termos de nmero de escravos, os ndios tambm foram escravizados, principalmente no perodo do bandeirismo. Com relao aos negros, dificilmente vemos a representao de homens revoltosos e descontentes com sua situao de cativos. Normalmente, eles esto trabalhando e, quando castigados, tm um olhar resignado. Ser que vem da a ideia de uma "democracia racial" no Brasil? 15 Diversos fatores contribuem para a construo do imaginrio sobre determinada poca, mas, certamente, a comunicao visual por meio de pinturas e gravuras, ou da fotografia, da tev e do cinema tem uma fora muito grande.Fonte: ALENCAR, V. P. Debret e a cobstruo do imaginrio histrico brasileiro. Pedagogia & Comunicao. Disponvel em http://www.educacao.uol.com.b/cultura-brasileira/missao-artistica-francesa-2-debret-e-a-construcao-do-imaginario-historico-brasileiro.jhtm. (adaptado)

Pgina05

Questo08Com relao estrutura sinttica de passagens do texto, assinale a alternativa que apresenta uma anlise correta.A

O ttulo "Debret e a construo do imaginrio histrico brasileiro" uma orao nominal que tem subjacente uma ao, razo pela qual, sem mudana de sentido, pode ser reescrita assim: "Debret construiu o imaginrio histrico brasileiro". O predicativo "fortes" (.5), o objeto direto "traos bem-definidos" (.5) e o adjunto adverbial "em cenas heroicas" (.5) corroboram a descrio do ndio representado, na obra de Debret, como guerreiro. Por meio de estruturas interrogativas nas linhas 8 a 9 e 14, solicitada uma srie de informaes que so fornecidas ao longo do texto. O uso dos vocbulos "revoltosos" (.12) e "descontentes" (.12-13) caracteriza os negros representados nas obras de Debret. Em trechos com verbos em primeira pessoa do plural, como em "vamos observar" (.1) e "dificilmente vemos" (.12), inclui-se como sujeito o autor e exclui-se o leitor.

B

C

D

E

Observe a imagem:

Mural "Retbulo da Independncia", de Juan O'Gorman (1961)

Nesse mural da segunda metade do sculo XX, o pintor mexicano apresentou uma interpretao visual da histria da Independncia do Mxico, processo ocorrido nos incios do sculo XIX. A comparao entre as vises sobre esse processo histrico e a interpretao feita por O'Gorman permite afirmar: I - O pintor mexicano no considerou as revoltas lideradas pelos padres Hidalgo e Morelos como o ponto de partida da independncia do seu pas, haja vista que, no centro da pintura, esto em destaque as figuras de militares e polticos, dando incio luta contra a metrpole espanhola. II - Os padres Hidalgo e Morelos so figuras destacadas, porque iniciaram o processo de rompimento com a Espanha ao projetarem um governo que tinha a populao nativa e a propriedade comunal indgena como principais esteios. III - A derrota do movimento liderado pelos padres Hidalgo e Morelos no impediu a continuidade e a vitria do movimento independentista sob a liderana de militares e polticos, representantes e defensores da vontade popular na Repblica instaurada. IV - Ao representar a independncia do Mxico com um painel em que se localizam os diferentes setores sociais, o artista est endossando uma viso: a de que a formao do Estado mexicano o resultado de um amplo movimento que envolveu diversos grupos sociais. Est(o) correta(s)A B

apenas I e II. apenas I, II e III.

C D

apenas III. apenas II e IV.

E

apenas IV.Pgina06

MOTA, B. Myriam; BREICK, R. Patrcia. Histria das cavernas ao terceiro milnio. SP: Moderna, 2010. Vol. 2, p. 268. (adaptado)

Questo09

Questo10Observe a fotografia registrada em Mogadscio (Somlia), em 23 de setembro de 2010, premiada no World Press Photo. A mesma globalizao que faz o capital girar da sia s Amricas em segundos e entrelaa os interesses de naes distantes tambm acirra a competio por mercados. A disputa por riquezas naturais marca a histria da frica e d o cenrio no qual a Somlia se desagregou como pas e sucumbiu s lutas de bandos armados.(Revista Atualidades,edio 13, 2011. p.4)

OMAR FEISAL/REUTERS/WPP2010/DIVULGAO

Assinale a alternativa que engloba tanto o pensamento do texto quanto a realidade da foto.Revista Atualidades,edio 13, 2011. p.4.

A

B C

Ao mesmo tempo que pases prosperam, que a tecnologia rompe fronteiras e que a informao torna o globo um lugar pequeno, h povos e regies que regridem sociedade tribal. A globalizao enriquece os pases da sia e das Amricas e enfraquece as economias dos pases africanos. As crises agudas de fome que vm atingindo pases africanos, nas ltimas dcadas, decorrem das conjunturas climticas de estaes secas prolongadas. Nos pases africanos em que os fatores estruturais da pobreza foram resolvidos pela globalizao dos mercados, um jovem precisa "matar um tubaro por dia". A desintegrao da velha economia de subsistncia tribal desencadeou uma onda de fome de vastas propores que vem sendo resolvida pela exportao de riquezas naturais, especialmente, pedras preciosas.

D

E

Questo11Analise a imagem e o texto: Seus objetivos foram mais abrangentes, no se limitando apenas aos ideais de liberdade e independncia. O levante do final do sculo XVIII propunha mudanas verdadeiramente revolucionrias na estrutura da colnia. Pregava a igualdade de raa e de cor, o fim da escravido, a abolio de todos os privilgios, podendo ser considerada a primeira tentativa de revoluo social brasileira.Fonte: COSTA & MELO. Histria do Brasil. So Paulo: Scipione, 1999. p. 118.

Assinale a alternativa que contm o nome desse movimento e indica a fonte de uma das principais influncias externas por ele recebidas.Fonte: NOVAES & LOBO. Histria do Brasil para principiantes. 2.ed. So Paulo: tica, 1998. p. 129.

A B C D E

Guerra dos Mascates Revoluo Inglesa Inconfidncia Mineira Independncia dos Estados Unidos Conjurao Baiana Revoluo Francesa Confederao do Equador Congresso de Viena Revolta dos Mals Revoluo Independentista do Haiti

Pgina07

Questo12Observe a figura: Nas figuras, o cartunista compara o trfico negreiro com o transporte ilegal de imigrantes. A comparao do cartunista e os conhecimentos sobre as migraes no mundo revelam que os imigrantes I - em situao irregular ficam sujeitos a incertezas e discriminaes e acabam por integrar marginalmente a fora de trabalho, o que se transforma, em alguns casos, em escravido. II - tm plena cidadania, gozam dos direitos civis, como servio de sade, de educao e de transporte. III - assumem trabalho pesado com baixa remunerao e vivem em bairros afastados ou nos subrbios das cidades. IV - so vtimas de atitudes racistas e/ou de intolerncia conhecidas como xenofobia.TERRA, Lygia; ARAJO, Regina; GUIMARES, Raul Borges. Conexes: Estudos de Geografia Geral. So Paulo: Moderna, 2009. p. 333.

Est(o) correta(s)A B

apenas I e II. apenas III.

C D

apenas II e IV. apenas I, III e IV.

FELIPE GALINDO/CARTOONSTOCK

E

I, II, III e IV.

