Click here to load reader

09 Estacionamento

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of 09 Estacionamento

  • lvaro Jorge da Maia SecoProfessor Associado da Faculdade de Cincias e

    Tecnologia da Universidade de Coimbra

    Jorge Humberto Gaspar GonalvesAssistente da Faculdade de Engenharia

    da Universidade da Beira Interior

    Amrico Henrique Pires da Costa Professor Associado da Faculdade de Cincias e

    Tecnologia da Universidade de Coimbra

    Dezembro de 2008

    MANUAL DO

    PLANEAMENTO

    DE ACESSIBILIDADES

    E TRANSPORTES

    ESTACIONAMENTO

    09

  • ESTACIONAMENTO1. INTrODUO 05

    2. POlTICA DE ESTACIONAMENTO 05

    3. PrINCPIOS gErAIS 07

    4. CArACTErIzAO DA PrOCUrA 08

    4.1 Tipologia da procura 08

    4.2 A Importncia da distncia ao destino final 09

    4.3 Determinao da procura 10

    4.3.1 Mtodos de recolha de informao por entrevista 10

    4.3.2 Mtodos de Observao 10

    4.4 Utilizadores preferenciais 12

    5. CArACTErIzAO DA OFErTA 13

    5.1 Tipologia da oferta 13

    5.2 Determinao da oferta 13

    5.2.1 Formas de Utilizao 14

    5.3 Quantificao da Mobilidade associada aos estacionamentos 15

    5.4 Sistemas de apoio diferenciado a residentes 16

    5.5 Questes especiais 17

    5.5.1 Espaos ncora e espaos Satlite 17

    5.5.2 Partilha de espaos 18

    5.5.3 Viagens de mltiplo objectivo 18

    6. MECANISMOS DE INTErVENO 18

    6.1 gesto da oferta 18

    6.1.1 Quantidade 19

    6.1.2 localizao 22

    6.1.3 O controlo do acesso ao estacionamento 22

    6.1.4 O uso do preo como instrumento de regulao da procura 22

    6.2 Solues de fiscalizao e controlo 23

    6.2.1 restries fsicas (controlo preventivo do estacionamento) 23

    6.2.2 Multa (controlo passivo do estacionamento) 23

    6.2.3 remoo (controlo activo do estacionamento) 23

    6.2.4 Bloqueio (controlo passivo do estacionamento) 24

  • 7. DIMENSIONAMENTO DO ESTACIONAMENTO24

    7.1 Estacionamento na via 24

    7.2 Estacionamento em parques 26

    7.3 Equipamentos de controlo e pagamento 30

    7.3.1 Parqumetro/Parcmetro 31

    7.3.2 Cartes / Discos de estacionamento 31

    7.3.3 Bilhetes de estacionamento (Pay&Display) 31

    7.3.4 Mquinas de pagamento automtico 32

    7.3.5 Bilhetes pr-comprados 32

    7.3.6 Parqumetros electrnicos 32

    7.3.7 Vigiville 33

    7.3.8 Parcoville 33

    7.4 Sistemas de informao 34

    7.4.1 Sistemas de Informao aos Condutores 34

    7.4.2 Sistema de Orientao em Parques de Estacionamento 35

    7.5 O Dimensionamento dos acessos internos e externos 35

    7.6 Solues integradas 35

    7.6.1 Sistemas de parques perifricos 36

    7.6.1.1 Enquadramento 36

    7.6.1.2 Park & Walk 36

    7.6.1.3 Kiss & ride 36

    7.6.1.4 Park&ride 37

    7.6.2 Caracterizao Funcional dos Sistemas 38

    7.6.2.1 Acessibilidade/localizao 38

    7.6.2.2 Disponibilidade de servios de transporte colectivo e ligao a eixos HOV 38

    7.6.2.3 Implementao faseada 38

    7.6.3 Elementos Constitutivos Fundamentais 38

    7.6.3.1 locais e condies gerais de acesso 38

    7.6.3.2 Sinalizao direccional e informativa 39

    7.6.3.3 Paragens de transportes colectivos 39

    7.6.3.4 regras de circulao de veculos 40

    7.6.3.5 Circulao pedonal 40

    7.6.3.6 Dimenso e orientao dos lugares de estacionamento e vias de acesso 40

    7.6.3.7 Abrigos 41

    7.6.3.8 Valncias complementares 41

  • Manual do Planeamento de Acessibilidades e Transportes

    4

    8. zONAS DE PArAgEM DE AUTOCArrOS/TAXIS 42

    9. CArgAS E DESCArgAS 43

    9.1 Enquadramento 43

    9.2 O processo logstico 44

    9.3 Sistemas de distribuio 45

    9.4 Transporte de mercadorias em reas urbanas 45

    9.4.1 Sistemas de distribuio urbana 46

    9.4.2 Problemas resultantes do processo logstico 46

    9.4.3 Possibilidades de optimizao 47

    9.4.4 Mecanismos de controlo 48

    9.5 Dimensionamento dos espaos de carga/descarga 48

    BIBlIOgrAFIA 50

    Anexo Proposta de regulamento de Estacionamento desenvolvida para o Municpio de Coimbra 51

  • 5

    Estacionamento

    1. IntroduoO automvel passa muito mais tempo imobilizado, ocupando espao pblico ou privado, do que em movimento. Antes e no fim de cada viagem necessrio dispor de um local prprio para estacionar o automvel, o que, particularmente em reas urbanas, nem sempre fcil de encontrar.

