Click here to load reader

ASSEMBLEIA DE PEIXES ASSOCIADAS ÀS MACRÓFITAS · PDF filepredominantemente determinístico ... Neste tipo de ambiente são encontrados invertebrados aquáticos e terrestres, algas

  • View
    218

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of ASSEMBLEIA DE PEIXES ASSOCIADAS ÀS MACRÓFITAS · PDF filepredominantemente...

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

    CENTRO DE CINCIAS BIOLGICAS E DA SADE

    DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA

    TAMIRES DA SILVA PASSOS

    ASSEMBLEIA DE PEIXES ASSOCIADAS S MACRFITAS

    AQUTICAS EM ILHAS DE SEDIMENTAO NO BAIXO SO

    FRANCISCO

    So Cristvo - SE

    2016

  • TAMIRES DA SILVA PASSOS

    ASSEMBLEIA DE PEIXES ASSOCIADAS S MACRFITAS

    AQUTICAS EM ILHAS DE SEDIMENTAO NO BAIXO SO

    FRANCISCO

    Monografia apresentada ao curso de Cincias

    Biolgicas da Universidade Federal de Sergipe

    como requisito parcial obteno do ttulo de

    bacharel em Cincias Biolgicas.

    Orientador: Prof. Dr. Marcelo F. G. de Brito

    So Cristvo - SE

    2016

  • AGRADECIMENTOS

    Ao Grande Arquiteto do Universo, DEUS, por toda a fora e amparo nas horas boas,

    felizes e principalmente por no me deixar fraquejar nos momentos mais difceis.

    Ao meu orientador, Prof. Dr. Marcelo F. G. de Brito, por toda a confiana, pacincia,

    incentivo durante todo este tempo de Labitctio, e por na reta final, me dar uns puxes de

    orelha! (rs)

    A Profa.Dr

    a Adriana Bocchiglieri e a Dr

    a. Renata Bartolette pela participao na banca

    avaliadora, bem como a todas as contribuies que tive das duas nesses anos rduos de UFS.

    A todos os professores que contriburam com uma gama de conhecimento durante essa

    caminhada.

    Universidade Federal de Sergipe pelo curso de Cincias Biolgicas Bacharelado,

    pela estrutura fsica com os equipamentos para a realizao desse projeto, pois sem isso, nada

    estaria feito.

    Ao Departamento de Biologia, por sempre resolver meus pepinos em tempo recorde,

    e ao Labictio, por ser o anexo da minha casa, e por ter sido o divisor de guas na minha vida.

    Aos meus queridos amigos do Labictio, por me acolherem to bem e serem o meu

    cardume: Carlos Danillo, Jeffinho, Fernando e Fernanda (dupla sertaneja haha), Darinho,

    Thiago, Carol lolis, Bruna, Jamille.

    Ao amigo Carlos Danillo, pela amizade, por todo companheirismo e incentivo quando

    eu me via doida por conta da monografia.

    A Jamille Ferreira, por me ceder os dados dos seus peixinhos, e me aturar pedindo isso

    o tempo todo. Valeu Jami!

    Aos amigos amontoados no meu corao durante a graduao, em especial aos

    benditos zueiros, que fizeram essa jornada parecer mais fcil.

    Aos meus pais e irms, por toda preocupao, amor, fora e principalmente incentivo

    em todos os momentos, para que eu conseguisse chegar at o finzinho!

    A Morfeu, por no me levar nos seus braos e ter me deixado virar zumbi, virando as

    madrugadas enquanto desenvolvia este trabalho.

    Por fim, e no menos importante, ao meu namorado e amigo, Daniel Badar, por ter

    lido a monografia umas 300 vezes, mesmo sem entender nadinha s vezes, por toda a

    preocupao com o prazo e com o desenrolar deste trabalho, e por ter me tranquilizado nos

    momentos de pico de estresse. Amo voc, kardula!

  • RESUMO

    A diversidade de peixes em rios est relacionada complexidade do habitat, sendo

    influenciada pela profundidade, tipos de substrato e velocidade da correnteza. Uma

    assembleia de peixes influenciada pela sinergia de fatores ambientais e interaes

    ecolgicas, os quais estruturam e determinam quantas e quais espcies tm a capacidade de

    ocorrer simultaneamente, quais so consideradas raras ou comuns e se h uma interao entre

    elas. O presente estudo teve como por objetivo avaliar a influncia dos fatores ambientais

    (Oxignio, pluviosidade, pH, condutividade e temperatura da gua) sobre a abundncia,

    biomassa e diversidade de peixes associados as macrfitas aquticas em uma rea do Baixo

    So Francisco. Amostragens bimestrais foram realizadas entre agosto/2012 e junho/2013, na

    calha principal do rio, entre os municpios de Propri (SE) e Porto Real do Colgio (AL),

    utilizando redes de arrasto (malha 5 mm entrens) nas ilhas de sedimentao no perodo

    crepuscular. A caracterizao da composio das assembleias de peixes nas duas ilhas

    amostradas foi realizada utilizando como descritores ecolgicos a abundncia, a riqueza de

    espcies e a diversidade. Para testar a influncia dos fatores ambientais sobre os descritores

    ecolgicos foi aplicada a correlao de Pearson aos dados bimestrais. Foram capturados 2879

    exemplares de peixes, distribudos em 5 ordens, 10 famlias e 25 espcies. Characiformes