Questo13A vida em sociedade no uma caracterstica s dos seres humanos. Os animais tambm vivem em grupo ou em associao, sob diversas formas, como as chamadas relaes ecolgicas. Essas relaes podem ocorrer entre os indivduos de uma mesma espcie ou entre indivduos de espcies diferentes e podem ainda ter efeitos positivos ou negativos nos organismos envolvidos. Observe as imagens:KEYSTONE KEYSTONEPETER SCOONES/SCIENCE PHOTO LIBRARY

LINHARES, Srgio; GEWANDSZNAJDER. Biologia hoje. So Paulo: tica, 2009. p. 316, 317. (adaptado)PETER SCOONES/SCIENCE PHOTO LIBRARY

Considerando as relaes ecolgicas intraespecficas e interespecficas, analise as afirmativas. I - A competio s ocorre entre indivduos de espcies diferentes. II - Colnia se refere a um grupo de indivduos de espcies diferentes que interagem mutuamente, com diviso de trabalho entre seus componentes. Os corais so exemplos desse tipo de interao. III - Sociedade se refere a um grupo de organismos da mesma espcie que manisfestam certo grau de cooperao, comunicao e diviso de trabalho, conservando relativa independncia entre eles. H vrios exemplos deles entre os Hymenoptera, como as vespas. Est(o) correta(s) A apenas I. B apenas II.

C D

apenas III. apenas I e II.

E

apenas I e III.

Pgina08

Questo14VICENTINO, Cludio; DORIGO, Gianpaolo. Histria para o Ensino Mdio. So Paulo: Atual, 2008. p. 337. (adaptado)

A disperso dos seres humanos nos espaos da terra pode ser conhecida no apenas pela rara presena de partes de esqueletos fossilizados e pela anlise gentica, mas sobretudo pelos vestgios da cultura material - pegadas, restos de fogueiras, artefatos lticos e cermica - e produes denominadas "artsticas", como as pinturas rupestres, as esculturas e os monumentos megalticos. Na medida em que so considerados todos esses elementos, a anlise da expanso humana e da sua disperso pelos diversos espaos de todos os continentes permite afirmar: I - correta a afirmao de que a frica o "bero da humanidade" na medida em que o continente africano constituiu-se no ponto de partida das primeiras migraes humanas.Expanso humana a partir da frica

Observe o mapa:

II - O processo de evoluo da humanidade permitiu o surgimento das primeiras civilizaes, como as do Egito Antigo na frica, da Mesopotmia, da ndia e da China na sia. III - No continente americano, povoado por migraes h milhares de anos, os Maias, os Astecas e os Incas, entre outros, criaram complexas sociedades que constituram verdadeiras civilizaes nas Amricas. IV - As diferenas tnicas e culturais criadas pela milenar disperso da humanidade, atravs das vrias e diferentes regies da superfcie terrestre, no anulam o fato de que todos os seres humanos compartilham ancestrais africanos. Esto corretas A C E I, II, III e IV. apenas II e III. apenas I e II. B D apenas III e IV. apenas I e IV.

Questo15As pinturas rupestres datam da pr-histria do ser humano, em um tempo em que a vida em sociedade e a cultura estavam ainda em evoluo inicial. Naquele tempo, era comum encontrar representaes em cavernas que retratavam o homem em seu meio natural, como ocorria na atividade de caa a diversos animais. Assim, a relao do homem com o meio ambiente antiga e enfatiza a importncia das relaes de interao dos organismos com o meio que os envolve. Sobre os processos que envolvem as relaes ecolgicas e dinmicas das populaes dos seres vivos, assinale a alternativa correta.AMABIS, M. Jos; MARTHO, R. Gilberto. Biologia: biologia das populaes. So Paulo: Moderna, 2009. p. 317.

A

A predao o nico fator a determinar o crescimento populacional de uma espcie de presa, como ocorre com a lebre cujo predador o lince. As espcies de animais silvestres exibem naturalmente um tipo de crescimento populacional chamado de crescimento exponencial, no regulado pela capacidade de suporte do ambiente.

B

Em uma pirmide de energia, pode-se considerar o sol como produtor, uma planta como consumidor primrio e o ser humano como consumidor secundrio.C D

Quanto ao fluxo energtico no ecossistema, apenas uma parte da energia permanece na cadeia alimentar, indo ao nvel trfico seguinte; o restante , em parte, eliminado pela respirao celular. O homem pr-histrico, ao consumir a carne de sua caa, no estava participando do ciclo de matria e do fluxo de energia no ecossistema, j que vivia, desde aquele tempo, em um sistema artificial criado por ele.

E

Pgina09

Questo16Observe as imagens: Nas gravuras, veem-se uma pintura egpcia (2100 a.C.) e um baixo-relevo mesopotmico (645 a.C.). A partir desses dois modos de representar a vida cotidiana na Antiguidade Oriental, possvel afirmar: I - Uma caracterstica comum s civilizaes do Egito e da Mesopotmia, na Antiguidade, era o predomnio do comrcio sobre as atividades agropastoris. II - As duas civilizaes tinham como atividade primordial a agricultura de irrigao e utilizavam os animais como principal meio de transporte. III - Na produo artstica de cada povo, o historiador encontra no apenas o registro do mundo do sagrado, do poder e da vida material, mas tambm a indicao de valores e costumes existentes nas sociedades.C. 645 A.C. MUSEU BRITNICO, LONDRES

C. 2100 A.C. MUSEU EGPCIO, TURIM

IV - A arte dos povos antigos no tinha funo poltica nem religiosa e era, antes de mais nada, a expresso da sensibilidade do artista e a fruio prazerosa do espectador. Est(o) correta(s)A BFARIA, R.; MIRANDA, M.; CAMPOS, H. Estudos de Histria. SP: FTD, 2009. Vol. 1, p. 47. (adaptado)

C

apenas I e II. apenas II e III. apenas I, II e III.

D E

apenas III e IV. apenas IV.

Para responder questo de nmero 17, leia o texto a seguir e observe a imagem que o segue.PROENA, Graa. Histria da arte.So Paulo: tica, 2009. p.251. (adaptado)

Diferentemente do Realismo e Impressionismo, o Expressionismo tem como interesse projetar uma reflexo subjetiva e no retratar a realidade. Por isso, 5 comum o retrato de seres humanos solitrios e sofredores, que podem ser vistos em vrios quadros de personagens deformados, como o ser humano desesperado sobre a ponte em "O grito", do 10 noruegus Edvard Munch, um dos representantes do Expressionismo.1FONTE: http://www.mundoeducacao.com.br/artes/o-expressionismo.htm. Acesso em: 14 jun. 2011. (adaptado)

O Grito, de Edvard Munch, de 1893. leo, tmpera e pastel em carto, 91 x 73,5 cm.Pgina10

Questo17Assinale verdadeiro (V) ou falso (F) em cada afirmativa. ( ) A vrgula empregada na linha 2 sinaliza o deslocamento do adjunto adverbial de comparao. ( ) Na linha 10, a vrgula antecede um aposto que, por sua vez, traz uma informao a respeito do artista noruegus. ( ) O emprego de elementos que estabelecem relaes lgicas, como Diferentemente (.1) e Por isso (.4), e o uso de verbos no sistema do presente, como tem (.2), (.5) e podem (.6), caracterizam o texto como dissertativo-expositivo. ( ) Na imagem que compe a obra "O grito", a personificao do pnico d-se pela expresso de um indivduo que, completamente sozinho no ambiente, retratado com a boca no formato de O, os olhos estalados e as mos posicionadas diante da face. A sequncia correta A V F V V. B F F V F.C D

F V V F. V F F V.

E

V V V F.