    Neste quadro o sub-sistema de estacionamento uma componente muito importante do sistema de transportes, na medida em que as suas caracters-ticas (nvel e tipo de oferta) tm potencialmente um impacto significativo ao nvel da atractividade do modo automvel, com resultados bvios ao nvel da repartio modal, bem como a outros nveis nomeadamente ambiental ou da qualidade de vida urbana.

    Por outro lado diferentes opes de mobilidade, mais ou menos assentes no automvel individual, implicaro, naturalmente, a disponibilizao de dife-rentes nveis de oferta de estacionamento.

    assim claro que uma poltica de estacionamento coerente dever ser sempre uma componente fundamental de qualquer Poltica de Mobilidade Urbana, auxiliando na implementao das opes fundamentais por esta defi-nida, para o que dever ter no apenas associada a definio dos nveis e localizao adequados da oferta a providenciar em cada zona, mas tambm as respectivas condies de acesso, utilizao e interligao com os outros elementos do sistema de transportes.

    2. PoltIca de estacIonamentoNuma primeira fase o estacionamento era apenas encarado como um tipo de infra-estrutura praticamente independente do resto do sistema de trans-portes. A lgica tradicional apontava para uma resposta crescente taxa de motorizao, e consequentemente crescente procura de lugares de estacio-namento, procurando criar a oferta mxima possvel de lugares at satisfazer a procura, sem atender sustentabilidade dessa estratgia. O falhano desta opo resultou num aumento brutal do trfego rodovirio, muito acima das capacidades ambientais das reas urbanas e das suas infra-estruturas rodovi-rias, deteriorando a qualidade de vida dos seus cidados e, em ltima anlise, sem resolver, muitas vezes agravando, os problemas de mobilidade.

    Comeou a assistir-se ao longo dos ltimos anos opo pela aplicao de polticas de estacionamento onde os nveis e tipologias de oferta passaram a ser definidos tendo em especial ateno os nveis de acessibilidade ofere-cidos pelos modos de transporte mais sustentveis, disponveis ou previstos, ao mesmo tempo que comearam a ser definidos nveis de acessibilidade auto-mvel desejveis para os diferentes espaos urbanos, em funo das opes ambientais e de qualidade de vida desejadas. Foi, assim, reconhecido o impor-tante papel que o estacionamento pode desempenhar na definio da poltica

    ESTACIONAMENTO

  • Manual do Planeamento de Acessibilidades e Transportes

    6

    geral de transportes, ou de uma forma mais abrangente da prpria poltica urbana que se pretenda implementar.

    H, genericamente, duas estratgias possveis para equilibrar a oferta e a procura de estacionamento, actuando dum ou doutro lado da equao, com inerentes vantagens e inconvenientes associados a cada uma delas. A exis-tncia ou no de lugares de estacionamento, a sua quantidade e localizao nas reas urbanas, bem como as condies de acesso aos mesmos, coorde-nadas e complementadas com outras medidas de gesto de trfego, apre-sentam perspectivas promissoras para influenciar significativamente as esco-lhas modais dos cidados (Tabela 1).

    Haver que ter em conta que em aglomerados populacionais de pequenas dimenses, genericamente com menos de 50 000 habitantes (Vuchic, 1981), grandes investimentos em sistemas de transportes colectivos no so habitual-mente economicamente sustentveis, pelo que muitas vezes no , nestes casos, vivel restringir significativamente o recurso ao automvel particular sob pena de afectar consideravelmente as condies de mobilidade dos cidados.

    Pelo contrrio, nos aglomerados urbanos de maior dimenso, com sistemas de transportes alternativos, que tanto podero ser substitutivos como complemen-tares do transporte motorizado individual, parece claramente justificvel que se imponham medidas que tornem o transporte individual menos atractivo.

    Estas medidas dissuasoras podero ser tanto mais enrgicas quanto melhor for a qualidade das alternativas. Tambm neste ponto as polticas de esta-cionamento podem servir como catalisador, uma vez que, se bem integradas numa estratgia de mobilidade global, podem ajudar a financiar melhorias em sistemas de transporte sustentveis e alternativos.

    Em resumo, o estacionamento um instrumento valioso na definio e operacionalizao das polticas urbanas devido a:

    ligao a uma gama vasta de objectivos de poltica urbana Influncia decisiva na poltica de mobilidade urbana Facilidade, rapidez e custos baixos de implementao Oferecer flexibilidade de solues Ser um gerador de receitas

    Contudo, tambm, apresenta um conjunto de limitaes que podem pr em causa o xito das solues:

    Controlo incompleto da totalidade de oferta devido ao estacionamento privado Complexidade institucional de competncias que dificultam a implemen-tao

    AutomvelTransporte Colectivo

    Bicicleta ou a P

    Regio de Paris

    Estacionamento gratuito disposio dos funcionrios

    48% 35% 17%

    Sem estacionamento para funcionrios

    18% 66% 16%

    Cidades no resto da Frana

    Estacionamento gratuito disposio dos funcionrios

    66% 15% 19%

    Sem estacionamento para funcionrios

    44% 36% 20%

    Tabela 1 - relao entre a disponibilidade de estacionamento gratuito no local de

    trabalho e a repartio modal em viagens pendulares casa-trabalho, em cidades

    francesas (Vivier, 1999).

  • 7

    Estacionamento

    Desconhecimento pela populao dos objectivos da introduo de certas medidas Conflitos entre interesses de diferentes grupos de cidados Neces

Search related