AIDS e HIV

  • View
    30

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

AIDS e HIV. PROF. MAGRÃO. SEXO = DESEJO. “ Enquanto tiveres um desejo, terás uma razão para viver. A satisfação é a morte”. George Bernard Shaw “Se todos conhecessem a intimidade sexual uns dos outros, ninguém cumprimentaria ninguém”. Nelson Rodrigues. AIDS Prevenção: única saída!. - PowerPoint PPT Presentation

Text of AIDS e HIV

  • AIDS e HIVPROF. MAGRO

  • SEXO = DESEJO Enquanto tiveres um desejo, ters uma razo para viver. A satisfao a morte. George Bernard Shaw

    Se todos conhecessem a intimidade sexual uns dos outros, ningum cumprimentaria ningum.Nelson Rodrigues

  • AIDSPreveno: nica sada!A vida breve, a arte longa, a ocasio fugidia, a experincia enganosa, o julgamento difcil. Hipcrates.

    S o inimigo no trai nunca.Nelson Rodrigues

  • AIDSA AIDS ou Sndrome da Imuno-deficincia Adquirida (do ingls Acquired Immunodeficiency Syn-drome) caracteriza-se por uma pro-funda imunossupresso associada a infeces oportunistas, neopla-sias secundrias e manifestaes neurolgicas.

  • AIDSSeu agente etiolgico um vrus Retroviridae (retrovrus) que possui material gentico composto de cido ribonuclico (RNA), denominado HIV (do ingls Human Immunodefficiency Virus), ou Vrus da Imunodeficincia Humana.

  • Sndrome Grupo de sinais e sintomas que, uma vez considerados em conjunto, caracterizam uma doena. Imunodeficincia Inabilidade do sistema de defesa do organismo humano para se proteger contra microorganismos invasores, taiscomo: vrus, bactrias, protozorios, etc. SINDROME DA IMUNODEFICINCIA ADQUIRIDA - SIDA (AIDS)

  • Sndrome Grupo de sinais e sintomas que, uma vez considerados em conjunto, caracterizam uma doena. Imunodeficincia Inabilidade do sistema de defesa do organismo humano para se proteger contra microorganismos invasores, taiscomo: vrus, bactrias, protozorios, etc. Adquirida No congnita como no caso de outras imunodeficincias. A aids no causada espontaneamente, mas porum fator externo (a infeco pelo HIV). O HIV destri os linfcitos - clulas responsveis pela defesa do nosso organismo -, tornando a pessoa vulnervel a outras infeces e doenas oportunistas,chamadas assim por surgirem nos momentos em queosistema imunolgico do indivduo est enfraquecido. H alguns anos, receber o diagnstico de aids era quase uma sentena de morte. Atualmente, porm, a aids j pode ser considerada uma doena crnica. Isto significa que uma pessoa infectada pelo HIV pode viver com o vrus, por um longo perodo, sem apresentar nenhum sintoma ou sinal. Isso tem sido possvel graas aos avanos tecnolgicos e s pesquisas, que propiciam o desenvolvimento de medicamentos cada vez mais eficazes. Deve-se, tambm, experincia obtida ao longo dos anos por profissionais de sade. Todos estes fatores possibilitam aos portadores do vrus ter uma sobrevida cada vez maior e de melhor qualidade.

  • AIDSNos Estados Unidos, os pri-meiros relatos foram dadas pelo Centro de Controle de Doenas, o CDC, em 1981, diagnosticados em jovens do sexo masculino, homosse-xuais habitantes de Los Angeles, infectados pelo fun-go Pneumocystis carinii que desenvolveram pneumonia.

  • AIDS No demorou para que fosse feita a relao entre esses casos e o surgimento da AIDS. No Brasil, sete jovens homo e heterossexuais foram diagnosticados em 1982, apesar da suspeita de outros casos anteriores que no foram registrados pela falta de notificao e da pobreza de conhecimento da poca.

  • HIVRetrovrus: capsdeo protico e material gentico de RNA.

    Possui tambm as enzimas: - Transcriptase reversa: con-verte RNA viral em DNA viral a ser acoplado ao DNA da clula infectada. Essa a base da infeco pelo HIV. Integrase: atua na incorpo-rao do DNA viral ao genoma do hospedeiro.- Proteases: separam caps-deos dos novos vrus a serem liberados.

  • HIVPossui capsdio de membrana fosfolipdica dupla, com duas glicoprotenas: gp120 - liga-se membrana dos linfcitos T (CD4); gp41 - facilita fuso viral com membrana da clula do hospe-deiro, alm de proteger o cido nuclico viral (genoma). Seu genoma contm duas molculas de RNA com inmeros genes.

  • ORIGEM DO HIVAinda um mistrio. A maioria dos cientistas supe que a transmisso ao Homem ocorreu atravs de macacos portadores do vrus SIV(Imunodeficincia S-mia do chimpanz) na frica, cujo cdigo gentico foi comparado com amostras de HIV, revelando simila-ridade.

  • ORIGEM DO HIV Vem da frica o caso mais antigo de infeco por HIV conhecido, um homem de etnia Bantu morto em 1959 no Congo (antigo Congo-Belga). A coincidncia gentica e geo-grfica confirma que o HIV passou para o Homem por contato de caadores com sangue dos animais abatidos.