Questo18Gritos de desespero h muitos na sociedade. Vrias pardias da obra "O Grito", de Munch, foram produzidas para representar o estado de esprito do ser humano em diferentes situaes. Assinale a alternativa na qual se apresenta um ttulo que atende, ao mesmo tempo, s seguintes condies:- uma verbalizao adequada da situao representada na imagem; - constitui-se de uma frase nominal.

http://humornainformatica.blogspot.com (adaptado)

http://notasaocafe.wordpress.com (adaptado)

A

B

C

Indivduo tem ansiedade e aflio diante do computador.

Soldado sente angstia e medo na guerra.

Homem moderno estressado e deprimido.

D

http://veja.abril.com.br (adaptado)

E

Dissimulao da dor fsica.

Preocupao e angstia perante problemas ambientais.

Pgina11

http://www.toonpool.com (adaptado)

http://ellenpeliciari.arteblog.com.br (adaptado)

Questo19Observe a figura: O apelo ambiental, social e econmico do movimento proposto pelo cartaz refora queMOUNTAINBIKEBH.COM.BR

I - o transporte intraurbano, nas ltimas dcadas, conheceu uma verdadeira exploso nas taxas de motorizao individual. II - a poluio e os acidentes de trfego tambm fazem parte da lista de problemas gerados pelo crescimento intensivo do transporte individual. III - as estratgias voltadas para reduzir a crise do trfego urbano concentraram-se na multiplicao de diversas obras, as quais desfiguraram a paisagem urbana, deterioraram reas residenciais, parques e praas. IV - novas infraestruturas de circulao geram seus prprios congestionamentos, e o automvel, cone da liberdade de deslocamento, torna-se smbolo das mazelas da vida urbana.

TERRA, Lygia; ARAJO, Regina; GUIMARES, Raul Borges. Conexes: Estudos de Geografia do Brasil. So Paulo: Moderna, 2009. p. 302.

Esto corretasA B

apenas I e II. apenas I e III.

C D

apenas II e IV. apenas III e IV.

E

I, II, III e IV.

Questo20Observe a figura:

Revista Geografia, edio 3, 2011. p.13.

A imagem parece uma pintura a leo, mas trata-se de uma imagem de satlite do canal da ilha de Madagascar onde o desmatamento provoca a eroso do solo que arrastado at o canal da ilha. A deposio e o acmulo de sedimentos e partculas transportados a grandes distncias pela fora das guas formam solosA B

eluviais. aluviais.

C D

zonais. desrticos.

E

interzonais.

NASA

Pgina12

Questo21Na primeira fase da revoluo industrial, o processo de explorao do carvo, na Inglaterra, foi melhorado com a utilizao de mquinas a vapor, para retirar a gua acumulada nas minas. Considere uma mquina a vapor representada pelo esquema seguinte:

Reservatrio Trmico T2Q2

W

Q1

Reservatrio Trmico T1

Q2 a energia retirada do reservatrio de maior temperatura (T2) a cada ciclo. Q1 a energia cedida ao reservatrio de menor temperatura (T1). W a energia associada ao trabalho da mquina sobre a vizinhana. Ento, analise as afirmativas: I Pela primeira lei da Termodinmica, em valores absolutos, Q1 + Q2 = W. II Se o esquema representa uma mquina reversvel, o ciclo termodinmico realizado pela substncia de trabalho formado por duas isotermas e duas adiabticas. III Como o reservatrio de temperatura mais alta perde energia e o reservatrio de temperatura mais baixa ganha energia, T2 diminui e T1 aumenta, por isso o rendimento diminui com o tempo. Est(o) correta(s) A apenas I. B apenas II. C apenas III. D apenas I e II. E apenas II e III.

Questo22Dentro de uma mina de carvo, existe acmulo de gua. Para retirar essa gua, uma bomba de suco instalada na boca da mina, ao nvel do solo. Assim,A B C D

quanto maior a profundidade da gua, maior deve ser a potncia do motor que aciona a bomba. se a profundidade da gua maior do que 11 m, a bomba no retira gua da mina. se a profundidade da gua grande, duas ou mais bombas devem ser instaladas em srie ao nvel do solo. a mesma bomba pode retirar a gua em qualquer profundidade, mas, com profundidades maiores, diminui a vazo nas tubulaes. a bomba de suco no pode retirar gua da mina, porque s funciona no vcuo.

E

Pgina13

Questo23INFOGRFICO: LUIZ IRIA E RODRIGO RATIER/REVISTA MUNDO ESTRANHO

Esculturas da Terra, responsveis pela sustentao de continentes e oceanos, as placas tectnicas formam e moldam o relevo do planeta. Com base na ilustrao e nos conhecimentos sobre as placas tectnicas, indique as alternativas verdadeiras (V) e as falsas(F). ( ) As placas tectnicas so gigantescos fragmentos que atuam como "artistas" e que, continuamente, recriam a paisagem da Terra. ( ) A configurao atual dos continentes fruto de milhes de anos de "trabalho artstico" das placas, no processo conhecido como deriva continental.Revista Geografia, edio 3, 2011. p.30. (adaptado)

( ) As placas de Nazca e a Sul-Americana agrupam-se e provocam a subduco da placa de Nazca: a placa Sul-Americana, por ser mais leve, desliza por cima da placa de Nazca, elevando as montanhas dos Andes. A sequncia correta A V F F. B V V V. C V F V. F F V. F V F.

Nazca Sul-Americana

D E

Questo24Observe as imagens:PROENA, Graa. Histria da arte. SP: tica, 2009. p. 31, 33 e 39. (adaptado)

Com base nas gravuras, reflita a respeito da Antiguidade Clssica e analise as afirmativas a seguir. I - A Civilizao Grega no sofreu influncia dos egpcios nem dos povos do Oriente Mdio. Sua cultura esgotou-se entre os gregos e sua originalidade foi reconhecida apenas com o Renascimento Cultural.MUSEU NACIONAL ROMANO, ROMA

GIANNI DAGLI ORTI

JOHN HESELTINE/CORBIS

II - A arte do perodo clssico evidenciou o ideal grego de harmonia e equilbrio, percebido tanto na representao da figura humana quanto no projeto de sociedade, a plis.

Kouros. Perodo Arcaico

Dorforo, de Policleto (cpia romana) Perodo Clssico

III - A arte do perodo helenstico expressou uma dramaticidade que pode ser entendida O soldado glata e sua mulher como expresso das tenses do mundo (cpia romana) grego da poca: a derrocada da plis Perodo Helenstico autnoma e independente e a formao de grandes reinos.

IV - Ao conquistar e dominar as cidades gregas, o Imprio Romano manteve o seu projeto original (oriundo das culturas itlicas) e ignorou a cultura helnica. Est(o) correta(s)A B

apenas I e II. apenas II e III.

C D

apenas I, II e III. apenas III e IV.

E

apenas IV.

Questo25O alumnio reciclado das latas de refrigerantes usado para a produo de esculturas. A chuva cida pode destruir as esculturas de alumnio, pois ele reage em meio cido conforme a reao a seguir.Pgina14

2 Al(s) + 3H2SO4(aq)

Al2(SO4)3(aq) + 3H2(g)

Com referncia a essa reao, so feitas as seguintes observaes experimentais: - A reao libera calor. - Duplicando a concentrao de cido sulfrico, duplica a velocidade de desprendimento do gs. - A velocidade de desprendimento do gs aumenta com a temperatura. - A diminuio do tamanho das partculas de alumnio aumenta a velocidade da reao. Com base nessas observaes, correto afirmar:A B

A reao endotrmica, pois a entalpia dos produtos maior que a dos reagentes. A velocidade da reao aumenta com o aumento da concentrao de cido sulfrico, pois a adio desse reagente diminui a energia de ativao da reao. A temperaturas mais altas, a energia cintica molecular aumenta, por isso as colises entre as molculas ocorrem com maior energia, levando a um aumento da velocidade da reao. A reao endotrmica, portanto a velocidade da reao aumenta com o aumento da temperatura. A superfcie de contato diminui com a diminuio do tamanho das partculas de alumnio, por isso a velocidade da reao aumenta.