    (50%) e Perciformes (20%) foram as ordens que apresentaram as maiores contribuies com o

    maior numero de famlias, enquanto que Characidae (44%) e Cichlidae (12%) foram as

    famlias mais representativas em riqueza. Foram observadas correlaes significativas entre

    os fatores ambientais e os descritores ecolgicos para as duas localidades amostradas. Sendo

    assim, o presente estudo permitiu elucidar que apesar de suas caractersticas ambientais

    similares, as ilhas de sedimentao estudadas no apresentam uma ictiofauna exclusiva,

    Apesar de serem prximas, as localidades provavelmente apresentam diferenas na disposio

    de recurso, o que modificou a constituio das assembleias.

    Palavras-chave: Comunidades, ictiofauna, macrfitas, pequeno porte

  • SUMRIO

    1. INTRODUO ............................................................................................................................. 5

    2. OBJETIVO GERAL ..................................................................................................................... 7

    3. OBJETIVOS ESPECFICOS ...................................................................................................... 7

    4. METODOLOGIA ......................................................................................................................... 7

    5. RESULTADOS ............................................................................................................................ 11

    6. DISCUSSO ................................................................................................................................ 20

    7. CONSIDERAES FINAIS ..................................................................................................... 23

    REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS .............................................................................................. 23

  • 5

    1. INTRODUO

    A diversidade de peixes em rios est relacionada complexidade do habitat, sendo

    influenciada pela profundidade, tipos de substrato e velocidade da correnteza (Gomiero &

    Braga, 2006). Por serem sistemas dinmicos, os rios apresentam um gradiente fsico-qumico

    com importncia na estruturao das comunidades de peixes (Jackson et al., 2001).

    Uma assembleia de peixes influenciada pela sinergia de fatores ambientais e

    interaes ecolgicas, os quais estruturam e determinam quantas e quais espcies tm a

    capacidade de ocorrer simultaneamente, quais so consideradas raras ou comuns, se h uma

    interao entre elas, sua capacidade de colonizao e a probabilidade de extino de cada

    espcie (Allan, 1995; Suarez & Junior, 2003; Pazin et al., 2006).

    Fatores determinsticos ou estocsticos desempenham papel fundamental na

    estruturao de comunidades biolgicas. Em regies aquticas neotropicais, como as plancies

    de inundao por exemplo, as espcies de peixes se distribuem de forma estocstica,

    influenciada pela facilidade de disperso de muitas delas, associadas s rpidas modificaes

    espaciais e temporais durante o pulso de inundao (Lowe-McConnell, 1999; Saint-Paul et

    al.,2000). Todavia, as assembleias de peixes tendem a apresentar um padro de estruturao

    predominantemente determinstico, controladas pelas interaes de fatores biticos e abiticos

    (Sarez et al.,2001; Arrington & Winemiller, 2003).

    Em ambientes tropicais, as mudanas trmicas so pouco perceptveis, existindo uma

    maior influncia da precipitao e das inundaes sazonais (Lowe-McConnell 1987). As

    cheias nos rios representam um importante evento para manuteno dos padres biolgicos e

    fsico-qumicos em um sistema fluvial (Junk et al., 1989). O perodo de seca/estiagem se

    caracteriza tanto pelo aumento da densidade dos peixes como pela intensificao das

    interaes biticas, o que pode resultar em modificaes profundas na estrutura e composio

    de espcies presentes na regio. A resistncia da comunidade a estas variaes pode ser

    acompanhada atravs das variaes de densidade, biomassa e participao relativa dos

    diferentes grupos trficos (Layman & Winemiller, 2005).

    Os ecossistemas aquticos, alm de serem caracterizados pela grande complexidade e

    variabilidade de habitats, vm sofrendo com as atividades antrpicas (Hart et al. 1999). A

    poluio, o assoreamento, a eutrofizao, os barramentos, pesca e introduo de espcies so

    as causas mais comuns de perda de biodiversidade em rios (Agostinho et al., 2005). Dentre

  • 6

    estes, os barramentos de rios representam o mais alto impacto na dinmica do sistema fluvial

    gerando uma homogeneidade ambiental nas regies a montante e a jusante da barragem (Junk

    & Mello, 1990). Com isso, a construo destes empreendimentos acaba modificando o regime

    hidrolgico a jusante da barragem, a intensidade, durao e poca das cheias, o que culmina

    com a reduo dos nutrientes disponveis e as reas sazonalmente alagadas, bem como cria

    condies trmicas e hidrodinmicas muito instveis nos segmentos logo abaixo da barragem,

    podendo resultar em modificaes na reproduo de algumas espcies (Agostinho et al.,

    1993).

    Al

Search related