  • 1 - Sndrome Aguda. Surge em 2 a 6 semanas a-ps a exposio ao HIV. Sintomas inespecficos.2 - Latncia Clnica. Pode ser totalmente assin-tomtica e se manter por anos, com nveis de partculas do HIV no sangue indetectveis (janela imunolgica). 3 - Fase Crtica ou Final. Exploso da carga viral, tornando o indivduo suscetvel ao ataque de microorganismos que nada causam em sadios (infeces oportunistas).

    Infeco pelo HIV: 3 fases distintas:

  • Caractersticas Clnicas da Infeco pelo HIV

    1- Sndrome Aguda pelo HIV, surge em 2 a 6 semanas aps a exposio ao HIV. Os sintomas no se manifestam da mesma forma em todas as pessoas, sendo comuns a vrias doenas, tais como: febre persistente, calafrios, dor de cabea, dor de garganta, dores musculares, manchas na pele, gnglios ou linfonodos (nguas) embaixo do brao, no pescoo ou na virilha e que podem levar muito tempo para desaparecer.

  • 2a fase: Latncia Clnica. A replicao viral aumentada, mas dentro dos tecidos linfides mantendo, assim, os nveis de partculas do HIV no sangue indetectveis momentaneamente (janela imunolgica). Esta fase pode ser totalmente assintomtica e se manter por anos, sendo a volta da febre, erupes cutneas e linfoadenopatia generalizada um alerta importante para o incio da terceira e ltima fase.3a fase: Aps anos, a quantidade de vrus comea a subir aceleradamente e os linfcitos mal contam 200 por milmetro cbico. Isso torna o indivduo suscetvel ao ataque de microorganismos que nada causam em sadios (infeces oportunistas), grande marca da terceira fase.

  • Pneumonia pelo fungo Pneumocystis carinii (quase 80% dos doentes); Principais infeces oportunistas na AIDS:

  • Citomegalovirose; Infeces por micobactrias como a Mycobacterium avium-intracellulare; Candidase da cavidade oral e esfago pelo fungo Candida albicans (o "sapinho");

    Principais infeces oportunistas na AIDS:

  • Meningite pelo fungo Cryptococcus neoformans, Toxoplasmose (Sistema Nervoso Central) pelo protozorio Toxoplasma gondii; Tuberculose, por Mycobacterium tuberculosis;

    Principais infeces oportunistas na AIDS:

  • Infeco por herpes vrus na boca, esfago, genitlia externa e regio perianal; Diarrias graves por proto-zorios e bactrias oportu-nistas como a Salmonella e Shigella; Aumento da incidncia de certos cnceres como o Sarcoma de Kaposi, um tumor maligno presente em at 40% dos indivduos com infeces oportunistas.

  • FORMAS DE TRANSMISSODO HIV sexual; sangnea (em receptores de sangue ou hemoderivados e em usurios de drogas injetveis, ou UDI); e vertical (da me para o filho, durante a gestao, parto ou por aleitamento).

  • Alm das formas mais freqentes pode ocorrer transmisso ocupacional (acidente de trabalho) em profissionais da rea da sade (mdicos, dentistas etc), atravs de ferimentos com instrumentos contaminados pelo sangue de pacientes infectados pelo HIV.

  • FORMAS DE PREVENODO HIV uso de preservativos nas relaes sexuais; controle de sangue e hemoderivados com exames e anlises especficas;

    usurios de drogas injetveis utilizarem apenas seringas descartveis; acompanhamento durante a gestao e parto da me contaminada (aleitamento desaconselhvel).

  • COMO USAR A CAMISINHA MASCULINA Passo a passo:

    - Sempre coloque a camisinha antes do incio da relao sexual; - Coloque a camisinha quando o pnis estiver duro; - Encaixe a camisinha na ponta do pnis, sem deixar o ar entrar; - V desenrolando at que ele fique todo coberto; - No deixe a camisinha ficar apertada na ponta do pnis - deixe um espao vazio na ponta da camisinha que servir de depsito para o esperma; - Aperte o bico da camisinha at sair todo o ar, mas cuidado para no apertar com muita fora e estragar a camisinha; - Se ela no ficar bem encaixada na ponta, ou se ficar ar dentro, a camisinha pode rasgar.

  • CICLO DO HIV

  • Como no se pega AIDS:

    Abraos, fazendo carcias ou dando aperto de mo; Fazendo uso de vasos sanitrios, copos, talheres, roupas ou sabonetes; Por saliva, suor ou lgrima; Por picadas de mosquito, pulgas, piolhos, percevejos o outros insetos Em praia, rio ou piscina Em assento do nibus, metro, estdios de futebol, hospitais, escolas, igrejas ou parques. Por ingesto de comidas e alimentos; Ao se fazer doao de sangue com material descartvel.

  • Links sugeridos

    http://www.aids.gov.brhttp://encyclopedia.thefreedictionary.com/AIDShttp://www.mchb.hrsa.gov/whusa02/Page_44.htmhttp://www.aids.gov.br/main.asp?View={CEBD192A-348E-4E7E-8735-B30000865D1C}&Mode=1http://www.cdc.gov/http://www.agenciaaids.com.br/default.asphttp://www.apta.org.br/http://www.onu-brasil.org.br/agencias_unaids.php

    *****************************************