C

D E

Questo26Adicionam-se 650 mL de soluo de sulfato de alumnio de concentrao 0,01 mol L a 100 mL de soluo -1 de hidrxido de clcio de concentrao 0,03 mol L . A equao no balanceada da reao a seguinte: Al2(SO4)3(aq) + Ca(OH)2(aq) Al(OH)3(s) + CaSO4(aq)-1 -1

Assinale a alternativa que apresenta a concentrao de sulfato de clcio, em mol L , presente na soluo final.A B C D E

0,002 0,004 0,020 0,030 0,040

Questo27O alumnio reage com o xido de ferro, a altas temperaturas, de acordo com a seguinte reao: 2 Al(s) + Fe2O3(s) 2Fe(s) + Al2O3(s)

Assinale a alternativa que apresenta a entalpia padro dessa reao, em kJ/mol.A B C D E

+ 2500 + 852 + 824 - 824 - 852

Dados: 2 Fe(s) + 3/2O2(g)

Fe2O3(s) Al2O3(s)

H= -824 kJ/mol H= -1676 kJ/mol

2 Al(s) + 3/2O2(g)

Pgina15

Questo28Observe o mapa: Nos comeos da Baixa Idade Mdia europeia, a construo das catedrais gticas tornou-se possvel graas ao() I - aumento da importncia das cidades, transformadas em novos centros dinmicos da vida econmica, social, cultural e religiosa das populaes. II - articulao de vrias foras polticas, religiosas e econmicas urbanas, sobretudo as ligadas ao comrcio em expanso e s atividades produtivas nas corporaes de ofcio. III - busca de novas expresses artsticas para expressar o revigoramento do fervor religioso, devido euforia dos cristos pelas vitrias das Cruzadas e pela derrota das foras demonacas causadoras dos flagelos da Peste Negra.

Expanso do gtico pela Europa

Primeira arte gtica - sc. XII Expanso da arte gtica - sc. XIII

Fonte: http://www.google.com/images (adaptado)

IV - desenvolvimento da engenharia e da arquitetura a partir de inovaes tcnicas que permitiram construes mais elevadas, paredes menos espessas dotadas de grandes janelas com vitrais multicoloridos, atravs dos quais a luz do dia penetrava no interior das igrejas. Est(o) correta(s) A apenas I. B apenas II.C D

apenas III e IV. apenas I, II e IV.

E

I, II, III e IV.

Questo29Observe a figura: Palm Jumeirah uma das trs maiores ilhas artificiais do mundo localizada na costa de Dubai, nos Emirados rabes. As formas de relevo, resultantes da ao antrpica, so denominadasA

GOOGLE EARTH IMAGES

relevos tecnognicos e predominam em reas urbanas, onde morros so eliminados da paisagem ou so acrescentadas novas reas antes ocupadas por rios, mangues, mares e lagos. dobramentos modernos e se originam em perodos geolgicos recentes, como o Tercirio, na Era Cenozoica. plancies litorneas ou costeiras, e predomina o processo de sedimentao que ocorre constantemente por movimentos da gua do mar.

B

C

TERRA, Lygia; ARAJO, Regina; GUIMARES, Raul Borges. Conexes: Estudos de Geografia Geral. So Paulo: Moderna, 2009. p. 145.

D

depresses relativas e apresentam superfcies formadas por processos de eroso e altitudes mais baixas do que as do relevo circundante. recifes de coral e aparecem no mar proximamente s costas, podendo ter a plataforma superior emersa, formando ilhas.Pgina16

E

Questo30Observe as projees cartogrficas: Numere corretamente as projees com as afirmaes a seguir. ( ) Na projeo cilndrica, a representao feita como se um cilindro envolvesse a Terra e fosse ento planificado. ( ) Na projeo azimutal, o mapa construdo sobre um plano que tangencia algum ponto da superfcie terrestre. ( ) Na projeo cnica, a representao feita como se o cone envolvesse o planeta e depois fosse planificado. ( ) Esse tipo de projeo representa, com menos distores, as baixas latitudes. ( ) Essa projeo comumente utilizada para anlises geopolticas e para retratar as regies polares e suas extremidades.C D

Revista Geografia. edio 3, 2011. p. 104 (adaptado)

A sequncia correta A B

1 - 3 - 2 - 3 - 1. 3 - 2 - 1 - 1 - 3.

1 - 3 - 2 - 1 - 3. 1 - 2 - 1 - 1 - 3.

E

3 - 1 - 2 - 3 - 1.

Questo31Estudos genticos recentes mostram que famlias tendem a "agrupar" incapacidades ou talentos relacionados arte, como surdez para tons ou ouvido absoluto (reconhecem distintos tons musicais). No entanto, alguns indivduos so surdos devido herana autossmica recessiva.

I

1

2

II

1

2

3

Observando esse heredograma, que representa um caso de surdez recessiva, correto afirmar:A B C D E

Os pais so homozigotos recessivos. Os indivduos afetados II-1 e II-3 so heterozigotos. Os pais so homozigotos dominantes. O indivduo II-2 pode ser um homem heterozigoto. Os indivduos I-2 e II-2 so homens obrigatoriamente heterozigotos.

Pgina17

Questo32O pioneiro do abstracionismo nas artes plsticas, Wassily Kandisnky, nasceu em Moscou, em 1866. Optou inicialmente pela msica, o que refletiu em seu trabalho como pintor, conferindo-lhe noes essenciais de harmonia. A figura a seguir, adaptada de um quadro de Kandisnky, apresenta um tringulo ABC retngulo em A. Sabendo-se que a diferena entre os ngulos x e y 60, o valor de sen x + sen y CA

B

1 . 2 3. 2 6. 2 3. 3 6. 3

C

D

x y

E

A

B

Fonte: http://www.google.com.br/images

Questo33Uma sala de concertos deve permitir uma percepo clara dos sons, por isso deve estar livre de eco e o tempo de reverberao deve ser pequeno. Assim, I - na reverberao, trens de onda emitidos simultaneamente pela mesma fonte sonora, percorrendo caminhos diferentes no ar, chegam ao ouvinte em instantes de tempo diferentes, mas no so percebidos como sons separados. II - o fenmeno de reverberao pode ser explicado considerando-se a interferncia dos trens de onda emitidos pela mesma fonte. III - no eco, trens de onda emitidos simultaneamente pela mesma fonte sonora, percorrendo caminhos diferentes no ar, chegam ao ouvinte em instantes de tempo diferentes e so percebidos como sons separados. Est(o) correta(s)A B

apenas I. apenas II.

C D

apenas III. apenas I e III.

E

apenas II e III.

Questo34Um concertista, ao tocar seu violo, executa as notas musicais com as duraes e frequncias que caracterizam a msica tocada. As pessoas que esto na plateia, tanto as mais prximas quanto as mais distantes, escutam as mesmas notas, com as mesmas duraes e frequncias, ou seja, a mesma msica. Esse fato pode ser atribudoA B C D E

qualidade acstica da sala de concertos. afinao do instrumento. ao fato de a velocidade do som ter o mesmo mdulo para todas as frequncias sonoras. ao fenmeno da reverberao. ao fenmeno da ressonncia.Pgina18

Questo35Um dos instrumentos de corda mais conhecido e utilizado o violo. Nos modelos populares, o corpo do instrumento feito de madeira e as cordas podem ser de nylon ou de ao. Considerando essa informao, preencha corretamente as lacunas. A independe mesmos o timbre Num violo com cordas de ao, a afinao __________ da temperatura ambiente, porque o ao e a madeira tm __________ coeficientes de dilatao. Em outras palavras, com a mudana de temperatura, muda __________ do instrumento.B C D E

independe mesmos a altura independe diferentes o timbre depende diferentes a altura depende mesmos o timbre

Questo36Um piano tem 88 teclas, includas as brancas e as pretas. Cada tecla faz soar uma nota musical com uma frequncia determinada. Numerando as teclas da esquerda para a direita na ordem em que esto dispostas no teclado e sendo f(k) a frequncia, em Hz, da tecla de nmero k, tem-se: - a razo das frequncias de duas teclas consecutivas sempre constante, isto , f(n+1)/f(n) sempre igual, para n=1, 2, 3, ..., 87; - a frequncia dobra a cada doze teclas consecutivas, isto , f(n+12)=2f(n), para n=1, 2, 3, ..., 75; - a frequncia da tecla 49 440, isto , f(49)=440. Sobre o exposto, afirma-se: 1 I - As frequncias das teclas do piano formam uma progresso aritmtica (PA) de razo . 6 II - As frequncias das teclas do piano formam uma progresso geomtrica (PG) de razo 2. III - As frequncias das teclas do piano formam uma progresso geomtrica (PG) de razo 2 12 . IV - A frequncia da tecla 1 27,5 Hz. Est(o) correta(s)A B C D E1

apenas I. apenas III. apenas IV. apenas II e IV. apenas III e IV.

Questo37Analise o seguinte fragmento de Memrias de um sargento de milcias, de Manuel Antnio de Almeida, que narra os acontecimentos do dia do batizado de Leonardinho: J se sabe que houve nesse dia funo: os convidados da comadre, que eram todos da terra, danavam o fado. O compadre trouxe a rabeca, que , como se sabe, o instrumento favorito da gente do ofcio. A princpio o Leonardo quis que a festa tivesse ares aristocrticos, e props que se danasse o minuete da corte. [...]. Depois do minuete foi desaparecendo a cerimnia [...]: o Leonardo, instado pelas senhoras, decidiu-se a romper a parte lrica do divertimento. Sentou-se num tamborete, em lugar isolado da sala, e tomou uma viola. Fazia um belo efeito cmico v-lo em trajes do ofcio, de casaca, calo e espadim, acompanhando com um montono zumzum nas cordas do instrumento, o garganteado de uma modinha ptria. Foi nas saudades da terra natal que ele achou inspirao para o seu canto, e isto era natural a um bom portugus, que o era ele. A modinha era assim: quando estava em minha terra, Acompanhado ou sozinho Cantava de noite e de dia Ao p dum copo de vinho! Foi executada com ateno e aplaudida com entusiasmo; somente quem no pareceu dar-lhe todo o apreo foi o pequeno, que obsequiou o pai como obsequiara ao padrinho, marcando-lhe o compasso a guinchos e esperneios.

Pgina19

Assinale verdadeira (V) ou falsa (F) em cada uma das afirmaes referentes ao fragmento citado e obra em que est inserido. ( ) A histria narrada nessa obra e a maneira como narrada aproximam-na dos romances urbanos tpicos do Romantismo, como Senhora, de Jos de Alencar, que se caracteriza pela crtica ostensiva sociedade burguesa. ( ) A referncia ao fado, rabeca, viola e modinha ptria servem para caracterizar indiretamente as personagens, sinalizando sua simplicidade e o gosto pelo popular. ( ) O carter de anti-heri do protagonista sugerido j no primeiro captulo do romance, na passagem que se refere aos "guinchos e esperneios" do beb. ( ) A tentativa de danar o minuete para tornar a festa do batizado semelhante s festas da corte indicia a tendncia das classes mais populares brasileiras de imitar os padres considerados de "bom gosto" e associados elite socioeconmica. ( ) Manuel Antnio de Almeida apresenta, como o prprio fragmento exemplifica, uma linguagem muitas vezes cmica, ou irnica, o que favorece a crtica de costumes. A sequncia correta E A C F V V V V. V V V V V. F F V F F. B D V V F V F. V F F F V.

Questo38Leia os seguintes versos de Caetano Veloso, musicados por ele juntamente com Gilberto Gil, e o fragmento de O navio negreiro, de Castro Alves:Quando voc for convidado para subir no adro da Fundao Casa de Jorge Amado pra ver do alto a fila de soldados, quase todos pretos dando porrada na nuca de malandros pretos de ladres mulatos e outros quase pretos [...] e quando ouvir o silncio sorridente de So Paulo diante da chacina 111 indefesos, mas presos so quase todos pretos ou quase pretos, ou quase brancos quase pretos de to pobres e pobres so como podres e todos sabem como se tratam os pretos [...] Pense no Haiti, reze pelo Haiti O Haiti aqui, o Haiti no aqui(in: Tropiclia 2, Polygram, 1993)

E existe um povo que a bandeira empresta Pra cobrir tanta infmia e cobardia [...] Auriverde pendo da minha terra, que a brisa do Brasil beija e balana, Estandarte que a luz do sol encerra, E as promessas divinas da esperana... Tu, que a liberdade aps a guerra, Foste hasteado dos heris na lana, Antes te houvessem roto na batalha, Que servires a um povo de mortalha

Considere as afirmativas a seguir sobre os textos referidos. I - A musicalidade dos versos que se referem bandeira brasileira impressiona. A repetio da consoante /b/ ("Que a brisa do Brasil beija e balana") cria uma aliterao que sugere o tremular da bandeira. Recurso semelhante usado em alguns versos de Caetano, sugerindo o batuque dos tambores. II - Os versos de Castro Alves podem ser comparados semanticamente aos versos de Caetano Veloso que se referem ao "silncio sorridente de So Paulo " . Isso ocorre porque os dois textos criticam a indiferena e acusam a responsabilidade da sociedade diante de injustias sociais cometidas contra o negro. III - O tipo de preocupao social existente na msica de Caetano Veloso flagrante na gerao romntica de Castro Alves, condoreira, que passa a se preocupar com problemas sociais, como a abolio da escravatura. Est(o) correta(s) A apenas II. B apenas I e II.C D

apenas III. apenas I e III.

E

I, II e III.Pgina20

Para responder s questes de nmeros 39 e 40, leia o que segue. O incio da dcada de oitenta foi marcado por um estilo que ficou conhecido como new wave. Um grande sucesso dessa poca foi a msica Safety Dance do grupo canadense Men Without Hats. No videoclipe da msica, ambientado num cenrio medieval, um casal dana ao som da msica e, no refro Oh Well the safety dance, ah yes the safety dance, forma com os braos a letra S, inicial de Safety. Essa representao ficou sendo a marca registrada do sucesso alcanado. Alguns programas e sries da TV atual apresentaram a sua verso para o Safety Dance. Nas figuras a seguir, esto representadas a verso original, a verso da srie animada Uma famlia da pesada e a verso da srie Glee.

Fonte: http://www.youtube.com

Fonte: http://www.youtube.com

Fonte: http://www.youtube.com

Questo39Considere que o programa de computador que gerou as imagens da srie Uma famlia da pesada tenha utilizado o grfico de uma senoide u(t) = A sen(t) para o posicionamento dos braos do personagem Peter, como mostra a figura a seguir.

Afirma-se, ento:-3

I - A amplitude A = 4. II - O perodo da funo u(t) 3.

---------

III -A frequncia angular =.--------4 u

-4

Est(o) correta(s)A B

3

C D E

apenas I. apenas II. apenas I e III. apenas II e III. I, II e III.

tPgina21

Questo40Na verso da srie Glee do Safety Dance, um grupo de atores dana no hall de um shopping center, enquanto os demais apenas observam. Suponha que, para a execuo da cena, foi necessrio escolher, dentre 6 atores e 8 atrizes, um grupo formado por 5 atores e 5 atrizes. Quantos grupos diferentes de danarinos podem ser escolhidos dessa forma?A B C D E

336. 168. 70. 48. 25.

Questo41A ma apreciada pelos cantores, pois ajuda na limpeza das cordas vocais. O aroma das mas pode ser imitado adicionando-se acetato de etila, CH3COOCH2CH3, aos alimentos. O acetato de etila pode ser obtido a partir da reao de esterificao: CH3COOH(aq) + HOCH2CH3(aq) CH3COOCH2CH3(aq) + H2O(l)

Na temperatura de 25C, o valor da constante de equilbrio, KC 4,0. Marque verdadeira (V) ou falsa (F) nas , seguintes afirmaes: ( ) A adio de acetato de etila aumenta a KC. ( ) A adio de um catalisador diminui a KC. ( ) A adio de acetato de etila desloca o equilbrio no sentido de formao dos reagentes. ( ) A adio de cido actico no desloca o equilbrio. ( ) A adio de cido actico no altera a KC. A sequncia correta A B C D E

F V F V F

F V V F V

V F V F F

F F V F V

V. V. F. V. F.

Questo42Na pea "Um xadrez diferente", que encenava a vida de um preso condenado por crime de "colarinho branco", foi utilizado como cenrio um mosaico formado por retngulos de trs materiais diferentes, nas cores verde, violeta e vermelha. Considere que x, y e z so, respectivamente, as quantidades em quilos dos materiais verde, violeta e vermelho utilizados na confeco do painel e que essas quantidades satisfazem o sistema linear x + 3y + 2z = 250 2x + 5y + 3z = 420 3x + 5y + 2z = 430Pgina22

Sobre a soluo desse sistema e a quantidade dos materiais verde, violeta e vermelho utilizada no painel, afirma-se: I - O sistema tem soluo nica e x + y + z = 120, isto , a soma das quantidades dos trs materiais empregados 120 quilos. II - O sistema no tem soluo, impossvel determinar a quantidade de cada material empregado. III - O determinante da matriz dos coeficientes a qual est associada ao sistema diferente de zero e x = 2y e y = 3z. IV - O determinante da matriz dos coeficientes a qual est associada ao sistema zero. O sistema tem soluo, porm, para determinar a quantidade dos materiais utilizados, necessrio saber previamente a quantidade de um desses materiais. Est(o) correta(s) A apenas I. B apenas II. C apenas III. D apenas I e III. E apenas IV.

Questo43O polister um polmero sinttico utilizado na confeco das roupas de bailarinos, pois esse material origina fibras de alta resistncia trao. Ele obtido atravs da reao do cido tereftlico com o etileno glicol:

O HO C

O C OH HO CH2 CH2 OH ...

O C

O C O CH2 CH2 O ... H 2O

H= -10,9 kJ/mol

cido tereftlico

Etileno glicol

Polister

Assinale a alternativa que representa, qualitativamente, a variao no equilbrio da concentrao do polister com a temperatura.

[Polister]

temperatura

[Polister]

temperatura

[Polister]

A

B

C

temperatura

[Polister]

temperatura

[Polister]

D

E

temperatura

Pgina23

Questo44O homem sempre demonstrou suas habilidades artsticas, deixando importantes registros atravs de desenhos. Considerando os processos evolutivos, o esquema a seguir representa as relaes entre anagnese e cladognese.AMABIS, M. Jos; MARTHO, R. Gilberto. Fundamentos da Biologia Moderna. So Paulo: Moderna, 2006. p. 698. (adaptado)

Esp

cie A

Esp

cie

B

Quanto aos processos evolutivos em 1, 2 e 3, respectivamente, assinale a alternativa correta.A BJURANDIR RIBEIRO

anagnese, anagnese e cladognese. cladognese, cladognese e anagnese. anagnese, cladognese e anagnese. cladognese, anagnese e cladognese. cladognese, anagnese e anagnese.

C D E

Questo45Habilidoso, o homem representou todo o corpo humano em desenhos para estud-lo. O esquema a seguir representa o processo de deglutio.

AMABIS, M. Jos; MARTHO, R. Gilberto. Fundamentos da Biologia Moderna. So Paulo: Moderna, 2006. p. 465. (adaptado)

Sobre esse processo, correto afirmar:A

O bolo alimentar, constitudo por alimento mastigado e misturado saliva, empurrado pela lngua para o fundo da faringe, rumo ao esfago. Durante a deglutio, entra em ao um mecanismo que fecha a faringe, canal que conduz ar aos pulmes, evitando que o alimento ingerido penetre nas vias respiratrias. Para no haver passagem do alimento em direo ao sistema respiratrio, a epiglote abre a glote e orienta a passagem do alimento para o esfago. A deglutio ocorre com a passagem do alimento da epiglote para a traqueia e depois para o esfago. Aps devidamente umedecido e lubrificado pela saliva, o bolo alimentar passa pela laringe e vai para o esfago.Pgina24

B

C

D E

DANIELLA WEL

Se voc optou por Ingls, passe para a pgina 28

Para responder s questes de nmeros 46 a 52, leia o texto a seguir.

Texto IEl arte azteca: signos y smbolos de un lenguaje propio1

En el arte azteca se aprecia una complejidad intelectual y una sensibilidad que demuestran la riqueza simblica de esta civilizacin prehispnica. Antes de la llegada de los europeos al continente americano, una de las culturas ms importantes de Mesoamrica era la civilizacin azteca. En las diferentes manifestaciones de su arte los mexica encontraron otra forma de comunicarse, de transmitir su visin del mundo, afianzando as su identidad frente a las culturas extranjeras.

5

De gran contenido poltico-religioso, el arte azteca estaba al servicio del Estado y se vala de soportes como la piedra, el barro, la arcilla, el papel, las plumas y 10 las piedras preciosas. Es imprescindible destacar cmo los aztecas asimilaron las tradiciones artsticas de las culturas que los antecedieron, y a su vez las enriquecieron con la impronta personal que otorgaron a sus manifestaciones. El arte azteca y la religin La religin nunca desaparece del arte azteca sino que se convierte en la inspiracin de sus manifestaciones. As lo demuestran las piezas de gran tamao que representan a sus dioses, los mitos, 15 los reyes y sus hazaas. Cualquier empresa que se propongan, sea cual sea, solo tiene sentido y puede concluir con xito si se realiza de acuerdo con la voluntad y ayuda de los dioses. El arte azteca no se conforma con reproducir la apariencia de las cosas y no acepta completamente la realidad como norma o criterio, aunque se acerca demasiado a ella. Paul Westheim expres: El realismo moderno persigue la finalidad de reproducir lo visible, la del realismo mesoamericano es hacer visible lo 20 invisible. Las obras de arte aztecas no son ms que signos y smbolos de un lenguaje propio de esta civilizacin prehispnica: idioma que crearon para expresar lo que a ellos les importaba expresar. El artesano, el escultor, el ceramista azteca se hallaban al servicio de la comunidad. Sus obras: la estatua del dios, la vasija de barro, el mosaico de plumas, estaban relacionadas con la celebracin del culto. El 25 culto era su destino y su razn de ser. As el artista cumpla una funcin social de primer orden en la existencia de aquellas comunidades, totalmente sujetas a la religin. En su arte se refleja la espiritualidad, el concepto de la realidad, el pensamiento mgico- mtico de los antiguos mexicanos. El arte azteca: visin y expresin de su propio mundo Lo cierto es que la historia de arte es tambin la historia de los artistas, que en una comunidad primitiva no forman una clase especializada sino que son el pueblo mismo. Cuando se crea un arte con propsitos 30 religiosos, el desarrollo del contenido de la religin y las exigencias del ritual son tan importantes como la evolucin de la tcnica artstica. El arte de los pobladores del Valle de Mxico refleja plenamente las ideas, las creencias y los pensamientos que los ocupaban. Demuestra adems, la importancia vital que tena para estos hombres la religin, hasta el punto que eran capaces de sacrificar vidas humanas para ofrendrselas a sus 35 deidades.Pgina25

Interpretamos el quehacer artstico del indgena azteca como un modo de descifrar la naturaleza, la existencia humana, el poder o el deseo de las fuerzas sobrenaturales, as como una manera de fijar los acontecimientos fundamentales y cclicos, el renovado curso del tiempo, la intervencin de lo irregular y lo azaroso.Fonte: http://www.suite101.net/content/el-arte-azteca-signos-y-simbolos-de-un-lenguaje-propio-a40327#ixzz1XvvRTt63

Questo46De acordo com o texto, possvel afirmar em relao arte asteca:A

Procura assemelhar-se arte dos conquistadores europeus, baseia-se no culto ao paganismo e aos mitos de origem, inclusive, " los aztecas asimilaron las tradiciones artsticas de las culturas que los antecedieron" (.10-11). Possui forte impacto poltico, porque o artista "estaba al servicio del Estado" (.8) e deveria reproduzir fielmente os ideais de identidade e as aes polticas do Imprio, por isso, "cumpla una funcin social de primer orden" (.25). Diferente da arte realista moderna, norteada pelo propsito de dar visibilidade fora divina. Assim, "se realiza de acuerdo con la voluntad y ayuda de los dioses" (.16) e objetiva "hacer visible lo invisible" (.19-20). Antecede a forma de linguagem primordial do povo, a fala, porque era entendida em todos os domnios do imprio: "idioma que crearon para expresarlo que a ellos les importaba expresar" (.22). Expressa a crena e as tradies populares "de los antguos mexicanos" (.27), assim como, ao mesmo tempo, evidencia a necessidade de o artista destacar-se como lder poltico da comunidade.

B

C

D

E

Questo47Segundo o texto, qual a pergunta cuja resposta : "no son ms que signos y smbolos de un lenguaje propio de esta civilizacin prehispnica: idioma que crearon para expresar lo que a ellos les importaba expresar" (.21-22)?A B C D E

? Cul es el propsito religioso de las obras de arte aztecas? ? Cul es la importancia de las obras de arte en la comunicacin entre europeos y mexicas? ? Cuales son los significados de las obras de arte de los pueblos sometidos por los aztecas? ? Qu se dice sobre las obras del arte del pueblo mexicano antguo? ? Cmo los aztecas utilizan las obras del arte para propagar su cultura milenar?

Questo48Considere as afirmativas: I - As expresses "del Estado" (.8), "de los dioses" (.16) e "del tiempo" (.38), respectivamente, podem ser substitudas, sem alterao de sentido, por "estatal", "laicas" e "tempestuoso". II - As formas verbais "otorgaran" (.12), "propongan" (.15) e "hallaban" (.23), sem que se altere o tempo verbal e a pessoa do discurso, respectivamente, equivalem a "denegaron", "benefician" e "encontraban". III - No segmento "norma o criterio" (.18), o termo destacado expressa ideia de alternncia, assim como o sublinhado em "sea color u olor, lo importante es vivir". Est(o) correta(s)A B C D E

apenas I. apenas II. apenas I e II. apenas III. apenas I e III.Pgina26

Questo49Nos segmentos "les importaba expresar" (.22) e "ofrendrselas a sus deidades" (.34-35), os vocbulos sublinhados referem-se, respectivamente, aA B C D E

"Las obras de arte aztecas" (.21) e "vidas humanas" (.34). "Las obras de arte aztecas" (.21) e "sus deidades" (.34-35). "signos y smbolos de un lenguaje propio (.21) e "vidas humanas" (.34). "ellos" (.22) e "las ideas, las creencias y los pensamientos" (.32-33). "ellos" (.22) e "vidas humanas" (.34).

Questo50Assinale verdadeira (V) ou falsa (F) nas seguintes afirmativas: ( ) Em "un lenguaje propio" (ttulo), a palavra destacada apresenta variao de gnero entre espanhol e portugus. Exemplo de variao de gnero tambm h em "la sal", "la labor" e "la cumbre". ( ) Se, no segmento "Cualquier empresa" (.15), o vocbulo "empresa" for substitudo por "proyectos", "Cualquier", grafado corretamente, passa a ser "Cualesquier". ( ) O segmento sublinhado em "que en una comunidad primitiva" (.28) retoma "los artistas" (.28). ( ) Os termos "aunque" (.18) e "adems" (.33) podem ser substitudos, sem alterao de sentido, respectivamente, por "por esto" e "de pronto". A sequncia correta A B

V - V - V - F. F - V - V - F.

C D

F - F - V - V. F - V - F - F.

E

V - F - F - V.

Questo51No texto, h referncia a uma srie de profisses: "El artesano, el escultor, el ceramista" (.23). Considere, nas alternativas a seguir, a profisso que se encontra corretamente definida.A B C D E

arquelogo - se dedica a proyectar y construir edificaciones clrigo - ejerce la funcin de pastor en una comunidad cristiana modista - escribe y canta canciones populares y religiosas boticario - se dedica a la fabricacin de botillos maestro - caballero cuya finalidad es el adestramiento de caballos

Questo52Em relao ao segmento: "As el artista cumpla una funcin social de primer orden en la existencia de aquellas comunidades, totalmente sujetas a la religin" (.25-26), assinale verdadeira (V) ou falsa (F) nas seguintes afirmativas: ( ) Em "primer orden", o vocbulo "primer" sofre um processo de reduo que se d tambm em "ningn" na frase "No tengo ningn conocimiento del arte azteca". ( ) As palavras "As", "cumpla" e "funcin" seguem a mesma regra de acentuao grfica. ( ) Se, em "a la religin", o substantivo for alterado para "dinero", a forma correta passa a ser "al dinero". A sequncia correta A B

F - V - F. F - V - V.

C D

V - F - V. V - V - F.

E

F - F - V.

Pgina27

Para responder s questes de nmeros 46 a 52, leia o texto a seguir.

Texto IProfile perfectBy Karen Ann Monsy | January 7, 2011 1

Facebook, Twitter, LinkedIn, Orkut all over the place, arent you? Now find out how a single snap can say it all. Researchers suggesting people pay more attention to the kind of pictures, specifically profile shots, they post on their Facebook/ Twitter accounts are on the rise.

5

According to freelance photographer Tiffany Schultz, People dont think much about their profile pictures but they should because social networking sites are becoming such a huge part of our lives today. Included in Tiffanys list of absolute no-nos are the self-shot 10 kinds (you know the ones: images taken with a mobile camera and part of the persons arm extending upwards into the frame) as well as the badly cropped ones (complete with some poor anonymous chappies arm flung around your shoulder). According to research, the photographs we share online are one of the most important methods of building relationships on social networks. In fact, they create a more powerful connection than even the words we pick to describe ourselves.

15

Facebook and Twitter are generally seen as personal networking sites but profile pictures on LinkedIn and other corporate networking sites are equally important. Potential employers may not be able to access your entire profile, but they can definitely see your profile picture, Tiffany cautioned. The question is: what exactly do you 20 want them to see? Dr Asi Sharabi, social psychologist for Cosmopolitan, feels a persons expression in his/her profile picture is a dead giveaway about his/her current status. A pouting pose, for example, would project a provocative, sensual symbol that indicates someone seeking intimacy or a partner; one of yourself on a carefree holiday indicates a possible tendency for escapist fantasies or over-stressing in daily life; on the other hand, a shot of yourself 25 looking away from the camera would indicate a headstrong and confident approach to life. Here are a few tips from Tiffany for how best to create that memorable profile shot: Avoid the stiff smile! Go for the after laugh smile instead it always works best. Magic hours for outdoor photography: early morning or in the evening just before, during or after sunset. Make the most of your assets. For example: Dont cover freckles, says Tiffany. Theyre awesome. Theyre you. So make the most of them. Photographers always ask you to [put your] chin down it makes one look more flattering that way. Even slightly raised eyebrows work too. Avoid wearing sunglasses for a photo; theyre like stuffing your hands in your pockets you come across as having something to hide. Go for B&W shots if youre looking for classic and flattering.http://www.khaleejtimes.com/weekend/inside.asp?xfile=/data/weekend/2011/january/weekend_january7.xml&section=weekend

30

35

GlossrioAsset = dote fsico, qualidade. Flattering = atrativo, cativante. Headstrong = determinado(a). Huge = enorme. Shot = fotografia. Snap = fotografia. To caution = alertar. To crop = recortar.

Pgina28

Questo46Em relao ao texto, considere as afirmaes: I - A autora faz uso de recursos como "all over the place, aren't you" (.1) e "chappie" (.13), que so caractersticos do discurso oral e que do um tom de informalidade ao texto. II - No primeiro pargrafo, possvel encontrar a tese "a single snap can say it all" (.2) cuja sustentao feita ao longo do texto, principalmente por meio da referncia aos discursos de especialistas, os quais conferem autoridade aos argumentos. III - O texto foi escrito para fotgrafos profissionais, pois apresenta linguagem tcnico-cientfica da rea da produo visual fotogrfica. Est(o) correta(s) A apenas I e II. B apenas I e III. C apenas II. D apenas III. E I, II e III.

Questo47O fragmento que melhor descreve a imagem apresentada no texto o seguinte:A B C D E

"social networking sites are becoming such a huge part of our lives today." (. 8-9). "images taken with a mobile camera" (.10). "the photographs we share online are one of the most important methods of building relationships" (.14-15). "they can definitely see your profile picture" (.19). "how best to create that memorable profile shot" (.26).

Questo48O segmento que contm um recurso de modalizao que indica incerteza do autor em relao s informaes apresentadas A B C

"People don't think much about their profile pictures" (.6-7). "In fact, they create a more powerful connection than even the words we pick to describe ourselves" (.15-16). "a shot of yourself looking away fom the camera would indicate a headstrong and confident approach to life" (.24-25). "it always works best" (.27). "they can definitely see you profile picture" (.19).

D E

Questo49Dois tipos de fotos para perfil so desaconselhados por Tiffany, dentre os quais est a foto queA B C D E

mostra uma pose provocante e sensual. revela detalhes como sardas. demonstra o olhar desviado da cmera. apresenta recorte malfeito. retrata o pr-do-sol.

Pgina29

Questo50No sintagma "a more powerful connection" (.15), o termo sublinhado tem a funo de qualificar/ caracterizar o ncleo desse sintagma: o substantivo "connection". Assinale a alternativa em que o termo sublinhado exerce essa mesma funo.

A B C D E

"as well as" (.11) "sensual symbol" (.22-23) "are becoming" (.8) "other corporate networking sites" (.17-18) "in the evening just before" (.28)

Questo51Conforme o texto, sobre as fotografias postadas em sites de relacionamento, INCORRETO afirmar que podem servir como fonte de informao para futuros empregadores sobre potenciais candidatos. podem revelar at mais do que palavras. so uma preocupao constante das pessoas que as colocam na rede. so sugestivas quanto ao estado de esprito da pessoa retratada. podem ser inesquecveis se observadas algumas "dicas".A B C D E

Questo52A alternativa cujo fragmento apresenta o mesmo modo verbal dos segmentos sublinhados em "Avoid the stiff smile! Go for the 'after laugh' smile instead" (.27)

A B C D E

"Don't cover freckles" (.30). "all over the place, aren't you?" (.1). "but they should" (.7). "Tiffany cautioned" (.19). "if you're looking for classic and flattering" (.36).

Pgina30

1 182

1

H13179 5 6 7 8

He14 15 164,00 10

1,0

2

3

4

Li10,8 13 14 15 16 12,0 14,0 16,0 17

Be Al Si28,1 31,033

B P34

C N S32,1

O

F19,0

Ne20,2 18

6,9

9,0

11

12

Na Mg527,0 31 32 23 24 27 25 26 28 30 29

Cl35,535

Ar39,9 36

23,0

24,3

3

4

6

7 10

8 11

9 12

19

20

21

22

K V Zn Ga Ge72,6 50 51 69,7 49 65,4 48 50,9 52,0 42 43 44 47 45 46 58,9 58,7 63,5 41 54,9 55,8

Ca Cu Ag107,9 114,8 81 79 80 112,4 82

Sc Ti Nb Mo Tc Ru Rh Pd Cd In Tl204,4 101,1 76 77 78 102,9 106,4 92,9 95,9 74 75 73 [98]

Cr Sn118,7

Mn Fe Co Ni

As74,9

Se79,0 52

Br79,9

Kr83,8 53 54

39,1

40,1

45,0

47,9

37

38

39

40

Rb Sr Ta W Os Ir190,2 197 111 112 200,6 108 110 109 192,2 195,1

Y Re Pt HgCn[277] 65 64 66 67 186,2 107

Zr AuRg[272] 181,0 105 106 183,8

Sb121,8 83

Te127,6 84

I126,9 85

Xe131,3 86

85,5

87,6

88,9

91,2

55

56

57-71

72

Cs Ba Db SgBh Mt[268] [271] 62 63 [264] [277] 60 61

132,9

137,3

Srie dos Lantandeos

HfHs Ds[262] [266]

Pb207,2

Bi209,0

Po[209]

At[210]

Rn[222]

178,5

87

88

89-103

104

Fr58 59

Ra Ce Pr Nd Pm Sm Eu144,2 150,4 [145] 152,0 92 93 94 95 140,1 140,9 90 91

[223]

[226]

Srie dos Actndeos

Rf Gd157,3 96

[261]

SRIE DOS LANTANDIOS 68 69 70 71

57

LaNp[237] [244]

Tb158,9 97

Dy162,5 98

Ho164,9 99

Er167,3 100

Tm Yb168,9 173,0 101 102

Lu175,0 103

Nmero atmico (Z)

138,9

SRIE DOS ACTINDIOS

Smbolo

89

1232,0 231,0 238,0

Ac Th Pa U

Pu

Am Cm[243] [247]

Bk[247]

Cf[251]

Es[252]

Fm Md No(257) [258] [259]

Lr[262]

H

[227]

1,0

Massa atmica